O Valor De Nossas Vidas

11/03/2008 • Por • 22,022 Acessos

Quanto que vale a vida de um ser humano?
Quando que vale a MINHA vida?
Quanto que vale uma vida?

Sinto que a vida vale MUITO. MUITO MESMO! Sem ela, eu não poderia escrever, não poderia falar, não poderia amar e principalmente não poderia viver.

A ausência da vida é uma coisa muito triste. Quando nos deparamos com o deserto ou imaginamos que poderá não haver vida em outros planetas ou até no universo inteiro.

Porque então NÃO damos valor a vida alheia?
Porque então destruímos as florestas, os rios e até mesmo nossas cidades?

Valor, é isso, não temos o valor
Quando dizemos que valorizamos a NOSSA vida, dizemos como algo muito vago. Tanto que corremos nos nossos carros quando estamos bem, sabendo poderá ocorrer algum acidente, fora outras loucuras que fazemos. Porque? Porque NÃO sabemos o quando vale nem mesmo a nossa própria vida.

A vida é algo maravilhoso, mas como dizer isso, se no nosso planeta a vida explode por toda parte? São insetos, pobres, fungos e até os micróbios que causam doenças. Tudo é vida e algumas que matamos para que a nossa vida possa existir.

Nada... a vida não vale nada
É isso ai. A vida NÃO vale nada. Não vale nem mesmo para a natureza, que os cientistas estão descobrindo diversos momentos que acidentes praticamente dizimaram a vida do planeta por várias vezes.

Mesmo hoje, o homem mata milhões de animais, devido a suspeita de contágio de alguma doença. Tudo porque visam salvar vidas humanas. Quem foi que disse que uma vida humana vale mais?

A vida inteligente vale mais?
Será mesmo?
E os golfinhos que os japoneses fazem questão de matar todos os anos?
E as baleias que também estão cada vez mais próximas a extinção?

As baleias e os golfinhos são comprovadamente animais inteligentes, tem linguagem próprias e características que nós os humanos também temos. Você poderá dizer que eles são animais, não humanos.

A cada ano, ouvimos dos mortos das guerras e da violência nas cidades. São pessoas inocentes e outras nem tanto tendo suas vidas ceifadas. São milhares que no mundo devem chegar aos milhões.

Será que realmente a vida inteligente vale mais?

A minha vida tem que valer
É isso... Queremos ACREDITAR que pelo menos a nossa vida TENHA VALOR. Ela tem que ter. Você está vivo. Você respira. Você sente alegria, amor e até a dor. Você pensa. Você tem sonhos. Eu tenho que valer alguma coisa. PRECISO que a minha vida tenha valor.

Eu PRECISO!

Todos precisamos, mas a minha vida é mais importante, porque é assim... tem que ser assim... se eu trocar a minha vida pela de outrem, será que ela dará valor a vida que se foi?

Precisamos acreditar
Precisamos crer que seremos valorizados. Precisamos crer que pelo menos em algum momento, alguém nos dirá que temos VALOR... mesmo que seja algo rápido, como um orgasmo... Precisamos!

A crença que seremos valorizados em algum momento de nossas vidas, nos fazem mover montanhas. A fé que a nossa família, nossos amigos, nossos namorados(as), nossos esposos(as) e até o nosso chefe, em algum momento demonstre e até diga sinceramente que nós somos algo, que temos valor para suas vidas.

Nós estudamos, trabalhamos e fazemos de tudo para sustentar ou pelo menos ajudar nossas famílias. Acordamos, vamos ao trabalho, encaramos o trânsito, gente chata, chuva, comida ruim, negócios perdidos, metas impossíveis e principalmente o medo de ser demitido ou do cliente cancelar o contrato a qualquer hora.

E porque precisamos ter essa certeza?
Sinto que é para que nossas vidas tenham um verdadeiro sentido. Poderemos até viver nossas vidas de forma egoísta. Podemos dizer para todos que estamos BEM e que NÃO precisamos de ninguém. Poderemos até nos fazer acreditar que o nosso valor está no que produzimos, que vemos e que possuímos, mas quando chegarmos em casa ou em algum momento, nos sentiremos vazios, exauridos de toda a crença de que realmente somos algo ou alguém.

Como que isso poderá acontecer, já que estávamos tão bem? Seguros de tudo que tínhamos e éramos?


A vida muitas vezes nos cobra coisas e quando vamos apresentar as contas... elas não batem, ou pensamos que NÃO.

Então vemos que na realidade tudo o que acreditávamos não era real, então tudo era falso que fomos ou no enganamos e pronto. Entramos em redemoinho de questionamentos e dúvidas. Vem um monte de acusações e comentários, que tão habilmente raqueteamos para longe ou simplesmente ignoramos.

Será que também ignoro o valor dos outros?
Somente quando estamos realmente deprê, questionando o valor de nossas próprias vidas, que procuramos também saber se somente sou a vítima de um complô universal, ou também fui ou sou algoz de alguém

A conclusão é TÃO tristemente simples... que realmente ignoramos todos também. Somos ignorados da mesma forma que ignoramos todos. Não estou dizendo alguma vez, estou dizendo MUITAS vezes.

São muitos casos que não caberia neste BLog, mas vale citar alguns. Seus familiares, seus filhos, o porteiro do seu prédio, vizinhos, colegas de trabalho e ai vai. Ignoramos muitas vezes alguns momentos que poderíamos ter dado um sorriso sincero, um beijo ou até mesmo um abraço.

Valorizar requer envolvimento?
Dar atenção para alguém, para uma vida, requer se envolver. O envolvimento cria vínculos e com isso você ficará ou se sentirá fraco perante os outros ou até mesmo para com as pessoas que você gostaria de dar valor.

Eu posso citar um caso... eu ganhei vários caranguejos da minha namorada. Estou falando dos bichos vivos. Peguei os caras, tirei do saco e os coloquei no tanque para eles respirarem e tomarem um pouco de água. Pois fiquei olhando eles até o dia seguinte, troquei a água algumas vezes durante a noite e acabei me envolvendo com eles. Quando preparamos, não consegui comê-los.

Tudo bem que foi um caso extremo, mas é isso ai. Se houver envolvimento, nossos corações ficam moles, mais frágeis e fracos, por isso não nos envolvemos.

E o que fazemos?
Sempre Ignoramos e na maioria dos casos isso funciona. Todos ignoramos quem nos ignoram, mas nem sempre é assim. Existem pessoas que procuram nossa atenção, mesmo com todo o nosso esforço de nos distanciar. Algumas vezes é uma pessoa próxima, como um amigo, um filho ou até mesmo nosso esposo(a). Então, usamos de gozações ou comentários ácidos. Tudo visando procurar manter a distância.

Sempre tem uma justificativa
Incrível... Incrível é que fazemos isso muitas vezes de forma inconsciente, com as pessoas que dizemos que AMAMOS. Com nossos filhos, dizemos que estamos querendo fazê-los crescer. Com nossos amigos, é que são fracos, precisam ser mais expertos, com nossos namorados(as), esposos(as), porque precisam deixar de ser moles.

Sempre tem um MAS.
Mas é que eu estava ocupado;
Mas era que estava cansado;
Mas era que não tive tempo;
Mas é que esqueci;
Mas era que não tinha ou não teria ambiente;
e ai vai...

Como meu amigo Aécio sempre disse, que desculpa é como bunda, todos tem uma.

Tudo tem uma boa justificativa, mas é isso ai... em algum momento a vida nos cobrará... Não cobrará com juros, somente o que ela procurou dar e você não deu em troca.

O que fazer?
Ser honesto consigo mesmo e doar um pouco do seu tempo para dar atenção aos outros. Não digo que você precisa parar de fazer o que está fazendo, mas dar atenção e poderá até dizer que está ocupado, se for o caso.

Dar um sorriso e agradecer para o motorista do ônibus, ao porteiro ou para ajudante do supermercado.

Dar um beijo, um abraço e dizer coisas gostosas para sua família, seus filhos e principalmente para quem você diz que ama, seja ele(a) o seu namorado(a), esposo(a) ou amante.

Tenho certeza que a vida não cobrará nada de você ou se cobrar, não haverá culpa ou dor. Você se sentirá bem e será verdadeiramente querido e valorizado por quem você MAIS deseja ter a certeza, não somente a fé de que você será valorizado.

Perfil do Autor

Ruben Zevallos Jr.

Especialista de projetos para Internet desde 1993, mantém diversos sites e projetos pessoais como o www.direito2.com.br Leia mais http://ruben.zevallos.com.br/