A importância da publicidade para o Brasil e para a economia brasileira

19/11/2011 • Por • 107 Acessos

Divulgar, anunciar e mostrar o que tem para vender, sejam produtos, serviços ou idéias, é essencial para que se tenha êxito em qualquer empreitada que para isso seja necessária a participação direta ou indiretamente de outras pessoas. Há muito tempo que se diz que "a propaganda é a alma do negócio". Qualquer coisa que se queira passar para outras pessoas necessariamente tem que ser anunciada, seja diretamente, informando diretamente a pessoa, ou indiretamente por meio de mídias dos mais diferentes tipos e natureza. Neste último caso, então é necessária a participação de algum tipo de anúncio que requer a participação de uma empresa especializada ou não. Se se tratar de um pequeno anúncio em jornal, rádio, etc. não será tão necessária a participação de profissional da área de propaganda, mas se for mais sofisticada, a presença desse tipo de profissional se fará necessária para que o objetivo seja alcançado.

 

A indústria da publicidade no Brasil é uma das mais respeitadas no mundo, tendo obtido ao longo de quase cem anos de existência vários prêmios dos mais respeitados do mundo. Os nossos profissionais dessa área estão incluídos entre os mais respeitados no mercado mundial.  São dezenas de milhares de profissionais que dedicam a vida em vender produtos, serviços, idéias e outras coisas se forem necessárias. Recentemente o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) juntamente com a Associação Brasileira de Agências de Publicidade (ABAP) realizaram uma pesquisa em 2009 onde foi feito um levantamento bastante importante a respeito de uma série de informações do segmento de publicidade e promoção no Brasil.

 

São 1.642 empresas onde trabalhavam 70.303 pessoas e geraram uma receita bruta de R$ 9,46 bilhões em 2009. Sendo que 30,6% das empresas possuem entre 11 e 19 empregados e as empresas com mais de 99 empregados faturaram 36,8% do que o setor faturou naquele ano. Cerca de 53% do faturamento do setor ficou com as agências de publicidades, correspondendo a um valor aproximado de R$ 5 bilhões. Desse valor, 56,1% vieram da televisão, 20% da mídia impressa, 7% do rádio, 7% de mídia externa (distribuição de panfletos, mala direta, etc.), 5,7% internet e 4,2% outros tipos de propaganda.

 

Do total de pessoas que trabalhavam nessa área, 30,6% trabalhavam nas agências de publicidade, 24,5% nas agências de promoção de vendas, 33,9% nas empresas de promoção de eventos, 4% nas assessorias de marketing, 3% nas agências de compras e venda de espaço publicitário ou tempo publicitário e 4% em outros tipos. Um dado interessante nesse levantamento do IBGE é a produtividade (receita bruta por trabalhador) dos trabalhadores dessa área. A média do setor foi de R$ 134,6 mil, mas teve bastante variação dependo do tipo de empresa na qual esse trabalhador atuava. As maiores produtividades foram nas agências de publicidade e nas agências de compra e venda de espaço publicitário com, respectivamente, R$ 231,5 mil e R$ 217,2 mil.

 

Dados os avanços tecnológicos e o surgimento de novos meios e instrumentos de comunicação que tem levado à drástica redução de custos e aumentado na mesma proporção as facilidades de se comunicar, a área de publicidade torna-se cada vez mais atraente e importante e um desafio muito interessante para quem trabalha ou quer trabalhar nessa área. O grande responsável pelo sucesso dessa indústria é o setor privado que participa com 83,9% do faturamento das empresas de publicidade. O governo, as estatais e outros tipos de propagandas do setor público participam com os 16,1% restantes. Certamente essa indústria continuará crescendo e sendo muito importante para os negócios no Brasil. Dada a competência e a dedicação dos profissionais dessa área não resta dúvida de que os resultados serão sempre mais próximos do esperado.

 

Perfil do Autor

Francisco Castro

Economista, especialista em finanças públicas e mestre em economia. Gosta muito de política.