Breve História Da Toyota E Surgimento Do Lean Manufacturing

Publicado em: 31/07/2009 | Acessos: 8,018 |

É comumente aceito que o Lean Manufacturing surgiu dentro da Toyota, no Japão do pós guerra. Mas com um pouco mais de rigor, podemos dizer que alguns conceitos fundamentais desse sistema de produção nasceram antes mesmo da criação da Toyota Motor Co em 1937. Quando Sakichi Toyoda inicia estudos sobre a automação de teares manuais no início do século, é fundada a Toyoda Automatic Loom Works.

Os teares desenvolvidos por Sakichi Toyoda além de funcionar sem a necessidade de operações manuais, também paravam produção quando havia algum problema (quando, por exemplo, um dos fios se partiam). Com a utilização desse sistema, o homem foi separado da máquina e nascia então o conceito de ‘Autonomação', um dos pilares do que viria a ser o Sistema Toyota de Produção

Nos anos seguintes a Toyoda Automatic Loom Works iniciou pesquisas com motores a gasolina de pequeno porte, e com isso nasceu a Toyota Motor Co em 1937. Após a Segunda Guerra Mundial, com a economia japonesa arrasada, a Toyota adota como estratégia de sobrevivência a busca e eliminação de desperdícios. Foram definidos os 7 grandes desperdícios, e as ações de melhoria da empresa foram concentradas na redução ou eliminação desses 7 desperdícios. E esse conceito tornou-se a base do Sistema Toyota de Produção, trazido para o ocidente com o nome de Lean Manufacturing.

Durante esses anos todos de esforços no combate ao desperdício, a Toyota cresceu e apresentou balanços financeiros positivos ano após ano. A montadora japonesa recebeu como recompensa a liderança mundial do mercado de automóveis em 2007.

O foco estabelecido no combate aos tempos improdutivos, à desorganização, à produção descontrolada, à falta de padrões, à baixa qualidade e ao excesso de estoque criaram ferramentas e conceitos utilizados e discutidos em todas as grandes empresas de nosso tempo seja através de consultorias especializadas, seja através de equipes internas de melhoria. Células de produção, 5s, TPM, Poka Yoke, SMED e Kanban são termos conhecidos e fazem parte da rotina industrial.

Veja mais sobre este assunto no vídeo a História da Toyota e o Surgimento do Lean

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/negocios-artigos/breve-historia-da-toyota-e-surgimento-do-lean-manufacturing-1087115.html

    Palavras-chave do artigo:

    lean

    ,

    kanban

    ,

    mrp

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo mostra que Kanban e Just in Time não são a mesma coisa e ajuda a esclarecer as frequentes dúvidas sobre os dois termos com analise da relação entre eles.

    Por: Nicodemol Negócios> Gestãol 25/04/2009 lAcessos: 28,245 lComentário: 9
    Gustavo Rocha

    Pelo menos para os trabalhadores de um prédio na Suécia. São 400 profissionais no edifício que aceitaram receber um implante de chip na mão, que substitui o crachá . Será que a moda pega? Já imaginaram usar um chip do Google, outro do Facebook, outro do escritório onde trabalha e por aí a fora? E o chip do governo, chega quando? O que você pensa a respeito? Vejamos a reportagem: Passar o crachá para entrar no escritório é coisa do passado, pelo menos para os funcionários do Epicenter, um no

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 02/03/2015
    Gustavo Rocha

    Muito se fala em inteligência emocional, em querer profissionais que aguentem a pressão, em buscar pessoas que possam ser moldadas conforme o negócio e por aí a fora. Sempre queremos que os outros mudem, que os outros se adaptem, que os outros sejam aquilo que nós não queremos ser e fazer. Difícil de aceitar, mas uma realidade clara e existente no mercado: Queremos inteligência emocional e não observamos o básico do colaborador – como ele está amadurecendo como pessoa. Queremos que ele seja m

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 01/03/2015
    Gustavo Rocha

    Quando o assunto é depressão, parece que as pessoas se escondem, como se fosse algo que devesse ficar fora do cenário de debates. É o contrário: Quanto mais conhecermos, mais poderemos esclarecer esta doença que tanto tem atacado colaboradores e/ou sócios, sem importar camada social ou conta bancária. Muitas vezes confundida com estresse, mas é um diagnóstico que somente pode ser dado por um especialista. Esqueça os especialistas de plantão, como os pais, colegas, amigos e companheiros de bar

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 26/02/2015
    Gustavo Rocha

    Departamento jurídico = estresse. Uma verdade no seu dia a dia? Para a grande maioria, senão absoluta maioria, uma igualdade que não tem solução. E neste sentido, o estresse é confundido com cansaço, se torna um mal que se acostumamos com ele ao invés de tentar rechaça-lo, enfim, ele se torna um amigo que nos apunhala diariamente… Não existe fórmula mágica, obviamente. Mas, analisar alguns pontos é sempre salutar. Uma entrevista auxilia a pensar nestes pontos, acompanhe: Em entrevista a Épo

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 25/02/2015
    Gustavo Rocha

    Já disse Isaac Newton que o que sabemos é uma gota e o que ignoramos, um oceano. Entretanto, para muitas pessoas isto parece exatamente o contrário. E não estou discorrendo da geração tal ou outra qualquer, estamos falando de pessoas, de indivíduos, de seres humanos que sabem um pouco de algum assunto e pensam que dominam aquele tema de tal forma que todos devem reverência a eles. Todos conhecemos pessoas assim, contudo, pesquisas demonstram que isto é uma realidade maior do que podemos imagi

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 23/02/2015
    Gustavo Rocha

    Como diria Oswaldo Montenegro, que não se tente complicar, pois a arte precisa de simplicidade para existir. E para iniciarmos bem o ano de 2015, esta deve ser a nossa regra diária (afinal, agora pós o Carnaval, chega de desculpas, né? 2015 iniciou!). E na vida, no dia a dia, é justamente esta simplicidade que pode fazer a diferença entre o sucesso e a monotonia. Como assim? Nós temos uma tendência natural a complicar as coisas. Não nos satisfazemos em fazer um projeto bem feito, queremos f

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 22/02/2015
    Gustavo Rocha

    Divido com vocês um compilado do livro Know-how: as 8 Competências que separam os que fazem dos que não fazem (Editora Campus/Elsevier) escrito por Ram Charan: 1 – Competência para posicionar a empresa E capacidade para mudar o negócio sempre que o mercado assim exigir O posicionamento é o princípio central da empresa e a base de sustentação que determinará se você irá ou não ganhar dinheiro. O verdadeiro teste de posicionamento é o mundo real. Se os consumidores estiverem confusos sobre o qu

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 11/02/2015 lAcessos: 11
    Gustavo Rocha

    KPI vem do inglês e quer dizer: Key Performance Indicator, ou seja, chave de indicador de performance. Hein? Isto mesmo, um paradigma para criar indicadores. Situações que podemos pensar onde devemos monitorar os resultados para alcançarmos vôos maiores. Um interessante artigo do Ricardo Jordão Magalhães nos brinda com 45 KPI`s utilizáveis no mercado e plenamente capacitados para o mercado jurídico, com poucas adaptações. Divido o artigo: 1. Qual é o Volume de vendas? POR QUE é IMPORTANTE?

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 05/02/2015 lAcessos: 11

    O artigo fala sobre a dificuldade de manutenção dos investimentos em projetos de melhoria quando há uma perspectiva de retração das vendas. Apresenta o cenário atual, o comportamento regular da indústria e o desafio maior de se preparar para momentos mais difíceis no mercado de automóveis de passeio.

    Por: lgnicodemol Negóciosl 22/07/2009 lAcessos: 777
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast