O Ouro do Capital Natural: Os Serviços Ecossistêmicos e a Economia Verde

Publicado em: 22/08/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 104 |

Robson Zanetti

Eder Zanetti*

A Economia Verde surge como um dos mais crescentes ramos de negócios globais. A especialização dos sistemas de produção e prestação de serviços, para incluir os aspectos ambientais de qualidade, faz com que a Responsabilidade Socioambiental Corporativa evolua de exceção para regra nos negócios.

A Responsabilidade Socioambiental Corporativa dos negócios, na Economia Verde, tem foco na diminuição dos impactos dos sistemas produtivos e prestação de serviços na emissão de gases, de efluentes líquidos e de resíduos sólidos. É uma economia voltada para internalizar os custos ambientais. Essa internalização deve ocorrer com base em um valor de referência que possa ser incorporado por todas as diferentes cadeias produtivas e de prestação de serviços.

Na Economia Tradicional, a emissão de papéis-moeda era regulada pela quantidade de ouro em posse dos países. O sistema mais tarde evolui para o "Fiat Currency". Assim, o ouro desempenhou um papel importantíssimo, ao longo de vários séculos, para medir a riqueza dos países. Era a quantidade do metal, e sua valorização pela Lei de Oferta X Demanda, que fazia com que os países aumentassem ou diminuíssem suas reservas de Capital.

Na Economia Verde, os serviços ecossistêmicos são o lastro inicial para medir o tamanho e a qualidade do Capital Natural dos Países. Assim, o Ouro do Capital Natural é representado pelo Serviço Ecossistêmico depositado no País. É o Serviço Ecossistêmico que mede a riqueza dos países, em termos de disponibilidade de reservas de Capital Natural.

O Capital Natural já pode ser transferido entre os setores da economia, e até mesmo entre países. A emissão de Certificados de Serviços Ecossistêmicos (Carbono, Água, Biodiversidade etc), permite que esse Capital Natural seja transacionado entre os agentes públicos e privados.

Representado pelos ecossistemas e seus serviços de manutenção e melhoria da qualidade ambiental das cadeias produtivas, o Capital Natural pode ser contratado entre os prestadores de serviço e os demandadores. Esse contrato confirma a atuação conjunta na compensação e neutralização dos impactos que as cadeias produtivas tenham nos ecossistemas.

Com a sua cadeia produtiva ou de prestação de serviços devidamente neutralizada em termos de impactos ambientais, o agente público ou privado passa a contar com uma vantagem competitiva na Economia Verde. Essa vantagem competitiva está refletida na Capitalização de seu negócio, com a introdução da qualidade ambiental na produção ou prestação de serviço. É a incorporação do Capital Natural ao sistema econômico tradicional. Esse Capital Natural pode ser utilizado, por exemplo, em campanhas de marketing, licitações para compras verdes de governos, empresas e outros.

Do lado do proprietário rural que detêm áreas é possível exigir o registro, com averbação no título de propriedade, dos inventários de serviços ecossistêmicos prestados. Esses inventários passam a fazer parte do imóvel rural, sendo incluídos entre os itens que agregam valor ao patrimônio público ou privado. É a incorporação do valor do Capital Natural à propriedade rural.

Entre os impactos ambientais que podem ser registrados pela empresas estão aqueles relatados nos Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto ao Meio Ambiente – EIA/RIMA, as emissões de carbono e outros gases, de efluentes líquidos, a geração de resíduos sólidos, a conversão de usos da terra, as audiências públicas, a incidência de pragas e doenças, as rupturas sociais e outros. Para cada impacto ambiental das atividades humanas há uma conseqüência específica em um serviço ecossistêmico, que pode ser avaliada através de um sistema de Mensuração, Relatório e Verificação (MRV).

Entre os serviços ecossistêmicos que podem ser utilizados para geração e emissão de certificados de Capital Natural, está o carbono, a água, a biodiversidade, a beleza cênica, os solos, a polinização, combate a doenças crônicas, combate a doenças infecto-contagiosas, criatividade, relacionamento com a sociedade e outros. Para cada serviço ecossistêmico existe um sistema de gestão específico, que inclui aspectos que garantam a sua MRV.

Os sistemas de MRV dos proprietários rurais e das empresas de todos os setores são comuns. Dessa forma, a uma relação direta entre os Critérios & Indicadores utilizados para mensurar os impactos das cadeias produtivas e de prestação de serviços, e os benefícios gerados pelos ecossistemas. Essa relação específica, dentro de um ambiente de MRV, que condiciona a atuação dos agentes públicos e privados nas transações envolvendo títulos e/ou certificados de Capital Natural.

Assim, é o serviço ecossistêmico que dá lastro para que as empresas e os proprietários rurais possam avaliar seus débitos e créditos ambientais, e transacioná-los para melhorar a qualidade da produção, e da prestação de serviços, gerando o que a Economia Verde classifica de Bens e Serviços Ambientais. Os Bens e Serviços Ambientais vão movimentar mais de US$ 1 trilhão no comércio internacional em 2011, enquanto os serviços ecossistêmicos, avaliados em algo como US$ 44 trilhões, geraram negócios de alguns bilhões de dólares. O futuro aponta um crescimento da Economia Verde, em detrimento a tradicional, com sendo o mais importante motor econômico mundial até 2050.

* Eder Zanetti é graduado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná, MSC na área de Silvicultura pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg e doutorando em Manejo Florestal Sustentável pela UFPR. Foi por três anos responsáveis pela área de mudanças climáticas globais e serviços ambientais das florestas no Centro Nacional de Pesquisas Florestais da Embrapa. Atuou como profissional de Engenharia Florestal em 13 países. Já produziu 8 livros e tem 4 publicados pela Editora Juruá (Setor Florestal; Globalização e Vantagem Competitiva das Florestas; Certificação e Manejo de Florestal; Mudanças Climáticas Globais, Florestas, Madeira e Carbono). Ministra cursos de certificação de carbono e pagamentos por serviços ambientais, e é revisor externo de metodologias florestais da Convenção Quadro das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (UNFCCC CDM AR ROE). Atua no assessoramento de empresas e proprietários rurais para o desenvolvimento de projetos florestais de carbono, incluindo mecanismo REDD (Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação das florestas).

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/meio-ambiente-artigos/o-ouro-do-capital-natural-os-servicos-ecossistemicos-e-a-economia-verde-5148844.html

    Palavras-chave do artigo:

    economia verde capital natural mrv responsabilidade socioambiental corporativa

    Comentar sobre o artigo

    Rijarda Giandini

    Investir em Resíduos como economia de transformação é uma evidência cabal de que o "mundo sustentável" é possível e provável fonte de riquezas, de negócios. É uma comprovação de que os produtos, que se transformam em lixo, podem ter suas vidas de uso estendidas, redimensionadas. A não produção de novos pode ser substituído por reuso, reutilizo, reciclagem . E dá dinheiro e competitividade para o país. Além de ser bom para o ambiente.

    Por: Rijarda Giandinil Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 26/02/2015
    Liéber Zen

    Já parou para observar que nos outros países há pessoas que produzem sua própria energia elétrica? Fazendo da utilização da rede de energia vinda concessionárias um uso raro? Muitas dessas pessoas até já conseguem distribuir a energia produzida para pessoas das duas proximidades. A água da chuva é sempre aproveitada também,

    Por: Liéber Zenl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 28/01/2015 lAcessos: 19
    JORGE FLOQUET

    Ainda sobre a queima de fogos que acontece nos finais de ano, observem que a cada ano que se passa tornam-se mais potentes e duradouras. Onde está o ministério público que não proíbe esse absurdo? Na queima de fogos, são três tipos de poluição: sonora, química e luminosa. Tudo bem, você acha bonito, não é? Mas, os animais que estão no seu entorno e em repouso? Que fogem assustados batendo em tudo que encontra pela frente e não voltam aos seus ninhos? O que se pode afirmar dos seus filhotes?

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 20/01/2015
    Michele Bazilio

    O artigo não defende o acesso irrestrito de cães nas areias, mas também não aprova uma proibição absoluta tal como frequentemente imposta. Reconhece a preocupação relativa à saúde pública, entretanto busca oferecer alternativas. Acima de tudo, convida à reflexão sobre se seriam os cães, os melhores amigos do homem, os verdadeiros culpados pela enorme poluição que hoje atinge areias e mares.

    Por: Michele Baziliol Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 19/01/2015 lAcessos: 28
    JORGE FLOQUET

    Não! Embora estejamos em pleno final de ano, não se trata da minha participação em maratotonas. Se trata de uma teoria científica que, devido a extrema urgência, tem que ser repassada imediatamente para aqueles que serão beneficiados. Por isso, fui acordado às 03h00 de 30/12/2014, para ser o facilitador desse aviso: à semelhança do que aconteceu no litoral santista no último dia 29/12/2014, evitem aglomeração neste final de ano em áreas propensas à descarga atmosférica, pois muitos choros

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 30/12/2014
    JORGE FLOQUET

    Neste sentido, a época atual –Réveillon- torna-se uma período de extremo perigo para aqueles que habitam ou se deslocam num ambiente de fortes descargas atmosféricas.Ou seja, os particulados provenientes da queima dos fogos de artifícios ou poluição diminuem, em muito, a rigidez dielétrica trazendo grandes riscos à população.Principalmente em locais de forte aglomeração.Perigo !

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 29/12/2014
    marli frageri

    concientizar as crianças para que tenhamos um futuro garantido sem tantos danos a saude.

    Por: marli frageril Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 03/12/2014 lAcessos: 12
    eva maria silva oliveira

    É difícil acreditar, mas a água também pode acabar. A impermeabilização acelerada do solo e a destruição da cobertura vegetal e das matas ciliares diminuem a capacidade de renovação dos lençóis freáticos.

    Por: eva maria silva oliveiral Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 01/12/2014 lAcessos: 16
    Robson Zanetti

    Os produtores rurais passar a dispor, com a Lei 12651/2012, de instrumentos legais para a organização de mercados para o Pagamento por Serviços Ambientais / Ecossistêmicos – PSA/PSE. Para participar destes mercados, os arranjos territoriais – infraestrutura verde – são mais competitivos, e as cooperativas tem vocação na organização de produtores rurais para atingir fins específicos. Instituições como o SENAR e o SEBRAE contribuem para garantir e melhorar competitividade da economia nacional, e a

    Por: Robson Zanettil Direitol 16/07/2013 lAcessos: 43
    Robson Zanetti

    Em todo o mundo, a questão ambiental migrou para tema central da pauta internacional. As relações que existem no comércio internacional entre os impactos ambientais e as taxas de importação / exportação são de especial interesse para o Brasil, que detem uma competitividade muito grande em uma crescente economia verde. Com o crescimento de mercados para produtos e serviços com qualidade ambiental, há uma tendência clara para a valorização dos ativos ambientais das propriedades rurais.

    Por: Robson Zanettil Direitol 08/07/2013 lAcessos: 129
    Robson Zanetti

    Artigo que aborda HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR

    Por: Robson Zanettil Direitol 23/02/2012 lAcessos: 231
    Robson Zanetti

    A loteria judicial é uma forma fácil de se enriquecer. Sua probabilidade de ganho é muito maior do que qualquer loteria, e é legalizada. Existem vários tipos de apostas

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 22/09/2011 lAcessos: 70
    Robson Zanetti

    A Emenda Constitucional n.º 45/2004 veio a estabelecer no artigo 114, inciso VI, a competência da Justiça do Trabalho para as ações de indenização por dano moral, ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 21/09/2011 lAcessos: 73
    Robson Zanetti

    O Código de Defesa do Consumidor (CDC) ao disciplinar a publicidade, em seu art. 37, veda a publicidade enganosa.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 19/09/2011 lAcessos: 123
    Robson Zanetti

    A falta de possibilidade em usar uma denominação social, ou nome de fantasia, é um empecilho claro para formação de novas bancas de advocacia com vários membros, o que se revela uma restrição de acesso ao mercado, e uma prática anti-concorrencial.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 25/08/2011 lAcessos: 142
    Robson Zanetti

    Insere-se na atividade jornalística o direito de criticar, de lançar idéias, de manifestar o pensamento, de criar concepções e formular expressões. Assim quando veiculada matéria jornalística supostamente tendenciosa e sensacionalista, deve-se então analisar se houve abuso na veiculação da notícia, não se podendo olvidar que a lei admite que o veículo de comunicação difunda idéias e informações.

    Por: Robson Zanettil Direitol 25/05/2011 lAcessos: 145
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast