A Puberdade

02/10/2009 • Por • 6,069 Acessos

Introdução

 

A puberdade é uma das fases complicadas do desenvolvimento. Por isso é necessário abordar este assunto de uma forma mais detalhada. Este resumo tem como objectivo trazer as características desse período de desenvolvimento e sem se esquecer das atitudes a tomar ao se deparar com esta situação.

 

Para a realização deste resumo o grupo usou algumas fontes bibliográficas que estão citadas dentro do trabalho e também na bibliografia final.

 

O trabalho está estruturado da seguinte maneira: 

  • Introdução;
  • Puberdade;
  • Características físicas e fisiológicas da puberdade;
  • Origem das alterações fisiológicas na Puberdade;
  • Características Psicológicas e Comportamentais da Puberdade;
  • Interesse sexual na puberdade;
  • Evolução dos Interesses na Puberdade;
  • Inteligência lógica;
  • Recomendações para Pais e Educadores;
  • Conclusão e bibliografia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Puberdade

 

É um período de desenvolvimento onde ocorrem as transformações físicas, fisiológicas, psicológicas e comportamentais que marcam o início da infância e o início da adolescência.

 

Características físicas e fisiológicas da puberdade

 

Na Rapariga:

 

Manifestações externas: desabrochamento dos seios, alargamento do quadris (ancas), aumento do peso, aparecimento de pêlos (axiais e pubianos), aparecimento da menarca.

 

Manifestações internas: aumento da produção de estrogénio e progesterona nos ovários, produção de células germinativas (óvulos), aumento de tamanho do útero e da vagina.

 

No Rapaz:

 

Manifestações externas: Poluções nocturnas (sonhos molhados), engrossamento da voz, alargamento dos ombros, aparecimento dos pêlos nas regiões pélvicas e axilares, aumento do tamanho dos testículos, dos escrotos e do pénis pela produção de esperma.

 

Manifestações internas: produção de testosterona nos testículos.

 

Origem das alterações fisiológicas na Puberdade

 

As alterações fisiológicas da puberdade começam com sinal hormonal que vem do hipotálamo. Este sinal estimula a hipófise para produzir harmónios que por sua vez estimulam as glândulas supra-renais e as gónodas (glândulas sexuais).

A gonadotropina (GNRH), estimula as gónodas para aumentarem a produção dos harmónios sexuais (estrogénio para as mulheres e testosterona para os rapazes).

É neste período onde acontece a evolução do sistema das glândulas endócrinas sobre o comendo da actividade da hipófise anterior responsável pela estimulação das glândulas sexuais, da supra-renal e da tiróide.

 

Características Psicológicas e Comportamentais da Puberdade

 

  • A característica principal desta fase é a necessidade de companheirismo, principalmente pelos indivíduos do mesmo sexo, isso porque o seu desenvolvimento intelectual e emocional lhe permite a inclusão do “outro” no seu sistema de valores (ROSA;1999:126).

Devido as transformações físicas, fisiológicas, psicológicas onde este sente-se só e procura outros indivíduos do mesmo sexo com as mesmas características físicas e comportamentais. Por não compreender bem essa situação ele afasta-se do grupo por se sentir diferente e procura outras pessoas para que possa manifestar esses sentimentos.

Para melhor compreender essa situação as crianças devem ser submetidas valores morais da sociedade para que ela encare com sucesso essas transformações.

  • Outra característica importante desta fase é a reciprocidade gratificante, que caracteriza-se por aceitar partilhar as suas experiências com os outros.

A crise nesta fase é de diligência e o complexo de inferioridade.

  • Outra característica desta fase é o narcisismo que caracteriza-se para comparação de si mesmo. O indivíduo não necessita dos outros para resolver os seus problemas, daí que pode resultar o sentimento de isolamento.

Várias modalidades se encontram então possíveis: sente-se superior aos outros em todos aspectos, que despreza, confia em sí; uma máscara de impenetrabilidade para defender uma intimidade; agitação interior que pode seguir-se ao matutar de uma solidão afectiva e conduzir a fase mais ou menos prolongadas de depressão.

 

Interesse sexual na puberdade

 

Entre os púberes há grande interesse do outro do sexo oposto. Os rapazes são mais os que apresentam interesse pelo sexo, até se juntam para verem animais que fazem sexo.

Eles fazem masturbação e tem sonhos nocturnos.

As meninas o seu interesse consiste em comparar traços. Ex: você é gorda, feia. Bonita, chique.

Aos 15 anos os jovens já manifestam gosto pelo rapaz, é mais visível nas meninas a discutirem por um rapaz achado bonito e vice-versa.

 

Quando não se registar interesse sexual entre rapaz e rapariga este manifesta-se entre pessoas do mesmo sexo (gays e lésbicas) e auto-satisfação (masturbação).

A masturbação torna-se problema quando a pessoa só consegue obter o prazer sexual através dela e o sexo oposto não constitui fonte de prazer.

A curiosidade sexual evolui gradualmente com os primeiros interesses positivos pelo sexo oposto.  

O sexo é uma maneira de se auto-descobrir através da curiosidade que tem a respeito do outro, porque ao descobrir as zonas erógenas do outro passa a se descobrir. A curiosidade sexual pode se manifestar através de jogo sexuais que podem ser muito perigosos, porque não chegam a completar a satisfação e podem trazer consequências graves.

 

A masturbação pode ser considerada como uma das prováveis causas das perturbações sexuais nos adultos. A impotência e da frigidez dos adultos tem a sua origem em situação do período púbere através do auto - erotismo e na forma activa que assume a curiosidade sexual nesta idade. (ROGER;1967:188).

Evolução dos Interesses na Puberdade

 

 Os interesses do púbere evoluem de acordo com o a idade e o meio em que se encontram.

Eles procuram buscar a sua identidade (quem são? Do que é que são capazes de fazer? O que querem na vida? Que valores querem seguir? Com quem querem casar? Que timo de família querem ter? que orientação sexual querem seguir?), desenvolvem interesses pela profissão e pelo dinheiro, liberdade e pelo futuro.

 

 

Inteligência lógica

 

Inteligência lógica é a capacidade que o indivíduo tem de resolver problemas complexos com o uso da análise e da síntese, sem precisar de envolver a experiência imediata, pois compreende que existem acções reversíveis (perceb

Perfil do Autor