Rio Card É Alvo De Investigação -

Publicado em: 25/01/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 3,925 |
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010 Quem Somos Assine O Fluminense Promoções Anuncie em O Fluminense Classificados Publicidade Online Publicado em 20/09/2009 Riocard vira moeda de troca e prática cria mercado paralelo ilegal Em São Gonçalo e Niterói, a agiotagem é feita em escritórios, que chegam a elaborar contratos - Foto: Márcio Oliveira Criado para ser o substituto do vale transporte de papel e acabar de vez com o comércio ilegal de compra e venda de um benefício do trabalhador, o bilhete eletrônico Riocard não deixou de ser moeda de troca de cambistas que compram os créditos dos cartões e os revendem em terminais rodoviários. Apesar de configurar justa causa por demissão, de acordo com o parágrafo 3º, Artigo 7º, do decreto número 95247/87, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que trata do uso indevido de um benefício, a prática mantida pelos próprios trabalhadores é comum em Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito e Tanguá. Em Niterói, os cambistas costumam agir livremente com panfletagem nas ruas. Entre vários pontos de compra e venda, possuem um escritório na Rua São João, no Centro, onde realizam a agiotagem. A porcentagem de compra varia de acordo com o benefício negociado. O Riocard amarelo chega a ter um deságio de 45%. Já no Rio Card especial azul (o mais procurado por ser descartável), o desconto gira em torno de 30% a 40% no valor pago. Nos casos dos tíquetes refeição, alimentação e ainda o vale gasolina, benefício oferecido apenas por algumas empresas, o abatimento, em geral, é de 15%. O publicitário M.M, de 34 anos, disse que negocia os créditos do cartão para fazer do dinheiro uma fonte de renda extra para ajudar no orçamento familiar. "Vou de carona para o trabalho, por isso vendo os créditos do Riocard. Apesar de arriscado, preciso do dinheiro", alega ele, pedindo para não ser identificado. Estrutura – O crime organizado deste mercado ilegal segue cada vez mais estruturado para atrair e afiançar a participação do trabalhador no processo de compra do Riocard. Em todos os pontos de comercialização, a negociação entre o usuário e os cambistas é garantida através de um contrato elaborado pelos próprios agiotas. O documento serve como cadastro do "cliente" e também para permitir a consulta ao saldo do Riocard, saber as últimas movimentações e garantir o pagamento da negociação, que é feito mensalmente. "Depois de cadastrado, posso contar sempre com a troca dos benefícios sem burocracia. É como uma abertura de conta num banco. Eles (os agiotas) pagam pela compra do benefício em até uma semana, mas só fazem a negociação se as pessoas estiverem com cópias da identidade, CPF, contracheque e comprovante de residência", revela um usuário. Nos postos ilegais onde o trabalhador vende o vale eletrônico e outros benefícios, é grande a preocupação com a segurança. Os locais parecem fortalezas, com grades, portas de ferro e circuito interno de TV. Em São Gonçalo, o negócio é ainda mais escancarado. Em vários pontos, pessoas exibem cartazes anunciando o local de venda e troca. A negociação começa no principal calçadão do Centro de Alcântara, onde é oferecido o serviço de compra dos benefícios, que são trocados em pelo menos três pontos. O mais popular utiliza vários "funcionários" devidamente uniformizados. Lá, os trabalhadores que vendem os benefícios esperam a negociação numa sala pequena, sem refrigeração e higiene. Segurança – O diretor Executivo de Negócios da Riocard, Edmundo Fornasari, diz que o modelo de processamento eletrônico de passagens é um sistema seguro que já alcançou mais de 9 milhões de viagens no Estado. "Desde 1994, o nosso sistema tem mais de 6 milhões de cartões emitidos e 2,5 milhões ativos só no Estado do Rio", revela Fornasari ressaltando que um plano de combate está sendo planejado para atacar o comércio paralelo. "No início de outubro, a Riocard, em parceria com a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado (Fetranspor), colocará em prática uma campanha de conscientização aos usuários na atividade ilegal dos cartões. Prejuízo para o bolso e demissão por justa causa A Fetranspor alerta: quem vende e compra o Riocard fora da rede credenciada, sai prejudicado. Além de cartões falsos, há o risco de comprar cartões já com parte do valor utilizado. "Se alguém oferecer um cartão, não compre. Essa é a primeira recomendação. Há uma fonte segura, que é comprar pela rede, pelo empregador, seja pela internet ou na rede credenciada bancária", esclarece o diretor de marketing da Fetranspor, João Augusto Monteiro. Para o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário do Rio (Setrerj), Márcio Barbosa, a bilhetagem eletrônica dificulta a negociação, já que o atravessador não consegue descarregar o vale transporte de imediato. "O Riocard tem limitação de uso por dia. Este processo reduziu a atuação do comércio paralelo", disse Barbosa ressaltando que, "se um trabalhador for pego durante uma blitz com um atravessador, o Setrerj comunica a empresa que inicia sanções penais. Barbosa explica, ainda, que as empresas que concedem o Riocard para os funcionários têm uma forma de evitar as fraudes através de controle do extrato de utilização. O presidente da Associação dos Passageiros (Aspas), Antônio Gilson de Oliveira, afirma que a omissão de funcionários das empresas de ônibus não inibe o mercado ilegal. "Em vários pontos de ônibus da cidade, a gente vê pessoas com cartões fazendo a venda e a troca por dinheiro e os funcionários das empresas de ônibus não fazem nada", diz Oliveira. Acompanhe nesta segunda-feira, às 17 horas, debate sobre o tema em "O FLUMINENSE Entrevista", na Rádio 540 AM e também pela internet em O FLU Online (ofluminense.com.br) O Fluminense Leia mais: BBB10: Alex, Ana Marcela e Angélica se enfrentam no segundo paredão Militar morre em acidente de carro no Porto Velho, em São Gonçalo Missa homenageia coronel niteroiense morto no Haiti Problema no fornecimento de energia elétrica gera manifestação em Itaboraí Mãe de subsecretário executado morre em Niterói Fila por cirurgias em instituto no Rio de Janeiro tem cerca de 20 mil pessoas
Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/negocios-artigos/rio-card-e-alvo-de-investigacao-1782800.html

    Palavras-chave do artigo:

    riocard passe livre de oniibus

    Comentar sobre o artigo

    Jenner R Camillo

    A due dilligence é utilizada como ferramenta indispensável a uma segura concretização de negócios. É um processo que a área executiva de uma empresa passa ao avaliar um negócio ao qual deseja se unir ou adquirir. Saiba mais sobre o processo, a seguir.

    Por: Jenner R Camillol Negóciosl 18/11/2014

    Muitas são as dificuldades quando pensamos em criar um projeto, e conseguir êxito em executá-lo. Chega a ser até engraçado no tanto de ideias que as vezes pensamos e temos certeza de que isso poderá resultar em uma coisa boa, mas simplesmente as coisas acabam não saindo como tem que ser. Em muitos dos casos, somos até obrigados a abandonar o nosso querido projeto de negócio próprio para priorizar necessidades que não podem esperar que sua ideia possa render frutos para o seu bolso.

    Por: 3xcelerl Negóciosl 18/11/2014
    Gustavo Rocha

    Dia 15 de Novembro, dia da proclamação da república, aquela data onde saímos da monarquia e viramos república, pelo menos na tese histórica. Este ato é um marco na história brasileira. E vamos pensar: Na história do seu escritório ou da sua vida como profissional, qual é o marco histórico? Se formou em direito, um marco. Fez pós, mestrado, outro marco. O primeiro cliente, um marco. Chegou no primeiro faturamento de um milhão, opa, que marco!

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 16/11/2014
    Gustavo Rocha

    Compartilho uma matéria do FDJUR sobre os indicadores mais usados em departamentos jurídicos, com alguns comentários meus abaixo: Para verificar o bom andamento das atividades dentro dos departamentos jurídicos e bancas é preciso estipular um ou mais indicadores para os segmentos que desejam monitorar. Recentemente o FDJUR consultou seus colegas em relação a três segmentos: atividades administrativas do jurídico, eficiência dos advogados e o clima organizacional.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 12/11/2014
    Gustavo Rocha

    Linguagem corporal, o invisível que diz muito sobre o que queremos dizer. E mais do que apenas isto, uma arte que precisamos dominar para estarmos em vantagem competitiva estratégica, negocial e até mesmo de trabalho no dia a dia. Muito além das palavras e debates, cada gesto pode ser muito diferencial. Extraído do portal Exame.com, vamos a 7 dicas práticas: 1. Faça contato visual

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 10/11/2014
    Gustavo Rocha

    Muitos afirmam que sim, outros que nunca e tem time que acha que ainda estamos em processo de transformação para a advocacia se transformar numa commodity. Nos EUA esta realidade já existe e há muito tempo. No Brasil, temos uma blindagem ainda sobre esta realidade, o tão falado código de ética. Podemos critica-lo, dizer que precisa ser atualizado, podemos dizer que até proíbe coisas que deveria permitir, mas ainda é a lei que devemos obedecer e em cima dela exercer o nosso marketing.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 09/11/2014
    Gustavo Rocha

    Pergunta difícil, todos querem a resposta, poucos querem o trabalho que dá, a maioria quer o sucesso como resultado e não como meio. Parte desta problemática nos ensinam como se uma geração inteira desconhecesse o que é trabalho, chamando esta geração de preguiçosa, de não querer nada com nada e por ai vai. Temos membros de determinadas gerações que realmente não querem nada com nada, contudo, isto existe em todas as gerações.

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 05/11/2014

    A internet deslocou o foco do poder em uma relação de compras para o comprador. Entenda como a internet mudou a forma de captar clientes atualmente

    Por: Marcio Andrade Silval Negóciosl 05/11/2014
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    VEICULO APREENDIDO POR FALTA DE PAGAMENTO DE IPVA, MULTAS, NÃO PRECISAM PAGAR IMPOSTOS ATRASADOS PARA TER VEICULO LIBERADO. CONHEÇA SEU DIREITO ASPAS - ASSOCIAÇÃO DOS PASSAGEIROS ASSISTENCIA JURÍDICA AOS MOTORISTAS, PROPRIETARIOS E USUÁRIOS DE TODAS AS MODALIDADES DE VEÍCULOS

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Automóveis> Carrosl 20/04/2010 lAcessos: 6,340 lComentário: 1
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    DEPOIS DE MATRALHADOS, CARBONICADOS, CABENÇAS DECEPADAS, FUNERAIS S DE POLICIAIS É REALIZADOS DEBAIXO DE TIROTEIO - À LA BANG-BANG E BILLY THE KID

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Cotidianol 22/01/2010 lAcessos: 293
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    SAIBA COMO A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL DE 2008 / 2009 FOI COMBATIDA. QUEM É O AUTOR DA REDUÇÃO DOS JUROS - IMPOSTOS - EMPRESTIMOS AOS MICRO EMPREENDEDORES - CONTROLE FINANCEIRO DOS BANCOS - DA RESPONSABILIDADE E CONTROLE DOS GASTOS

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Direito> Direito Tributáriol 20/01/2010 lAcessos: 183
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    SAIBA DE ONDE VEIO A IDÉIA DE BAIXAR JUROS, IMPOSTOS, PRIVILEGIAR A CLASSE BAIXA RENDA E MICROEMPREENDEDORES A CRISE FINANCEIRA JÁ ERA CONHECIDA EM OUTURBRO DE 2007 O SUBPRIME JÁ ESTAVA NA PAUTA DE BUSCH. QUE ESTAVA PROTELANDO PARA NAO COMPROMETER A CORTE AMERICA

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Polítical 08/01/2010 lAcessos: 124
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    A ESTADIA GRATUITA DE MANUEL ZELAYA E SUA FAMILIA, EXTRAPOLOU O LIMITE MÁXIMO DE TOLERANCIA. ESTÁ NA HORA DO DESPEJO SUMÁRIO.

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Polítical 07/01/2010 lAcessos: 73
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    MICHELETTI E LOBO ACUSAM ZELAYA DE TENTAR ENGANAR AUTORIDADES

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Polítical 06/01/2010 lAcessos: 59
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    REDUÇÃO DOS IMPOSTOS, DOS JUROS, FAVORECIMENTO DO CRÉDITO AO MICRO EMPRESÁRIO, CANCELAMENTO DO FUNDO SOBERANO, INCENTIVO AO MICRO EMPREGO, SALARIO E RENDA

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Finançasl 29/12/2009 lAcessos: 507 lComentário: 1
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    POSIÇÕES DIVERGENTES DO GOVERNO BRASILEIRO, CONFLITAM COM BARAACK OBAMA QUE APOIA NOVO GOVERNO LEGALMENTE ELEITO PELO VOTO SOBERANO POPULAR

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Internetl 15/12/2009 lAcessos: 55
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast