MÉDICO; CURA-TE A TI MESMO!

Publicado em: 21/10/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 264 |

A arrogância (a quintessência do orgulho) - um dos sete pecados capitais - comparece como o sintoma mais corriqueiro do não-conhecimento (ignorância).

Não é à toa que até na linguagem, ignorância rima com arrogância. É de fascinar qualquer pessoa medianamente inteligente a paixão com que uma pessoa ignorante se arroga de pseudo conhecimento, experiência e/ou vivência.

Também existe aquela pessoa que é arrogante por causa do seu vasto conhecimento sobre uma área profissional.

Começamos a imaginar qual seria o esquema mental, em forma de pensamento e o conseqüente sentimento, que faz uma pessoa que desconhece, conhece pouco ou muito um assunto, declarar e afirmar com tanta convicção um saber adquirido (ou não).

Segundo Daniel Goleman, Ph. D. - em seu livro Mentiras Essenciais, Verdades Simples – a auto-ilusão está presente nas interações sociais de qualquer pessoa. Mentir socialmente para evitar situações constrangedoras serve como um "lubrificante" social, mas é necessário vigiar para não cair no exagero.

A "verdade vos libertará" das religiões reconhece o poder curativo da verdade. Grande conhecimento e vasta experiência enriquecem o saber intelectual, mas não irrigam a Inteligência Emocional.

A razão de alguns amarem e de odiarem o seriado House M.D., do estúdio Universal Pictures é a aceitação ou não de sua obsessão em procura da verdade sobre um caso clínico que seduziu e desafiou sua capacidade profissional.

Na procura da verdade o Dr. House não tem "luvas de pelica" para tratar os pacientes, nem os colegas da equipe e tampouco os funcionários do hospital. Em sua busca, não hesita em "alfinetar" quem der opiniões, palpites e diagnósticos que ele já eliminou ou considerou insuficientes para desvendar a causa dos sintomas do paciente em tratamento.

Um profissional especialista tem direito ser arrogante?

Pode se dar ao luxo de mostrar indiferença, ironia ou até mesmo sarcasmo em quem não tem o mesmo grau de conhecimento dele?

Poder até que pode, mas não deveria.

"Disse-lhes Jesus quando estava na sinagoga em sua terra Nazaré: Sem dúvida me direis este provérbio Médico cura-te a ti mesmo (Lucas 4:23). Jesus havia sido criado ali e  por O conhecerem desde pequeno, era em sua terra os que mais descriam dele. E ali Jesus não poderia fazer "grandes milagres" devido à incredulidade de seu povo e  pela falta de fé deles (Lucas 4: 16 - 22)."

Contrário à crença popular, a frase não foi para escarnecer do pessoal médico, mas para que instrospectivamente as pessoas se vejam a si mesmas e aos outros tais como são; com virtudes e defeitos.  Enfatiza principalmente o dito popular "santo de casa não faz milagres" em que as pessoas mais próximas de nós possuem a descrença em nossa capacidade de resolver algum problema.

Jesus disse que quando um cego guia outro cego ambos caem na vala (Mt 15:14).

A humildade é uma disciplina que se pratica consigo mesmo. É ela que vigia e regula nosso termômetro emocional, proporcionando brotar no mar das emoções outras virtudes como a temperança, prudência, bondade, justiça, fé, esperança e caridade.

Você sabia que no Antigo Testamento um sacerdote não podia servir na casa de Deus se ele tivesse uma ferida? (Lev 21:20.) Por quê?  Porque quando você tem uma ferida você não está em condição de igualdade com a as outras pessoas. E o que é pior, você fica tão ocupado trabalhando e cuidando dos outros que acha que não tem tempo de parar e cuidar de si mesmo.

É errado ter algum tipo de ferida?  Não, mas é errado não tratar dela.  Para sermos curados precisamos acreditar em três coisas:

 

primeiro que estamos doentes;

segundo que um médico está capacitado a nos curar;  e...

terceiro que a cura final e completa vem de dentro de nós mesmos.

 

Essa terceira condição indica que tanto o consciente quanto o nosso inconsciente deve participar do processo da cura de nossas feridas (doenças).

Trazemos - a maioria das pessoas - desde a nossa infância lembranças não muito agradáveis de remédios, médicos, enfermeiros, hospitais e farmácias. São gostos de remédios amargos, dores de picadas de injeções e vacinas variadas além de ardores de curativos múltiplos e outros traumas que ficaram registrados no inconsciente de nossa cabecinha infantil.

Se não trabalharmos a parte emocional que ficou lá na infância, tendemos a rejeitar e criar má-vontade a qualquer tipo de tratamento médico, dificultando a nossa própria cura.

Até a classe médica que atende e assiste problemas nosológicos (doenças físicas) já está reconhecendo o valor da psicoterapia como coadjuvante em qualquer tipo de tratamento aplicado.

Assim, a recomendação de pelo menos duas sessões com um psicoterapeuta em conjunto com o tratamento médico tradicional faz com que o emocional do paciente se engaje no processo de cura completa e final, resultando em um procedimento eficiente e eficaz.

 


Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/medico-cura-te-a-ti-mesmo-3519461.html

    Palavras-chave do artigo:

    orgulho humildade verdade dr house virtudes psicoterapia arrogancia

    Comentar sobre o artigo

    Bruno Moraes

    A TPM ou síndrome da tensão pré-menstrual (STPM) é um distúrbio neuropsicoendócrino que atinge a mulher na fase reprodutiva gerando alterações físicas, psíquicas e sociais, ocorrendo na segunda metade do ciclo menstrual, e desaparecendo nos primeiros dias após a menstruação. A TPM é responsável pelo comprometimento dos relacionamentos e da produtividade da mulher, afetando o ambiente familiar, social, escolar e profissional...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 29/10/2014

    A música como sabemos e já comentamos, é composta por silêncio, letra e melodia, em outras palavras é Real, Simbólico e Imaginário. É nesses três elementos de composição musical a qual quero fazer referencia a topografia dos três registros.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/10/2014
    Bruno Moraes

    A síndrome do pânico, denominada pela psiquiatria como transtorno do pânico, é um tipo de transtorno de ansiedade caracterizado por ataques súbitos de medo e desespero, um mal-estar intenso que alcança sua intensidade máxima em até 10 minutos. A pessoa tem a clara sensação de que vai morrer, ou que um mal súbito irá acontecer com ela. O pensamento de que existe uma doença perigosa acometendo o seu corpo, geralmente percorre a mente de quem passa por essa enfermidade. Sintomas relacionados são...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/10/2014

    O estudo da psicomotricidade é de fundamental importância para se averiguar o desenvolvimento das competências e habilidades das crianças. Para efeito de estudo, tem-se por referencial teórico-metodológico as reflexões elaboradas por Henri Wallon, dentre outros teóricos ligados ao assunto em questão, cujos trabalhos utilizamos na elaboração e no desenvolvimento do presente artigo.

    Por: Jeniffer Souzal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 07/10/2014

    O tema que se apresenta trata da importância da família na recuperação dos adolescentes que integram a Ong Proreavi. Para uma melhor realização do projeto, foram feitas pesquisas bibliográficas e também em campo. Foi escolhida uma instituição que atende adolescentes de diferenças faixas etárias para que pudéssemos entender melhor através da observação qual a importância que a família exerce na recuperação dos mesmos.

    Por: Angélica Aparecida Oliveiral Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 04/10/2014

    O presente artigo visa apresentar os resultados do trabalho desenvolvido no Colégio Educacional de Itaú de Minas que teve como objetivo compreender os aspectos que envolvem e favorecem a inclusão no âmbito escolar e o trabalho com professores e diretores da escola, discutindo e promovendo ações que contribuem para que a prática inclusiva aconteça no cotidiano escolar de uma forma mais abrangente e significativa.

    Por: Neiliane C. de Ol. Nascimentol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 03/10/2014
    Bruno Moraes

    O TAG é uma das manifestações dos transtornos de ansiedade que atinge uma parcela significativa da população, os critérios para o diagnóstico deve apresentar: Por um período de pelo menos 6 meses, na maioria dos dias, a pessoa apresenta ansiedade e/ou preocupação excessiva na maioria das suas atividades diárias, com prejuízos significativos...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 01/10/2014
    Bruno Moraes

    O amor obsessivo ou patológico se da quando o desequilíbrio interno da pessoa a leva a dependência de seu parceiro. No amor patológico, a pessoa ama loucamente, freneticamente, sem se importar se o objeto de seu amor tem a menor intenção de corresponder esse sentimento...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 01/10/2014 lAcessos: 13
    Carlos Magno Perin

    Essa abordagem foca - de maneira simples - o transtorno mais comum de jovens que podem levar a outros transtornos, incluindo o destrutivo antissocial coletivo que por sua violência gratuita choca a opinião pública, deixando-a confusa e com um grande sentimento de impotência.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 19/04/2011 lAcessos: 326
    Carlos Magno Perin

    A abordagem do tema focaliza superficialmente a complexidade do relacionamento do Sujeito com o Outro. São nos atritos das relações sociais que encontramos as origens dos conflitos da humanidade em qualquer agrupamento humano (país - religiões - comunidades- famílias, etc.)

    Por: Carlos Magno Perinl Relacionamentos> Relações Amorosasl 14/04/2011 lAcessos: 271
    Carlos Magno Perin

    Nada se tornou tão comum quanto o conflito entre as pessoas que formam os casais dos dias de hoje. A maioria dos homens e mulheres não estão valorizando o NÓS por causa do EU e do MEU tão inflamados pela cultura desta sociedade consumista. Embalados pelo narcisismo individual de cada membro do casal, essa pseudo sociedade acaba tornando a família um campo de batalha onde qualquer vitória tem sabor amargo de uma grande derrota.

    Por: Carlos Magno Perinl Relacionamentos> Relações Amorosasl 04/01/2011 lAcessos: 378
    Carlos Magno Perin

    Cozinhar é uma arte, dizem muitos. Outros falam que é pura química , somente ciência molecular. Mas grande parte de pessoas que lidam com o forno e fogão são unânimes em afirmar que qualquer que seja o prato ou guloseima que se faça, o único "tempero" que não pode faltar é a boa vontade (amor) em seu preparo.

    Por: Carlos Magno Perinl Culinária> Receitasl 05/11/2010 lAcessos: 200
    Carlos Magno Perin

    Esta abordagem da psicanálise social tenta explicar de forma naturalista, mas mesclando tanto a ótica biológica como a psíquica, o desencontro existente na relação homem/mulher, bem como colocar em foco a responsabilidade da mulher na formação dos filhos que serão os futuros cidadãos na atual sociedade.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/11/2010 lAcessos: 217
    Carlos Magno Perin

    Essa abordagem rápida e superficial tem com objetivo focar os mecanismos usados para nos defendermos de situações em que nos sentimos ameaçados, embora a tal ameaça não seja sempre real.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/10/2010 lAcessos: 401
    Carlos Magno Perin

    Uma abordagem teatralizada de situações comuns nas vidas das pessoas - principalmente casais - e que provocam reações em que a raiva não controlada pelo bom senso pode levar desde as situações constrangedoras até às trágicas.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/10/2010 lAcessos: 269
    Carlos Magno Perin

    A abordagem desse artigo é feita sobre a articulação da Terapia Cognitiva com a Inteligência Emocional. Informa também o conceito de algumas terapias dentro desse campo, bem como as novas formas de execução terapêutica que evoluíram até o século XXI.

    Por: Carlos Magno Perinl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 19/10/2010 lAcessos: 290
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast