Ortodontia - Respiração Bucal

26/05/2011 • Por • 324 Acessos

A Respiração Nasal é um dos reflexos primários do nosso organismo. Nas alterações congênitas ou devido a algum problema respiratório ela pode se transformar em uma respiração bucal.

As crianças e adultos respiradoras bucais apresentam como características:

  • recorrentes alterações respiratórias;
  • dificuldades nas práticas esportivas;
  • alterações no sono;
  • hiperatividade ou sonolência; dificuldades no aprendizado
  • olheiras
  • face longa
  • mastigação ineficiente
  • gengivites
  • cáries

Essas caracterírticas se desenvolvem devido a falta de filtragem e aquecimento do ar respirado, principalmente nas grande metropoles.

Com a diminuição da capacidade e eficiência respiratória, o sono será prejudicado, não fornecendo o repouso necessário ao organismo, desenvolvendo uma hiperatividade, sonolência e olheiras.

Na tentativa de se manter acordado a pessoa tem a necessidade de fazer várias atividades ao mesmo tempo, e quando essas atividades são cessadas, não conseguem se manter acordadas, prestar atenção às aulas ou trabalhos a serem executados.

As atividades físicas também são diminuídas, como não respiram direito, sua resistência e efetividade para as práticas de esportes não se desenvolvem, criando uma apatia ou aversão ao esportes.

A mastigação é ineficiente pois é impossível comer e realizar a respiração bucal, então rapidamente as pessoas engolem os alimentos sem a sua devida trituração.

Normalmente também desencadeará posteriormente, distúrbios no sistema digestório, pois sabemos que a digestão é iniciada na cavidade oral, quando os alimentos são triturados e entram em contato com a saliva.

Durante a respiração bucal os lábios necessariamente estão abertos, favorecendo o ressecamento das gengivas e dos dentes, favorecendo a instalação de gengivites e cáries dentárias. Desenvolverá inúmeros problemas na cavidade oral, avançando para periodontites com o aumento da mobilidade dentária, necessidade de tratamentos endodônticos, reabilitações protéticas e futuramente as perdas dentárias.

Com os lábios entreabertos a musculatura facial exercerá uma compressão lateral no osso maxilar diminuindo o seu crescimento, promovendo uma atresia.

Atresia que pode levar às mordidas cruzadas posteriores com palato profundo e/ou atresia do osso mandibular.

Devemos lembrar que a região do palato (céu da boca) é ao mesmo tempo a base da cavidade nasal, então se o palato se torna profundo e estreito, a cavidade nasal se apresentará diminuída e estreita concomitantemente.

O tratamento ortodôntico nas crianças terá como objetivo o descruzamento das mordidas com estímulo do crescimento maxilo mandibular utilizando aparelhos ortopédicos e/ou ortopédicos funcionais.

Nos adultos a intervenção poderá necessitar de tratamentos ortodônticos associados à cirurgia ortognática, para expansão das arcadas. Extrações dentárias podem ser necessárias em muitos casos.

Os problemas gengivais/periodontais avançados podem ser limitadores do tratamento, devido a falta de suporte ósseo dos dentes, com mobilidades acentuadas.

Acompanhamentos com Fonoaudiólogas, Fisioterapeutas e Médicos sempre serão necessários para uma evolução dos tratamentos.

 

Perfil do Autor

Luis Cesar Jum Motoyama

Odontólogo. Especialista em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares. Tratamentos Ortodônticos associados à Cirugia Ortognática,...