Hiv Aids

Publicado em: 25/11/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 1,270 |

A Aids, “Síndrome de Imunodeficiência Adquirida” do inglês Acquired Immuno Deficiency Syndrome, e considerada pela Organização Mundial da Saúde uma enfermidade de caráter epidêmico, e ate o momento não foi encontrada uma vacina eficaz para o seu tratamento. A Aids é o resultado da infecções  do organismo  pelo vírus HIV, ele afeta o sistema imunológico  que perde sua eficiência progressivamente abrindo caminho para infecções  oportunistas e certos tipos de câncer. Em sistesis, a Aids e um conjunto de signos e sintomas que advertem a etapa mais avançada da infecção  pelo HIV.

            A origem do vírus HIV “Vírus da Imunodeficiência  Humana”, ainda e incerta, mas sua propagação teve inicio anos antes do surgimento dos primeiros casos devidamente registrados como tal. Como os sintomas da AIDS podem demorar anos em aparecer, neste espaço de tempo ele pode ser transmitido a outras pessoas, sem que o soropositivo, pessoa que vive com o vírus HIV, este consciente de seu estado de saúde.

O primeiro diagnostico de infecções oportunistas decorrentes do HIV foi publicado em junho de 1981 no boletim  do Centro de Controle de Doenças na cidade de Atlânta nos Estados Unidos.  Em 1983 o Instituto Pasteur da Franca  e o instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos isolaram o vírus dando inicio a pesquisas que permitiram em 1996 o surgimento da terapias anti-retrovirais, mais conhecidas como “coquetel”. O eficácia destes novos medicamentos resultou em uma diminuição de 80% dos casos de internação hospitalar e diminuiu significativamente o numero de óbitos.

Os medicamentos a disposição das pessoas portadoras do vírus HIV si por um lado tem conseguido diminuir a incidência das infecções  oportunistas, por outro, ainda não são capazes de eliminar-lo do organismo .A AIDS ainda não tem cura,  a informação  e  a prevenção ainda são as melhores armas contra o vírus, mais a informação não é tudo, é necessário fazer uso dela e encarar o HIV de maneira responsável . Existe um mundo de diferença entre o que eu sei, e o que eu faço.

Paulo Bonança C.R.P 05-30190
Psicólogo e Sexólogo
Diplomado em Sexualidade Humana pela Universidade Diego Portales- Chile-
Autor da Tese “A AIDS entre os homossexuais; A confissão da soropositividade ao interior da família”.
 Membro da SBRASH (Sociedade Brasileira de Estudos da Sexualidade Humana)
Rio de Janeiro, Copacabana Telefone: (21)  2236-3899,  9783-9766
www.paulobonanca.com  
paulopsi2000@yahoo.com.br

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/hiv-aids-658584.html

    Palavras-chave do artigo:

    hiv

    ,

    aids

    ,

    paulo bonanca

    Comentar sobre o artigo

    Uma visao atualizada sobre 3 processos importantes iniciados nos anos 80

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/11/2008 lAcessos: 823

    familia, discriminacao, hiv-aids, Síndrome de Imunodeficiência Adquirida. A aceitação do sujeito e a troca de informações dentro da família geram um apoio emocional

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/11/2008 lAcessos: 2,200 lComentário: 1

    Desde a sua identificação em 1984, o vírus causador da AIDS “Síndrome de Imunodeficiência Adquirida” vem sendo estudado e combatido com firmeza pela ciência. Na atualidade o portador do vírus HIV “Vírus da Imunodeficiência Humana”, encontra na terapia anti-retroviral um aliado, colocando o soropositivo “pessoa que vive com o vírus HIV” na situação de portador de uma enfermidade crônica tratável.

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/11/2008 lAcessos: 703

    De um modo amplo podemos entender o bareback (tradução literal; montar a pelo) como a prática do sexo anal sem preservativo, seja ele praticado entre homossexuais, bissexuais ou heterossexuais. Consiste em uma prática sexual difundida principalmente nos Estados Unidos e Europa mas com simpatizantes também no Brasil.

    Por: Paulo Bonancal Relacionamentos> Sexualidadel 20/11/2008 lAcessos: 20,393 lComentário: 3

    O presente artigo se refere a uma pesquisa bibliográfica e de campo realizada com dependentes químicos que residem em uma casa de recuperação nomeada ASCORE (Associação Comunitária Recompensa), cuja modalidade é acolhedora. O objetivo da pesquisa foi observar como as ações da mesma, como arteterapia, laborterapia, atividades lúdicas e dinâmicas, contribuem para a autoestima do dependente químico.

    Por: Flávia Oliveira Reisl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/09/2014
    Bruno Moraes

    A ansiedade é um comportamento caracterizado por um estado mental de apreensão ou medo devido à antecipação de uma situação desagradável ou ameaçadora. O foco dessa ameaça antecipada pode ser interna ou externa. Este comportamento é uma reação à crença na falta de habilidade em se lidar com determinado evento.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014 lAcessos: 15
    Bruno Moraes

    Existem momentos na vida em que nos deparamos com situações as quais não temos, ou perdemos a habilidade de lidar de forma adequada com eventos do cotidiano. Seja na infância, adolescência, fase adulta ou mesmo na melhor idade, sempre temos questões a solucionar, e muitas vezes nos encontramos perdidos quanto a qual o melhor caminho a se tomar.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014

    A proposição aqui é tratar a passagem do ser humano da natureza para a cultura e suas influências na formação do ser e da sociedade. Essa formação social e do sujeito se dão em um fluxo de mão dupla, ou seja, o homem transforma a cultura que por sua vez transforma o homem. Conforme o pensamento de Levi-Strauss a lei do incesto é o ponto, o elemento chave que tira o homem da natureza, essa consanguínea e a o introduz na cultura, aliança.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 17/09/2014
    José Eduardo Geremias

    Existem várias semelhanças entre as história e as lendas, porém, alguns elementos caracterizam as lendas com algo misterioso. Algumas pessoas também assemelham-se a esta construção vivencial, compartilhando esta experiência com outras pessoas.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 13/09/2014
    José Eduardo Geremias

    A relação que estabelecemos com um livro pode ir além de uma simples leitura. É possível produzir sensações extremamente prazerosa, criando uma atmosfera favorável para a manifestação de diversos sentimentos. A partir de um vínculo edificante, desenvolve-se um verdadeiro laço afetuoso entre livro e leitor.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 30/08/2014

    "Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido." – Lacan O que Lacan queria dizer com essa aparente, ou clara redundância?

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 27/08/2014

    A posição do psicanalista diante do processo analítico deve ser o de não saber. Somos completamente ignorantes considerando a subjetividade e complexidade de cada sujeito, sendo assim, só temos a "aprender".

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/08/2014

    A luta dos movimentos que reivindicam a visibilidade da mulher de orientação sexual homolésbica enfrenta hoje uma dupla batalha: uma frente à sociedade patriarcal, determinista, estruturalista, centrada na figura da dona de casa submissa ao esposo, mãe dedicada , despojada de autonomia econômica e liderança social

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/11/2008 lAcessos: 355

    Nossa primeira referencia biológica vinculada ao sexo que pertencemos vem do ter ou não ter pênis, daí talvez venha o medo de se vincular o pênis pequeno ao feminino, ao clitóris, à vagina

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/11/2008 lAcessos: 2,915 lComentário: 1

    O desejo como parte intrínseca do homem como gênero humano, não explicita suas motivações, nem filosofa sobre a configuração e eleição do seu objeto de prazer, é atemporal, vincula-se entre o passado e o futuro, se atualiza no presente, como motor e aditivo dos mecanismos da busca da satisfação

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/11/2008 lAcessos: 1,942 lComentário: 1

    Indicações para a busca de um psicoterapeuta sintonizado com a causa GLS

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 25/11/2008 lAcessos: 322

    Aportes de Kinsey e Foucault Este artigo, é uma homenagem a dois grandes guerreiros modernos, que a seu tempo e de seu modo contribuíram para a visão que temos hoje, sobre a sexualidade humana e a seus atuais seguidores.

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 25/11/2008 lAcessos: 986 lComentário: 1

    familia, discriminacao, hiv-aids, Síndrome de Imunodeficiência Adquirida. A aceitação do sujeito e a troca de informações dentro da família geram um apoio emocional

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/11/2008 lAcessos: 2,200 lComentário: 1

    Uma visao atualizada sobre 3 processos importantes iniciados nos anos 80

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/11/2008 lAcessos: 823

    ....Quarto escuro, corpos desnudos ou quase, sussurros, mãos, pernas, bocas, pênis, sujeitos incógnitos, braços e abraços, beijos, sexo oral, anal, grupal. A situação privilegia o tato, a visão é descartada, vale o prazer sem limite, um , dois, três, quatro.... enfim, viemos para isto e não para outra coisa, façamos sem barreiras, limitações, juízos de valor ou repressões, afinal é imaginar que somos atores/personagens do teatro do desejo, encenando a peça: “nos domínios do baú do porão”....

    Por: Paulo Bonancal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/11/2008 lAcessos: 576 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast