Entenda E Diga Adeus À Gastrite

16/12/2008 • Por • 122,704 Acessos

ENTENDA E DIGA ADEUS À GASTRITE


Quem nunca sentiu aquela sensação de queimação, azia e dores no estômago, que atire o primeiro alimento!


            Popularmente conhecida como gastrite e até mesmo gastrite nervosa, ela está diretamente relacionada aos sintomas descritos. Esses itens citados acima fazem parte de um grupo que sinaliza duas doenças: a dispepsia funcional e a doença de refluxo.  


            A dispepsia pode ser descrita como sendo um distúrbio no aparelho digestivo, que dificulta o processo da digestão. Já o refluxo, é um retorno do ácido gástrico do estômago para o esôfago.


O refluxo por sua vez ocorre devido a um desequilíbrio no funcionamento da válvula que controla a passagem do alimento de um órgão para o outro. Como a válvula não fecha direito, o líquido passa para o esôfago e assim machuca as suas paredes. Isto causa azia e queimação, uma vez que ali não existe proteção da parede interna contra acidez, como é o caso do estômago.


Falando sobre gastrite, ela é uma inflamação que acomete a parede do estômago e pode ser dividida em duas: aguda e crônica.


Na forma aguda, a gastrite aparece repentinamente, causando náuseas e vômitos. Geralmente a duração é de, no máximo, três dias, podendo ser desencadeada por álcool, medicamentos à base de ácidos, antiinflamatórios ou pelo fator estresse.


Quando fala-se de gastrite crônica, a bactéria Helicobacter pylori faz-se presente no contexto. Este tipo de gastrite é de longo prazo e geralmente é assintomática.


Segundo Idílio Zamin, Gastroenterologista da Santa Casa de Porto Alegre, a transmissão pode ser via água e alimentos contaminados pelo bacilo. Ele informa ainda que a única forma de identificar esse tipo de gastrite é por meio de endoscopia e biópsia.


 A alimentação saudável continua sendo uma das principais formas de tratamento.


ALIMENTOS QUE DEVEM SER EVITADOS


Embora não sejam os alimentos a causa principal do desenvolvimento da gastrite, eles têm papel fundamental, tanto no auxílio do tratamento quanto na prevenção.


Alguns alimentos devem ser evitados, por ocasionarem um aumento na liberação do suco gástrico ou por facilitarem a ocorrência do refluxo do mesmo:


. leite e alguns tipos de queijos;


. alimentos gordurosos, embutidos e industrializados;


. sucos concentrados, bebidas estimulantes e alcoólicas.



Alimentos que devem ser consumidos:


. sucos diluídos e muita água;


. frutas, gelatinas, leite e seus derivados light;


.carnes brancas e magras.



DICAS A FAVOR DA SAÚDE


            Alimentar-se devagar e mastigar bem os alimentos são hábitos que auxiliam, e muito, no ganho de qualidade alimentar. A ingestão de água, alimentos naturais, cereais integrais e produtos light, encontra-se no topo da lista destes hábitos. Pratique-os!


            Tenha uma vida feliz e saiba sorrir, libere o estresse para que ele não o(a) aprisione. Boa semana, cheia de saúde e hábitos saudáveis.


Izaara Alvarenga


Nutricionista

Perfil do Autor

Izaara Carvalho Alvarenga

Izaara Alvarenga é graduada em Nutrição, pela UNILAVRAS, em Lavras - MG. Possui grande experiência na área de Alimentação Hospitalar. Cursa Especialização na UNESP, Botucatu - SP. Com passagem por empresas de porte nacional e multinacional da Alimentação Empresarial, adquiriu extensos conhecimentos neste ramo. Na área de responsabilidade social, atua na Pastoral da Criança e no Lar Esperança e Vida Mateus Loureiro Ticle, de apoio ao portador de Câncer, em Lavras. É também Articulista dos Jornais impressos “A Gazeta” e "Jornal Agora" da cidade de Lavras e "Jornal O Movimento" da cidade de Carrancas, com a coluna “Vida Saudável”.