Estátua e o Simbolismo de Camilo Pessanha

11/04/2011 • Por • 1,078 Acessos

Estátua de Camilo Pessanha  representa muito bem o Simbolismo, pois  coloca a introspecção do "eu" lírico através de uma linguagem sugestiva e subjetiva  ao longo de seus versos. Começamos pelo título " Estátua" que o poeta ao  invés de expor a palavra exata(mulher ou ser amado) ,prefere usar uma imagem para sugerir, incitar o leitor a vislumbrar essas imagens e decifrar quem é essa estátua. O escritor consegue  tornar o poema  emocional , ardente , ao mesmo tempo que transforma seus versos em uma poesia triste e desiludida .Como seu próprio coração fosse esmiuçado ou diluído a cada estrofe.

 

E o meu ósculo ardente, alucinado,

Esfriou sobre o mármore correcto

Desse entreaberto lábio gelado...

Outra característica simbolista encontrada em "Estátua" é  a desilusão : "Cansei-me de tentar o teu segredo", O meu olhar quebrei, a debatê-lo. O poeta enfoca um sentimento não correspondido, um amor platônico, por isso há uma angústia  e uma certa exaustão por tantas tentativas inócuas.

Temos ainda, um apelo aos estímulos sensoriais feito ao leitor através da sinestesia: "No teu olhar sem cor, --- frio escalpelo" . Esse recurso é usado para invocar o sentido da visão e assim despertar, sugerir o tratamento hostil dado ao "eu" lírico. Podemos encontrar nos versos seguintes uma extrema perturbação que demonstra o estado de transe o qual se encontra o poeta. Há também uma escolha por palavras que transmitem certa  nebulosidade  e transcendentalismo.Se não vejamos:

Segredo dessa alma e meu degredo

E minha obsessão! Para bebê-lo

Fui teu lábio oscular, num pesadelo,

Por noites de pavor, cheio de medo.

Outro aspecto simbolista que podemos identificar em " Estátua" é a preocupação formal que se revela na busca de palavras de grande valor conotativo e vocabular.Dessa forma, temos oscular no lugar de beijar, pélago, onda na crista, degredo. Quanto a forma, podemos notar ainda que o poema apresenta em seus versos a assonância e aliteração, pois ocorre uma semelhança nos sons : segredo,escalpelo,debatê-lo,rochedo/Severo , Sereno.

Em resumo, Camilo Pessanha consegue expressar no poema aqui analisado traços do Simbolismo português, pois expõe a dimensão transcendental do homem , evocando sentimentos e emoções numa linguagem sugestiva, desprezando assim , a palavra exata e objetiva.

 

Referências:

http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/VdS/v144.txt. Acesso em 03/04/10

Sarmento, Leila Lauar.Português: literatura, gramática, produção de texto: volume único.São Paulo:Moderna,2004.

 

 

Perfil do Autor

ERINEUDA DO AMARAL SOARES

Erineuda do Amaral Soares- Pedagoga (UVA) Cursando Letras/Português (UFC)