O Encantamento

Publicado em: 13/06/2013 |Comentário: 0 | Acessos: 25 |

Um grande segredo.

Um grande segredo.

Um segredo.

Existe uma razão.

Para descrevê-lo.

Metaforicamente.

A vossa heteronomia.

Aponfântica.

A luz do vosso encanto.

Heuristicamente.

A sua sabedoria psicogenética.

Não tem como ser indiferente.

 Mas entre os sonhos.

O único desejo.

A sabedoria heterológica.

O grandevo sapiêntico.

Ninguém igual.

Tudo perfeito.

Como se fosse resenhada.

 Pela historiografia.

 Transcrita.

 Por mentalidades.

Geniais.

Mas entendida perfeitamente.

Como determina a vossa racionalidade.

A grandiloquência da sua linguagem.

Epagógica.

Gostaria de conseguir a realização.

Das representações.

Indescritíveis.

Nunca antes entendida.

 Indubitavelmente.

O seu silêncio.

Sendo a vossa razão.

O efeito da causa.

É muito difícil.

Porque as palavras não são.

Pronunciadas.

O inconcusso procedimento.

Mas o que quero dizer.

Você não pode entender.

Se entendesse tremeria.

De emoção.

Incontida ao vosso desejo.

Latíbulo a sensibilidade.

Não sei como fazer entender.

Gostaria que percebesse.

 Lauto a grandiosidade.

Um olhar primário.

Imperscrutável a sua sabedoria.

Iminente.

Poderia ser.

Tudo que seria possível.

Implexo ao sonho.

Entretanto ínclito a possibilidade.

Gostaria que recebesse  um aviso.

Do infinito proposto.

A serenidade da vossa fonte.

A inalienabilidade do vosso espírito.

Sem a vossa serapicidade.

Sinto o exício da perda.

Ainda não adquirida.

Se pudesse compraria.

Como seiva da sabedoria.

Sinais dados indelevelmente.

 A sobejidão escalonada.

A taxologia terapêutica.

Do vosso encantamento.

As palavras não são suficientes.

Nem mesmo as significações.

Certo tautocronismo exuberante.

Espero que perceba.

É o que necessita as fantasias.

Dos sonhos.

Edjar Dias de Vasconcelos

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/poesia-artigos/o-encantamento-6637853.html

    Palavras-chave do artigo:

    poesia critica

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    Pergunto-te com singeleza. A intuição de um contra poeta. Nunca guardou rebanho? Quando sua poesia é palaciana. Admiro-te pela existencialidade. Até mesmo pela a coragem. Mas nunca contestou o mundo. Das fabulosas antas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 05/09/2013 lAcessos: 35
    Pedro Melo

    O Modernismo sepultou a poesia de forma fixa? Não somente autores de renome continuaram a escrever poemas de forma fixa, como as formas fixas sobreviveram e ainda agradam a muitos leitores. Este artigo analisa brevemente o cultivo de um poema de forma fixa em particular, a trova, e sua presença nas letras brasileiras.

    Por: Pedro Melol Literatura> Poesial 30/01/2011 lAcessos: 156

    A poesia parnasiana mostrou-se como uma vertente dos ideais realistas, opondo-se ao romantismo, pela sua subjetividade e egocentrismo. Ainda assim, alguns aspectos desta poesia objetiva e descritiva mostraram-se tão subjetivos quanto os da escola literária anterior, a qual buscavam romper. Neste trabalho observaremos algumas destas subjetividades na poesia parnasiana para que, talvez, em um futuro trabalho de maior extensão e profundidade, os conceitos sobre estas obras sejam repensados.

    Por: Vinícius Araújo de Oliveiral Literatural 04/04/2010 lAcessos: 1,303

    Este artigo trata-se da pluralidade e do hibridismo presentes na poesia de Paulo Lemisnki. Tamanha foi a pluralidade deste escritor, que conseguiu adensar em sua obra inspirações, temáticas, formas e fôrmas das mais diferentes culturas, períodos literários, etc. Neste artigo, debruço-me sobre a relação estreita mantida entre a poesia leminskiana e o concretismo.

    Por: Poliana Rodrigues de Carvalhol Literatura> Poesial 10/06/2011 lAcessos: 216
    charles de jesus da silva netto

    Eu disse... Poesia é Assim Mesmo Poesia é Assim Mesmo, para quem gosta de apreciar boa poesia...

    Por: charles de jesus da silva nettol Literatura> Poesial 11/07/2009 lAcessos: 388 lComentário: 1
    marcia jovelina de jesus

    Uma das vozes mais destacadas na poesia brasileira e o poeta que expressou a poesia negra com mais ousadia, fervor e arte foi o poeta baiano Antonio Frederico de Castro Alves que nasceu no em quatorze de março de 1847, na cidade que leva o seu nome, e faleceu no dia seis de julho de 1871, vitimado de tuberculose. Hoje 164 anos após sua morte, Castro Alves continua a despertar profunda admiração dos que apreciam a poesia, assim como críticos e estudiosos.

    Por: marcia jovelina de jesusl Literatura> Poesial 22/11/2011 lAcessos: 106
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Da natureza do tempo. Que te achas absurdo. Ridículo a noção dele. Enrola se publicamente. A lexicologia portuguesa. Em grotescos palácios. Ferindo vossos pés em tapetes. O vosso cérebro em etiquetas. Sem a humildade para reconhecer. O mesquinho silêncio do tempo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 08/09/2013 lAcessos: 11

    Em que relevo poderemos colocar, nas linhas que se seguem, a Poesia Épica – em especial Homero e sua Odisséia? Que valores nos são legados pelo legendário poeta e por que ainda se nos mostram tão fecundas suas fantásticas narrações? É possível, por assim dizer, em nossa modernidade, um diálogo com este poema – já que dele nos dista esta barreira indelével de mais de duas dezenas de séculos? É o que tentamos examinar neste artigo.

    Por: José Luiz Araujo Dorea Juniorl Literatura> Ficçãol 05/03/2010 lAcessos: 242

    A partir da obra de Platão é estabelecida certa perspectiva no pensamento grego, a qual Nietzsche denomina "socratismo estético". Nietzsche também argumenta que mesmo Eurípides fora bastante influenciado por Sócrates, de maneira que o deus Dionino presente em As bacantes seria de fato uma caricatura socrática. A partir deste ponto, discutimos o papel do feminino em Platão e em Eurípides.

    Por: José Luiz Araujo Dorea Juniorl Literatura> Poesial 08/03/2010 lAcessos: 325

    No presente artigo quero discutir o assunto. O homem a modernidade e a melancolia através de alguns poemas de Drummond. A experiência da modernidade envolve a mobilidade social que oferece um crescimento de oportunidades. Em função disso, o homem torna-se cidadão do mundo, porém, o homem passa a viver na solidão e melancolia.

    Por: Sandra Paiano da Silval Literatura> Poesial 24/02/2010 lAcessos: 851 lComentário: 3

    Teus olhos são lindos, brilhantes e chamativos de amor fecundo… Suas pálpebras tem algo incomum, pois são como duas conchas iluminadas, Encantam como ninguém, todavia, porém, contudo deixam um encanto profundo. A tua face emoldura uma bela senhora de beleza descomunal e de sutilezas diferenciadas. Olhos acesos, coloridos, embevecidos de amor que chamam a atenção do mundo…

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 22/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Un moment de joie. Par la suite. Provoque le plus de douleur. Pour celui qui était le produit de bonheur. Tristesse, désespoir et le découragement. Mais le moment éphémère semble sans fin. Shine particules de photons d'hydrogène. Les dieux ne comprennent pas le sens de l'idéologie. En ce qui concerne la nature spécifique du monde. Un cri de soulagement sourire sans fin dans ses yeux. Les cœurs tremblent d'émotion. Réalisation de charme de la contemplation indescriptible.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 14/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Agora que tenho os segredos. Guardados em minhas memórias. Posso contemplar as mais felizes intuições. Os mistérios dos mundos. Os delírios da imaginação. Os olhos fechados ao silêncio mais profundo. De todos os sonos. Agora que meus olhos poderão enxergar. Entender a interminável imensidão. A composição do vácuo indeterminado. Pela complexidade do infinito.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 07/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Je veux vous raconter une histoire. Mon cœur est fragile. Sensibilité complète. Enchantement. Émotions indescriptibles. Tout cela parce que votre sourire. Ce est comme une fleur. Pleine de pétales.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 06/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não sou ninguém. Nenhum deles. Dentro peito. O sinal da ilusão. De tantos Fernandos. Josés e bastiões. Um dia imaginei a pensar. Igual ao Pessoa. Talvez tivesse que negar Nietzsche. Feuerbach. O mundo representativo. De Schopenhauer.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 05/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Agora que entende os segredos. Das nossas memórias. La fora chove e faz a beleza das flores. Uma luz que acendeu a escuridão. Os sinais do caminho. O tempo nos conduziu. O destinação do coração que nos iluminou. Aos encantos das proposições. Ponderações indeléveis.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 04/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A vida é uma multidão perdida. Caminhando sem direção. Tentando efetivar o instinto. Da imaginação. Como se o céu fosse levianamente exposto. Por belas estrelas diante da claridade do sol. Sentindo o desejo lépido do movimento da Terra.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 03/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Tenho ainda o silêncio. Guardado no coração. Um olhar tão distante. Que machuca a ilusão. Recordo de suas significações. Do tempo magnífico. Dos olhares incompreensíveis. A inexorabilidade.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 30/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Em dezembro de 1922. Após a grande revolução Socialista Soviética. Comandada pelo exuberante intelectual Lenin. Foi organizado o Congresso Panrusso dos Sovietes. Com o seguinte objetivo. A fundação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. URSS.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 26/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Nunca transferi poder a ninguém. Portanto, toda forma de poder a meu respeito é ilegal. O que é verdadeiro a princípio. O poder fundamenta-se em fontes da ilegalidade. Pois o transferido não representa a vontade popular.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 26/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    De fato é algo magnífico, como o universo é infinito, nele mesmo encontram-se infindáveis planetas. Pensar em trilhões é muito pouco. O que mais encanta, toda essa beleza é obra do acaso, não existindo nenhuma razão ser. O universo é o mais profundo insignificado dele mesmo. Teve início pelo princípio do nada, ou seja, produção do próprio vácuo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 25/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A formação do povo grego resultou da miscigenação de quatro grandes povos indo europeus. Que são os Aqueus, Jônios, Eólios e Dórios. O território grego no período homérico sofreu sucessivas invasões do ano 2000 antes de Cristo, a 1200 da mesma era. Esses povos fundaram diversas cidades. Com efeito, a cultura grega antiga como hoje entendemos não é originalmente grega, como erradamente entendida. O helenismo é produto do mundo indo europeu.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 25/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito do conhecimento científico, o real é sempre uma luz projetiva cheia de sombras. Bachelard formação científica com sustentação filosófica. A revolução desencadeada pela teoria da relatividade de Einstein possibilitou na Física uma eminente evolução sem parâmetros.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Para desmascarar as ideologias. De gente ignorante. Especialmente por motivos religiosos. O fenômeno gay. Não atinge essencialmente a espécie sapiens. Mas diversas outras espécies no mundo animal. O homem nasce gay pelo simples motivo. No processo de gestação da criança. Os cromossomos determinam o sexo. Mas o esperma está descontificado do hormônio. Da testosterona. O óvulo com maior proporcionalidade do hormônio do estrogênio. Sobrepõe ao esperma. Levando o macho nascer gay.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Separação dos poderes, fundamental em relação à vida ao Estado político. A liberdade consiste basicamente em fazer tudo em que a ler permitir.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não sou anticapitalista. Muito menos a princípio do favor do socialismo. Até porque a questão não está em nenhum dos sistemas. Analiticamente. Qual é hoje a primeira economia do mundo. A China cujo regime de produção é socialista. Qual é segunda economia do mundo. Praticamente empatada tecnicamente. Com a primeira economia do mundo. Os Estados Unidos da America. Cuja economia é neoliberal. Em uma análise fria. Ambas as economias vivem à custa de um amontoado de pobres.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/01/2015
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast