Copa Do Mundo Versus Problemas Sociais

Publicado em: 02/07/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 1,095 |

Muitos não vão gostar, mas discernimento e responsabilidade estão faltando àqueles que comungam com a realização da Copa do Mundo no Brasil. País carente de quase tudo de essencial à maioria dos cidadãos, não pode se dar o luxo de sediar magno evento esportivo, principalmente num momento de situação de crise financeira mundial.

Se o Brasil tem tanto dinheiro disponível para aplicar em eventos esportivos e não o utiliza socialmente, em saúde pública, educação, segurança, saneamento básico de cidades onde o esgoto ainda corre a céu aberto etc., deixa transparecer muita irresponsabilidade de seus dirigentes.

Com licença aos amantes do futebol, eu sou um deles, a explicação para tal realização vem acompanhada de muitas espertezas: para satisfazer inconfessáveis interesses políticos de se mostrarem na vitrine pública eleitoreira; para atender à ganância dos empresários ávidos nos lucros dos eventos e em licitações públicas irregulares; para encher o bolso dos realizadores do evento - dirigentes esportivos, políticos, prefeitos, governadores etc. - com bondosas "comissões amigas"; para financiar, a juros baixos, os estádios e agregados com recursos públicos, com prazos de pagamento a perder de vista etc.

Só que depois quem vai realmente pagar a conta é o contribuinte brasileiro, mediante aumento da carga tributária. A ufania nacional pelo futebol deveria ter limite. Primeiro, deveríamos preparar o País com infraestrutura social para que nenhum torcedor brasileiro fosse, por exemplo, ridicularizado pelas lentes da mídia nacional e internacional ao arreganhar a boca em expressão de descontentamento por um gol perdido ou de riso por uma jogada bem-sucedida, expondo a sua incompleta arcada dentária, o que é característico de um cidadão de país que não se preocupa com os problemas sociais.


Vozes responsáveis, entretanto, se levantam, como a do médico de Feira de Santana (BA) Dr. Eduardo Leite, que em seu site eduardoleite.blogs.pot faz a seguinte observação:

"O Brasil, conduzido pela mídia interessada ou desinformada, vangloria-se de sediar a copa de futebol em 2014. Tem-se a impressão que será a salvação para os doze Estados que sediarão esse mega evento, que faz a alegria dos grupos privados que exploram o futebol. Aqui, na Bahia, fala-se em investimentos que passarão dos três bilhões e meio de reais. Isso mesmo: 3.500.000.000,00 de reais. Podendo chegar a mais. Com certeza, chegará.
Estranhamos essa cifra, considerando os jogos Pan Americanos, que englobam quase todos os esportes e exigem maior logística, foram alvos de críticas por custar mais de dois bilhões de reais, incluindo toda a estrutura de segurança, hospedagem, e transporte. Resultou, inclusive, numa desconcertante vaia ao presidente Lula, quando da abertura oficial.
Só na demolição e construção da nova Fonte Nova, estima-se em mais de 500 milhões de reais ou mais, pois só a reforma do estádio de Pituaçu custou 55 milhões de reais, o equivalente a dois hospitais pediátricos com capacidade de 280 leitos, cada um.
Surpreendente, a declaração do coordenador estadual para a Copa na Bahia, Fernando Schmitt, ao declarar que será muito bom para a Bahia todo esse sacrifício-investimento, pois a FIFA fará exigências que trarão benefícios para a população soteropolitana, em relação à segurança, turismo, com a revitalização do Pelourinho, hotelaria, logística urbana nos transportes, na educação(?) e pasmem: para a saúde pública, pois será exigido do Estado a construção de hospitais e postos de saúde, além de obras em saneamento básico.
Pior ainda é tentar iludir aos fanáticos admiradores de futebol, e aos não fanáticos, que todo esse bilionário investimento será à custa de investidores privados e com baixa participação de verbas públicas.
Se assim fosse, melhor seria extinguir o Ministério Público e outros órgãos, incluindo o governo, que têm a obrigação de que seja cumprida a Constituição Federal e colocar a FIFA sob coordenação de Ricardo Teixeira, como gestor do nosso Estado.
É pertinente lembrar que o futebol passou a ser manipulado por grupos empresariais que só visam o lucro, por grupos da máfia que exploram as apostas, da intermediação de venda de grandes jogadores, lavagem de dinheiro e outras jogadas duvidosas.
Para quem acredita em Chapeuzinho Vermelho, Mula-Sem-Cabeça, Xupa Cabra e Papai Noel, é só torcer, alegrar-se e depois pagar a conta dessa Copa, com cabeça, pescoço, tronco e membros de mais um tremendo UM SETE UM."

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/politica-artigos/copa-do-mundo-versus-problemas-sociais-1007446.html

    Palavras-chave do artigo:

    copa do mundo versus problemas sociais

    Comentar sobre o artigo

    Mostra como o comportamento de compra do consumidor da classe “C” está fortemente influenciado pela tecnologia virtual e a internet. Apresenta uma fonte de dados de como os turboconsumidores se comportam no cenário de compra de um mercado cada vez mais dinâmico e mostra como eles são fortemente influenciados pelos diversos fatores sociais, políticos, econômicos e culturais. O acesso à internet e a web 2.0 trouxeram ao mkt o desafio criar estratégias de divulgação dos produtos para a classe C.

    Por: Rogério Ávila de Araujol Marketing e Publicidadel 01/12/2008 lAcessos: 15,217
    JORGE FLOQUET

    É preciso mudar! E o que aconteceria com este país, caso efetivamente tenhamos mudança de governo, agora! Digo, sem sombras de dúvidas, que a sua democracia sairá fortalecida! Não fosse este o oposicionista seria o outro e, certamente, eu estaria conclamando para que sejamos – os mais esclarecidos – os verdadeiros artífices de uma democracia sólida e duradoura. O "popululismo", não tem sustentação nesse país de dimensões continentais e importantíssimo no cenário mundial. A América Latina, nã

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Polítical 22/10/2014
    JORGE FLOQUET

    A Bahia é um estado federativo dinâmico politicamente. Sempre se encontra na "situação" política, ou seja, no poder executivo do Brasil. Sob qualquer resultado desta eleição (2014), os baianos sempre estarão na situação. Todavia, sabemos que os baianos gostam de uma cabecinha branca! Seja lá lá a quem a pertença : um baiano ou quase baiano! Seria inspiração de Oxalá? Pois bem, em primeira mão divulgo que teremos , pelo menos um baiano ou um quase baiano ocupando uma pasta ministerial importante

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Polítical 21/10/2014
    JORGE FLOQUET

    Muitos de nós passamos por consequências desagradáveis quando tomamos uma ação individual e sem experiência. Quando olhamos para trás e comparamos o que podíamos ter feito de melhor (feed-back) pensamos: puxa, era tão simples e compliquei! Nas situações futuras , quando já sabemos as consequências, (feedforward), não hesitamos em seguir o caminho que nos traga mais conforto sustentável. Mas, uma tomada de posição coletiva (eleição), sem olharmos para o futuro, as consequências são terríveis!

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Polítical 21/10/2014
    JORGE FLOQUET

    Queremos, sim, o atual governo vigiando o novo governo. Caso este, no quadriênio, não seja satisfatório devemos analisar as conjunturas e nos pronunciarmos, novamente, nas urnas!Não adianta, compararmos ações de dez, vinte e trinta anos atrás com condicionantes novos! Até as próprias Leis se aperfeiçoam.

    Por: JORGE FLOQUETl Notícias & Sociedade> Polítical 18/10/2014

    Abraços apertados, olhares sinceros, apertos de mão. Beijinho na testa e tapinha no ombro. Risos, sorrisos, afagos. Pausa para a clássica foto com o "V" da vitória, que também pode significar "Vou me dar bem". E as promessas? Ah, quantas promessas. Em tempos de eleição vale de tudo para conquistar a confiança e simpatia do eleitor. Toda proposta torna-se questionável.

    Por: Tiago Guimarãesl Notícias & Sociedade> Polítical 17/10/2014
    RINALDO BARROS

    Atentos! O progresso brasileiro recente, o crescimento de nossa economia e a melhoria de nossa qualidade de vida foi fruto da competição entre os diversos setores da economia, e do avanço das forças produtivas, da inovação, e das novas tecnologias. Não foi ação do governo federal, nem de FHC nem de Lula. FHC e Lula, o príncipe e o sapo, já entraram para a história. São personagens.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 16/10/2014

    Considerações políticas a respeito dos candidatos ao Planalto, no segundo turno: Aécio Neves versus Dilma Rousseff.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedade> Polítical 15/10/2014 lAcessos: 12

    O presente artigo é o produto de uma pesquisa, enquanto requisito para pós-graduação "lato sensu" em Gestão de Projetos Sociais e foca sobre a importância do processo de humanização do atendimento no ambiente hospitalar calcado nas diretrizes e princípios do Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar (PNHAH), cujo objetivo visava analisar por meio de visita institucional e entrevista semiestruturada à equipe multiprofissional do Hospital Regional Deolindo Couto (HRDC).

    Por: Romulo Hommerol Notícias & Sociedade> Polítical 10/10/2014

    Considerações políticas a respeito de manifestação do senador petista Humberto Costa sobre o candidato Aécio Neves.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 21/10/2014

    Considerações políticas a respeito dos candidatos ao Planalto, no segundo turno: Aécio Neves versus Dilma Rousseff.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedade> Polítical 15/10/2014 lAcessos: 12

    Considerações acerca da reação de Lula às denúncias de corrupção na Petrobras.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 10/10/2014

    Considerações acerca da eleição do segundo turno para a Presidência da República

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 08/10/2014

    Considerações acerca do comportamento do político brasileiro, que desrespeita o voto do eleitor.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 06/10/2014

    Considerações a respeito da liberdade de expressão, cujo assunto causou polêmica pelas declarações do candidato a Presidência da República Levy Fidelix.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 03/10/2014

    Trata-se de considerações acerca da reeleição política no Brasil, responsável pelo cabide de emprego político e por outras mazelas.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 06/09/2014

    Considerações gerais acerca das propagandas das candidaturas políticas nos meios de comunicação.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedadel 01/09/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast