Controladoria versus micro e pequenas empresas

Publicado em: 09/12/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 410 |

CONTROLADORIA VERSUS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

A Lei Complementar n. 123/06, em seu artigo terceiro define micro e pequenas empresas:

Art. 3º Para os efeitos desta Lei Complementar, consideram-se microempresas ou empresas de pequeno porte a sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada e o empresário a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas, conforme o caso, desde que: (Redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011) (Produção de efeitos – vide art. 7º da Lei Complementar nº 139, de 2011)

I - no caso da microempresa, aufira, em cada ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais); e Redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011) (Produção de efeitos – vide art. 7º da Lei Complementar nº 139, de 2011)
II - no caso da empresa de pequeno porte, aufira, em cada ano-calendário, receita bruta superior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais). Redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011) (Produção de efeitos – vide art. 7º da Lei Complementar nº 139, de 2011).
Além da regulamentação através da receita bruta anual, existe o critério de pessoas ocupadas nas empresas:

Microempresa: Na indústria e construção: até 19 pessoas ocupadas;

No comércio e serviços: até 09 pessoas ocupadas.

Pequena Empresa: Na indústria e construção: de 20 a 99 pessoas ocupadas;

No comércio e serviços: de 10 a 49 pessoas ocupadas.

A contagem de pessoas inclui também o proprietário do negócio.

O empreendedor brasileiro é aquela pessoa que tem idéia, vontade e coragem para empreender em um negócio próprio, deixar de ser empregado e passar a patrão, todavia, percebe-se através das pesquisas, que muitas empresas "quebram" nos primeiros anos.

Entre as principais causas desses fechamentos estão a INEXPERIÊNCIA, como (incompetência do empreender, falta de experiência profissional) e FATORES ECONÔMICOS como ( perda de marcado, fraca competitividade, juros e financiamentos).

A inexperiência profissional se caracteriza pela vontade de empreender, condições para viabilizar o projeto, mas na parte executória falta a capacidade profissional para o bom andamento dos serviços, Já a incompetência pode ser considerada de forma inversa, o empreendedor tem a experiência profissional necessária para viabilizar seu projeto, mas lhe falta competência para administrar o negócio.

Os fatores econômicos, são sem dúvida, um problema que atinge a todos, mas saber lhe dar com eles é que faz a diferença.

Neste sentido, a controladoria é útil para o desenvolvimento dos controles empresariais da pequena e micro empresa, mas como viabilizar esse projeto?

É claro que um profissional de controladoria seria uma despesa/custo ou investimento muito alto para uma microempresa, não seria fácil ter na folha de pagamento um profissional dessa capacidade, já que na grande maioria das empresas, estas possuem um quadro pessoal bastante reduzido.

Algumas regras básicas de administração, contabilidade e consultoria podem se tornar um diferencial competitivo para uma pequena ou microempresa, fazendo ter um aumento substancial em seus resultados.

No ambiente da micro e pequena empresa, o planejamento é, diversas vezes, nulo ou informal, ou seja, não organizado adequadamente. A importância do planejamento deve ser levada a sério também pela Micro / Pequena Empresa Brasileira.

Assim, acreditamos que o princípio básico é o Planejamento empresarial e seguido por seus diversos departamentos

• Vendas

• Marketing

• Finanças – Controladoria (para pequenas empresas)

• RH

• Estratégia

• Qualidade

Pequenas empresas em sua grande maioria não possuem divisões departamentais organizadas, na maioria das vezes, o dono é o produtor, embalador, vendedor e distribuidor de seu produto. Ele também negocia com os fornecedores e ao mesmo tempo com os clientes, faz a contabilidade e por fim, o que sobra no caixa guarda em seu bolso. (o erro mais comum sic..)

Segundo Drucker (2003), o planejamento estratégico não envolve decisões futuras e sim a futuridade das decisões atuais. O que interessa ao administrador são efeitos que sua decisão, hoje terá no futuro previsível. As conseqüências e efeitos futuros desejados são as molas propulsoras do ato de decidir agora.

Maximiano (2008), relata que o planejamento operacional é o processo de definir meios para a realização de objetivos, como atividades e recursos. Os planos operacionais, também chamados estratégias operacionais, especificam atividades e recursos que são necessários para a realização de qualquer espécie e objetivo.

A partir dos conceitos acima, percebe-se que inicialmente, independente do tamanho ou atividade da empresa é necessário PLANEJAR.

a) Planejamento de serviços:

O que produzir?

Para quem produzir?

Quanto Produzir?

Como produzir?

Entenda-se produzir, como o gerador do negócio, pode ser vender ou prestar serviços.

Planejamento de Marketing

Segundo o site www.wikipedia.com.br "Marketing ou Mercadologia é a atividade de ligar os produtores (ou produtores em potencial) de um produto ou serviço com clientes, quer existentes ou potenciais."

Quem são os clientes em potencial?

Onde eles estão?

Como mostrar meus produtos a eles?

Estas são algumas indagações que devem ser respondidas.

Planejamento de R.H.

Quem são os colaboradores da empresa?

Obs. Toda boa empresa nasce pelas mãos do dono, mas um funcionário desinteressado por levar ao buraco.

Planejamento estratégico.

Como fazer o negócio funcionar de modo a evitar gargalos;

Como ter uma boa entrega de meus produtos ou atendimento aos clientes.

Planejamento financeiro (Controladoria)

Este é o foco deste artigo.

Controle, esta é a palavra chave para um bom desempenho, mas não basta controlar, anotar informações se não souber organiza-las de forma clara e objetiva para atender aos princípios de crescimento da empresa.

      1. Separar quem o caixa da empresa do caixa do empreendedor; (isto é fundamental)

      2. elaborar um levantamento de todos os bens da empresa;

      3. elaborar um levantamento de todos os direitos a receber;

      4. fazer um levantamento do estoque; (verificar quantidade, validade e tempo do giro do estoque)

      5. levantar todas as obrigações da empresa (contas a pagar), classificando-as por ordem de vencimentos;

      6. montar um DRE inicial, em determinado período, tomando-o como base para futuras comparações; (classificar cada item, representando percentualmente seus valores).

Em suma, as micro e pequenas empresas devem estar atendas as informações que elas próprias geram no decorrer de suas atividades, registrando esses números para que possam ser confrontados nos meses sub-sequentes.

Fontes pesquisadas

DRUCKER, Peter. Administração na próxima sociedade A. São Paulo: Nobel,

2003.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaral. Introdução à Administração. São Paulo. Atlas,

2008.

www.sebrae.com.br

http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/LeisComplementares/2006/leicp123.htm

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/pequenas-empresas-artigos/controladoria-versus-micro-e-pequenas-empresas-5470924.html

    Palavras-chave do artigo:

    micro empresa

    ,

    controladoria

    ,

    pequena empresa

    Comentar sobre o artigo

    O presente trabalho procura analisar a estrutura de capital e seus reflexos nos resultados da empresa, mostrando razões para utilizar capital próprio ou de terceiros num determinado empreendimento, mesmo em tempos de crise financeira como o que estamos vivendo. Diante da crise, pessoas e empresas têm que buscar saídas criativas e inovadoras que nem sempre são pensadas ou buscadas em tempos de afluência. Em tempos de crise, empresas e pessoas empreendem mudanças que não teriam coragem de fazer e

    Por: ALAELSON CRUZ DOS SANTOSl Finanças> Créditol 24/09/2009 lAcessos: 2,250

    Em um mundo globalizado, onde as informações são processadas em tempo real, muitas empresas, principalmente as micro e pequenas, se sentem ameaçadas quanto ao tempo de sobrevivência, uma vez que está claro que àquelas que não se adequarem ao novo perfil empresarial estará fora do mercado. É preciso reestruturar sua gestão, buscando novas metas de controle para atingir seus objetivos. O presente artigo procura mostrar a importância do controle interno nas pequenas empresas de maneira a tornar o p

    Por: Daniella Patrícia Ezequiell Negócios> Administraçãol 25/11/2011 lAcessos: 347
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    SAIBA DE ONDE VEIO A IDÉIA DE BAIXAR JUROS, IMPOSTOS, PRIVILEGIAR A CLASSE BAIXA RENDA E MICROEMPREENDEDORES A CRISE FINANCEIRA JÁ ERA CONHECIDA EM OUTURBRO DE 2007 O SUBPRIME JÁ ESTAVA NA PAUTA DE BUSCH. QUE ESTAVA PROTELANDO PARA NAO COMPROMETER A CORTE AMERICA

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Polítical 08/01/2010 lAcessos: 126

    Esse artigo tem como finalidade discorrer sobre gestão financeira e sua importância dentro da empresa; Sua relação e relevância com os demais departamentos dentro da organização, como também relataremos seus departamentos internos.

    Por: Marli Soares de Andradel Negócios> Gestãol 28/11/2014 lAcessos: 13
    Marco Batalha

    Estamos elaborando um trabalho de conclusão de curso -TCC - sobre controladoria nas MPEs e MEIs com o objetivo principal de se verificar a importância dos controles para a longevidades destas categorias de empresas. Assim, solicitamos que os empreendedores em geral respondam a este questionário.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 26/03/2012 lAcessos: 188

    Uma das palavras mais usadas hoje em dia é a palavra CRISE. Fala-se em crise de identidade, crise de abastecimento, crise no Oriente Médio, crise do petróleo, crise da segurança pública, crise dos 40 anos, etc. Além disso, todas as pessoas têm a sensação de que de vez em quando elas estão em crise. Mas, o que vem a ser uma crise? De repente, a crise financeira mundial é o assunto do momento. Fica difícil entender todos os acontecimentos que se seguem quando não entendemos o começo.

    Por: ALAELSON CRUZ DOS SANTOSl Negócios> Pequenas Empresasl 24/09/2009 lAcessos: 578

    As micros e pequenas empresas, sendo boa parte empresas familiares, ocupam um espaço importante na economia brasileira, existindo, assim, de várias formas, ramo de atividade, padrões e competitividade. No entanto muitos empresários não estão preparados para essa competitividade.

    Por: Yuri Edmundol Negócios> Pequenas Empresasl 14/05/2013 lAcessos: 48

    O foco de estudo desta pesquisa remete a potencialidade das ações de geração de emprego e renda, as quais são desenvolvidas pela Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) do município de Barbalha/CE e oferecidas aos beneficiários do Programa Bolsa Família (BPF).

    Por: alinel Educação> Ensino Superiorl 07/05/2014 lAcessos: 58

    As franquias baratas serão destaque para o próximo ano de 2015 mais uma vez. Com o aumento gradativo da renda do brasileiro, a tendência é surgirem novos empreendedores aptos para esse segmento do franchising.

    Por: Marcos Oliveiral Negócios> Pequenas Empresasl 16/12/2014 lAcessos: 12

    A nanotecnologia consiste numa ciência que é dominada por desenvolvimento nas áreas da física e química, onde ocorrem fenómenos a nível molecular e atómico, que permitem atribuir propriedades únicas aos materiais. Os recentes desenvolvimentos da era nano, vieram contribuir para que existisse um maior envolvimento na construção de edifícios tendo em atenção questões ambientais e de sustentabilidade. No entanto, para o setor da construção civil atingir o seu potencial na contribuição de um desenv

    Por: Nanotekl Negócios> Pequenas Empresasl 04/12/2014

    Saiba como usar uma Derretedeira de chocolate, quais as facilidades para um comerciante e para uso visual.

    Por: Interupseol Negócios> Pequenas Empresasl 28/11/2014

    Moradores de apartamentos altos devem fazer instalação das telas de proteção, com a finalidade de se proteger e, principalmente, proteger sua família

    Por: Fernando Navarrol Negócios> Pequenas Empresasl 20/11/2014

    Quando chega o fatídico momento de desistir dos seus sonhos, pode estar diante da melhor oportunidade para recomeçar.

    Por: Toni Borierol Negócios> Pequenas Empresasl 18/11/2014
    Jenner R Camillo

    A comunicação transparente no mundo empresarial é tão importante quanto a transparência nas relações pessoais, pois é através desse gesto que transmitimos confiança e segurança em nossos relacionamentos de maneira ampla. Neste texto vamos falar mais um pouco sobre o tema: a importância da transparência na relação com os investidores. Acompanhe com a gente!

    Por: Jenner R Camillol Negócios> Pequenas Empresasl 13/11/2014
    Jenner R Camillo

    Nem sempre a venda de uma empresa ou negócio está relacionada a fatores negativos, como falência, briga entre sócios, problemas de saúde ou, simplesmente, a desistência do dono acerca do empreendimento. A venda, em questão, pode significar o extremo oposto, configurando-se como oportunidade única de crescimento dentro do mundo empresarial e maior rentabilidade no mercado, ou mesmo a possibilidade de capitalizar os anos investidos em um negócio respeitado e reconhecido.

    Por: Jenner R Camillol Negócios> Pequenas Empresasl 08/11/2014 lAcessos: 12

    Muitas pessoas que tenham o interesse em realizar a preparação de alimentos de uma forma comercial, podem acabar por ter interesse em utilizar uma cozinha industrial, no entanto, claro, para que isto aconteça, é necessário que se realize a preparação do ambiente, para que assim a cozinha possa acontecer de forma adequada, e claro, para que a preparação dos alimentos possa ser feita de uma forma considerada como profissional.

    Por: anamarial Negócios> Pequenas Empresasl 28/10/2014 lAcessos: 15
    Marco Batalha

    Dividas, gastos e mais gastos, são inúmeras as fontes para extrair de recursos financeiros de uma família, mas para entrar, geralmente uma ou duas fontes, ou seja o famoso salário, e quem sabe uma rendinha extra com uns "biquinhos". Como então equacionar de forma correta para sobrar algum "dimdim" no final do mês? Já que as receitas acabam sendo sempre as mesmas, o negócio é diminuir as despesas. Na maioria das vezes um bom controle dos gastos já é suficiente, vamos ver algumas dicas:

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 04/06/2012 lAcessos: 156
    Marco Batalha

    Estamos elaborando um trabalho de conclusão de curso -TCC - sobre controladoria nas MPEs e MEIs com o objetivo principal de se verificar a importância dos controles para a longevidades destas categorias de empresas. Assim, solicitamos que os empreendedores em geral respondam a este questionário.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 26/03/2012 lAcessos: 188
    Marco Batalha

    A educação financeira deveria ser uma matéria nos cursos escolares, para que os jovens adolesentes entrassem em contato com os conceitos básicos de administração e de contabilidade. Esta visão seria muito importante para que ao entrar na vida adulta e economicamente ativa estes jovens já tivessem conhecimentos sobre os mecanismos do emrcado financeiro, como jurios, prestações, despesas e receitas. Com certeza, teriam menores chances de estarem endividados e terem restrições de crédito no mercado

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 12/03/2012 lAcessos: 152
    Marco Batalha

    Micros e pequenos empresarios, ou ainda empreendedores individuais, para gerir seus negócios necessitam como todas as empresas de caixa, estoques, contas a receber e investimentos. O controle harmonioso desses fatos faz com que os recursos recebidos sejam suficientes para cobrir as obrigações à curto prazo e que haja sobre para novos investimentos. Administrar o capital de giro de uma empresa é exatamente saber captar os recursos.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 19/01/2012 lAcessos: 309
    Marco Batalha

    Desde o início dos tempos o homem vem, para sua sobrevivência e conforto, utilizando-se dos recursos naturais oferecidos pelo planeta terra. Ocorre que com a evolução, o progresso e o aumento das necessidades humanas, mais e mais recursos naturais passaram a ser consumidos. De início achava-se que os recursos eram inacabáveis, mas a partir da metade do século XX esse conceito mudou, surgindo a preocupação com o meio ambiente e sustentabilidade.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 10/01/2012 lAcessos: 353
    Marco Batalha

    Chegando o final de ano, presentes, festas e no início do próximo ano as despesas extras com IPVA, matrículas escolares, material escolar, entre outras. Como se preparar para não começar o ano no vermelho???

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 06/12/2011 lAcessos: 123
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast