A Ética,a Moral E A Política!

25/08/2009 • Por • 4,603 Acessos

A ÉTICA, A MORAL E A POLÍTICA Os tempos difíceis que estamos vivendo nos deixam confusos com relação ao certo e ao errado, à moral e à ética,e,não raras vezes,nos parece que o errado é que está certo. Pelo conceito de moral que nossos pais nos transmitiram fica confuso para o cidadão comum,o indivíduo,entender determinadas ações dos nossos governantes ,ações estas,discutíveis,dentro da nossa concepção do que é certo. O político visa o coletivo,a governabilidade,o bem-comum e ,visto por esse ângulo,não precisa ser ético ou moralista,mas,fazer de tudo para manter o Estado funcionando.” Os fins justificam os meios”. Visto desta maneira nos parece correto sacrificar um amigo de trinta anos -o senador Mercadante- tirando-lhe o fôlego político, a autoridade de líder, em troca do Sarney, um defunto incômodo,que pesa demais para ser carregado,mas,por trás dele,tem o maior partido político do país,dono de “gado e gente”,além dos preciosos trinta minutos de TV;como já escrevi anteriormente,para um presidente bem avaliado e com um apoio popular tão grande,qualquer candidato que ele apoiar tendo um espaço tão grande para argumentar,será imbatível.E uma das metas de Lula é fazer o seu sucessor,pois,todo partido político quer se perpetuar no poder.Para isso,existe. A sociedade tem que começar a entender a farsa da democracia,que é mostrada para nós como o melhor dos regimes;talvez seja o menos pior. A Democracia é composta e solidificada por parlamentares que lá chegaram pelo voto popular,a maior arma de que dispõe o povo-e a mais letal!- Pena que não é usada com consciência,sobretudo num país onde a pobreza e a ignorância imperam soberanas.Então,votos são trocados por telhas,comida,transporte,dentaduras,coisas comezinhas,porém,mais próxima da necessidade dos cidadãos,que,nesta troca,não sabe que estão entregando o futuro do seu país e da sua gente por ninharias, em vez de exigir escolas decentes,saúde compatível com as necessidades de todos e mais ,estradas,segurança,e uma presença mais sólida no contexto mundial,como um país mais justo e eficiente. O que verdadeiramente me deixa intrigada é que esses populares se mobilizam,se manifestam-basta ver a presença nos shows de artistas populares e,principalmente,nos estádios de futebol,quando torcem,aplaudem,xingam,ameaça,derrubam muros e lutam nas ruas.Porque não agem assim para defenderem interesses mais justos? Nossos parlamentares não estão aí para servir o povo,e,sim,ser servido por ele. Na verdade,representam grupos de interesses,principalmente dos financiadores de campanha:banqueiros poderosos,grandes conglomerados de empresas nacionais ou multinacionais,planos de saúde,empresários de transportes,comerciantes de armas. O povo?Ah,o povo é só um detalhe!como dizia aquela ministra collorida de execranda memória. Onde está o dinheiro está o poder. Por isso,no Brasil,sobrevive o clientelismo,os currais eleitorais,o voto de cabresto,ajudando a manter a farsa da democracia. A Imprensa,como uma hiena que corre atrás das carcaças deixadas pelos exércitos,sempre fica ao lado dos poderosos que as mantém,com suas grossas verbas publicitárias. Não sei se já notaram que,a mais vendida revista de circulação nacional parece um catálogo da FIESP,pois trás mais anúncios que artigos. Quando formos doar o nosso voto,necessário se faz verificar quem são os financiadores do político escolhido,para quem ele vai trabalhar;por nós,pela coletividade,com certeza não é;por isso é tão difícil aprovar assuntos de interesse popular ou mudar regras feitas por eles para seu próprio benefício. Desanimados os “homens bons”correm da política como o diabo da cruz ,por julgá-la corrupta e não querer sujar as mãos ,e ,os imorais,os prevaricadores e oportunistas tomam conta dela.E la nave va...Sem nunca mudar de rumo! Temos que levar em consideração que um país é o reflexo do seu povo.”A pátria é a família amplificada” dizia Ruy Barbosa,patrono do Senado e que hoje,algumas pessoas têm notado,no seu retrato pendurado na dita Casa ,um certo rubor incomodativo no seu rosto . Como se não se sentisse confortável,ali. A posição do governo é manter o Poder;a oposição quer tomá-lo para si;neste duelo entre o mar e o rochedo, a ostra,ou seja,o povo,é massacrado. O povo perdoa certos deslizes do presidente porque a economia vai bem,há crédito,há abundancia,os programas sociais funcionam e a classe operária está feliz.E,como ensinava Maquiavel,no “Príncipe”,”é mais fácil para um sujeito esquecer a sentença de morte do pai do que a perda do seu patrimônio. Para finalizar,o certo é que a responsabilidade maior sobre os destinos deste país está em nossas mãos. Voto certo é a arma;vamos mantê-la engatilhada e apontada para o alvo certo! deprosa.files.wordpress.com/2007/06/congresso.

Perfil do Autor

Miriam de Sales

Baiana,mulher,66 anos,professora,escritora Profissional,trilingue;gosto de arte,literatura,cinema,viagens. Livros Publicados: Livro de...