Treinamento E Desenvolvimento Organizacional

Publicado em: 17/10/2009 |Comentário: 2 | Acessos: 23,065 |

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

Introdução

Com o presente trabalho venho demonstrar a importância de um programa de treinamento na sua  função de proporcionar o aprendizado. Para alcançar este objetivo o trabalho foi dividido em tres partes: na primeira, serão abordados alguns conceitos acerca do treinamento, possibilitando uma visão geral do que vem a ser treinamento. Na segunda foi abordado a elaboração do programa de treinamento para a empresa Tecnologia Ativa e, traçada a proposta de um roteiro para que programas de treinamento sejam elaborados de forma a alcançarem seus objetivos, e na terceira parte, trataremos da avaliação dos resultados obtidos com o programa de treinamento e se esse foi benéfico para a organização.

Fundamentação Teórica

Entende-se que treinamento tem como finalidade melhorar o desenvolvimento profissional do ser humano na sua organização, e no desempenho das suas funções além de ser o processo que visa à preparação e ao aperfeiçoamento das habilidades e dos conhecimentos dos funcionários de uma organização.

"Treinamento é um processo de assimilação cultural a curto prazo, que objetiva repassar ou reciclar conhecimento, habilidades ou atitudes relacionadas diretamente à execução de tarefas ou à sua otimização no trabalho" (MARRAS 2001, p. 145).

Robbins (2002 - b, p. 469) comenta que:

"A maioria dos treinamentos visa à atualização e ao aperfeiçoamento das habilidades técnicas dos funcionários".

Percebe-se que o treinamento pode trazer um grande retorno para o profissional e para a empresa, pois um profissional bem mais qualificado terá uma motivação maior e o seu resultado na execução das tarefas será maior e mais produtivo, conseqüentemente a maior produtividade do empregado poderá contribuir efetivamente para os resultados da organização.

Conceito de Treinamento

Treinamento significa desenvolver o potencial,  aperfeiçoar o desempenho e aumentar, deste modo, a produtividade e as relações interpessoais. Mas necessário se faz preparar o potencial humano diante do exigente mercado de trabalho e das novas tecnologias, visando desenvolver habilidades e conhecimentos que viabilizem uma nova realidade, onde o desempenho profissional deve ser maximizado. É um recurso que alem de gerar um bom clima organizacional, é também o gerenciador do desenvolvimento de pessoal, apresentando um conjunto de atividades objetivando a aprendizagem e a capacidade produtiva.

Portanto treinar é desenvolver habilidades para executar tarefas por determinado trabalho, aumentando o conhecimento e a perícia no que tange a função a um determinado cargo seja ele qual for, desde o mais simples, até a funçaõ mais complexa dentro das organizações.

Para que uma empresa sirva de modo eficiente os serviços que presta, investir no desenvolvimento de pessoas é investir, deste modo na própria qualidade. Mas, o investimento deve alcançar todos os colaboradores que participam da organização, visando os resultados, já que decorrem das atividades coletivas, do todo organizacional.

O treinamento deve ser priorizado quando uma nova realidade se apresentar a organização e deve preparar as pessoas para o enfrentamento e execução imediata das diversas tarefas peculiares, dando oportunidades para o contínuo desenvolvimento pessoal, não apenas no cargo que ocupam naquele momento, mas também em outros que o colaborador possa vir a exercer. A mudança nas atitudes das pessoas cria entre elas clima satisfatório, dando-lhes satisfação e motivação, além de torná-las mais receptivas as tecnicas de supervisão e gestão.

A avaliação de treinamento propicia o feedback necessário ao profissional de RH, para se concluir até que ponto o treinamento executado produziu modificações de comportamentos pretendidos como também, se o treinamento alcançou as metas já estabelecidas anteriormente. Cabe, ainda, fazer referência as avaliações do aprendizado, de reação e dos resultados do treinamento, que seriam outras possibilidades de intervenção.

Etapas de Elaboração do Treinamento

É interessante observar que treinar leva ao seguinte questionamento:

Por que treinar? Quem treinar? Como e quando treinar?

Algumas etapas de elaboração devem ser seguidas, ou seja, primeiro é necessário um diagnóstico, uma identificação das necessidades que possam levar a um treinamento, em seguida deve ser elaborada uma programação de treinamento para atender ao que se pede e que foram diagnósticadas a partir das necessidades, partindo-se da análise organizacional das operações e tarefas e da análise individual e coletiva e, finalmente a aplicação e execução. Após estas etapas, deve ser feita a avaliação dos resultados obtidos.

Com relação à execução, deve-se levar em consideração os diversos tipos de treinamento, como:

  • Integração que objetiva adaptar os colaboradores a organização;

  • O técnico-operacional, que visa capacitar a pessoa de tarefas específicas;

  • O gerencial, que leva a competencia técnica, administrativa e comportamental;

  • E o comportamental que objetiva solucionar problemas no contexto do trabalho, como as inter-relações.

Fatores como adequação do programa as necessidades da organização, qualidade do material utilizado no treinamento, cooperação dos envolvidos e pessoal de chefia, preparo dos instrutores e a própria qualidade do pessoal a ser treinado, devem ser levados em consideração na execução de um determinado treinamento.

Elaboração do Programa de Treinamento para a Empresa Tecnologia Ativa

  • Justificativa - a correta identificação e análise dos funcionários garantirá um percentual do sucesso do treinamento. Isto porque, um treinamento voltado para os vendedores, não poderá ser o mesmo utilizado para o gerente e vice-versa. No caso da Loja Tecnologia Ativa.

  • Publico-alvo: vendedores e a gerencia.

Levantamento das necessidades.

Para que um programa de treinamento tenha o resultado esperado, temos que ajustar as ações da área de treinamento com as necessidades da Loja Tecnologia Ativa. Ao realizarmos um levantamento de necessidade temos que tomar cuidado para não cairmos na tentação do resultado imediato cobrado pelos empresários.

A Tecnologia Ativa é uma loja de venda de materiais eletronicos, localizada em um Shopping de São Paulo com vendedores e gerencia. Foi identificada uma má atuação de um vendedor com relação ao cliente, já que o mesmo encontrava-se ao telefone e só parou quando o cliente prostrou-se a sua frente. Nota-se que a gerencia pouco atuou na fiscalização deste procedimento erroneo e por fim, o vendedor mostrou falta de conhecimento quanto aos materiais a serem vendidos, despachando uma câmera filmadora sem conhecê-la e dando informações erradas ao cliente o que desencadeou um problema, culminando com a devolução da mercadoria.

Diagnóstico do Problema:

Funcionários sem conhecimentos específicos de atendimento ao público gerando descontentamento no cliente e Gerenciamento pouco ativo quanto a fiscalização dos funcionário que fazem o atendimento.

A carência observada no indivíduo,é identificada pelo Levantamento das Necessidades de Treinamento (LTN), diante do padrão a que a Loja Tecnologia Ativa necessita para a boa execução da tarefa. O resultado aqui traçado,definirá as ações a serem tomadas posteriormente.

Para realizar o LTN na Loja Tecnologia Ativa, poderão ser utilizados os seguintes instrumentos de acordo com as necessidades:

  • Questionário

  • Avaliação de desempenho

  • Discussão em grupo

  • Reuniões inter-departamentais

  • Entrevista estruturada

  • Pesquisa de clima

  • Pesquisa de satisfação de clientes, entre outros.

Programa do Treinamento

  • Estabelecidos os objetivos a serem alcançados, pode-se definir os temas que serão abordados e quais assuntos serão levantados dentro deste tema, para melhor atingir os resultados, no caso da loja Tecnologia Ativa, será abordada a questão do atendimento ao cliente e Gerenciamento ativo. O Treinamento deverá utilizar-se de uma metodologia, levando-se em consideração as necessidades estabelecidas pela clientela, que neste caso é o mal atendimento. Para tanto, se usará uma sala, que pode ser cedida pelo próprio Shopping. Esta metodologia é das mais utilizadas e eficientes já que a presença do instrutor será constante e onde será facilitada aos treinandos uma troca de experiencias. Para se alcançar o exito, o método depende além das necessidades desta reunião, a qualificação e preparação do instrutor.

Implementação do Progrma

  • O período e horários para o treinamento poderão ser estabelecidos com o instrutor e treinandos,  em comum acordo com a gerencia, numa prévia reunião.

  • A gerencia caberá a contratação do instrutor, confecção do matterial didático a ser utilizado e orçar as despesas gerais com o treinamento.

  • Ao instrutor caberá implementar um programa voltado as necessidades da Tecnologia Ativa, apresentando o plano de treinamento, definindo metodologias adequadas a vendas e gerenciamento e conteúdo das informações, bem como programar os eventos e atividades, observando aspectos importantes como objetivos, motivação e aprendizagem.

  • Por fim, a escolha de uma empresa gabaritada em Treinamento deverá ser implementado como ítem importante para os fins desejados pela Tecnologia Ativa..

Avaliação dos Recursos do Treinamento

O que mais importará para a organização é estar ciente do tipo de retorno que o programa de treinamento irá trazer para a empresa. Portanto, ao terminar um treinamento devemos avalia-lo junto com os treinandos e checar posteriormente se ele trouxe realmente benefícios para a empresa.

Ao se investir em treinamento espera-se que haja "aumento de produtividade, mudanças de comportamento, melhoria do clima humano na organização, redução de custos e de acidentes, rotação de pessoal, além de outros resultados

Conclusão

As empresas, frente ao aumento da competitividade e ao avanço da tecnologia, devem preocupar-se com o frequente aperfeiçoamento de seus funcionários, devendo, deste modo, transformarem-se em verdadeiras escolas, onde o gerente seja o educador e os funcionários os alunos, observando-se o verdadeiro sentido da educação que é desenvolver a capacidade física, intelectual e moral do colaborador, levando-o a se integrar e interagir com o meio que o cerca e fazendo-o refletir criticamente sobre as mudanças que ocorrem a sua volta e, desta reflexão tomar decisões e rumos a trilhar.

Certo que tudo isto não se alcançara de imediato nas organizações, cabendo aos profissionais de RH, fazer deste principio uma realidade para o sucesso das empresas. Claro está que o treinamento é um processo contínuo de aprendizagem elaborado e planejado pelos profissionais de Recursos Humanos, com apoio da gerencia, mas lembrando que um programa de treinamento envolve algumas etapas que devem ser seguidas para garantir-lhe o sucesso, como identificação do cliente, levantamento de necessidades, diagnósticos, elaboração ou planejamento, execução e avaliação dos resultados. Tais etapas não funcionam sozinhas, sendo cada parte, de vital importancia para o sucesso do programa e para o pleno alcance dos objetivos estabelecidos.

O alcance do papel do treinamento na empresa moderna não se fixa apenas em oferecer condição para que o colaborador melhor se capacite ou se desenvolva, mas também, como força capaz de intervir na organização e no processo produtivo. Só entendendo assim, poderemos dar à empresa o que ela espera - força capaz de ajudá-la na árdua tarefa de maximizar resultados, minimizando os custos e otimizando os recursos humanos disponíveis, tornando-os mais eficientes e mais eficazes.

Referencias Bibliográficas

  • BOOG, Gustavo G ( coord.). Manual de Treinamento e Desenvolvimento: um guia de operações - manual oficial da ABTD. São Paulo: Makron Books, 2001.

  • TACHIZAWA, Takeshy; FERREIRA, Victor Cláudio Paradela; FORTUNA, Antônio Alfredo Mello. Gestão com Pessoas: uma abordagem aplicada às estratégias de negócios. São Paulo: FGV, 2001, cap. 9, 2ª. ed.

  • FERREIRA, Paulo Pinto. Administração de pessoas: relações industriais. São Paulo: Atlas, 1992.

  • FEUILLETTE, Isolde. Recursos Humanos, o novo perfil do treinador. São Paulo: Nobel, 1991.

  • FONTES, Lauro Barreto. Manual de Treinamento na empresa. São Paulo: Atlas, 1975.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/negocios-artigos/treinamento-e-desenvolvimento-organizacional-1349661.html

    Palavras-chave do artigo:

    treinamento

    ,

    gestao de pessoas

    ,

    desenvolvimento

    Comentar sobre o artigo

    Prof. Márcio Silva

    LIDERANÇA EFICAZ, FOCADA NA GESTÃO DE PESSOAS Corporativa Brasil realiza no dia 17 de Julho, em São Paulo, a 2º edição do treinamento Liderança Eficaz: Focada na Gestão de pessoas".

    Por: Prof. Márcio Silval Press Releasel 22/07/2010 lAcessos: 130
    Prof. Márcio Silva

    Corporativa Brasil realiza no dia 17 de Julho, em São Paulo, a 2º edição do treinamento Liderança Eficaz: Focada na Gestão de pessoas".

    Por: Prof. Márcio Silval Press Releasel 12/07/2010 lAcessos: 102

    Este artigo pretende apresentar as principais diferenças entre Recursos Humanos e Gestão de Pessoas, aborda as principais tendências de Gestão de Pessoas com ênfase nos estudos e nas experiências desenvolvidas no âmbito da gestão

    Por: Robson Stigarl Educação> Ensino Superiorl 23/03/2010 lAcessos: 6,901

    O presente a artigo apresenta quais foram às mudanças ocorridas nos últimos anos na área de Gestão de pessoas, a transformação de Recursos Humanos para Gestão de pessoas. Muita coisa mudou, porém o foco central que é administrar pessoas continuou sendo um eterno desafio. Dessa forma os principais temas a serem explorados são, a mudança no perfil do gestor de pessoas, o poder e a importância do feedback tanto para o colaborador quanto ao gestor.

    Por: Jéssical Negóciosl 25/03/2013 lAcessos: 330

    O contexto Gestão de Pessoas (GP) é representado pela intima interdependência das organizações e das pessoas. O relacionamento entre ambos, antes considerado antagônico e conflitivo, hoje é baseado em soluções e objetivos organizacionais e individuais.

    Por: Rosanal Negócios> Administraçãol 10/06/2011 lAcessos: 956

    Resumo: A área de Recursos Humanos deixou de ser um mero departamento de pessoal para se tornar o personagem principal de transformação dentro da organização. Há pouco tempo atrás,o departamento de Recursos Humanos atuava de forma mecanicista, onde a visão do empregado prevalecia à obediência e a execução da tarefa, e ao chefe, o controle centralizado.

    Por: LUCICLEIDE MARIA DA SILVAl Negócios> Gestãol 21/12/2010 lAcessos: 1,352

    O dicionário aurélio define planejamento como "trabalho de preparação para qualquer empreendimento, segundo roteiro e métodos determinados" e define estrategia como "antes de aplicar os meios disponíveis com vista à consecução de objetivos específicos". Uma análise global do planejamento estratégico envolve toda a organização. Através dele, pode-se antecipar as necessidades e relacionar o emprego dos meios materiais e dos recursos humanos disponíveis, a fim de traçar os caminhos adequados para a

    Por: Sergio Lopes de Souza Juniorl Negócios> Gestãol 15/10/2009 lAcessos: 5,380 lComentário: 1

    Conceito de Gestão de Pessoas A Gestão de Pessoas é uma área muito sensível à mentalidade que predomina nas organizações. Ela é contingencial e situacional, pois depende de vários aspectos como a cultura que existe em cada organização, a estrutura organizacional adotada, as características do contexto ambiental, o negócio da organização, a tecnologia utilizada.

    Por: Nivaldo José de Barros Juniorl Negócios> Gestãol 07/12/2010 lAcessos: 5,698
    Darci Kops

    O presente artigo aborda a questão da empregabilidade e da empresabilidade como inerentes a uma matriz cultural das organizações, na perspectiva da gestão de pessoas, e, por sua vez, remete a uma matriz cultural dos indivíduos, na perspectiva do profissionalismo.

    Por: Darci Kopsl Educação> Ensino Superiorl 18/05/2011 lAcessos: 1,501

    Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos humanos, bem como algumas características que um gestor empresarial precisa ter para desenvolver seu trabalho com êxito.

    Por: Karina Fernandes de Mirandal Carreira> Recursos Humanosl 27/06/2009 lAcessos: 72,065 lComentário: 8
    Gustavo Rocha

    Muito se fala em inteligência emocional, em querer profissionais que aguentem a pressão, em buscar pessoas que possam ser moldadas conforme o negócio e por aí a fora. Sempre queremos que os outros mudem, que os outros se adaptem, que os outros sejam aquilo que nós não queremos ser e fazer. Difícil de aceitar, mas uma realidade clara e existente no mercado: Queremos inteligência emocional e não observamos o básico do colaborador – como ele está amadurecendo como pessoa. Queremos que ele seja m

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 01/03/2015
    Gustavo Rocha

    Quando o assunto é depressão, parece que as pessoas se escondem, como se fosse algo que devesse ficar fora do cenário de debates. É o contrário: Quanto mais conhecermos, mais poderemos esclarecer esta doença que tanto tem atacado colaboradores e/ou sócios, sem importar camada social ou conta bancária. Muitas vezes confundida com estresse, mas é um diagnóstico que somente pode ser dado por um especialista. Esqueça os especialistas de plantão, como os pais, colegas, amigos e companheiros de bar

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 26/02/2015
    Gustavo Rocha

    Departamento jurídico = estresse. Uma verdade no seu dia a dia? Para a grande maioria, senão absoluta maioria, uma igualdade que não tem solução. E neste sentido, o estresse é confundido com cansaço, se torna um mal que se acostumamos com ele ao invés de tentar rechaça-lo, enfim, ele se torna um amigo que nos apunhala diariamente… Não existe fórmula mágica, obviamente. Mas, analisar alguns pontos é sempre salutar. Uma entrevista auxilia a pensar nestes pontos, acompanhe: Em entrevista a Épo

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 25/02/2015
    Gustavo Rocha

    Já disse Isaac Newton que o que sabemos é uma gota e o que ignoramos, um oceano. Entretanto, para muitas pessoas isto parece exatamente o contrário. E não estou discorrendo da geração tal ou outra qualquer, estamos falando de pessoas, de indivíduos, de seres humanos que sabem um pouco de algum assunto e pensam que dominam aquele tema de tal forma que todos devem reverência a eles. Todos conhecemos pessoas assim, contudo, pesquisas demonstram que isto é uma realidade maior do que podemos imagi

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 23/02/2015
    Gustavo Rocha

    Como diria Oswaldo Montenegro, que não se tente complicar, pois a arte precisa de simplicidade para existir. E para iniciarmos bem o ano de 2015, esta deve ser a nossa regra diária (afinal, agora pós o Carnaval, chega de desculpas, né? 2015 iniciou!). E na vida, no dia a dia, é justamente esta simplicidade que pode fazer a diferença entre o sucesso e a monotonia. Como assim? Nós temos uma tendência natural a complicar as coisas. Não nos satisfazemos em fazer um projeto bem feito, queremos f

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 22/02/2015
    Gustavo Rocha

    Divido com vocês um compilado do livro Know-how: as 8 Competências que separam os que fazem dos que não fazem (Editora Campus/Elsevier) escrito por Ram Charan: 1 – Competência para posicionar a empresa E capacidade para mudar o negócio sempre que o mercado assim exigir O posicionamento é o princípio central da empresa e a base de sustentação que determinará se você irá ou não ganhar dinheiro. O verdadeiro teste de posicionamento é o mundo real. Se os consumidores estiverem confusos sobre o qu

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 11/02/2015 lAcessos: 11
    Gustavo Rocha

    KPI vem do inglês e quer dizer: Key Performance Indicator, ou seja, chave de indicador de performance. Hein? Isto mesmo, um paradigma para criar indicadores. Situações que podemos pensar onde devemos monitorar os resultados para alcançarmos vôos maiores. Um interessante artigo do Ricardo Jordão Magalhães nos brinda com 45 KPI`s utilizáveis no mercado e plenamente capacitados para o mercado jurídico, com poucas adaptações. Divido o artigo: 1. Qual é o Volume de vendas? POR QUE é IMPORTANTE?

    Por: Gustavo Rochal Negóciosl 05/02/2015

    Você conhece a telefonia digital, ou VoIP? Se não, conhecerá em breve. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é uma tecnologia que permite que uma chamada telefônica seja transformada em sinais digitais e transmitida através da internet. Isso quer dizer que a comunicação por telefone como conhecemos, deixará de existir. A telefonia analógica dará espaço à telefonia digital, facilitando a troca de informações e diminuindo seus custos. Link para o artigo: http://bit.ly/16vkxUw

    Por: Rafaell Negóciosl 05/02/2015
    Jean Santos Boaventura

    Para os consumidores, a marca Danone significa qualidade, nutrição, inovação e sabor. Essa marca jovem e de crescimento rápido, tornou-se responsável por uma prestigiada família de produtos lácteos dentre elas a Danette, Danito, Danoninho e Activia, O respeito ao consumidor e o incentivo a uma vida mais saudável, sempre estiveram incorporados à filosofia do trabalho dessa empresa, de modo que, o grupo francês hoje é líder mundial dentre as marcas de produtos lácteos e de água mineral.

    Por: Jean Santos Boaventural Negócios> Administraçãol 07/04/2010 lAcessos: 3,594

    Comments on this article

    3
    ANTONITOLUIZ FRANÇA DE CARVALHO 10/09/2011
    O QUE PREJUDICA A GESTÃO DE PESSOAS NAS EMPRESAS PÚBLICAS
    Considerando que a maioria dos cargos comissionados são ocupados por pessoas mediante indicação política, as quais, na sua maioria, não tem qualquer identificação com a política dos serviços públicos e que, indiretamente, são causas de descontentamentos entre os funcionários de carreira que não tem o devido reconhecimento de seus valores profissionais.
    2
    viviane 22/11/2009
    Eu queria obter informações sobre levantamento de necessidades de treinamentos para atendimento ao cliente.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast