Alimentação Para Atletas: Por Que Ela É Altamente Calórica?

07/03/2010 • Por • 1,337 Acessos

Alimentação para atletas: por que ela é altamente calórica? Nutrição - Alimentação Escrito por Bruna Iasi Franceschi    Qui, 11 de Fevereiro de 2010 15:34

A atividade física é caracterizada por um movimento dinâmico do corpo, com aumento do gasto calórico, alteração de alguns hormônios (adrenalina, endorfina), aumento da frequência cardíaca e da temperatura corporal.

As pessoas que usam a atividade física como uma forma de ganhar a vida são conhecidas como atletas de elite, e normalmente ganham dinheiro de algum patrocinador e nas vitórias de competições.

Um atleta de elite dedica a maior parte do seu dia aos treinos, podendo treinar até 12 horas por diárias. Para se ter idéia do consumo calórico de um atleta de elite, é só fazer uma conta: se para cada hora de natação houver um consumo de 400 calorias, e o treino for de 10 horas, o atleta irá consumir no mínimo 4.000 calorias ao dia. Adicionado a esse valor calórico, temos o metabolismo basal, que é o gasto calórico do organismo para cobrir os gastos energéticos da respiração, dos batimentos cardíacos, do funcionamento cerebral, entre outros gastos. Sendo assim, o gasto calórico diário de um atleta de elite que treine 10 horas por dia pode chegar a 6.000 calorias.

Para suprir as necessidades calóricas dos atletas, é preciso que sua alimentação seja altamente calórica. Porém, muitas vezes, isso é muito difícil de se alcançar apenas com alimentos, pois para isso seria necessário um volume de alimentos muito grande. Então, muitas vezes lançamos mão de suplementos alimentares de carboidratos e proteínas, para evitar que a alimentação do atleta fique com uma quantidade calórica abaixo da necessária.

No caso do atleta consumir um valor calórico abaixo do recomendado, pode haver perda de massa muscular, massa gorda e principalmente queda de rendimento. Nosso organismo tem reservas que são utilizadas em vários momentos da atividade física, e para ter essas reservas é necessário se alimentar em quantidades ideais, com alimentos recomendados e nos horários mais propícios, também conhecidos como janelas de oportunidade, ou seja, o momento em que aquele alimento, ao ser ingerido, é absorvido e estocado da maneira mais estratégica para a próxima atividade a ser realizada.

Os praticantes de atividade física de uma forma menos intensa, ou seja, de uma a duas horas por dia, não devem fazer uso de dietas recomendadas para atletas e nem mesmo fazer uso dos suplementos, caso não haja indicação médica ou de uma nutricionista. No caso desse praticante fazer uso de uma dieta hipercalórica e hiperprotéica como a utilizada por atletas de elite, esse pode ter um aumento de peso (pois seu gasto calórico é bem diferente do apresentado pelo atleta), e o excesso protéico a longo prazo pode levar a lesões renais.

 

 

Bruna Iasi Franceschi é Nutricionista formada pelo Centro Universitário São Camilo, Especialista em Fisiologia do Exercício pela UNIFESP-EPM, Nutricionista clínica do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos - SP, Nutricionista da Clínica Dr. Osmar de Oliveira.