O Que Faz Um Projeto Social/ambiental Ser Sustentável?

Publicado em: 31/08/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 1,689 |

Hoje é muito comum entrarmos em sites corporativos e encontrarmos link para projetos sociais e ambientais que as organizações realizam. É quase que uma obrigação ter esse tipo de informação acessível ao público. Nos relatórios (balanços) sociais a sensação que temos é de estarmos diante de empresas perfeitas que não medem esforços nem recursos financeiros quando o assunto é compromisso sócio-ambiental. Nada mais que marketing. Infelizmente. Mas o assunto aqui não é esse.

Independente da motivação que leva uma empresa a adotar a responsabilidade social e ambiental, existe um grande caminho a ser percorrido para dizer que ela executa projetos sustentáveis. Mesmo estando alinhados ao planejamento estratégico, ao ISE e aos processos de negócio, os projetos, ainda assim, podem não ser sustentáveis. E aí vem a pergunta-título: o que faz um projeto social/ambiental ser sustentável?

Não saberia dar uma definição exata, mas darei um exemplo que talvez ajude a esclarecer. Suponhamos que uma indústria vai se instalar em uma cidade e começa a fazer as obras para a construção da planta. Isso gera bastante impacto e a empresa realiza diversos projetos tanto para mitigação dos impactos ambientais, quanto sociais, já que a fábrica está sendo construída próxima a uma comunidade.

Pois bem, geralmente a mitigação ambiental não tem muito que se discutir até porque é lei. Além da questão do meio ambiente é preciso lidar com a possibilidade da comunidade do entorno sofrer de um inchaço populacional, com pessoas vindas de diferentes cidades e estados, atraídas pelas oportunidades geradas com a instalação da fábrica na localidade. E se a questão não for cuidada com atenção, pode virar um grande problema para a empresa.

Assim, pelo lado social, é comum que a empresa firme parceria com a comunidade, seja contratando na localidade mão-de-obra para serviços menos especializados, seja transformando pequenos empreendimentos locais em fornecedores. Também é muito comum a realização de projetos voltados para crianças e adolescentes, seja de cunho esportivo, cultural ou educacional.

Agora pensemos: executar todos esses projetos custa dinheiro. Muito dinheiro. E é um dinheiro que terá de ser gasto enquanto a empresa estiver ali instalada. Mas e se um dia a empresa resolver tirar a fábrica daquele local? O que vai ser daquela comunidade? Além de colocar um sistema econômico local em colapso, a saída da fábrica também pode colocar um sistema social em colapso. Trágico? Não, apenas a realidade.

Lembremos a definição de desenvolvimento sustentável presente no Relatório de Brundtland: “a satisfação das necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”. Ou seja, comprometimento com o longo prazo. É isso que caracteriza um projeto social/ambiental sustentável.

E no caso da empresa que criou toda uma cadeia produtiva e de valor no entorno da sua fábrica? Como poderia garantir a continuidade dessa cadeia produtiva e de valor se a responsabilidade da empresa acaba com a saída da fábrica do local? Como deveria ser a condução dos projetos ao longo dos anos de forma que eles fossem sustentáveis e a descontinuidade da fábrica gerasse o mínimo de impacto para a comunidade?

Será que se ao invés de formar uma rede de fornecedores, não seria mais interessante (e sustentável) estimular o empreendedorismo, capacitando e auxiliando a comunidade na gestão de um negócio onde a fábrica fosse apenas mais um cliente? Será que ao invés de absorver a mão-de-obra não qualificada necessária, não seria mais sustentável qualificá-la para que pudesse ser utilizada não apenas na própria fábrica, mas também em outras empresas? Será que não é melhor adotar uma postura de coadjuvante no processo econômico do local do que a de protagonista, como sempre acaba sendo feito?

A construção e a operação de uma fábrica foi apenas um exemplo de como um projeto pode (e deve) ser sustentável. Na verdade, a grande pergunta que deve ser feita é qual o intuito de se gastar muito dinheiro nesses projetos se a empresa não oferece às comunidades do entorno a possibilidade de no futuro “caminhar com as próprias pernas”. Não seria mais inteligente, mais digno e até menos oneroso (porque a tendência seria a comunidade depender cada vez menos dos recursos da fábrica) se fosse feita uma abordagem mais sustentável?

Creio não ter respondido a pergunta-título deste texto. Pelo contrário, acho que lancei mais questionamentos ao invés de propor uma definição concreta. Mas esse era o intuito. As empresas têm suas próprias necessidades e cabe aos gestores das áreas sociais e ambientais procurarem um equilíbrio dentro do tripé da sustentabilidade de forma que a execução dos projetos seja satisfatória para a corporação e para as comunidades impactadas no longo prazo.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/negocios-artigos/o-que-faz-um-projeto-socialambiental-ser-sustentavel-1180793.html

    Palavras-chave do artigo:

    mitigacao de impacto

    ,

    projeto sustentavel

    ,

    relatorio de brundtland

    Comentar sobre o artigo

    Victor Hugo Oliveira dos Anjos

    Como trabalho de conclusão do Técnico em Gestão de Políticas Públicas é pertinente estudar a mobilização da sociedade civil para reivindicação de seus direitos e participação na criação de políticas públicas por meio das associações de bairro, a fim de entender a contribuição popular neste processo. Assim, investigar o papel das associações de bairro como mediador entre a população e o Estado é relevante para a compreensão da democratização dos agentes públicos e da efetivação dos direitos.

    Por: Victor Hugo Oliveira dos Anjosl Negóciosl 13/10/2014
    Gustavo Rocha

    12 de Outubro, feriado, data da padroeira do Brasil Nossa Senhora, também data em que comemoramos o dia das crianças. Dia das crianças, uma data comercial, sem sombra de dúvidas. Mas, a reflexão que faço é sobre a nossa criança interior. Aquela criança que nunca deixará de ser nós mesmos em constante evolução. Qual a característica comum a todas as crianças: Curiosidade e não ter medo. Criança não tem medo do ridículo, ela se suja e está feliz.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 12/10/2014
    Gustavo Rocha

    Divido com vocês um trecho do artigo do filósofo Mário Sérgio Cortella, sobre as novas gerações e seus dilemas. Vale a pena a leitura: Na conversa a seguir, ele chama a atenção para um "desvio de formação" dos jovens, que não foram ensinados a batalhar pelo que desejam. Ao mesmo tempo, afirma que essa geração tem várias características que precisam ser valorizadas. Cortella também dá um alerta sobre a nossa falta de tempo para pensar sobre nós mesmos:

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 10/10/2014
    Gustavo Rocha

    Ao ler o título, muitos dirão que não é verdade: Chefia não tem sentimentos, eles tem sarcasmo e principalmente mau humor. Outro dirão que ao contrário, são muito emocionais. E há aqueles que são durões ou fingem ser durões. Ou ainda aqueles que dizem que são parceiros dos colaboradores e na verdade apenas querem o seu sucesso e nada além disto… Tantos modelos de chefes, não é mesmo? A Exame.com trouxe alguns pontos que devem ser questionados nestas reflexões. Vejamos:

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 08/10/2014
    Gustavo Rocha

    Segundo o professor Charles-Henri da escola de negócios de Paris, a geração Y não é egoísta, mas sim realista. Em uma entrevista a revista Época Negócios ele afirmou isto e mais algumas posições. Será que é uma realidade aplicável no Brasil? E mais, será que estamos preparados para esta realidade empresarial? Vejamos: Num mundo de alta instabilidade, a falta de paciência da geração Y é justificada, na opinião de Charles-Henri Besseyre des Horts, professor de gestão e recursos humanos da e

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 06/10/2014
    Gustavo Rocha

    Abra suas asas! Parece um clichê, mas é uma verdade: Abre as suas asas e voe! Você pode, e mais do que isto, você deve. As pessoas vivem em seus mundos, seus castelos de areia, alguns com castelos tão sólidos que sequer podem ser destruídos, outros com castelos nas nuvens, sempre em cima de um floco de algodão da sua imaginação onde tudo pode acontecer… E o mundo real? Somos responsáveis por nossas escolhas, por nossas decisões, por nossa rotina.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 05/10/2014

    Muitas pessoas podem acabar por não compreender muito bem sobre como funciona o sistema de franquias na internet, assim como também podem acreditar que este poderia ser considerado como um golpe ou algo passageiro, no entanto não é bem assim que funciona, do contrário. Podemos verificar que o mercado virtual é considerado como bastante promissor. Sendo assim, vamos entender agora mesmo como funciona o sistema de franquias na internet.

    Por: Sayuri Matsuol Negóciosl 23/09/2014

    Nos dias de hoje, algo que podemos verificar com uma determinada facilidade é o fato de que há uma grande quantidade de pessoas que estão em busca de uma oportunidade de poder gerenciar o seu próprio negócio, no entanto, podemos verificar que apesar de economizar bastante, acabam por ficar com dúvidas sobre como investir ou até mesmo podem ficar inseguros. Sendo assim, iremos falar sobre as franquias.

    Por: Sayuri Matsuol Negóciosl 08/09/2014 lAcessos: 11
    Julianna Antunes

    A norma inglesa que trata da sustentabilidade nos eventos

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 14/07/2010 lAcessos: 141
    Julianna Antunes

    O limiar entre comunicação de produtos sustentáveis e greenwashing. O olhar crítico necessário para identificar as empersas que praticam isso.

    Por: Julianna Antunesl Marketing e Publicidadel 13/07/2010 lAcessos: 135
    Julianna Antunes

    A importância do comércio justo para as empresas e a sociedade. Como funciona esse mecanismo no mundo.

    Por: Julianna Antunesl Notícias & Sociedadel 12/07/2010 lAcessos: 252
    Julianna Antunes

    O que de fato o continente africano vai ganhar com a Copa de 2010 e o que esperar para a Copa de 2014 no Brasil.

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 07/07/2010 lAcessos: 166
    Julianna Antunes

    A importância de se começar a ensinar assuntos relacionados à sustentabilidade nos bancos escolares

    Por: Julianna Antunesl Negócios> Gestãol 01/07/2010 lAcessos: 87
    Julianna Antunes

    O que vem a ser, efetivamente, marketing sustentável e o que as empresas entendem por isso?

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 30/06/2010 lAcessos: 168
    Julianna Antunes

    A falta de conhecimento na área, mesmo em empresas que dizem praticar a sustentabilidade, provocando erros de entendimento.

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 29/06/2010 lAcessos: 237
    Julianna Antunes

    Qual a importância e a responsabilidade do varejo na disseminação para o grande público dos conceitos de sustentabilidade

    Por: Julianna Antunesl Negócios> Gestãol 23/06/2010 lAcessos: 213

    Comments on this article

    0
    Kelly cristina Ribeiro da silva 04/08/2010
    ola

    adorei o site, gostaria de realizar esse curso de gestao em projeto, o que devo fazer.

    Atuo na area ambiental e estou cursando faculdade de serviço social.
    me interesso muito pelo curso
    desde ja agradeço
    0
    Sunshine Day 26/04/2010
    Muito apreciável seu conteúdo! Bastante útil para mihas elaborações! Grata por ter compartilhado conosco =D
    0
    caroline c.pereira 16/11/2009
    ESSE SAITE E MUITO BOM EU GOSTEI MUINTO EU ESPERO QUE EU VENHO APRENDER MUITO MAS COISSAS NESE SIT
    E-MAIL PARA CONTATO:carol_13@chagashotmail.com
    0
    Julianna Antunes 15/09/2009
    José, que boa notícia! Fico feliz de ter, de certa forma, ajudado, assim como também fico muito feliz em saber que o seu projeto é realmente sustentável. Se precisar de alguma ajuda, é só entrar em contato!
    0
    José Sérgio 15/09/2009
    Foi muito útil essa matéria, faço curso de Gestor de Projetos Sociais no Senac e precisavacompreender melhor o queé sustentabilidade. Fui escolhido para falar sore a sustentabilidade do projeto que estmos elaborando, efiquei surpreo ao perceber que nosso projeto tem uma boa sustentabilidade.Consegui perceber isso través das perguntas feitas. Agora vi que nosso projeto tem a possibilidade de "andar com as próprias pernas". Valeu mesmo! ... amei a matéria!
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast