Encarando A Cólera E Os Conflitos

Publicado em: 09/06/2008 |Comentário: 1 | Acessos: 1,633 |

 A energia que move o homem e faz com que sua mente funcione provem dos sentimentos e emoções, sem elas o ser humano seria apenas um elemento vegetativo.

Observa-se atualmente que as pessoas envoltas em conflitos de todas as espécies apresentam um estado colérico generalizado e não sabem como se livrar deste hábito. A cólera é uma emoção, uma energia e esta presente em todas as criaturas em forma de impulso, desejo de fazer algo ou impulso de lutar.

Uma manifestação comum da cólera é a frustração, a pessoa pode ser frustrada em seus desejos, impulsos, ambições, esperança ou vontade e a resposta se manifesta imediatamente em forma de cólera. pessoa se dispõe a ler um livro e derrepente chegam visitas a sua casa. Ou quer ficar em casa vendo televisão, mas tem que sair para trabalhar. Inevitavelmente vem a irritação, assim o indivíduo sente se envergonhado por ter perdido o domínio de si mesmo, o respeito dos que observaram sua conduta e um conflito está criado.

Um conflito, ainda que inevitável para o ser humano adulto é uma fonte de tristezas e infelicidade, pois nesta luta, há inquietação, desassossego, tenção, irritabilidade e nervosismo.


A pessoa pode estar sob o domínio de uma forte emoção sem saber. Pode assustar-se, sentir ciúmes, ressentimentos ou estar enamorada sem ter consciência disto. Estes sentimentos se apresentam em formas difíceis de se reconhecer, pensando estar um pouco irritada, na realidade está mesmo é furiosa, ressentida ou apaixonada.

A cólera pode assumir muitas formas, lágrimas, tristeza, perda de concentração, insônia. É uma lei da física que a energia não desaparece; continua acumulando-se, aumentando sua carga até alcançar tais proporções que exigem uma descarga.

Quando o individuo está colérico, é sinal que seu orgulho foi atingido e vencido. O Ego sente-se degradado em seu valor e a cólera se manifesta por que não teve força suficiente para manter o equilíbrio e isto é sinal de fraqueza, a causa reside dentro de nossa própria mente. Nasce uma sensação interna de derrota, sentimento de frustração e se traduz na perda do sentimento de própria importância.

Uma forma de desvio de energia para outros caminhos é o que chamamos de sublimação, utilizando os instintos, desejos e tendências em formas admitidas pelo eu e pela sociedade.

As emoções são forças poderosas que devem ser dirigidas para saídas que proporcionem ao indivíduo alivio e satisfação para suas necessidades.

A sublimação não nega os sentimentos, não nega a individualidade, mas vivifica a ambos. A vitória não significa a ausência de dificuldades, o fracasso não impede o êxito. A desilusão, o sofrimento, a dor, a frustração, o fracasso, pertencem à mesma essência de vida.

Os grandes ideais, a vida pessoal e social se forja com a desilusão, com a frustração, com o sofrimento e todas estas emoções. O medo que representa a insegurança, a cólera que representa o descontentamento e o amor que representa o desejo de segurança pessoal e social.

O homem não deve temer suas emoções, mas sim aprender a se conhecer e se aceitar podendo desta forma construir, desenvolver-se e acima de tudo ser feliz.

Texto baseado em pesquisas na psicologia aplicada ao comportamento.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/encarando-a-colera-e-os-conflitos-443672.html

    Palavras-chave do artigo:

    ccolera e conflitos

    Comentar sobre o artigo

    O presente artigo se refere a uma pesquisa bibliográfica e de campo realizada com dependentes químicos que residem em uma casa de recuperação nomeada ASCORE (Associação Comunitária Recompensa), cuja modalidade é acolhedora. O objetivo da pesquisa foi observar como as ações da mesma, como arteterapia, laborterapia, atividades lúdicas e dinâmicas, contribuem para a autoestima do dependente químico.

    Por: Flávia Oliveira Reisl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/09/2014
    Bruno Moraes

    A ansiedade é um comportamento caracterizado por um estado mental de apreensão ou medo devido à antecipação de uma situação desagradável ou ameaçadora. O foco dessa ameaça antecipada pode ser interna ou externa. Este comportamento é uma reação à crença na falta de habilidade em se lidar com determinado evento.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014 lAcessos: 15
    Bruno Moraes

    Existem momentos na vida em que nos deparamos com situações as quais não temos, ou perdemos a habilidade de lidar de forma adequada com eventos do cotidiano. Seja na infância, adolescência, fase adulta ou mesmo na melhor idade, sempre temos questões a solucionar, e muitas vezes nos encontramos perdidos quanto a qual o melhor caminho a se tomar.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014

    A proposição aqui é tratar a passagem do ser humano da natureza para a cultura e suas influências na formação do ser e da sociedade. Essa formação social e do sujeito se dão em um fluxo de mão dupla, ou seja, o homem transforma a cultura que por sua vez transforma o homem. Conforme o pensamento de Levi-Strauss a lei do incesto é o ponto, o elemento chave que tira o homem da natureza, essa consanguínea e a o introduz na cultura, aliança.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 17/09/2014
    José Eduardo Geremias

    Existem várias semelhanças entre as história e as lendas, porém, alguns elementos caracterizam as lendas com algo misterioso. Algumas pessoas também assemelham-se a esta construção vivencial, compartilhando esta experiência com outras pessoas.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 13/09/2014
    José Eduardo Geremias

    A relação que estabelecemos com um livro pode ir além de uma simples leitura. É possível produzir sensações extremamente prazerosa, criando uma atmosfera favorável para a manifestação de diversos sentimentos. A partir de um vínculo edificante, desenvolve-se um verdadeiro laço afetuoso entre livro e leitor.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 30/08/2014

    "Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido." – Lacan O que Lacan queria dizer com essa aparente, ou clara redundância?

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 27/08/2014

    A posição do psicanalista diante do processo analítico deve ser o de não saber. Somos completamente ignorantes considerando a subjetividade e complexidade de cada sujeito, sendo assim, só temos a "aprender".

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/08/2014

    Precisamos aprender a dizer adeus ao que não nos serve mais apesar do vazio enorme que fica. Precisamos aprender a usar a arte do desapego que nos poupara de dores bem maiores.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajudal 16/07/2011 lAcessos: 313

    Solidão a dois não é tanto saber que o outro jamais lhe completará, mas principalmente o total desprezo e indiferença em relação aos nossos anseios e expectativas, é ser constantemente ignorado e abandonado na presença de alguém. Pensando nisto pesquisei sobre as características narcisista manifesta por esta pessoa numa tentativa de compreender seu comportamento. A ele chamarei de o “Sujeito”.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajudal 29/01/2009 lAcessos: 3,268 lComentário: 6

    O mundo está formado de grupos que se olham com desconfiança crescente. O egoísmo, medo, orgulho não estão espalhados no ar, estão dentro das pessoas que não tem coragem de remover as barreiras que os separam. Nos relacionamentos é freqüente vermos separações por mal entendidos, as pessoas afastam-se magoadas pela falta de compreensão, enfrentando a irritação do parceiro que julga a sua atitude como obstinação e leviandade. Tímidos um perante o outro, começam a seguir caminhos diferentes.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 28/10/2008 lAcessos: 519

    A vida significa movimento constante, evolução, quem não se esforça degrada-se. A característica de nossa época é o desânimo, a desorientação em que vive o homem. Decepcionado com tudo e com todos o homem sofre e a cada dia se desorienta mais. Mesmo estando envolvido em sua atividade social, a sua vida é marcada pela decepção, desorientação, desilusão.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 28/10/2008 lAcessos: 896

    As pessoas entraram num processo de involução, já não conseguem mais discerni o que é certo do que é errado, e mesmo o que for muito errado, se tornou lugar comum, tanto que um assassinato que antes nos deixava chocados, hoje em dia, não passa de uma publicação no jornal, onde a maioria das pessoas passa os olhos rapidamente, sem considerar a monstruosidade desta atitude.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 28/10/2008 lAcessos: 304 lComentário: 2

    É raro encontrar alguém para trocar idéias, o mundinho deles está restrito ao umbigo, e torna-se impossível ficar calada diante de tanta mediocridade...A falência intelectual é soberana, e não se encontra um ser com capacidade para o diálogo mais apurado.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 28/10/2008 lAcessos: 573 lComentário: 1

    As emoções e os sentimentos proporcionam a energia que faz funcionar a mente. As emoções do temor, da cólera, do amor trazem profundas alterações fisiológicas ao corpo. Se alguém recebe um tapa e se encoleriza ou se lhe apontam um arma e sente medo, as alterações fisiológicas são as mesmas o coração bate com mais força, aumenta a pressão e a quantidade de açúcar no sangue, a digestão fica paralisada. O propósito deste mecanismo biológico é preparar o corpo para fugir, lutar assegurar sua sobrevivência. Observando estes fatos concluímos que o problema de dirigir as emoções e sentimentos é o problema da energia, o manejo da força dinâmica.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 09/06/2008 lAcessos: 775

    Você já confiou em alguém e foi traído? É muito ruim. Quando a confiança em alguém acaba, parece que algo em nós morreu, ficamos arrasados, a auto-estima cai lá embaixo. Ficamos revoltados, cheios de ódio, dor, inteiramente magoados, crendo que jamais voltaremos a confiar em quem quer que seja.

    Por: Carmen N Kuroviskil Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 09/06/2008 lAcessos: 33,696 lComentário: 2

    Comments on this article

    0
    SOMBRA 09/06/2009
    Então, a mulheer perguntou:
    "_Deus, o que meu marido deveria fazer para ficar rico?"
    E Deus respondeu:
    "_Ele deveria livrar-se da 'cólera dos vencidos'"
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast