O Poder da Sociedade Civil Organizada

Publicado em: 10/06/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 59 |

"Uma andorinha só não faz verão". Assim afirmam alguns para justificar a impotencialidade de suas ações ou camuflar ações de acoplação por araras e tucunarés dos advindos do poder na tentativa de perpetuação. Todavia, se esta fosse a verdade dos fatos ou a única via determinante das ações de cunho político e social para as conquistas dos povos, condenada e em estado de sujeição estariam as sociedades quanto aos detentores do poder. Felizmente temos outro poder de legitimidade pública, o Ministério Público, o qual não é partido e tem sua autonomia para fazer valer o direito social e debaixo do qual segundo a lei fiscal, se encontra o Poder Executivo e Legislativo. Lamentavelmente não é isso que acontece ou é o inverso. Toda sociedade é testemunha deste afirmativo, nas constantes notícias das mídias e das ações passivas e omissas do referido poder no que concerne a Justiça na sua legítima representação nas páginas do cotidiano.

Se fosse tão atuante e de efeito, a realidade dos fatos não seria tão contraditória na mescla dos muitos exemplos citados nas fontes midiáticas do cotidiano do qual toda sociedade é testemunha.

             As atuais batalhas de conquistas sociais não são mais como dantes, no conflito, mão armadas e ou violência! Mas são travadas no campo ideológico, na justiça, nos campos institucionais de representação, articulação e infelizmente nas "jogadas escusas" e "manobras" de apoio "incondicional" onde políticos "venderiam" até a própria mãe ao diabo quanto mais a alma para permanecer nas mamatas do dinheiro público.

Felizmente existem alternativas além destes citados. Estou me referindo à Sociedade Civil Organizada, onde, de modo organizado em órgãos de representação (seja Sindicato ou OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) e outros semelhantes) - que podem se tornar agentes protagonistas de sua história, para que políticos autoritários e corrompidos não reinem no abandono social sob a influência do suborno e a vitória no amargo silêncio/omisso dos "Protetores" e do lamúrio do povo sem proteção nos recantos insatisfeitos da cidade. O associativismo ou cooperaativismo, desta forma, pode se tornar um parceiro indispensável na gestão pública no que toca a angariação de fundos e projetos a fundos perdidos de entidades estaduais ou federais - como uma possibilidade a mais na soma das conquistas ssociais.

Apesar desses aparatos que cercam a existência da vida social, cujo papel seria assegurar justiça social, proteção e fiscalização, a sociedade está impotencialmente desprotegida e fragilizada e seus órgãos de governos e representativos minados com o tráfico de influência que neutraliza sua ação de justiça.  Na reportagem do Fantástico,(06/2011) veja o que revela Cláudio Abramo, da ONG Transparência Brasil:

 "Os tribunais de contas são inoperantes e não funcionam. Os indivíduos que estão lá foram colocados lá por governadores para garantir que não vão chatear eles. Então é assim que funcionam basicamente os tribunais de contas."

O que há de se esperar de um país, onde a corrupção já infectou também seu sistema legal?.  Os governos de Estado, para não perderem seus redutos, visualizados e configurados nos prefeitos acoplados e nestes, a curralança eleitoreira, ou fazem vista grossa ou parcerizam aceitando passivamente;  e a sociedade vai "engolindo" e pagando pelas consequências daqueles que não honram o código de ética quando na hora de assumir a formalidade de seus papéis para a vida social da qual se destinaram.

Link do site para acesso aos livros de Adilson Motta:

http://educacaoecidadania.sitepx.com/

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/noticias-e-sociedade-artigos/o-poder-da-sociedade-civil-organizada-5972059.html

    Palavras-chave do artigo:

    socierdade civil organizada

    ,

    poder politico social

    ,

    cidadania

    Comentar sobre o artigo

    Quando os primeiros agrupamentos humanos passaram de meros bandos a tribos, a civilização, como a conhecemos, começou. Em bandos, prevalece a vontade do mais forte, em detrimento de tudo o mais, até mesmo da sobrevivência do próprio bando. Nas tribos, embora os mais fortes e capazes continuem a ter privilégios, há consciência da importância da coletividade para a continuidade da existência de todos - algum tipo de lei se impõe.

    Por: Central Pressl Notícias & Sociedadel 11/09/2014

    Trata-se de considerações acerca da reeleição política no Brasil, responsável pelo cabide de emprego político e por outras mazelas.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 06/09/2014

    Considerações gerais acerca das propagandas das candidaturas políticas nos meios de comunicação.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 01/09/2014

    Considerações gerais acerca da candidatura à eleição e reeleição de políticos oportunistas, descumpridores de mandatos.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 28/08/2014

    Considerações acerca da eleição para o governo de Santa Catarina, alertando o eleitor a não eleger políticos de duvidosa seriedade.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 26/08/2014

    A Humanidade é conduzida por várias cabeças na educação, na religião, na política, na filosofia, na ciência, no esporte, na arte; pois o mundo é uma Escola onde todos estão aprendendo as Leis Morais e Universais.

    Por: ADRASTIA ABNARAl Notícias & Sociedadel 19/08/2014

    Campanha para mais mulheres na política, desenvolvida pela Procuradoria Especial da Mulher do Senado e a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 11/08/2014

    Comentários críticos acerca da CPI do Senado Federal, que apura irregularidade na Petrobras.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 05/08/2014
    ADILSON MOTTA

    Alguma coisa mudará em sua vida após a leitura deste texto. Vale a pena lè-lo. Dedico-o aos amantes da leitura, aos professores e aos que não gostam desse hábito que liberta das algemas da ignorância.

    Por: ADILSON MOTTAl Educaçãol 03/05/2014 lAcessos: 26
    ADILSON MOTTA

    É um filme muito rico, recomendado para professores e alunos. Nele, a revolução e luta por um mundo melhor começa na sala de aula, na prática pedagógica, onde valores, ideais, filosofia e ideologia se mesclamna finalidade da auto descoberta e deixa antever a educação como instrumento de Inclusão Social. Neste, o coração da educação é a educação do coração - e cada sujeito aprendiz é um potencial escritor das páginas da memória de um mundo da própria existência.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatural 18/01/2014 lAcessos: 36
    ADILSON MOTTA

    O filme V de Vingança é um thriller de 2005, dirigido por James McTeigue e produzido por Joel Silver e pelos irmãos Wachowski, que também escreveram o roteiro, cujo lançamento foi em 23 de fevereiro de 2006 (Finlândia). Em uma leitura explícita, V de Vitória retrata uma Inglaterra do futuro, onde está em vigor um regime totalitário. O objetivo deste artigo é fazer uma leitura comparativa com a realidade brasileira.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatura> Ficçãol 23/12/2013 lAcessos: 115
    ADILSON MOTTA

    O poder ideológico se baseia na influência que as ideias da pessoa investida de autoridade exerce sobre a conduta dos demais. Já o poder econômico - É o que se vale da posse de certos bens, necessários ou considerados como tais, numa situação de necessidade para controlar aqueles que não os possuem. Ambos tem sua influência sobre as pessoas, a sociedade e especialmente no âmbito da política, conforme seja a atitude social do indivíduo frente aos valores da sociedade da qual faz parte.

    Por: ADILSON MOTTAl Educaçãol 08/12/2013 lAcessos: 21
    ADILSON MOTTA

    Os contos a seguir fazem parte da literatura local, onde algumas são relatos de moradores da cidade de Bom Jardim - Maranhão. Os contos são: A alma penada, A mão flutuante, Visão Infernal e Anjinho pagão.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatura> Ficçãol 21/11/2013 lAcessos: 17
    ADILSON MOTTA

    Num certo lugarejo morava um senhor, cuja profissão era agricultor,e vivia numa casa que ele construíra à margem de uma estrada vicinal que ali passava. O quintal de sua casa era o começo de uma grande roça que se estendia na imensidão do terreno adentro.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatura> Ficçãol 21/11/2013 lAcessos: 13
    ADILSON MOTTA

    Muitas pessoas, ao longo da história de Bom Jardim percebendo tragédias nas vidas de muitos prefeitos que morreram assassinados, e o atraso pelo qual o município passou e ainda passa, chegam a especular que tudo isso seja resultado de uma maldição que o padre cordeiro jogou sobre a cidade em 1964.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatura> Crônicasl 21/11/2013 lAcessos: 18
    ADILSON MOTTA

    A pretensão maior deste artigo é mostrar que as denúncias sociais expressas na obra de José Lins do Rego persistem em pleno século XXI, moldadas em outras formas ou facetas de existência. Apesar do autor José Lins do Rego em sua obra "Menino de Engenho" retratar um certo regionalismo, fazendo uma autobiografia do seu tempo de infância e de seu avô, o coronel José Paulino, transparece em sua obra todo um contexto social que envolve a vida de cada indivíduo, a cultura e a história de um povo.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatura> Ficçãol 29/08/2013 lAcessos: 65
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast