COMO PERCEBE O MUNDO A SUA VOLTA? CUIDADO !!!

26/09/2010 • Por • 329 Acessos

PERCEBER

 

No processo de percepção da realidade, acrescentamos aos dados fornecidos pelos órgãos dos sentidos, as nossas necessidades, emoções, atitudes e os nossos valores . esses fatores são de extrema relevância, porque exercem forte interferência no processo de percepção da realidade; deixando o indivíduo predisposto a pensar ou agir sobre determinada coisa. Ocorre que a percepção que ele tem, a respeito da realidade exterior, pode nem sempre ser coerente. Essas variáveis podem levar a uma ilusão perceptiva do que é real.

A ilusão perceptiva é provocada, em sua grande maioria por fatores emocionais, como: medo, insegurança, pressão social, ansiedade, ciúme, desejos... essa ilusão, de acordo com a freqüência em que ocorre e com a intensidade com a qual se apresenta pode ser considerada normal. Em casos mais extremos já é diagnosticada como uma patologia.

Torna-se imprescindível que as nossas decisões e estratégias sejam tomadas com base em dados confiáveis e oportunos. Para tanto é importante saber lidar com as próprias emoções para evitar que estas interfiram nas atuações. É preciso ter um olhar para a necessidade de se distanciar da emoção, no momento de tomar determinadas posturas.

Devido a uma ilusão perceptiva podemos fazer uma avaliação inadequada de algum comportamento desenvolvido por alguém. Muitas vezes na nossa vida perdemos amigos ou oportunidades, por fazermos uma leitura inadequada do que realmente ocorreu. Fazemos isso por que somos tomados pelos nossos impulsos que embotam nossa percepção. Mas é possível evitar que isso ocorra, para não cometermos danos irreversíveis.

Separar os fatores emocionais, das situações da realidade externa, não é tarefa fácil, mas é de fundamental importância para que as decisões sejam sensatas, inteligentes e eficazes.

Portanto, é relevante que cada indivíduo procure ver além do que aquilo pode se mostrar. Essa percepção pode ser de extrema relevância num processo de decisão. As experiências podem atuar como facilitadores no processo de percepção. Por exemplo: A sensação visual de um objeto arredondado, vermelho e com parte de seu corpo enegrecido, somente será percebido como uma maçã podre se a pessoa souber, antecipadamente, o que é uma maçã, e, dentro deste conhecimento, souber ainda que maçãs apodrecem e, quando apodrecem, adquirem certas características perfeitamente compatíveis com o estímulo sentido. Essa experiência concreta poderá facilitar a percepção, é necessário ter cuidado para que algo que foi vivenciado e deixou marcas negativas, atuem no sentido de impedir uma percepção eficaz. Por que nem sempre as coisas são iguais, deve se considerar, o tempo, a situação, o momento no qual as pessoas envolvidas se encontravam...


O processo perceptivo, na sua leitura da realidade exterior pode ser coerente ou não; somos responsáveis por tentar fazer uma avaliação eficaz. Para tanto precisamos perceber, avaliar e planejar antes de fazer as execuções.


FATORES QUE INTERFEREM NO PROCESSO DE PERCEPÇÃO


SELETIVIDADE: Os nossos órgãos sensoriais, estão durante todo tempo recebendo estímulos do meio externo. A seleção desses estímulos acontece em função dos valores culturais, das experiências, do momento, dos acontecimentos, da idade, dos conhecimentos adquiridos, das necessidades, das atitudes, da estrutura emocional... portanto torna-se possível que uma única coisa seja percebida de várias formas por diferentes pessoas.

EXPERIÊNCIAS: Aquilo que vivemos também pode direcionar a forma como uma pessoa percebe algo que se apresenta na sua vida. É preciso que estejamos atentos para fazermos uma leitura coerente, sem usarmos de preconceitos.

CONDICIONAMENTO: Às vezes estamos condicionados a perceber alguma coisa sempre da mesma forma, e sentimos dificuldade de nos adaptar às mudanças.

FATORES SITUASIONAIS: O que estamos sentindo ou vivendo num determinado momento, como: sede, medo, fome, ansiedade, situação financeira, estado emocional... São fatores que podem ser responsáveis pelo processo perceptivo.


A PERCEPÇÃO DO OUTRO



Na maioria das vezes, percebemos o outro, de acordo com o que temos, com o que somos ou com o que queremos. O preconceito pode nos levar a fazer um julgamento inadequado a respeito de uma pessoa. O nosso estado emocional também pode contribuir de forma significativa, para traçarmos o perfil de alguém.
Pode ocorrer ainda, de conhecermos uma pessoa em certa situação que lhe é adversa, e daí concluirmos que ela é daquela maneira que se apresentou naquele momento. É como se confirmássemos o dizer popular: a primeira impressão é a que fica. Esse julgamento prévio pode nos impedir de conhecer ‘realmente' essa pessoa.

PERCEBEMOS O OUTRO A PARTIR DAS NOSSAS DIFICULDADES, HABILIDADES, DÚVIDAS, ANSIEDADES, FRUSTRAÇÕES, MEDOS... POIS ELE É O NOSSO ESPELHO. É NO OUTRO QUE NOS PERCEBEMOS.




Jemima Morais Veras

Perfil do Autor

Jemima Morais Veras

Psicóloga, graduada pela UFRN. Atendimento psicoteápico à crianças, adolescentes e adultos. Desenvolve psicoterapia de orientação aos pais. Av.  Nascimento de Castro  1738   Lagoa  Nova    Natal/RN   (84) 3206-6766 www.jemimaveras.blogspot.com