Encarando A Cólera E Os Conflitos

09/06/2008 • Por • 1,712 Acessos

 A energia que move o homem e faz com que sua mente funcione provem dos sentimentos e emoções, sem elas o ser humano seria apenas um elemento vegetativo.

Observa-se atualmente que as pessoas envoltas em conflitos de todas as espécies apresentam um estado colérico generalizado e não sabem como se livrar deste hábito. A cólera é uma emoção, uma energia e esta presente em todas as criaturas em forma de impulso, desejo de fazer algo ou impulso de lutar.

Uma manifestação comum da cólera é a frustração, a pessoa pode ser frustrada em seus desejos, impulsos, ambições, esperança ou vontade e a resposta se manifesta imediatamente em forma de cólera. pessoa se dispõe a ler um livro e derrepente chegam visitas a sua casa. Ou quer ficar em casa vendo televisão, mas tem que sair para trabalhar. Inevitavelmente vem a irritação, assim o indivíduo sente se envergonhado por ter perdido o domínio de si mesmo, o respeito dos que observaram sua conduta e um conflito está criado.

Um conflito, ainda que inevitável para o ser humano adulto é uma fonte de tristezas e infelicidade, pois nesta luta, há inquietação, desassossego, tenção, irritabilidade e nervosismo.

A pessoa pode estar sob o domínio de uma forte emoção sem saber. Pode assustar-se, sentir ciúmes, ressentimentos ou estar enamorada sem ter consciência disto. Estes sentimentos se apresentam em formas difíceis de se reconhecer, pensando estar um pouco irritada, na realidade está mesmo é furiosa, ressentida ou apaixonada.

A cólera pode assumir muitas formas, lágrimas, tristeza, perda de concentração, insônia. É uma lei da física que a energia não desaparece; continua acumulando-se, aumentando sua carga até alcançar tais proporções que exigem uma descarga.


Quando o individuo está colérico, é sinal que seu orgulho foi atingido e vencido. O Ego sente-se degradado em seu valor e a cólera se manifesta por que não teve força suficiente para manter o equilíbrio e isto é sinal de fraqueza, a causa reside dentro de nossa própria mente. Nasce uma sensação interna de derrota, sentimento de frustração e se traduz na perda do sentimento de própria importância.

Uma forma de desvio de energia para outros caminhos é o que chamamos de sublimação, utilizando os instintos, desejos e tendências em formas admitidas pelo eu e pela sociedade.

As emoções são forças poderosas que devem ser dirigidas para saídas que proporcionem ao indivíduo alivio e satisfação para suas necessidades.

A sublimação não nega os sentimentos, não nega a individualidade, mas vivifica a ambos. A vitória não significa a ausência de dificuldades, o fracasso não impede o êxito. A desilusão, o sofrimento, a dor, a frustração, o fracasso, pertencem à mesma essência de vida.

Os grandes ideais, a vida pessoal e social se forja com a desilusão, com a frustração, com o sofrimento e todas estas emoções. O medo que representa a insegurança, a cólera que representa o descontentamento e o amor que representa o desejo de segurança pessoal e social.

O homem não deve temer suas emoções, mas sim aprender a se conhecer e se aceitar podendo desta forma construir, desenvolver-se e acima de tudo ser feliz.

Texto baseado em pesquisas na psicologia aplicada ao comportamento.

Perfil do Autor

Carmen N Kuroviski

Empresária,auto didata, pesquisadora do comportamento humano.