O poder da cebola na prevenção do câncer

15/03/2011 • Por • 4,603 Acessos



As cebolas são ricas em uma variedade de sulfetos que fornecem proteção contra o crescimento de tumores. Estudos na Grécia têm demonstrado que o consumo elevado de cebola e alho atua como protetores contra o câncer de estômago.

As cebolas são uma boa fonte de fibras alimentares, manganês, molibdênio, vitamina B6, ácido fólico, potássio, fósforo e cobre. É uma fonte muito rica de fruto-oligossacarídeos, são caracterizadas por seu conteúdo rico em tiosulfinatos, sulfetos, sulfóxidos e outros compostos odoríferos de enxofre. Os sulfóxidos de cisteína são os principais responsáveis pelo sabor da cebola e pela irritação que causa nos olhos que induzem ao lacrimejamento. Os tiosulfinatos apresentam propriedades antimicrobianas.

É eficaz contra muitas bactérias, incluindo Bacillus subtilis, Salmonella e E. coli. As cebolas contêm sulfureto de alilo propilo, além disso, as cebolas são muito ricas em cromo, um mineral que ajuda as células a responderem à insulina, além de vitamina C, numerosos flavonóides e mais notavelmente, quercetina.

Cebolas podem ser usadas para tratar constipações, tosse e asma e para repelir insetos. Na medicina chinesa, têm sido utilizadas para tratar a angina do peito, infecções bacterianas e problemas respiratórios.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica o uso de cebola para o tratamento da falta de apetite e para prevenir a aterosclerose. Além disso, os extratos de cebola são reconhecidos pela OMS como ajuda no tratamento de tosses e resfriados, asma e bronquite. Também ajudam na diminuição de espasmos brônquicos. O extrato de cebola é usado para diminuir a alergia induzida pela constrição brônquica em pacientes asmáticos.

Os oligômeros presentes estimulam o crescimento de bifidobactérias saudáveis e suprimem o crescimento de bactérias potencialmente nocivas ao cólon, podendo reduzir o risco de tumores no cólon. Evidências experimentais e clínicas sugerem que o dissulfureto de alilo propilo é responsável pelo efeito de reduzir os níveis de diabetes.

O consumo regular de cebolas reduz os níveis elevados de colesterol e pressão arterial alta, o que ajuda a prevenir a aterosclerose e doenças cardíacas em diabéticos e reduz o risco de derrame. Mulheres cujas dietas, são ricas em cebolas tiveram uma redução de 40% no risco de câncer de ovário. Cebolas também ajudam a manter os ossos saudáveis. Podem ser especialmente benéfica para mulheres que estão em maior risco de ter a osteoporose quando estão na menopausa.

Perfil do Autor

Marcelo Rigotti

Engenheiro Agrônomo Mestrado em Entomologia e Conservação da Biodiversidade Doutorando em Horticultura.