Poemas Que Fala Do Amor

07/11/2009 • Por • 3,641 Acessos

POEMAS QUE FALA DO AMOR


Negue teu carinho

Porque tu negas teu amor e carinho, se tu me amas;
Porque me evita, se estou presente em teu pensamento;
Diga então, que já me esqueceu;
Que nessa incerteza, tu me torturas e eu te amo.

Ainda sinto o gosto de teus beijos;
Dos carinhos que tu me deste, e que nunca vou esquecer;
Meu amor por ti, será como uma gota da’gua;
Numa pedra que vai pingando, e tanto bate até que fura.

Também tu serás a pedra que um dia será só minha;
A porta em que tu partiste, ainda continua aberta,
Para quando tu voltares, entrar, e me encontrar de braços abertos,
E mostrarei a minha boca, molhada ainda pelos beijos teus.

Sei que um dia voltaras, e a espera vai ter fim,
Tu voltaras a ocupar, o lugar que sempre foi teu;
E porque me ama, sei que vai dizer;
Que no teu pensamento
Sempre estive presente

Por:
Rômulo Jose Ferraz



“Sonhando com o impossível”

Muito bom, nota 1000, classifico esse teu discurso,
De um lindo poema. Na verdade,
De tanto que fala no amor, e na paixão,
No ombro amigo, no prazer das descobertas.

Que destas tuas lindas palavras neste testo,
Com toda certeza eu os transformaria:
Em três, cinco, dês vinte poemas para ti.

Sempre estamos descobrindo,
Às vezes essas descobertas a gente pensa assim:
Porque só agora eu descobri essa pessoa?
Porque essa descoberta me deixa feliz?

Deixa-me sonhando com o impossível,
Imaginando que talvez encontre uma saída,
Para saciar essa ansiedade,
De querer viver essa descoberta.

Tu fostes a minha descoberta,
Surgiu sim, por trás de um e-mail,
Mas, com palavra tão gostosa,
Que agarrei essa amizade como,
(uma amizade) especial.

Mas dizem que o coração,
Tem razão que a própria razão desconhece,
Acende uma Luz em seguida apaga,
Mostra-nos a realidade dos fatos,
Acabando muitas vezes com nossos sonhos.

Tu fostes essa luz que surgiu para mim,
Descobri que tu me descobriu,
Através de uma descoberta tua, na minha página,
No meu poema, "Suave Amor".

Suave amor, quando estamos aprisionados numa paixão.

Suave amor quando sabemos, que mesmo na imaginação,
Tem alguém que diz nos querer.
Suave amor, que, mesmo sabendo ser proibido,
Ainda existe uma pequena esperança,
Para uma grande paixão.

Por: Romulo Jose Ferraz


Suave amor
És tudo que minha alma pretendia,
Para mim és o meu melhor poema,

Amo tua boca, que diz o que preciso ouvir,
E neste segredo deste quarto,brindamos;
Brindamos a vida e ao amor que nos une,
Neste momento lá fora,as estrelas brilham,
Com uma noite de luar e um céu muito azul...

E numa paixão interminável cheia de magia,
Me entrelaço contigo com um suave te amo...

És tudo que minha alma pretendia,
És sempre um convite eterno para o amor,
E por que? sou todo teu, e tu és todinha minha.
Romulo Jose Ferraz


Novamente essas flechinhas do Cupido
Flechas e mais flechas em cima deste coração já cansado;
Tu não poupaste com teu castigo; pede para sermos só amigos;
E lança teu poemas e versos falando,

Dos mais profundos amor que tens por mim insinuando sonetos e versos;
Em que sou teu acaso, teu caso, sou tua perdição e a tua maldição,
Sou quem te segue e persegue, sou teu acerto e teu atraso,
Sou o medo do desconhecido.

Sou tua paixão delirante, sou tua vontade constante,
sou seu desejo mais secreto, sou tua solidão tua loucura;
E tu és para mim tudo isto mesmo, o teu caso e acaso...

Tu não apareceste em minha vida, por um acaso não,
Tu surgiu em minha tela de computador, pela força do destino,
E tudo que fiz e estou fazendo, é por ti querer;
E quero ser o seu caso, porque estou apaixonado por você.

Todo amor é mesmo egoísta, tu tomas-te conta do meu coração;
E não a caso que resista ao desejo, sei que estou te perdendo,
por uma moral, que não tem fundamento,
Só porque é obrigado, a ser fiel a um amor que já morreu.

Se não tem solução, sua amizade basta,
Mas o que quero mesmo, é que tu seja minha amada,
minha querida minha inspiração,
a musa do meu coração
o meu amor

18/09/2008Autoria: Romulo Jose FerrazPOEMAS DE AMOR

Perfil do Autor

Romulo José Ferraz

Eu, Romulo José Ferraz, brasileiro, casado, nacido aos 06 de outubro de 1941 na Cidade de Cachoeiras de Minas-MG, atualmente estabelecido em Cuiabá-MT, sou engenheiro agrimensor e ainda exerço a profissão, sou também poeta mas até agora não assumido, é um robi que tenho a muito tempo, escrever poesias, poemas e contos. gosto de músicas, prefiro as mais crássicas e antiga, pois sou mais a moda antiga.