MÉDICO; CURA-TE A TI MESMO!

Publicado em: 21/10/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 282 |

A arrogância (a quintessência do orgulho) - um dos sete pecados capitais - comparece como o sintoma mais corriqueiro do não-conhecimento (ignorância).

Não é à toa que até na linguagem, ignorância rima com arrogância. É de fascinar qualquer pessoa medianamente inteligente a paixão com que uma pessoa ignorante se arroga de pseudo conhecimento, experiência e/ou vivência.

Também existe aquela pessoa que é arrogante por causa do seu vasto conhecimento sobre uma área profissional.

Começamos a imaginar qual seria o esquema mental, em forma de pensamento e o conseqüente sentimento, que faz uma pessoa que desconhece, conhece pouco ou muito um assunto, declarar e afirmar com tanta convicção um saber adquirido (ou não).

Segundo Daniel Goleman, Ph. D. - em seu livro Mentiras Essenciais, Verdades Simples – a auto-ilusão está presente nas interações sociais de qualquer pessoa. Mentir socialmente para evitar situações constrangedoras serve como um "lubrificante" social, mas é necessário vigiar para não cair no exagero.

A "verdade vos libertará" das religiões reconhece o poder curativo da verdade. Grande conhecimento e vasta experiência enriquecem o saber intelectual, mas não irrigam a Inteligência Emocional.

A razão de alguns amarem e de odiarem o seriado House M.D., do estúdio Universal Pictures é a aceitação ou não de sua obsessão em procura da verdade sobre um caso clínico que seduziu e desafiou sua capacidade profissional.

Na procura da verdade o Dr. House não tem "luvas de pelica" para tratar os pacientes, nem os colegas da equipe e tampouco os funcionários do hospital. Em sua busca, não hesita em "alfinetar" quem der opiniões, palpites e diagnósticos que ele já eliminou ou considerou insuficientes para desvendar a causa dos sintomas do paciente em tratamento.

Um profissional especialista tem direito ser arrogante?

Pode se dar ao luxo de mostrar indiferença, ironia ou até mesmo sarcasmo em quem não tem o mesmo grau de conhecimento dele?

Poder até que pode, mas não deveria.

"Disse-lhes Jesus quando estava na sinagoga em sua terra Nazaré: Sem dúvida me direis este provérbio Médico cura-te a ti mesmo (Lucas 4:23). Jesus havia sido criado ali e  por O conhecerem desde pequeno, era em sua terra os que mais descriam dele. E ali Jesus não poderia fazer "grandes milagres" devido à incredulidade de seu povo e  pela falta de fé deles (Lucas 4: 16 - 22)."

Contrário à crença popular, a frase não foi para escarnecer do pessoal médico, mas para que instrospectivamente as pessoas se vejam a si mesmas e aos outros tais como são; com virtudes e defeitos.  Enfatiza principalmente o dito popular "santo de casa não faz milagres" em que as pessoas mais próximas de nós possuem a descrença em nossa capacidade de resolver algum problema.

Jesus disse que quando um cego guia outro cego ambos caem na vala (Mt 15:14).

A humildade é uma disciplina que se pratica consigo mesmo. É ela que vigia e regula nosso termômetro emocional, proporcionando brotar no mar das emoções outras virtudes como a temperança, prudência, bondade, justiça, fé, esperança e caridade.

Você sabia que no Antigo Testamento um sacerdote não podia servir na casa de Deus se ele tivesse uma ferida? (Lev 21:20.) Por quê?  Porque quando você tem uma ferida você não está em condição de igualdade com a as outras pessoas. E o que é pior, você fica tão ocupado trabalhando e cuidando dos outros que acha que não tem tempo de parar e cuidar de si mesmo.

É errado ter algum tipo de ferida?  Não, mas é errado não tratar dela.  Para sermos curados precisamos acreditar em três coisas:

 

primeiro que estamos doentes;

segundo que um médico está capacitado a nos curar;  e...

terceiro que a cura final e completa vem de dentro de nós mesmos.

 

Essa terceira condição indica que tanto o consciente quanto o nosso inconsciente deve participar do processo da cura de nossas feridas (doenças).

Trazemos - a maioria das pessoas - desde a nossa infância lembranças não muito agradáveis de remédios, médicos, enfermeiros, hospitais e farmácias. São gostos de remédios amargos, dores de picadas de injeções e vacinas variadas além de ardores de curativos múltiplos e outros traumas que ficaram registrados no inconsciente de nossa cabecinha infantil.

Se não trabalharmos a parte emocional que ficou lá na infância, tendemos a rejeitar e criar má-vontade a qualquer tipo de tratamento médico, dificultando a nossa própria cura.

Até a classe médica que atende e assiste problemas nosológicos (doenças físicas) já está reconhecendo o valor da psicoterapia como coadjuvante em qualquer tipo de tratamento aplicado.

Assim, a recomendação de pelo menos duas sessões com um psicoterapeuta em conjunto com o tratamento médico tradicional faz com que o emocional do paciente se engaje no processo de cura completa e final, resultando em um procedimento eficiente e eficaz.

 


Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/medico-cura-te-a-ti-mesmo-3519461.html

    Palavras-chave do artigo:

    orgulho humildade verdade dr house virtudes psicoterapia arrogancia

    Comentar sobre o artigo

    Natalia Luiza Lopes

    O campo de ação da psicanálise situa-se na fala, onde o inconsciente se manifesta, através de atos falhos, esquecimentos, chistes e de relatos de sonhos, enfim, em fenômenos que Lacan nomeia como "formações do inconsciente".

    Por: Natalia Luiza Lopesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 04/04/2015

    A violência de abuso sexual intrafamiliar aponta como autores pessoas que são de extrema confiança da criança e do adolescente, sendo estes padrastos, pais, irmãos, tios, e até mesmo mães. Assim existe na criança uma situação conflituosa de amor e ódio, e é extremamente relevante o acompanhamento psicológico que em muitas vezes, é necessário acontecer por toda vida. A referida pesquisa é de caráter bibliográfico com referências que contribuem para a construção deste estudo e de abordagem quantit

    Por: ELIZETE RIBEIRO SALESl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/03/2015 lAcessos: 14
    Emanuela Silva de Sant'ana

    As doenças mentais sempre provocaram no homem o desejo de estudos e pesquisas que o levassem a um possível entendimento sobre os fenômenos psíquicos. Pode-se dizer que compreender o adoecimento mental sugere uma forma de tentar evitá-lo, de tornar-se vítima dele. A partir desta ótica encontram-se na contemporaneidade.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015 lAcessos: 21
    Emanuela Silva de Sant'ana

    Este artigo discute a temática do sintoma na criança e sua relação com a dinâmica familiar e quais as implicações na formação da subjetividade do sujeito. E tratando-se de uma discussão em psicanálise, trará um enfoque diferenciado em torno do sintoma e sua construção na criança. Chamando a atenção da escuta analítica para o lugar da família na clínica com crianças.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015
    Emanuela Silva de Sant'ana

    Este trabalho visa apresentar uma revisão bibliografica sobre a problemática das afetações e dos fenômenos de ansiedade e depressão na adolescência no cenário social exposto na contemporaneidade. Serão abordados o pensamento de teóricos que muito têm se preocupado com com as discussões a cerca do tema nos dias de hoje.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015 lAcessos: 12

    O presente artigo baseia-se na experiência pessoal de Psicoterapia realizada por uma Psicóloga na qual descreve seus diálogos internos e as transformações que vão ocorrendo em sua vida ao longo da terapia. Com uma narrativa autobiográfica, o texto visa explicitar caminhos possíveis de crescimento e amadurecimento pessoal através da processo psicoterápico de um modo lúdico e único.

    Por: Monika Mastrantoniol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 21/02/2015 lAcessos: 21
    CARLEIAL. Bernardino Mendonça

    Trabalho de Psicobiologia em que o Autor analisa e expõe os graves conflitos psicossomáticos derivados do comportamento Sado-Masoquista presente na maioria das famílias atuais.

    Por: CARLEIAL. Bernardino Mendonçal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 15/01/2015 lAcessos: 20
    Psicologa Maris V. Botari

    O artigo trata sobre algumas variáveis que dificultam a expresão de sentimentos, emoções e atitudes, levando os indivíduos a apresentarem dificuldades de relacionamento social, afetivo e familiar

    Por: Psicologa Maris V. Botaril Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 11/01/2015 lAcessos: 19
    Carlos Magno Perin

    Essa abordagem foca - de maneira simples - o transtorno mais comum de jovens que podem levar a outros transtornos, incluindo o destrutivo antissocial coletivo que por sua violência gratuita choca a opinião pública, deixando-a confusa e com um grande sentimento de impotência.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 19/04/2011 lAcessos: 355
    Carlos Magno Perin

    A abordagem do tema focaliza superficialmente a complexidade do relacionamento do Sujeito com o Outro. São nos atritos das relações sociais que encontramos as origens dos conflitos da humanidade em qualquer agrupamento humano (país - religiões - comunidades- famílias, etc.)

    Por: Carlos Magno Perinl Relacionamentos> Relações Amorosasl 14/04/2011 lAcessos: 283
    Carlos Magno Perin

    Nada se tornou tão comum quanto o conflito entre as pessoas que formam os casais dos dias de hoje. A maioria dos homens e mulheres não estão valorizando o NÓS por causa do EU e do MEU tão inflamados pela cultura desta sociedade consumista. Embalados pelo narcisismo individual de cada membro do casal, essa pseudo sociedade acaba tornando a família um campo de batalha onde qualquer vitória tem sabor amargo de uma grande derrota.

    Por: Carlos Magno Perinl Relacionamentos> Relações Amorosasl 04/01/2011 lAcessos: 392
    Carlos Magno Perin

    Cozinhar é uma arte, dizem muitos. Outros falam que é pura química , somente ciência molecular. Mas grande parte de pessoas que lidam com o forno e fogão são unânimes em afirmar que qualquer que seja o prato ou guloseima que se faça, o único "tempero" que não pode faltar é a boa vontade (amor) em seu preparo.

    Por: Carlos Magno Perinl Culinária> Receitasl 05/11/2010 lAcessos: 216
    Carlos Magno Perin

    Esta abordagem da psicanálise social tenta explicar de forma naturalista, mas mesclando tanto a ótica biológica como a psíquica, o desencontro existente na relação homem/mulher, bem como colocar em foco a responsabilidade da mulher na formação dos filhos que serão os futuros cidadãos na atual sociedade.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/11/2010 lAcessos: 236
    Carlos Magno Perin

    Essa abordagem rápida e superficial tem com objetivo focar os mecanismos usados para nos defendermos de situações em que nos sentimos ameaçados, embora a tal ameaça não seja sempre real.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/10/2010 lAcessos: 422
    Carlos Magno Perin

    Uma abordagem teatralizada de situações comuns nas vidas das pessoas - principalmente casais - e que provocam reações em que a raiva não controlada pelo bom senso pode levar desde as situações constrangedoras até às trágicas.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/10/2010 lAcessos: 294
    Carlos Magno Perin

    A abordagem desse artigo é feita sobre a articulação da Terapia Cognitiva com a Inteligência Emocional. Informa também o conceito de algumas terapias dentro desse campo, bem como as novas formas de execução terapêutica que evoluíram até o século XXI.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 19/10/2010 lAcessos: 301
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast