Acordes Relativos

30/12/2009 • Por • 12,999 Acessos

Conhecer os acordes de uma música sem saber porque estão ali, porque justamente aqueles acordes, significa "queimar" etapas do aprendizado de música.

Os acordes aparecem numa determinada música devido à sua tonalidade. Mude a tonalidade e mudarão os acordes.

Muitas vezes você vê aparecer um solitário acorde menor numa música em tom maior, com talvez mais três ou quatro acordes maiores. Tomemos por exemplo a seguinte sequencia:

D Bm G A

O acorde Si menor (Bm) ali está por ser relativo de Ré maior (D). Porque as escalas dos dois acordes possuem as mesmas notas, é que se convencionou chamá-los relativos.

E como saber quais acordes são relativos de outros? É bastante simples, na verdade. Para acordes maiores três semitons abaixo da nota que dá nome ao acorde e para acordes menores (óbvio), três semitons acima. Explicando melhor:

Acorde relativo de Ré maior (D) = Bm (Si menor) porque:

Um semitom abaixo de D = C#

Dois semitons abaixo de D = C

Três semitons abaixo de D = B

E vice-versa para relativos de acordes menores.

No violão, fica bem fácil. Para um dado acorde maior, basta ir três casas para trás na nota que dá nome ao acorde.

Na sequencia acima teríamos portanto:

Relativo de D = Bm

Relativo de G = Em

Relativo de A = F#m

Esta informação é particularmente útil para "tirar" músicas de ouvido. Uma vez que você descubra em que tonalidade está a música, saberá quais acordes poderão aparecer. No exemplo da sequencia acima, todos estes acordes poderão aparecer: D, G, A, Bm, Em e F#m.

É claro que outros acordes podem fazer parte da canção, mas partindo-se dos acordes principais, fica mais fácil identificar os demais.

Como você poderá reparar na tabela abaixo, "quem sabe um, sabe todos":

Acorde                                      Relativo

C                                                  Am

D                                                  Bm

E                                                  C#m

F                                                  Dm

Nem é necessário completar a tabela, concorda? Você com certeza já reparou que os acordes relativos vão crescendo - em semitons - à mesma proporção que os acordes originais.

Você pode facilmente comprovar a larga utilização de acordes relativos, observando diversas músicas mais populares, nas quais se usa mais acordes simples como estes.

Na hora de compor uma música, também é muito importante conhecer as sequencias possíveis de acordes a serem utilizados, bem como os acordes relativos.

Com um pouco de treino, você facilmente identificará a presença ou a necessidade de um acorde relativo numa determinada música.

Perfil do Autor

Oskar Riogrande