Como É Bom, Amar E Ser Amado

23/12/2009 • Por • 1,852 Acessos



Como é bom, amar e ser amado.

Como é bom amar você, como é bom ser amado por você,
O amor sempre chega sem pedir licença, e nem tem hora certa.
Muitas vezes estamos carentes de um amor do sexo oposto,
Cruzamos por centenas, milhares de rostos,
e pessoas bonitas em que admiramos, mas, sem aquele brilho do amor.

Assim foi comigo, e tenho certeza que contigo também,
Você veio do céu, para entrar no meu coração,
E se estabelecer nele, para ficar e não mais querer sair.

Fez do meu coração sua morada, e ainda não satisfeita,
Floriu de rosas multicoloridas, no jardim que ali você construiu,
no meu coração. Quanta alegria você me trouxe minha querida.

Não me canso de lembrar como foi, meu primeiro contacto contigo.
Era três horas da madrugada, ali estava eu em frente de um computador,
curtindo uma solidão da alma, pois na verdade,
sou cercado de gente que me ama,

E derrepente vejo, entrar uma mensagem na minha caixa,
Pensei comigo, deve ser também, alguma pessoa carente,
Que se sente só, a procura de alguém para conversar.
E curioso foi eu abrir e o que vi, simplesmente um comentário,

Só que era um comentário, sobre um poema meu,
E o que mais me encantou, e onde tudo começou.
Em seguida entrei em contacto, com aquela pessoa, do outro lado,
Que também estava, usando a madrugada igual a mim.

O resto você sabe muito bem,
Conforme as mensagens fomos trocando, foi crescendo minha ansiedade,
De ter toda noite um contacto contigo, com quem lá estava do outro lado,
E que pedi permissão, para promovê-la, como minha nova musa,
Pois a cada comentário seu, mais me admirava você,

E um dia por acaso vi, seu rosto num site, e então vi uma foto,
Que me chamou atenção, calculei a idade da foto, mais ou menos,
Uns trintas e poucos anos, mas até aí tudo bem, pois eu também faço uso,

De exibir e fazer uso, das fotos de quando, era bem mais jovem.

Mas para minha surpresa, curiosamente fui olhar, sua biografia,
E vi que sua idade era apenas 36 anos. Confesso que nesta hora,
Fiquei até com vergonha de mim, pois já tinha pedido permissão a ti,
Para eu amar você, e tê-la como minha musa.

Quis me justificar contigo, mas não fiz, apenas vi que o que eu estava sentindo,
era amor por ti, e não seria então, uma paixão de poeta.

A cada dia que passava, mais e mais, apaixonado por ti eu ficava,
Pois a cada comentário teu a admiração por ti crescia mais.
E me lembro também, que você comentava,
Que estava ficando perigoso, este jogo de amor proibido.

Falava-me de ficar machucado, e que você estava ficando contaminada,
com as minhas poesias, que era endereçado a ti,
Foi num belo dia, que você chegou a dizer, que também estava me amando,
E que queria ser, a minha amada de verdade.

Confesso que com aquela notícia sua, eu quase tive um treco,
Pois meu coração passou, a bater 200 por hora,
Achei que estivesse sonhando, fui no banheiro, e no rosto água joguei,
Para a certeza eu ter, que não estava sonhando, voltei e li outra vez,
E assim li e reli, uma porção de vazes, aquela mensagem,
que só trouxe pra mim, à vontade de viver.

Fique naquela, será que essa mulher, esta só brincando comigo?
Afinal entre nós, é muita diferença de idade, foi quando disse para você,
Que não via possibilidade, de um futuro para mim e nem pra você.
Em dizer que estava enamorada de mim.

E o resto você sabe, veio então aqueles romances, que fizemos aquelas noites,
Foi com certeza, um amor que jamais vou esquecer, e com isso no mês que vem,
Quatorze de fevereiro, vai fazer um aninho, que nosso amor começou,
Com aquele comentário seu, no meu poema SUAVE AMOR.

Autor Rômulo José Ferraz

Perfil do Autor

Romulo José Ferraz

Eu, Romulo José Ferraz, brasileiro, casado, nacido aos 06 de outubro de 1941 na Cidade de Cachoeiras de Minas-MG, atualmente estabelecido em Cuiabá-MT, sou engenheiro agrimensor e ainda exerço a profissão, sou também poeta mas até agora não assumido, é um robi que tenho a muito tempo, escrever poesias, poemas e contos. gosto de músicas, prefiro as mais crássicas e antiga, pois sou mais a moda antiga.