Breve História Da Toyota E Surgimento Do Lean Manufacturing

Publicado em: 31/07/2009 | Acessos: 7,872 |

É comumente aceito que o Lean Manufacturing surgiu dentro da Toyota, no Japão do pós guerra. Mas com um pouco mais de rigor, podemos dizer que alguns conceitos fundamentais desse sistema de produção nasceram antes mesmo da criação da Toyota Motor Co em 1937. Quando Sakichi Toyoda inicia estudos sobre a automação de teares manuais no início do século, é fundada a Toyoda Automatic Loom Works.

Os teares desenvolvidos por Sakichi Toyoda além de funcionar sem a necessidade de operações manuais, também paravam produção quando havia algum problema (quando, por exemplo, um dos fios se partiam). Com a utilização desse sistema, o homem foi separado da máquina e nascia então o conceito de ‘Autonomação', um dos pilares do que viria a ser o Sistema Toyota de Produção

Nos anos seguintes a Toyoda Automatic Loom Works iniciou pesquisas com motores a gasolina de pequeno porte, e com isso nasceu a Toyota Motor Co em 1937. Após a Segunda Guerra Mundial, com a economia japonesa arrasada, a Toyota adota como estratégia de sobrevivência a busca e eliminação de desperdícios. Foram definidos os 7 grandes desperdícios, e as ações de melhoria da empresa foram concentradas na redução ou eliminação desses 7 desperdícios. E esse conceito tornou-se a base do Sistema Toyota de Produção, trazido para o ocidente com o nome de Lean Manufacturing.

Durante esses anos todos de esforços no combate ao desperdício, a Toyota cresceu e apresentou balanços financeiros positivos ano após ano. A montadora japonesa recebeu como recompensa a liderança mundial do mercado de automóveis em 2007.

O foco estabelecido no combate aos tempos improdutivos, à desorganização, à produção descontrolada, à falta de padrões, à baixa qualidade e ao excesso de estoque criaram ferramentas e conceitos utilizados e discutidos em todas as grandes empresas de nosso tempo seja através de consultorias especializadas, seja através de equipes internas de melhoria. Células de produção, 5s, TPM, Poka Yoke, SMED e Kanban são termos conhecidos e fazem parte da rotina industrial.

Veja mais sobre este assunto no vídeo a História da Toyota e o Surgimento do Lean

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/negocios-artigos/breve-historia-da-toyota-e-surgimento-do-lean-manufacturing-1087115.html

    Palavras-chave do artigo:

    lean

    ,

    kanban

    ,

    mrp

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo mostra que Kanban e Just in Time não são a mesma coisa e ajuda a esclarecer as frequentes dúvidas sobre os dois termos com analise da relação entre eles.

    Por: Nicodemol Negócios> Gestãol 25/04/2009 lAcessos: 28,156 lComentário: 9

    Começar um negócio próprio não é nada fácil. Quem já teve essa experiência sabe que as dificuldades parecem não ter fim, e a vontade de desistir ou voltar a vida de empregado, batem na porta com a saudade da rotina comum da maioria dos trabalhadores. Construir sua empresa requer uma paciência especial, porque problemas acontecem a todo instante e coisas que você nem imagina ou pensava em se importar, se tornam primordiais para o funcionamento dela.

    Por: 3xcelerl Negóciosl 22/10/2014
    Gustavo Rocha

    Uma interessante pesquisa do GEJUR aponta em inúmeros escritórios participantes, os meios e métodos de uso das metas de eficiência. Tema deveras polêmico, pois na maioria das visões que conheço e vivencio, ambas as partes (sociedade e advogados) reclamam dos métodos aplicados. De um lado, escritório, querem medir o desempenho para opor melhor crescimento do negócio e de outro lado os profissionais, que querem mostrar este desempenho para alcançarem maiores vôos… Divido a pesquisa:

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 17/10/2014

    Com o crescimento das empresas, os empresários sentiram a necessidade de fiscalizar seus procedimentos internos, como não poderiam fazê-lo pessoalmente, precisavam de uma pessoa que emitisse seu parecer com sugestões de melhoria para os problemas apresentados foi a partir dessa fase que surgiu o auditor interno e externo. Com a competitividade, as empresas que passaram a utilizar dessa ferramenta, tornaram-se mais competitivas, utilizando-se de estratégias que lhe transmitisse mais segurança.

    Por: Daiana Franciele Righil Negóciosl 16/10/2014

    A contabilidade gerencial contempla informações definidas pelos usuários (internos ou externos) como necessárias para as suas tomadas de decisões, e se for bem aproveitado, pode gerar valor à empresa e seus gestores. Dentro deste contexto identifica-se a contabilidade gerencial e financeira que se diferenciam por atenderem a públicos diferenciados e por tomarem como base dados tangíveis e intangíveis.

    Por: Daiana Franciele Righil Negóciosl 16/10/2014
    Victor Hugo Oliveira dos Anjos

    Como trabalho de conclusão do Técnico em Gestão de Políticas Públicas é pertinente estudar a mobilização da sociedade civil para reivindicação de seus direitos e participação na criação de políticas públicas por meio das associações de bairro, a fim de entender a contribuição popular neste processo. Assim, investigar o papel das associações de bairro como mediador entre a população e o Estado é relevante para a compreensão da democratização dos agentes públicos e da efetivação dos direitos.

    Por: Victor Hugo Oliveira dos Anjosl Negóciosl 13/10/2014
    Gustavo Rocha

    12 de Outubro, feriado, data da padroeira do Brasil Nossa Senhora, também data em que comemoramos o dia das crianças. Dia das crianças, uma data comercial, sem sombra de dúvidas. Mas, a reflexão que faço é sobre a nossa criança interior. Aquela criança que nunca deixará de ser nós mesmos em constante evolução. Qual a característica comum a todas as crianças: Curiosidade e não ter medo. Criança não tem medo do ridículo, ela se suja e está feliz.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 12/10/2014
    Gustavo Rocha

    Divido com vocês um trecho do artigo do filósofo Mário Sérgio Cortella, sobre as novas gerações e seus dilemas. Vale a pena a leitura: Na conversa a seguir, ele chama a atenção para um "desvio de formação" dos jovens, que não foram ensinados a batalhar pelo que desejam. Ao mesmo tempo, afirma que essa geração tem várias características que precisam ser valorizadas. Cortella também dá um alerta sobre a nossa falta de tempo para pensar sobre nós mesmos:

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 10/10/2014
    Gustavo Rocha

    Ao ler o título, muitos dirão que não é verdade: Chefia não tem sentimentos, eles tem sarcasmo e principalmente mau humor. Outro dirão que ao contrário, são muito emocionais. E há aqueles que são durões ou fingem ser durões. Ou ainda aqueles que dizem que são parceiros dos colaboradores e na verdade apenas querem o seu sucesso e nada além disto… Tantos modelos de chefes, não é mesmo? A Exame.com trouxe alguns pontos que devem ser questionados nestas reflexões. Vejamos:

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 08/10/2014

    O artigo fala sobre a dificuldade de manutenção dos investimentos em projetos de melhoria quando há uma perspectiva de retração das vendas. Apresenta o cenário atual, o comportamento regular da indústria e o desafio maior de se preparar para momentos mais difíceis no mercado de automóveis de passeio.

    Por: lgnicodemol Negóciosl 22/07/2009 lAcessos: 773
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast