Hoje Eu Decidi Sorrir

Publicado em: 02/11/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 706 |

Memórias de Poetas Desconhecidos

Hoje resolvi sorrir!

Falei bom dia para meu filho

Beijei a face de minha esposa

Acariciei meu cão amigo

Disse tchau para minhas plantas

Acenei para o vizinho

Mudei a estação do rádio

Encontrei uma música gostosa

E a ouvi, palavra por palavra

Viajei na sua história...

Não buzinei quando me fecharam

Não reclamei dos semáforos vermelhos

Comprei balas do menino da esquina

Pedi a Deus por aquele pedinte

Liguei para meus amigos

Matei a saudade de meus pais

E continuei meu caminho

Que dia lindo!

Parei no orfanato

Brinquei com as crianças

Contei histórias quase esquecidas

Joguei bola

Fui visitar um asilo

Li poesias

Sorri e provoquei risos

Voltei morrendo de saudades para minha casa

Encontrei meus anjos à minha espera

Ainda tinha fôlego para o vídeo game com meu filho

Ajudei a preparar o jantar

Caminhei com o meu cão em seu roteiro preferido

Tomei meu banho e abracei minha família

Disse-lhes o quanto eu os amava e a mesma coisa ouvi.

Deitei-me e agradeci a Deus

Hoje eu fiz tudo diferente

E sinto que renasci

HOJE EU POSSO TUDO!

Hoje posso tudo!

Soltei as amarras, corri para a chuva.

Rolei-me na lama, gritei, ri alto.

Não me importei!

Corri, parei, andei, voltei, continuei, passei de novo e de novo passei.

Estou livre!

Desista, não insista, apenas reflita.

Nada mais pode fazer!

Sou livre!

Não vai mais me prender.

Como o mundo é lindo!

Quanto tempo perdido!

Corra você também, solte-se, liberte-se.

Venha pra chuva.

Você também pode.

E não se importe se não mais te reconhecerem.

Mude, renasça, cresça, viva e reviva.

Dê um viva para a vida.

Aprenda a viver.

Não, não chore!

Não estou louco, observe um pouco como o meu sorriso mudou.

Veja o meu semblante, não é mais como antes, estou feliz.

Veja quantos lugares eu ainda tenho que ir conhecer.

Quantas pessoas, quantos amores, quantos sonhos, quanta vida!

Ah minha vida!

Como pude deixar de vivê-la?

Insisto, corra você também.

Não volte para o casulo, você já tem asas e só não sabe voar.

Eu te ensino, acabei de aprender.

Mude o seu destino, não corra com medo da chuva.

Venha!

Não terá outra chance, é agora ou nunca.

Entenda!

Não volto mais, estou livre para a vida.

Memórias de Poetas Desconhecidos

AGORA É O NOSSO TEMPO

Entrego-me em teus braços.

Fecho os olhos, jogo fora o medo, vou contigo...

Para onde este amor nos levar.

Sei das conseqüências, conheço as circunstâncias.

Conheço as perdas, mas também os ganhos.

Vamos, na primeira nuvem que passar...

Deixe que o vento nos leve...

Não tenho pressa e nem me interessa onde parar.

Quero estar contigo, viver contigo sem os conflitos...

Sem os gritos aflitos daqueles que querem nos aprisionar.

Vamos!

Não devemos nada, já pagamos o preço.

Deixamos parte de nossas vidas, jogamos fora o tempo.

Agora é o nosso tempo!

Vamos pra outro lugar.

Não ouça mais ninguém, nada lhes convém, deixa tudo o que tem.

Traga só o amor!

Vamos recomeçar!

Não importa a hora, não é tarde nem é cedo, é o momento.

Não podemos deixá-lo passar!

Não temo o futuro, acabou o passado e é nosso o presente,

Você é o meu presente!

Nunca parta sem mim, nunca me diga adeus,

Jamais queira Deus separar você de mim.

Vamos, abriu a porta da felicidade e nela só se entra de mãos dadas.

Dê-me sua mão, siga comigo,

E vamos viver juntos por todo o tempo que ainda nos restar

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/poesia-artigos/hoje-eu-decidi-sorrir-1411989.html

    Palavras-chave do artigo:

    hoje eu decidi sorrir

    Comentar sobre o artigo

    Fabio Haubert

    Numa visita a seus pais Denise comenta sobre um dos segredos mais bem guardados da Dimensão Turismo. A Jornalista Rita sua irmã gêmea usará sua semelhança com ela para entrar no local e fazer uma reportagem sobre o que tem lá.

    Por: Fabio Haubertl Literatura> Ficçãol 14/09/2014 lAcessos: 12
    Soélis Sanches

    Decidi que a partir de hoje vou apenas “pensar” na minha vida.

    Por: Soélis Sanchesl Literatural 26/09/2009 lAcessos: 141
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O mundo poderia. Não ter significado. Já que o entendimento. É apenas a representação. De uma razão alienada. Então o mundo poderia. Ser o antimundo. O que seria o universo. A negação do antimundo. O eterno vazio. Tendo como definição o vácuo. A única realidade a ausência. Necessariamente descabida. Escura e infinita.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 13/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Certa vez disse Nietzsche. Os homens fracos. De caráter deformado. Estabelece entre si. A lógica de uma ética. Plebeia. Legitimando o domínio. Sobre si. Como explorados.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 06/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Poema sem proposição. Escrevi esse poema. Sem ritmo. Sem proposição. Sem significados. Um poema sem nada. Igual ao vento voando no universo. Azul da cor do espaço da nossa galáxia. Um poema fácil de entender. Não tive nem mesmo que inventar as palavras.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 06/12/2014
    Jeferson Lopes Ribeiro

    É um texto dissertativo-argumentativo, sobre o amor. Onde os fatos são bem coesentes e tem coerência.

    Por: Jeferson Lopes Ribeirol Literatura> Poesial 03/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não existe Caminho. Muito menos pedras. Não existindo, portanto. O meio do caminho. O que existe de fato. Sempre. São Montanhas. Enormes e intransponíveis.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 02/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Recordo-me daquela tarde. Que andava. Tentava entender os sinais. Indeléveis. A magnitude da inquietude. Cada trilho. Tinha uma significação própria. O sol era brando e amarelava. Antes do escurecer.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 01/12/2014
    T. S. Frank

    Poema sobre Chernobyl e suas consequências na vida de todos que tiveram que vivenciar o inferno daquele dia em que a usina colapsou. Em 26 de abril de 1986 ocorreu o acidente nuclear. Um reator da central teve problemas técnicos e liberou uma nuvem radioativa contaminando pessoas, animais e o meio ambiente de uma vasta extensão de terras.

    Por: T. S. Frankl Literatura> Poesial 30/11/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A vida passando. O tempo. O silencio e o encantamento. A vida teve. O que tinha que existir. Algumas coisas boas. Uma delas a contemplação da inexistência. O saber do insignificado das coisas. A falta de finalidade. A verdade uma convencionalidade cultural.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 28/11/2014

    Quado nao estiver mais histórias para contar aos seus filhos antes de irem dormir, conte essa. Esse ato fará com que jamais esqueçam desses momentos magicos e unicos na vida deles.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatura> Ficçãol 02/11/2009 lAcessos: 1,213

    O mundo vem sofrendo uma revoluçao e alterando rapidamente o nosso modo de modo de viver. Novas tecnologias surgindo a cada dia e quando nos lembramos do ontem, percebemos o quando progredimos, mas ao mesmo tempo, bate uma saudade das coisas simples que não existem mais.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatura> Crônicasl 02/11/2009 lAcessos: 447

    Uma de muitas histõrias que eu ouvi morando no Amazonas

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatural 02/11/2009 lAcessos: 284

    Muito do que somos hoje aprendemos em nossa infância. Algumas experiencias vividas na fase da inocência nos traz ensinamentos para a vida inteira. Essa é uma das muitas liçôes que eu tive em minha vida.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatura> Crônicasl 02/11/2009 lAcessos: 208

    Existem cenas muito engraçadas em nosso dia a dia e estou retratando duas ocorridas a algum tempo, porém utilizando nomes e locais fictícios para não ferir ninguem.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatural 23/10/2009 lAcessos: 95 lComentário: 1

    Muitas vezes cometemos erros durante quase toda a vida sem nos dar conta de como isso pode interferir na vida de outras pessoas. Quando esse erro atinge nossos filhos, aí então ao vemos o quanto fomos egoístas e faríamos de tudo para voltar atrás.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatural 23/10/2009 lAcessos: 191 lComentário: 1

    O ser humano tem enraizado em si o erro de pré-conceituar as pessoas pelo que elas vestem, possuem, crêm, se manifestam etc. Muitas vezes perdemos lições valiosas por nos distanciar de pessoas cuja primeira imagem nos cause arrepio.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatural 23/10/2009 lAcessos: 87

    Quando amamos, antes de tomar qualquer decisão por alguma coisa que a outra pessoa nso tenha feito e que, para o nosso intimo possa parecer o fim, precisamos dar uma outra chance para o amor continuar vivo.

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatura> Poesial 23/10/2009 lAcessos: 261

    Comments on this article

    0
    Nonato Andrade 05/11/2009
    Este é o grande Anderson de sempre! Parabéns pelos belos textos. Um forte abraço de seu amigo.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast