Responsabilidade social empresarial e micro e pequenas empresas no brasil

Publicado em: 10/01/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 339 |

O SURGIMENTO DE UMA NOVA REALIDADE

O ser humano provoca uma série de mudanças no ambiente onde vive. Na pré-história, essas mudanças não tinham um impacto muito grande sobre o meio ambiente, pois a população da terra era pequena e a capacidade de alteração do ser humano era limitada tecnologicamente. A medida em que o tempo passou, a população aumentou e a capacidade tecnológica do ser humano se desenvolveu, permitindo assim, uma maior pressão sobre os recursos naturais.

Com a revolução industrial, as mudanças se aceleraram especialmente no que diz respeito ao consumo de recursos naturais, tanto como matéria-prima quanto como absorvente do subproduto dos processos industriais (lixo, esgoto, etc). 

A partir do século XX, devido a urbanização e melhoria nos padrões de vida e de consumo houve um estrondoso aumento na pressão sobre os recursos naturais.

Agora, já no século XXI, com a escassez dos recursos ambientais e a necessidade de crescimento econômicos das organizações, são lançadas questões socioambientais, movimentos e busca por recursos menos nocivos ao meio-ambiente.

A nova consciência ambiental surgia no bojo das transformações culturais que ocorreram na década de 60 e 70, ganhou dimensão e situou o meio ambiente como um dos princípios fundamentais do homem moderno.

Nos anos 80, os gastos com proteção ambiental começaram ser vistos, pelas empresas líderes, não primordialmente com custos, mas como investimentos no futuro e, paradoxalmente, como vantagem competitiva. (Tachizawa, 2010).

(Robles Jr, 2006), define Gestão Ambiental como " um conjunto de medidas e procedimentos definidos e adequadamente aplicados que visam a reduzir e controlar os impactos introduzidos por um empreendimento sobre o meio ambiente.

A expressão desenvolvimento sustentável é definida no relatório Brundtland como aquele que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades

Responsabilidade Social Empresarial consiste num conjunto de iniciativas por meio das quais as empresas buscam – voluntariamente – integrar considerações de natureza ética, social e ambiental às suas interações com clientes, colaboradores, fornecedores, concorrentes, acionistas, governos e comunidades - as chamadas "partes interessadas" - visando ao desenvolvimento de negócios sustentáveis. (CNI – disponível em www.cni.org.br)

 A Responsabilidade Social Empresarial e as Pequenas e Médias Empresas

 Para a maioria das empresas, especialmente as de pequeno e médio porte, a inclusão de demandas e expectativas desses novos valores no planejamento de suas atividades é algo que pode soar um pouco distante de suas atividades rotineiras.

Porém cada vez mais empresas, principalmente as de grande porte estão levando em consideração a escolha de seus fornecedores, critérios relacionados às condições de trabalho, ao cumprimento das leis e ao respeito ao meio ambiente.

Ainda, consta o chamado "consumo consciente", que expressa uma tendência segundo a qual os consumidores passam a selecionar marcas e produtos a partir da responsabilidade socioambiental das empresas. 

A RSE é boa para os negócios de empresas de qualquer porte, pois significa oportunidades para as empresas construírem diferenciais competitivos, reduzirem custos e aprimorarem seus níveis de eficiência e desempenho.

A RSE, por sua vez, é um conjunto de atividades e iniciativas de sentido estratégico, que têm como objetivo preparar as empresas para responder, de forma positiva, a um conjunto de questões com as quais elas estarão cada vez mais confrontadas.

 O que significa ser uma empresa Sustentável?

 A primeira e mais importante condição é que as empresas sejam rentáveis, caso contrário estarão condenadas ao desaparecimento. Esse é o primeiro passo, já que empresa que não dá lucro não pode ser sustentável.

A empresa deve ter ética em seus negócios, tanto com relação aos seus clientes externos ou fornecedores, como também com seus clientes internos, seus colaboradores e governo, como também a mensuração dos impactos de suas atividades ou atitudes junto ao meio ambiente. Ela deve buscar a ética e a transparência em seus negócios, o aprimoramento das relações com seus diferentes públicos, a qualidade de seus impactos sobre a sociedade e meio ambiente.

As empresas que buscam a sustentabilidade em seus processos, produtos e relacionamentos tendem a conquistar a fidelizar seu consumidor.

C.M.V. (Comissão de Valores Mobiliários) tem proposto uma série de pontos sobre Governança Corporativa, incluindo a proposta de obrigatoriedade de divulgação do balanço social para empresas com faturamento anual acima de R$ 150 milhões.

Os consumidores tendem a atribuir um valor importante a produtos e serviços que apóiem determinadas ações sociais ou ambientais, contribuindo por um mundo melhor;

Uma empresa socialmente responsável tende a remuneram melhor seus colaboradores, além da redução dos custos na produção, já que estão sempre em busca de novas soluções e tecnologias para a redução dos custos. Por fim e não menos importante, uma empresa que buscar a responsabilidade social tem maiores condições de competir no mercado externo, especialmente com relação a países mais desenvolvidos, em que essa questão tem um peso maior nas negociações.

 UM ROTEIRO BÁSICO PARA A SUSTENTABILIDADE.

 Segundo A CNI, um roteiro básico pelo qual as organizações poderão identificar aspectos importantes a serem priorizados em suas diferentes interações.

         Qualidade de Vida – como as ações da empresa afetam a qualidade da vida das pessoas dentro da própria empresa;

  • Mercado – como as ações da empresa afetam o mercado, ou, de forma mais concreta, como afetam a qualidade de vida de seus clientes, consumidores, fornecedores, parceiros, e, mesmo, concorrentes;
  • Observância das leis – qual o impacto das ações da empresa sobre a sociedade, isto é, sobre as comunidades dentro das quais ela opera. A empresa deve estar preparada para o diálogo com as diferentes organizações que representam interesses dentro dessas comunidades, buscando conhecer suas necessidades e expectativas, também é fundamental o estabelecimento de relações sustentáveis como os vários níveis e governo e com suas diferentes agências;
  • Meio Ambiente – deve refletir sobre a qualidade de suas interações com o meio ambiente, que é o espaço onde se desenvolve a vida.

 Analisando a pesquisa efetuada pela CNI-IBOPE, em dezembro de 2010. Retrato da sociedade brasileira: meio ambiente, percebe-se que 80% da população brasileira têm algum tipo de preocupação com o meio ambiente, sendo o desmatamento e o aquecimento global as questões mais importantes para os pesquisados.

47% dos entrevistados acredita que é possível conciliar proteção ambiental e crescimento econômico, como também 40% da população percebeu que no últimos anos as ações realizadas pelo governo, empresas e pessoas em prol da preservação do meio ambiente cresceu.

51% dos entrevistados aceitaria pagar mais por produtos ecologicamente corretos, mas apenas 11% optam por esse tipo de produto na hora da compra.

A pesquisa CNI/IBOPE revela ainda que quase metade dos entrevistados (47%) acredita que é possível crescimento econômico com proteção ao meio ambiente, enquanto 30% defendem fortemente o meio ambiente.

As novas tecnologias estão proporcionando o surgimento das chamadas organizações virtuais, entendidas como as que têm uma grande parcela de seus funcionários trabalhando fora das instalações físicas da organização, interligando-se por sistemas de informação (teletrabalho).

O teletrabalho deve proporcionar uma melhor qualidade de vida para o profissional, à medida que ele poderá escolher seu ambiente de trabalho. Do lado da organização, tem-se a minimização de riscos e das questões ambientais e a melhoria de performance no espaço da responsabilidade pública e cidadania (Tachizawa, 2010).

 " Responsabilidade Socioambiental é o exercício da ética e da cidadania com respeito a todas as formas de vida. Responsabilidade Socioambiental Corporativa é a atuação cidadã da empresa, que não pode ser confundida com ação social ou filantropia. É a incorporação dos conceitos de Responsabilidade Socioambiental em toda a sua gestão, visando a melhoria de condição de trabalho e vida de seus funcionários, a competitividade, o crescimento, o lucro, enfim, a sustentabilidade." (Eliane Belfort, disponível em: www.fiesp.com.br/comite/cores/resp_social.aspx).

 Em função das características básicas e das estratégias genéricas próprias das organizações pertencentes ao setor altamente concentrado, podem delinear estratégias de gesto e de responsabilidade social, conforme descritas a seguir:

 reciclagem de sucatas, resíduos e refugos;

  • expansão dos investimentos em controle ambiental;
  • Projetos sociais em meio ambiente;
  • Projetos sociais em educação, saúde e cultura;
  • Projetos sociais em voluntariado

IMAGEM AMBIENTAL DA EMPRESA PARA FINS DE MARKETING

 O posicionamento da marca, usado como diferencial de comunicação estabelece um lugar forte na mente dos consumidores, envolve aspectos emocionais ligados a produtos e serviços. A marca líder na mente dos consumidores desfruta de mais negócios, se comparada à segunda marca líder e assim por diante. Pode-se constatar que há várias formas de se criar vantagens competitivas, e uma marca forte é aquela que consegue ser reconhecida e identificada por sua identidade, sua essência e seus valores. (Oliveira, 2008).

Segundo (Oliveira, 2008) Balanço social, Relatório de Sustentabilidade Empresarial, Balanço Social Corporativo, Relatório Social e Relatório Socioambiental são alguns dos nomes utilizados pelas empresas, especialistas e acadêmicos para designar o material informativo sobre a situação da empresa em relação a questões sociais e ambientais. Essas publicações vêm se tornando cada vez mais populares, no Brasil e exterior, para divulgar as informações principalmente aos acionistas e outros stakeholders. Os balanços devem conter informações qualitativas e quantitativas sobre como a empresa está desempenhando sua função social e ambiental na sociedade.

O balanço social é um demonstrativo publicado anualmente pela empresa reunindo um conjunto de informações sobre os projetos, benefícios e ações sociais dirigidas aos empregados, investidores, analistas de mercado, acionistas e à comunidade. É também um instrumento estratégico para avaliar e multiplicar o exercício da responsabilidade social corporativa.

No Brasil, o tema começou a ser discutido em meados do ano de 1997 quando a partir de uma campanha comandada pelo IBASE, sob a presidência do então sociólogo Herbert de Souza, o Betinho iniciou as discussões sobre o tema, que até o momento sempre encontrava empecilhos como desconhecimento do assunto, falta de interesse e inadequação de informações. (www.balancosocial.org.br)

O modelo IBASE, foi o primeiro a ser padronizado com informações socioambientais para públicos externos. Este modelo tem sido desenvolvido em parceria com empresas públicas e privadas, conforme anexo A.

Neste modelo a empresa tem de preencher dados em relação aos indicadores internos e externos. Os dados são apresentados em relação a indicadores econômicos da empresa como receita líquida e resultado operacional. A grande vantagem do modelo IBASE é a sua simplicidade. Com informações diretas, é relativamente fácil para empresas, mesmo as pequenas, reportarem os dados e criarem uma estrutura para fazê-lo anualmente. Ao mesmo tempo, facilita o acesso à interpretação dos dados pelos diferentes stakeholders. Não necessita formação técnica para entender o balanço IBASE. Ele serve para qualquer empresa, em qualquer setor e de todos os tamanhos, e também tem a vantagem de poder se comparar rapidamente a evolução ao longo do tempo. (Oliveira, 2008)

Importância e desafio para pequenas e médias empresas

As dificuldades associadas à implantação das normas ISO 14000 para empresas de pequeno e médio porte, em geral, estão relacionadas a uma crença difundida de que empresas de pequeno e médio porte apresentam impacto ambiental reduzido. Isso pode, evidentemente, ser considerado verdadeiro quando se compara o impacto ambiental isolado de uma empresa deste porte com uma empresa de grande porte. O maior problema relacionado aos impactos ambientais de empresas com esse perfil ocorre devido ao efeito acumulativo por serem mais numerosas. Enquanto o impacto ambiental de empresas de grande porte é compreendido, o de pequenas ainda é desconhecido e pouco estudado. (Seiffert, 2010).

Micros e pequenas empresas tendem a analisar os impactos ambientais que causam individualmente, informando que este impacto é insignificante, porém, o que deve ser analisado é o montante impactado quando se verifica a ação contra o meio ambiente causada por uma séries de empresas pequenas. Podemos citar por exemplo: uma loja de comércio, no centro de uma cidade, sozinha, no final do dia se verifica na frente da loja algumas poucas caixas de papelão, que foram utilizadas no seus serviços daquele dia, individualmente este impacto é imperceptível, todavia, na mesma rua, ou centro comercial, somam-se todas as pequenas lojas com suas poucas caixas de papelão e já se é necessário um caminhão de lixo para limpar este espaço.

O que ocorre que na maioria das cidades, não existe um planejamento voltado para este impacto e o lixo, se não for recolhido por catadores avulsos, serão, com certeza, encaminhados ao lixo comum, material este que poderia ser reciclado.

Fontes de pesquisa:

Livro "gestão ambiental e responsabilidade social corporativa"

autor takeshy  tachizawa, 6 edição, 2010 – atlas – são Paulo.

Livro " Empresas na Sociedade – Sustentabilidade e Responsabilidade Social"

Autor – José Antonio Puppim de Oliveira - Ed. Campus – Rio de Janeiro – 2008.

Livro  "ISSO 14001 Sistema de Gestão Ambiental, Implantação objetiva e econômica"

Autor Mari Elizabete Bernardini Seiffert - Ed. Atlas, São Paulo, 2010 – 3º Ed.

www.varejosustentavel.com.br, acessado em 20 de abril de 2011.

www.cni.org.br, acessado em 28 de setembro de 2011.

Responsabilidade Social Empresarial/CNI: 2006, disponível em www.cni.org.br

http://www.fiesp.com.br/comite/cores/resp_social.aspx,

http://www.balancosocial.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/pequenas-empresas-artigos/responsabilidade-social-empresarial-e-micro-e-pequenas-empresas-no-brasil-5560067.html

    Palavras-chave do artigo:

    sustentabilidade

    ,

    responsabilidade social empresarial

    ,

    rse

    Comentar sobre o artigo

    Gerisval Alves Pessoa

    Aborda o conceito de responsabilidade social empresarial (RSE) diante do contexto ético e responsável. Enfoca a importância de coerência entre ação e discurso, enfatizando a sua prática nas organizações. Descreve o conceito atual da responsabilidade social empresarial e o papel das organizações diante de um cenário no qual a sociedade exige cada vez mais que as organizações exerçam seu papel social de forma ética e transparente.

    Por: Gerisval Alves Pessoal Negócios> Gestãol 27/07/2010 lAcessos: 1,049

    Este artigo discute aspectos relacionados ao surgimento da Responsabilidade Social Empresarial no Brasil e busca mostrar através de um estudo de caso que, quando as empresas estabelecem uma interação com as comunidades onde atuam, abrem-se possibilidades de melhorar a política de responsabilidade social por meio de projetos que venham atender demandas sociais das comunidades.

    Por: Sidney Diasl Negócios> Administraçãol 24/07/2012 lAcessos: 448

    Atualmente, para ser considerada socialmente responsável uma empresa deve antes de tudo ser a primeira colaboradora para o desenvolvimento social, para a preservação ambiental e para a melhoria da qualidade de vida das comunidades onde está inserida. No presente artigo, através de métodos exploratórios e pesquisa bibliográfica serão descritas algumas ações desenvolvidas pela empresa Natura do Brasil no sentido de responsabilidade social e ambiental.

    Por: Daniella Patrícia Ezequiell Negócios> Pequenas Empresasl 25/11/2011 lAcessos: 902
    beatriz diniz

    Embasamos este texto nos dados da série histórica do IPEA sobre o comportamento das empresas na área social, registrados no período de 1999 a 2001 e de 2004 a 2005, com o objetivo de analisar as ações que as empresas no Brasil estão priorizando dentro do contexto da responsabilidade socioambiental. Para essa análise, consideramos a demagogia filantrópica; as estratégias empresariais; os desdobramentos sociais; e a imagem da empresa junto às comunidades atendidas.

    Por: beatriz dinizl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 29/08/2009 lAcessos: 398

    O papel das Micro e Pequenas Empresas se tornam de extrema essencialidade, uma vez que tendo em vista a sua grande numerosidade no ambiente interno do pais, essas representam a maior parte da comunidade empresarial, o que de fato contribui para o bem estar econômico na medida em que essas produzem a maior parte do total dos bens e serviços consumidos no pais, e nesse cenário essas empresas fazem uso da contabilidade gerencial, pois essas necessitam de um instrumento eficaz que possibilite

    Por: cleciol Educação> Ensino Superiorl 16/11/2011 lAcessos: 2,012
    Julianna Antunes

    A falta de conhecimento na área, mesmo em empresas que dizem praticar a sustentabilidade, provocando erros de entendimento.

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 29/06/2010 lAcessos: 237
    Julianna Antunes

    A sustentabilidade além do básico. A mudança de postura e a mentalidade oriendada para a sustentabilidade no planejamento estratégico das empresas

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 25/05/2010 lAcessos: 831
    Julianna Antunes

    A sustentabilidade no mercado financeiro. As ferramentas, as ações e o que vem sendo feito na área.

    Por: Julianna Antunesl Negóciosl 25/05/2010 lAcessos: 661
    Julianna Antunes

    A dificuldade das pessoas em dissociar o produto fabricado por uma empresa e seus processos sustentáveis.

    Por: Julianna Antunesl Negócios> Administraçãol 15/09/2009 lAcessos: 96
    michelly bonifacio

    Uma pesquisa recente da GI Insights descobriu que quase 100% dos consumidores inscrevem-se em pelo menos um programa de fidelização e metade destes não participam de nenhum dos programas em que está inscrito. Saiba porque, então, pesquisa aponta que este é o momento para fazer balanço de como aplicar um programa de fidelidade e definir metas para engajar clientes.

    Por: michelly bonifaciol Negócios> Pequenas Empresasl 13/10/2014

    Apesar de não ser tão conhecido, o protetor de corda é um dos equipamentos opcionais mais úteis quando se trata de segurança do trabalho. Pelo menos para aumentar a vida útil da corda e diminuir o custo na substituição da mesma.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Pequenas Empresasl 08/10/2014

    Muitas empresas procuram por fabricantes de capachos personalizados para desenvolver um tapete com seu logo ou determinada mensagem que será assimilada por seus consumidores. É muito comum ver estabelecimentos com seus capachos posicionados em frente à entrada.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Pequenas Empresasl 07/10/2014

    Sistemas modulares MB é a solução para todos os trabalhos de construção em engenharia e engenharia mecânica. Suas aplicações vão desde uma simples moldura para a linha de produção totalmente automatizada.

    Por: podestavalerial Negócios> Pequenas Empresasl 07/10/2014

    Algumas pessoas podem acabar por acreditar que uma cozinha acabaria por ser considerado como algo ideal apenas para restaurantes, no entanto claro que não é bem assim que funciona.

    Por: anamarial Negócios> Pequenas Empresasl 30/09/2014
    Marcos Eleveen

    Entenda o que são transformadores e, como eles tem influência no processo de transformação de energia

    Por: Marcos Eleveenl Negócios> Pequenas Empresasl 25/09/2014
    Elisângela da Silva Pereira

    Em um cenário de economia estagnada, em que o grau de endividamento nos últimos meses vem só aumentando, fatores que podem afetar o desenvolvimento das microempresas, pois influenciam negativamente no volume das vendas e consequentemente diminui a rentabilidade e lucratividade dos negócios. Fazer sua empresa crescer em meio a todo este cenário é um desafio muito grande.

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Pequenas Empresasl 22/09/2014

    Dentro da indústria de Equipamentos de Proteção Individual, alguns empregadores e trabalhadores têm sido displicentes em relação ao uso do Trava Quedas. É importante ressaltar que este protetor é fundamental para garantir a segurança do indivíduo, sendo que suas instruções devem ser seguidas a risca para que todo o cenário esteja controlado.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Pequenas Empresasl 18/09/2014 lAcessos: 22
    Marco Batalha

    Dividas, gastos e mais gastos, são inúmeras as fontes para extrair de recursos financeiros de uma família, mas para entrar, geralmente uma ou duas fontes, ou seja o famoso salário, e quem sabe uma rendinha extra com uns "biquinhos". Como então equacionar de forma correta para sobrar algum "dimdim" no final do mês? Já que as receitas acabam sendo sempre as mesmas, o negócio é diminuir as despesas. Na maioria das vezes um bom controle dos gastos já é suficiente, vamos ver algumas dicas:

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 04/06/2012 lAcessos: 151
    Marco Batalha

    Estamos elaborando um trabalho de conclusão de curso -TCC - sobre controladoria nas MPEs e MEIs com o objetivo principal de se verificar a importância dos controles para a longevidades destas categorias de empresas. Assim, solicitamos que os empreendedores em geral respondam a este questionário.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 26/03/2012 lAcessos: 182
    Marco Batalha

    A educação financeira deveria ser uma matéria nos cursos escolares, para que os jovens adolesentes entrassem em contato com os conceitos básicos de administração e de contabilidade. Esta visão seria muito importante para que ao entrar na vida adulta e economicamente ativa estes jovens já tivessem conhecimentos sobre os mecanismos do emrcado financeiro, como jurios, prestações, despesas e receitas. Com certeza, teriam menores chances de estarem endividados e terem restrições de crédito no mercado

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 12/03/2012 lAcessos: 144
    Marco Batalha

    Micros e pequenos empresarios, ou ainda empreendedores individuais, para gerir seus negócios necessitam como todas as empresas de caixa, estoques, contas a receber e investimentos. O controle harmonioso desses fatos faz com que os recursos recebidos sejam suficientes para cobrir as obrigações à curto prazo e que haja sobre para novos investimentos. Administrar o capital de giro de uma empresa é exatamente saber captar os recursos.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 19/01/2012 lAcessos: 303
    Marco Batalha

    Micros e Pequenos empreendedores lançam mão de suas idéias e vontades na expectativa de montar seus próprios negócios, de deixarem de ser empregados e tornarem-se patrões. As idéias, por si só, muitas vezes não são substancialmente encorpadas para sustentarem as diversidades apresentadas no desenrolar das atividades produtivas da empresa. Não basta vender muito se seu controle interno não lhe garante um custo mais baixo, e muitas vezes as vendas são engolidas por gastos mau programados.

    Por: Marco Batalhal Negócios> Pequenas Empresasl 09/12/2011 lAcessos: 390
    Marco Batalha

    Chegando o final de ano, presentes, festas e no início do próximo ano as despesas extras com IPVA, matrículas escolares, material escolar, entre outras. Como se preparar para não começar o ano no vermelho???

    Por: Marco Batalhal Finanças> Finanças Pessoaisl 06/12/2011 lAcessos: 120
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast