O modo de pensar de Camus

Publicado em: 18/08/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 50 |

O existencialismo de Camus.

Disse uma vez Camus.

É melhor que a vida.

Não tenha sentido.

É melhor que universo.

Seja absurdo.

É importante ter consciência.

Que ninguém é ninguém.

Quem  existe.

Ou quem deixa de existir.

É tão bom viver a vida.

Sabendo que tudo é ilusão.

É simplesmente absurdo.

Procurar dar sentido ao mundo.

Mas o que é mesmo o absurdo.

Disse Camus.

Ele nasce da confrontação.

Entre a necessidade humana.

E o silêncio sem sentido.

Desse mundo sem finalidade.

O sentido do absurdo.

É o aspecto  cômico.

A  originalidade da imbecilidade.

O homem é condenado como um Deus.

Empurrar uma enorme pedra.

Montanha acima.

Esse é o único destino.

Os comuns imaginam loucos.

Aqueles que corajosamente.

Recusam.

A futilidade é a desesperança.

Do enorme esforço.

Como disse Russel.

Ao brilho da sabedoria.

Ao encanto de uma caverna.

Sísifo insiste aquilo que homem comum.

Jamais poderia compreender.

Imagina uma máscara.

Coberta por ideologias.

Então.

Todos os esforços.

De todas as épocas.

Todos os tipos de inspiração.

Ao brilho do meio dia.

Ao gênero humano.

Está destinado  a extinção.

Uma vasta morte do sistema solar.

Todo tempo da realização humana.

Deverá ser soterrado aos escombros.

Do universo todo em ruína.

Formarão pelo infinito afora.

Trilhões de toneladas de gelo.

Esse é o único fim previsível.

A natureza.

E ao destino humano.

Tempo perdido de cultos.

Infindos a Deus.

Dado que essa existência não tem sentido.

Tudo isso é uma grande Ilusão.

Tenho medo de quem pensa.

Que isso aqui é real.

Porque sei que é um louco.

Condecorado.

Dado a uma existência.

Sem nenhuma razão de ser.

Um universo intransigentemente.

Completamente irracional.

Camus perguntou.

Porque não deveria praticar.

O suicídio.

A conclusão inevitável.

É que a vida é o próprio.

Suicídio.

Não se deve matar duas vezes.

Mas o grande absurdo mesmo.

É encontrar um ser humano.

Racional, capaz de perceber.

A dimensão do equívoco.

Um  mundo completamente.

Irracional.

Não aceitar o absurdo.

É como  aceitá-lo.

Não tem como solucionar o conflito.

O mundo é mesmo absurdo.

A vida.

A razão.

Tivemos muito sorte,

De um dos chimpanzés

Transformar em humano.

Pelo processo de evolução.

Tivemos muita sorte.

De desenvolvermos a fala.

Mas tudo isso.

Foram erros do absurdo.

Não adianta implorar a Deus.

Esse ato é covarde.

Alienação.

Fraqueza humana.

Deus é apenas uma imaginação.

Não existe o céu.

Do mesmo modo o inferno.

Estamos aqui e somos livres.

Para vivenciar a nossa liberdade.

Não existe pecado.

É absurdo não aceitar a morte.

É absurdo recusar a vida.

Viva essa é a única possível.

Nada mais restará de cada um de nós.

A não ser o ruído da poeira química.

Esse mundo que tem que ser vivido.

Apesar de tudo, ele  é um inferno.

Mas é o único mundo possível.

A respeito do céu.

Se existisse mesmo.

Seria tão insignificante.

A natureza humana.

Que não teria diferença.

De uma estátua de mármore.

Deus é realmente inútil.

Como tudo é sem finalidade.

A única felicidade possível.

É a realização do instinto.

Realize o seu.

Essa é a vossa missão.

Esqueça-se daqueles que são  loucos.

Que pensam existir uma finalidade.

Para alma.

Aliás, ela é apena uma etimologia.

Nominalista.

Viva a vida que é sua.

A única possível.

Posteriormente nada será possível.

Edjar Dias de Vasconcelos.

É simplesmente absurdo.

Procurar dar sentido ao mundo.

Mas o que é mesmo o absurdo.

Disse Camus.

Ele nasce da confrontação.

Entre a necessidade humana.

E o silêncio sem sentido.

Desse mundo sem finalidade.

O sentido do absurdo.

É o aspecto  cômico.

A  originalidade da imbecilidade.

O homem é condenado como um Deus.

Empurrar uma enorme pedra.

Montanha acima.

Esse é o único destino.

Os comuns imaginam loucos.

Aqueles que corajosamente.

Recusam.

A futilidade é a desesperança.

Do enorme esforço.

Como disse Russel.

Ao brilho da sabedoria.

Ao encanto de uma caverna.

Sísifo insiste aquilo que homem comum.

Jamais poderia compreender.

Imagina uma máscara.

Coberta por ideologias.

Então.

Todos os esforços.

De todas as épocas.

Todos os tipos de inspiração.

Ao brilho do meio dia.

Ao gênero humano.

Está destinado  a extinção.

Uma vasta morte do sistema solar.

Todo tempo da realização humana.

Deverá ser soterrado aos escombros.

Do universo todo em ruína.

Formarão pelo infinito afora.

Trilhões de toneladas de gelo.

Esse é o único fim previsível.

A natureza.

E ao destino humano.

Tempo perdido de cultos.

Infindos a Deus.

Dado que essa existência não tem sentido.

Tudo isso é uma grande Ilusão.

Tenho medo de quem pensa.

Que isso aqui é real.

Porque sei que é um louco.

Condecorado.

Dado a uma existência.

Sem nenhuma razão de ser.

Um universo intransigentemente.

Completamente irracional.

Camus perguntou.

Porque não deveria praticar.

O suicídio.

A conclusão inevitável.

É que a vida é o próprio.

Suicídio.

Não se deve matar duas vezes.

Mas o grande absurdo mesmo.

É encontrar um ser humano.

Racional, capaz de perceber.

A dimensão do equívoco.

Um  mundo completamente.

Irracional.

Não aceitar o absurdo.

É como  aceitá-lo.

Não tem como solucionar o conflito.

O mundo é mesmo absurdo.

A vida.

A razão.

Tivemos muito sorte,

De um dos chimpanzés

Transformar em humano.

Pelo processo de evolução.

Tivemos muita sorte.

De desenvolvermos a fala.

Mas tudo isso.

Foram erros do absurdo.

Não adianta implorar a Deus.

Esse ato é covarde.

Alienação.

Fraqueza humana.

Deus é apenas uma imaginação.

Não existe o céu.

Do mesmo modo o inferno.

Estamos aqui e somos livres.

Para vivenciar a nossa liberdade.

Não existe pecado.

É absurdo não aceitar a morte.

É absurdo recusar a vida.

Viva essa é a única possível.

Nada mais restará de cada um de nós.

A não ser o ruído da poeira química.

Esse mundo que tem que ser vivido.

Apesar de tudo, ele  é um inferno.

Mas é o único mundo possível.

A respeito do céu.

Se existisse mesmo.

Seria tão insignificante.

A natureza humana.

Que não teria diferença.

De uma estátua de mármore.

Deus é realmente inútil.

Como tudo é sem finalidade.

A única felicidade possível.

É a realização do instinto.

Realize o seu.

Essa é a vossa missão.

Esqueça-se daqueles que são  loucos.

Que pensam existir uma finalidade.

Para alma.

Aliás, ela é apena uma etimologia.

Nominalista.

Viva a vida que é sua.

A única possível.

Posteriormente nada será possível.

 Edjar Dias de Vasconcelos.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 7 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/poesia-artigos/o-modo-de-pensar-de-camus-6131279.html

    Palavras-chave do artigo:

    a literatura de camus

    Comentar sobre o artigo

    Jornalismo em destaque sua atuação e ética na mídia atual.

    Por: CAMUS DOS SANTOSl Literatura> Crônicasl 26/02/2011 lAcessos: 37
    Gislaine Becker

    Disse, muitas vezes, aos meus alunos que ler era também igual a beijar, nem sempre beijamos bem, mas nem por isso deixamos de beijar, estamos sempre tentando melhorar o nosso beijo. E entre muitos beijos, encontramos os melhores beijos.

    Por: Gislaine Beckerl Educação> Ensino Superiorl 08/02/2010 lAcessos: 472

    Trabalho apresentado pelo aluno Fernando Antonio da Silva e pelas alunas Flávia Geralda Oliveira do Vale e Linalva Maria Barros do 5º período do curso Bacharelado em Ciências Sociais, em nível de graduação do DLCH/UFRPE, à disciplina História da Filosofia sob a orientação do professor Heraldo Pereira.

    Por: FERNANDO ANTONIO DA SILVAl Educação> Ensino Superiorl 08/12/2011 lAcessos: 1,534

    Biografia completa do escritor. Avô, mesmo que a gente morra, é melhor morrer de repetição na mão, brigando com o coronel, que morrer em cima da terra, debaixo de relho, sem reagir. Mesmo que seja pra morrer nós deve dividir essas terras, tomar elas para gente. Mesmo que seja um dia só que a gente tenha elas, paga a pena de morrer".

    Por: floracyl Literatura> Poesial 04/06/2010 lAcessos: 352

    Sartre é de longe o mais midiático dos filósofos. É por conta dele que temos uma maior compreensão do trabalho de outros pensadores como Nietzsche e Heidegger. Sartre só conseguiu tamanha divulgação por ter sido antes de tudo, um jornalista. Neste artigo eu explico o porquê.

    Por: Jota Fagnerl Literatura> Crônicasl 17/11/2008 lAcessos: 2,344
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A Europa passa viver a ideia defendida por Nietzsche um mundo sem Deus, fundamentado numa Filosofia solerte do indivíduo sozinho, fruto do liberalismo econômico, de certa forma abandonado quanto sua perspectiva de seu futuro existencial nesse mundo, na verdade o insignificado da própria existência.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 31/01/2013 lAcessos: 33
    A. Zarfeg

    "... os verdadeiros motivos que levam alguém a tirar a própria vida ainda são, no fundo, no fundo, um mistério."

    Por: A. Zarfegl Psicologia&Auto-Ajudal 01/11/2011 lAcessos: 93
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Un moment de joie. Par la suite. Provoque le plus de douleur. Pour celui qui était le produit de bonheur. Tristesse, désespoir et le découragement. Mais le moment éphémère semble sans fin. Shine particules de photons d'hydrogène. Les dieux ne comprennent pas le sens de l'idéologie. En ce qui concerne la nature spécifique du monde. Un cri de soulagement sourire sans fin dans ses yeux. Les cœurs tremblent d'émotion. Réalisation de charme de la contemplation indescriptible.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 14/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Agora que tenho os segredos. Guardados em minhas memórias. Posso contemplar as mais felizes intuições. Os mistérios dos mundos. Os delírios da imaginação. Os olhos fechados ao silêncio mais profundo. De todos os sonos. Agora que meus olhos poderão enxergar. Entender a interminável imensidão. A composição do vácuo indeterminado. Pela complexidade do infinito.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 07/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Je veux vous raconter une histoire. Mon cœur est fragile. Sensibilité complète. Enchantement. Émotions indescriptibles. Tout cela parce que votre sourire. Ce est comme une fleur. Pleine de pétales.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 06/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não sou ninguém. Nenhum deles. Dentro peito. O sinal da ilusão. De tantos Fernandos. Josés e bastiões. Um dia imaginei a pensar. Igual ao Pessoa. Talvez tivesse que negar Nietzsche. Feuerbach. O mundo representativo. De Schopenhauer.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 05/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Agora que entende os segredos. Das nossas memórias. La fora chove e faz a beleza das flores. Uma luz que acendeu a escuridão. Os sinais do caminho. O tempo nos conduziu. O destinação do coração que nos iluminou. Aos encantos das proposições. Ponderações indeléveis.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 04/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A vida é uma multidão perdida. Caminhando sem direção. Tentando efetivar o instinto. Da imaginação. Como se o céu fosse levianamente exposto. Por belas estrelas diante da claridade do sol. Sentindo o desejo lépido do movimento da Terra.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 03/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Tenho ainda o silêncio. Guardado no coração. Um olhar tão distante. Que machuca a ilusão. Recordo de suas significações. Do tempo magnífico. Dos olhares incompreensíveis. A inexorabilidade.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 30/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Nada existe para ser muito normal. O mundo litófilo cultural. Os isósceles procedimentos dialéticos. O irrivalizável mito criacionista. As veleidades dos sonhos imperfeitos. A alma como produto da linguagem.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 25/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Separação dos poderes, fundamental em relação à vida ao Estado político. A liberdade consiste basicamente em fazer tudo em que a ler permitir.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não sou anticapitalista. Muito menos a princípio do favor do socialismo. Até porque a questão não está em nenhum dos sistemas. Analiticamente. Qual é hoje a primeira economia do mundo. A China cujo regime de produção é socialista. Qual é segunda economia do mundo. Praticamente empatada tecnicamente. Com a primeira economia do mundo. Os Estados Unidos da America. Cuja economia é neoliberal. Em uma análise fria. Ambas as economias vivem à custa de um amontoado de pobres.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A origem de tudo. Remonta-se ao nada. A ausência substancial é a lei. De todos os fundamentos. Das coisas existentes e não existentes. Com efeito, qual o é princípio. A inexistência. A explicação é cientificamente irracional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 16/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Un moment de joie. Par la suite. Provoque le plus de douleur. Pour celui qui était le produit de bonheur. Tristesse, désespoir et le découragement. Mais le moment éphémère semble sans fin. Shine particules de photons d'hydrogène. Les dieux ne comprennent pas le sens de l'idéologie. En ce qui concerne la nature spécifique du monde. Un cri de soulagement sourire sans fin dans ses yeux. Les cœurs tremblent d'émotion. Réalisation de charme de la contemplation indescriptible.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 14/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Em síntese o livro é muito ruim. O autor com pensamento direitista. Age como um pastor pentecostal pregando. Fazendo uso de uma exegese não científica. Fundamentalismo de direita. Denomina-se filósofo sem conhecimento profundo. Dos termos técnicos da Filosofia crítica moderna. Desconhece os fundamentos. Das Ciências da natureza e do espírito. Confunde como se fosse a mesma acepção. Típico de um neopositivista bitolado.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 13/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Recordo-me de tudo. Em Itapagipe Minas Gerais. Da fazenda Serra da Moeda. Dos rios e da floresta. Das tardes quentes de verão. Da chuva. Do cavalo. De um jipe azul de fabricação inglesa. Dos avôs, tios e tias. Irmão e irmãs. Recordo-me quando tinha tudo. Não precisa pensar em nada. Eles pensavam por mim. Cuidavam da minha pessoa. Só tinha que respirar o ar. E sentir o brilho do sol.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 12/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Origem poloco-germana. 1870-1919. Revolucionária. Doutora em economia política. Filósofa e escritora de renome. Defensora do marxismo intransigente. Formulou críticas fortes. Contra alguns teóricos do seu tempo. Entre eles destacamos. Eduard Bernstein 1850-1932. Karl Kautsky 1854-1938. Em relação ao filósofo Bernstein. Rosa de Luxemburgo. Criticou veementemente.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 10/01/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Três exuberantes filósofos alemães. Bernstein 1850-1932. Karl Kautsty 1854-1938. Gênios da Filosofia. Ambos socialistas. Portanto, marxistas. Entretanto, diferenciavam ente si. Como estratégia política. Para chegar ao socialismo. Karl Marx 1818-1883. Em um aspecto eram comuns. Todos desejavam o socialismo. Marx pela revolução armada. Implantação da ditadura do proletariado.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 10/01/2015
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast