A cirurgia de redução de estômago e a Psicologia

Publicado em: 24/09/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 554 |

A obesidade na atualidade já é denominada problema de saúde pública. Grande parte da população mundial apresenta altos índices de sobrepeso, que, em muitos dos casos, comprometem a própria rotina de vida da pessoa. Dificuldades como calçar os sapatos, fazer uma higiene pessoal adequada e executar tarefas aparentemente simples, limitam e constrangem pacientes e familiares. E além dos aspectos "práticos" ainda se somam as várias questões emocionais que perpassam o excesso de peso: auto-estima e auto-imagem são os principais.

Depois de muitas tentativas com dietas variadas, programas de reeducação alimentar, atividades físicas e tratamentos estéticos os pacientes buscam uma opção mais radical: a intervenção cirúrgica! Hoje já existem procedimentos menos invasivos e as técnicas estão cada vez mais avançadas. Mas isso não significa que a cirurgia vai exigir do paciente menos esforço em controlar a alimentação, nem que a mesma aponta diretamente para uma receita de felicidade que anteriormente não existia.

É preciso lembrar que a reeducação alimentar, as atividades físicas o bem estar emocional e os bons hábitos são primordiais para o sucesso da cirurgia e satisfação do paciente. Para isso é necessária uma preparação prévia, que varia em tempo de duração, mas normalmente se caracteriza pelo tempo de 3 a 6 meses. Normalmente, a pergunta é: Para que eu vou a um psicólogo antes de fazer cirurgia de redução de estômago/bariátrica? E aí vem a nova pergunta: O que sua obesidade está tentando sinalizar para você? Precisamos reconhecer que o ato de comer demasiadamente, e às vezes compulsivamente, também é uma forma de comunicação nossa frente ao mundo. Estamos imersos em relações interpessoais, conflitos, emoções. Precisamos organizar tudo isso para viver em harmonia emocional e corporal. Em grande parte das vezes podemos chamar essa obesidade de "válvula de escape". Trocando em miúdos, simbolizamos na alimentação emoções que geralmente estão vinculadas a outros aspectos da vida. Um exemplo comum é: "quando tenho conflitos no trabalho ou na família tenho a tendência a comer doces excessivamente". Eis o ponto chave para a psicologia! Ajudar o paciente a descobrir em si outras formas, mais saudáveis, de resolução e sustentação de seus conflitos para que a alimentação (obrigatoriamente reduzida pela cirurgia) não seja mais foco. Perceber que existem outras formas de expressividade além do prazer buscado na comida. Quando isso não acontece o paciente pode desencadear diversas novas formas de sinalizar suas emoções: a anorexia, a depressão, a síndrome do pânico, etc. Por isso é tão importante um trabalho conjunto dos pacientes, da família, dos médicos, nutricionistas e psicólogos! A "equipe" somos todos nós! Pense nisso...
Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/a-cirurgia-de-reducao-de-estomago-e-a-psicologia-3334337.html

    Palavras-chave do artigo:

    cirurgia bariátrica

    ,

    emoções

    ,

    psicologia

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo tem como objetivo esclarecer alguns mecanismos no processo da obesidade mórbida. Informar alguns aspectos orgânicos e psicológicos do processo de engordar, bem como, a importância de uma equipe com vários profissionais para o êxito da cirurgia gástrica.

    Por: Gilcenira Atalibal Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 02/07/2010 lAcessos: 1,411

    O presente artigo se refere a uma pesquisa bibliográfica e de campo realizada com dependentes químicos que residem em uma casa de recuperação nomeada ASCORE (Associação Comunitária Recompensa), cuja modalidade é acolhedora. O objetivo da pesquisa foi observar como as ações da mesma, como arteterapia, laborterapia, atividades lúdicas e dinâmicas, contribuem para a autoestima do dependente químico.

    Por: Flávia Oliveira Reisl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/09/2014
    Bruno Moraes

    A ansiedade é um comportamento caracterizado por um estado mental de apreensão ou medo devido à antecipação de uma situação desagradável ou ameaçadora. O foco dessa ameaça antecipada pode ser interna ou externa. Este comportamento é uma reação à crença na falta de habilidade em se lidar com determinado evento.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014 lAcessos: 15
    Bruno Moraes

    Existem momentos na vida em que nos deparamos com situações as quais não temos, ou perdemos a habilidade de lidar de forma adequada com eventos do cotidiano. Seja na infância, adolescência, fase adulta ou mesmo na melhor idade, sempre temos questões a solucionar, e muitas vezes nos encontramos perdidos quanto a qual o melhor caminho a se tomar.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014

    A proposição aqui é tratar a passagem do ser humano da natureza para a cultura e suas influências na formação do ser e da sociedade. Essa formação social e do sujeito se dão em um fluxo de mão dupla, ou seja, o homem transforma a cultura que por sua vez transforma o homem. Conforme o pensamento de Levi-Strauss a lei do incesto é o ponto, o elemento chave que tira o homem da natureza, essa consanguínea e a o introduz na cultura, aliança.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 17/09/2014
    José Eduardo Geremias

    Existem várias semelhanças entre as história e as lendas, porém, alguns elementos caracterizam as lendas com algo misterioso. Algumas pessoas também assemelham-se a esta construção vivencial, compartilhando esta experiência com outras pessoas.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 13/09/2014
    José Eduardo Geremias

    A relação que estabelecemos com um livro pode ir além de uma simples leitura. É possível produzir sensações extremamente prazerosa, criando uma atmosfera favorável para a manifestação de diversos sentimentos. A partir de um vínculo edificante, desenvolve-se um verdadeiro laço afetuoso entre livro e leitor.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 30/08/2014

    "Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido." – Lacan O que Lacan queria dizer com essa aparente, ou clara redundância?

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 27/08/2014

    A posição do psicanalista diante do processo analítico deve ser o de não saber. Somos completamente ignorantes considerando a subjetividade e complexidade de cada sujeito, sendo assim, só temos a "aprender".

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/08/2014

    Comments on this article

    0
    cristina 11/10/2010
    este artigo ele mim esclareceu muitas coisas sobre o processo cirugico na obesidade morbida.
    como eu estou prestes a realizar a cirugia gostei muito de ler o artigo
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast