Os Três Tipos De Dominação Segundo Max Weber

Publicado em: 30/09/2009 |Comentário: 4 | Acessos: 67,121 |

 

1. INTRODUÇÃO

 

Esse trabalho tem por objetivo apresentar os tipos de dominação que foram estudados por Max Weber. Ele define a dominação como oportunidade de encontrar uma pessoa determinada que esteja pronta a obedecer, pois a dominação se faz necessária para se manter em ordem a sociedade e tudo que gira em torno dela.

Segundo estudos apresentados por Weber, existem três tipos puros de dominação: legal, carismática e tradicional.

A dominação legal baseia-se em estatutos que podem ser modificados e criados desde que o mesmo esteja pré-estabelecido.

A dominação tradicional é aquela baseada na crença e nos poderes de senhores, onde um manda e o outro obedece e, diferentemente da dominação legal, ela não é baseada na formalidade.

Já a dominação carismática é dada em virtude da devoção, e por pessoas que possuem caráter comunitário onde quem manda é o líder e o que obedece é o apóstolo.

A dominação não é algo pré-determinado, pois não há como afirmar que quem prepondera hoje não será dominado amanha.

  

2. DOMINAÇÃO

 

É notável que em todo grupo dentro de qualquer sociedade, que seja baseado em regras e hierarquias, se encontrem indivíduos dominantes e dominados. E nesse contexto Weber nos fala que dentro da sociedade é preciso que haja elementos que detenham o poder ou que possuam formas de autoridades legitimamente reconhecidas, e elementos que não detenham o poder.

No Estado, por exemplo, Weber nos diz, que é necessário que as pessoas obedeçam à autoridade dos detentores do poder, sempre que esta autoridade seja legitimamente reconhecida, para que o mesmo funcione e/ou exista. E dessa forma percebe-se que a dominação sempre foi e, é uma presença marcante dentro da sociedade.

A dominação muitas vezes se dá devido às inúmeras formas de interesses, sejam eles nas suas mais variadas formas. E, é claro, sempre que há indivíduos que estejam prontos a obedecer a ordens de conteúdos determinados. De acordo com Weber “dominação é a probabilidade de encontrar obediência a uma ordem de determinado conteúdo, entre determinadas pessoas indicáveis”.

Weber ainda aponta que, conforme a relação de dominação tem o seu alcance ampliado, torna-se necessária à adoção de mecanismos que possibilitem a sua eficiência e que garantam a execução de suas ordens, mecanismos estes que geralmente se apresentam sob a forma de equipes de apoio.

A dominação é sempre resultado de uma relação social de poder desigual, onde se percebe claramente a existência de um lado que comanda (domina) e outro que obedece.

Podemos assemelhar assim a dominação a qualquer situação em que encontremos indivíduos subordinados ao poder de outros. Mas a dominação difere das relações de poder em geral por apresentar uma tendência a se estabilizar, a procurar manter-se sem provocar confrontos. Em outras palavras, as relações de dominação dentro de uma sociedade se caracterizam por buscar formas de legitimação, de serem reconhecidas como necessárias para a manutenção da ordem social.

O sociólogo Max Weber apresentou, em um de seus estudos mais importantes, três tipos puros de dominação legítima, cada um deles gerando diferentes categorias de autoridade. São classificados como puros porque só podem ser encontrados isolados no nível da teoria, combinando-se quando observados em exemplos concretos. São formas de dominação, segundo Weber, dominação legal, tradicional e carismática, como é apresentado no texto a seguir.

  

2.1. Dominação Legal

           

A dominação legal tem como idéia base a existência de um estatuto que pode criar e modificar normas, desde que seu processo (forma) esteja previamente estabelecido. Portanto, constitui uma relação desprovida de sentimentos, ou seja, baseia-se unicamente no profissionalismo e na hierarquia da empresa.

Para Weber, o dever da obediência está graduado numa hierarquia de cargos, com subordinação dos inferiores aos superiores, onde aquele que ordena é o superior. Também quem ordena obedece. Essa forma de dominação é sustentada por regras, regulamentos e leis. Quando elas falham, valem pontos de vista de conveniência, "sem consideração da pessoa”.

Apesar das condições do mercado de trabalho, o ingresso numa empresa é livre, estando-se, a partir de então, submetido às suas regras; no entanto, sua renúncia é igualmente livre. O admitido terá a sua submissão regulada por um contrato, configurando-se, assim, como legal.

Como exemplo de dominação legal pode-se citar o Estado, o município, uma empresa capitalista privada, numa associação com fins utilitários ou qualquer união em que haja uma hierarquia regulada por um estatuto. Sendo assim, a forma mais pura de dominação legal é a burocracia, e todo o elemento burocrático é essencial para o trabalho rotineiro.

Os princípios fundamentais da burocracia, segundo Weber são a hierarquia funcional, a administração baseada em documentos, a demanda pela aprendizagem profissional, as atribuições são oficializadas e há uma exigência de todo o rendimento do profissional. A obediência se presta não à pessoa, em virtude de direito próprio, mas à regra, que se conhece competente para designar a quem e em que extensão se há de obedecer. Weber classifica este tipo de dominação como sendo estável, uma vez que é baseada em normas que são criadas e modificadas através de um estatuto sancionado corretamente. Ou seja, o poder de autoridade é legalmente assegurado.

Weber faz uma analogia entre o desenvolvimento de um Estado Moderno e o da moderna burocracia; também entre a evolução do capitalismo moderno e a burocratização crescente das empresas econômicas.

 

2.2. Dominação Tradicional

 

É a forma mais antiga de dominação. Basicamente é aceita em nome da tradição e dos níveis de hierarquias, onde o exercício da autoridade se dá através, por exemplo, do comando do rei aos súditos, do pai aos filhos, dentre outros.

Segundo Weber a dominação tradicional ocorre devido a fatores como: afetividade, respeito, admiração, crença, e até no prazer de ver o “senhor” feliz ou satisfeito. Assim, com uma inexplicável legitimidade, determina-se que tal hierarquia é inflexível a mudanças. Essa dominação se estrutura de duas formas distintas, uma quando há obediência devido a dependência dos indivíduos aos senhores ou quando a hierarquia é estabelecida devido a privilégios de alguns sobre outros.

Weber relaciona a “fidelidade tradicional” para explicar, por exemplo, a dominação patriarcal, onde o respeito e a admiração em virtude da tradição levam a obediência. Isso leva a entender que existe uma forma de lei moral entre os indivíduos. Assim a dominação está relacionada diretamente aos costumes, ações cotidianas e valores pessoais.

Weber ainda ressalta a dominação tradicional como sendo uma dominação estável, devido à solidez do meio social e à dependência direta que a tradição tem com a consciência coletiva. E essa cultura já está enraizada a muito tempo na sociedade e estima-se que perdure ainda por muito mais.

  

2.3. Dominação Carismática

 

A dominação carismática é influenciada diretamente pelos fatores emocionais e afetivos, e a obediência não é estabelecida por regra ou cargo, mas sim pela crença nas qualidades do líder, ao caráter sagrado, à força heróica, ao valor exemplar ou ao poder da palavra que distingue de modo especial e, é aceita devido a devoção afetiva por parte dos dominados. Esta devoção deve-se ao reconhecimento que os heróis e demagogos alcançam, convertendo a fé e o reconhecimento em deveres invioláveis que devem ser seguidos pelos governados.

A dominação carismática se opõe às bases da legitimidade da ordem estabelecida e institucionalizada, onde o líder carismático, em certo sentido, é sempre revolucionário, na medida em que se coloca em oposição consciente a algum aspecto estabelecido da sociedade em que atua. Mas para que a autoridade seja estabelecida, é necessário que os seguidores considerem o apelo do líder como legítimo, estabelecendo-se assim, uma lealdade de tipo pessoal.

Como a obediência a um líder deve-se às suas qualidades pessoais, não há nenhum procedimento ordenado para a nomeação ou substituição deste e, sendo assim não há carreiras e nem é necessário formação profissional para se obter o carisma. Contudo, a fonte do poder é estabelecida em cima do novo, do que nunca existiu, carecendo da existência previa de vínculos predeterminados. Tratando-se de um fenômeno excepcional, a dominação carismática não pode estabilizar-se sem sofrer profundas mudanças estruturais e, dependendo dos padrões de sucessão que adotar e com a evolução do corpo administrativo, tornar-se-á ou racional-legal ou tradicional, em algumas de suas configurações básicas.

  

3. CONCLUSÃO

 

A dominação é fato decorrente da origem do mundo, sempre haverá algo a ser dominado e liderado. Desde a relação entre os animais até os seres humanos, os indivíduos necessitam de um “ser” poderoso para guiá-los, orientá-los e dominá-los. A dominação é algo permanente, sempre existirá, até mesmo por que é fundamental.

Os tipos de dominação seguirão vivos nas mais variadas formas, a legal na hierarquia das empresas, na tradicional, mesmo apesar dos tempos modernos, ainda permanecerá no comando exercido pelo pai ou pela mãe nas famílias, e os carismáticos sempre presentes nas novas e antigas religiões.

É importante ressaltar onde Weber relaciona a dominação como sendo fundamental, para a sociedade, pois age como regulador de ações, geralmente determinando ou influenciando as nossas ações.

Dessa forma os estudos de Max Weber concluem que a dominação formula e organiza a ordem social, também como tem o poder de transformá-la se assim for necessário ou se for de interesse daqueles indivíduos competentes para tal tarefa.

 

4. REFERÊNCIAS

 

BIRCK, Grasi. Os três tipos puros de dominação legítima. Blogspot. Disponível em: <http://grasiblog.blogspot.com>. Acesso em: 28 jul. 2009.

DIAS, Gisele Berving Martins. A dominação segundo Max Weber. Blogspot. Disponível em: <http://gibervig.blogspot.com>. Acesso em: 28 jul. 2009.

MAX Weber: vida e obra. Cultura Brasil. Disponível em: <http://www.culturabrasil.pro.br>. Acesso em: 28 jul. 2009.

SILVA, José Otacílio da. Elementos de sociologia geral: Marx, Durkheim, Weber, Bourdieu. 2. ed. Cascavel: Edunioeste, 2006.

WILD, Bianca. Os tipos de dominação segundo Max Weber. Brasil escola. Disponível em: <http://www.meuartigo.brasilescola.com>. Acesso em: 28 jul. 2009.

 

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 16 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/noticias-e-sociedade-artigos/os-tres-tipos-de-dominacao-segundo-max-weber-1284076.html

    Palavras-chave do artigo:

    dominacao pessoas sociedade

    Comentar sobre o artigo

    Bruno Lima Rocha

    "Para uma Teoria Libertária do Poder" é uma série de resenhas elaboradas sobre artigos ou livros de autores do campo libertário que discutem o poder. Seu objetivo é apresentar uma leitura contemporânea de autores que vêm tratando o tema em questão e trazer elementos para a elaboração de uma teoria libertária do poder, que poderá contribuir na elaboração de um método de análise da realidade e de estratégias de bases libertárias, a serem utilizadas por indivíduos e organizações.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 08/09/2011 lAcessos: 66

    O que são as margens das sociedades? Como se fformam e desenvolvem? Serão criativas estas margens? E a cultura popular o que é e como é aceite pela cultura hegemónica? são estas as respostas que se procurão neste artigo que não será mais do que um poequeno contributo para uma reflexão sobre a(s) sociedade (s) moderna (s).

    Por: Victor Cerqueiral Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 02/12/2011 lAcessos: 125
    Elizeu Vieira Moreira

    Reflete sobre o fazer pedagógico, o método e a metodologia circunscritos no conjunto das demais questões sociais que fazem parte do contexto sócio-cultural-econômico propugnado pelo capitalismo globalitarizado e neoliberalizado. Analisa os efeitos que o modelo racionalista de qualidade (e eficiência) da educação propugnado pelo Banco Mundial (apoiado pela UNICEF, UNESCO, PNUD) teve sobre o fazer pedagógico, o método e a metodologia...

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 02/07/2011 lAcessos: 709

    O presente texto não tem a pretensão de esgotar os conhecimentos sobre a relação Estado-Sociedade, bem pelo contrario, tal tema é bastante amplo e complexo, sendo impossível conceituar o mesmo em poucas palavras, ate mesmo por que se trata de pontos de vistas distintos sobre o mesmo assunto

    Por: Robson Stigarl Educação> Ensino Superiorl 22/03/2010 lAcessos: 3,792

    O mundo do trabalho e as implicações que seus processos engendram, certamente afetam diretamente o desenvolvimento da vida dos seres humanos em sociedade, as mudanças ocorridas na sua estrutura, projetam reflexos nas dimensões subjetivas e objetivas do ser social. Nas últimas décadas do século passado e neste início do terceiro milênio, vivenciamos profundas alterações ocorridas nas estruturas do mundo do trabalho, acompanhadas por um momento que se habituou chamar de globalização.

    Por: Cristiano Pinheiro Corrêal Educação> Ensino Superiorl 30/11/2011 lAcessos: 508

    Este artigo tem como finalidade apresentar as formas de comunicação e linguagem da elite e da classe trabalhadora tal como elas atuam na sociedade e sua influência na educação.

    Por: Rogério Dantas de Souzal Educaçãol 07/05/2009 lAcessos: 6,768

    O presente estudo visa a educação para pessoa que cumprem medidas de privação de liberdade, como método de inclusão social dos mesmos, nos quais tem como meio a educação em direitos humanos como exercício a sua cidadania. O estudo teve como objetivo verificar a educação voltada para adolescentes em privação de liberdade em sua pratica para a cidadania como método de inserção dos mesmos a sociedade. O estudo de caráter qualitativo no qual se apropriou da literatura especifica como meio de aprofundamento da temática. Como resultados obtivemos a ausência de informações nas instituições de privação dos mesmos, em sua formação para a cidadania através dessa educação que promova um o empoderamento social, concluindo que as mesmas sem acompanhamento especifico nessa área causa maior vulnerabilidade nos mesmos, onde não se incentiva a formação cidadã ficando a mercê novamente de seus direitos e seus deveres enquanto cidadãos.

    Por: Sabrina Rodrigues de Oliveiral Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 13/11/2008 lAcessos: 7,874
    Thiago E.S.Gimenes

    Este artigo abordo como as empresas comtemporaneas através do capitalismo atual, dominam e escravizam a mentalidade e vida dos colaboradores.

    Por: Thiago E.S.Gimenesl Ciênciasl 24/12/2010 lAcessos: 117

    O Presente artigo tem objetivo identificar os aspectos que motivam o consumismo e consequentemente geram uma discrepância muito grande entre ter e ser, nos adolecentes da sociedade contemporânea. Desta forma muitas famílias estão vivendo uma situação conflituosa com seus filhos adolescentes, pois os mesmos almejam ter bens que pode não estar ao alcance do poder aquisitivo de seus pais.

    Por: Robson Alves de Almeidal Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 27/10/2011 lAcessos: 3,527

    Considerações políticas a respeito de manifestação do senador petista Humberto Costa sobre o candidato Aécio Neves.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 21/10/2014
    Gustavo Rocha

    Todos sabemos que ser professor no Brasil é mais que uma escolha ou vocação, é um verdadeiro exercício de paciência, vontade e idealismo. Além desta realidade difícil de ser mudada, ensinar tornou-se um verbo de compra de notas, onde o sucesso é um 10 e que dá pra passar um 6 ou 7. Simples assim, alunos medidos como se fossem quilos de mercadoria com valores anotados em cima de provas objetivas – mais fáceis de corrigir – ou subjetivas com palavras prontas.

    Por: Gustavo Rochal Notícias & Sociedadel 15/10/2014
    Michele Bazilio

    O artigo trata da ilusão "vendida" aos atuais concurseiros, em relação às reais condições de trabalho dos servidores públicos brasileiros. Mais do que uma visão geral, o texto oferece exemplos fáticos de como a equivocada política brasileira de gestão pública impacta negativamente os servidores, os magistrados e, principalmente, a própria sociedade.

    Por: Michele Baziliol Notícias & Sociedadel 13/10/2014 lAcessos: 3,651
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    A vida e sua e você que escolhe o caminho que deseja seguir. A vida e uma dádiva de Deus a vida e para ser vivida

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Notícias & Sociedadel 12/10/2014 lAcessos: 13
    Tiago

    Nosso mundo está em um progresso de aceleração bem rápida na evolução da consciência o que de fato afeta instintivamente a formação social e toda parte externa

    Por: Tiagol Notícias & Sociedadel 12/10/2014

    Considerações acerca da reação de Lula às denúncias de corrupção na Petrobras.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 10/10/2014

    Considerações acerca da eleição do segundo turno para a Presidência da República

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 08/10/2014

    Considerações acerca do comportamento do político brasileiro, que desrespeita o voto do eleitor.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 06/10/2014

    Nas Finanças Empresariais, a política de dividendos ocupa um lugar central entre as políticas de investimento e de financiamento, e a gestão operacional das empresas. É um tema igualmente importante para os investidores individuais, interessados na rentabilidade dos seus capitais e na gestão das suas carteiras.

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Investimentosl 18/11/2010 lAcessos: 3,960

    As companhias que utilizam a abertura de capital têm como objetivo captar recursos dos investidores visando financiar seus projetos de investimentos e ampliar sua competitividade no mercado. Por isso o mercado de capitais proporciona desenvolvimento econômico tornando-se relevante para todo o país.

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Investimentosl 18/11/2010 lAcessos: 775

    No atual cenário econômico, muitas vezes as empresas para se manterem competitivas no mercado, necessitam do aporte de capital advindo de terceiros para subsidiar suas atividades operacionais e, proporcionar a maximização do lucro, com base em um bom gerenciamento de seus recursos. Neste contexto, o presente artigo tem o objetivo de identificar quais produtos e serviços financeiros são mais utilizados pelas empresas e como ocorre o relacionamento destas com as instituições bancárias. Foi realiza

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Créditol 18/11/2010 lAcessos: 4,289

    O objetivo deste estudo é analisar as diversas faces que o estilo de gerenciamento das empresas possui, já que o cenário econômico, político e social sofreria grandes mutações caso houvesse somente uma das modalidades de gerenciamento, podendo ser apenas a administração pública ou administração privada.

    Por: Diego Ceriolil Notícias & Sociedadel 27/11/2009 lAcessos: 22,050 lComentário: 5

    Um dos maiores desafios encontrados pelas organizações, refere-se à formação de preços. De um lado estão os clientes, que buscam produtos de alta qualidade pelo menor preço e, de outro, estão as empresas, que desejam vender pelo maior preço ao menor custo possível. A dificuldade está em alinhar estas duas forças, pois nem sempre trabalhar com eficácia operacional e oferecer preços baixos é suficiente.

    Por: Diego Ceriolil Finançasl 26/11/2009 lAcessos: 1,217 lComentário: 2

    Devido à diversidade de produtos e a exigência por parte dos clientes de serem atendidos, de acordo com suas expectativas e necessidades, não há como manter uma regularidade entre a produção e a demanda. O processo de armazenagem proporciona manter um equilíbrio entre a produção e o cliente, visando atender as necessidades previstas e imprevistas.

    Por: Diego Ceriolil Negócios> Gestãol 01/10/2009 lAcessos: 31,300 lComentário: 7

    Este artigo relata algumas teorias da motivação utilizadas pelos administradores, demonstrando que o fundamento básico da motivação é estimular os funcionários e integrantes da organização. A motivação é o resultado das atitudes adotadas pela administração, voltadas para a satisfação e o bem estar de seus funcionários, tendo como base, recompensas e benefícios oferecidos aos empregados, que podem ser materiais e não materiais.

    Por: Diego Ceriolil Negócios> Gerêncial 30/09/2009 lAcessos: 7,595 lComentário: 3

    Este trabalho tem por objetivo, trazer alguns conceitos sobre atividades de serviços, e a importância desta para as organizações, no atual canário econômico, sendo uma ferramenta fundamental para ganhar vantagem competitiva frente ao mercado globalizado e tão competitivo.

    Por: Diego Ceriolil Negócios> Atendimento ao Clientel 30/09/2009 lAcessos: 2,394

    Comments on this article

    1
    daniela barros 10/08/2011
    Weber tem por objetivo de mostrar as denominaçoes q foram estudadas. Ele define a dominação como oportunidade de encontrar uma pessoa determinada.
    0
    alme 15/06/2011
    isso que eu chamo de dominação
    0
    diego cerioli 03/02/2010
    obrigado pelo comentário João Paulo...
    0
    João Paulo 20/01/2010
    artigo exelente com informações valiosissimas, mostra como somos dominados diariamente... parabés!!!
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast