O ABC da TCC e os pensamentos automáticos

Publicado em: 26/08/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 425 |

O ABC da TCC e os pensamentos automáticos

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) trabalha com a hipótese de que nossas cognições influenciam nossas emoções que por sua vez influenciam nossos comportamentos e reações fisiológicas. Com base nisso, diferentemente do que muitos acreditam, não são as situações ou acontecimentos que definem como nos sentimos ou como agimos, mas sim a percepção ou interpretação que damos para esses eventos, ou seja, a explicação que por nós é dada.

Essa percepção ou explicação da realidade objetiva provém de pensamentos (também chamados de cognições), os quais dão o tom de como nós vemos as coisas. Sendo assim, nós não nos relacionamos diretamente com a realidade objetiva, mas com a interpretação que fazemos dela.

Essas interpretações surgem em nossas mentes, podendo vir em forma de pensamento ou imagem. São chamados de pensamentos automáticos (P.A.) e diferentemente dos pensamentos conscientes e voluntários, sobre estes nós não temos controle. Eles vêm e da mesma maneira se vão, sem muitas vezes nos darmos conta deles. Simplesmente, "aparecem em nossas cabeças", sem ser fruto do desejo ou reflexão e, mesmo que não saibamos de sua existência (pois geralmente são breves e fugazes), influenciam nosso estado de humor e podem causar ou influenciar certas emoções. Por não termos "consciência" de sua existência, geralmente não são questionados e são aceitos como verdadeiros.

A todo momento estamos tendo diferentes tipos de pensamento e quando percebemos alguma alteração de humor, uma nova emoção surgindo, uma reação fisiológica ou ainda uma intenção de emitir um comportamento ou a ação em si, todos esses fenômenos foram fruto do pensamento que se antecipou a eles.

A tabela (ABC) abaixo demonstra essa seqüência de maneira mais visual e didática:

A – Ativador

B -  (Beliefs) Pensamentos

 

C – Conseqüências

 

Evento ou situação ativadora (Gatilho/estímulo)

Pergunta chave: "O que está

passando na minha

cabeça?"

Emoção, reação fisiológica, comportamento.

 

Dessa maneira, se percebermos que diante de uma situação ativadora (A), temos um pensamento automático (B), que gera conseqüências (C), podemos nos fazer uso dessa informação. É justamente isso que a TCC faz logo no início de seu processo. Ela propõe que se monitore (preste-se atenção) sempre que haja alguma mudança no humor ou uma nova emoção, ao que se "acabou de passar pela cabeça" ou, se faça a pergunta: "O que estava passando na minha cabeça ainda agora?". Este é o início de um processo de mudança cognitivo-comportamental.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/o-abc-da-tcc-e-os-pensamentos-automaticos-5164809.html

    Palavras-chave do artigo:

    tcc

    ,

    terapia cognitiva

    ,

    terapia cognitivo comportamental

    Comentar sobre o artigo

    Os modelos Cognitivo-comportamentais do Transtorno do Pânico dão importância central no papel da cognição no desenvolvimento e na manutenção do pânico (temor de sensações de ansiedade, atenção a sensações físicas e cognições relacionadas a ameaças).

    Por: Júlio Alvesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 15/11/2011 lAcessos: 199

    A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) é uma linha de psicoterapia breve, proposta e desenvolvida pelo psicólogo Aaron Beck. Envolve uma série de técnicas e estratégias terapêuticas com a finalidade de mudança de padrões de pensamento. Encontre psicólogos especializados em terapia comportamental cognitiva em Sorocaba e em terapia cognitiva em Brasilia DF.

    Por: Intercoml Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 21/01/2013 lAcessos: 50

    Um episódio de depressão maior envolve pelo menos 2 semanas de humor deprimido ou perda de interesse, acompanhada por quatro ou mais sintomas. O episódio depressivo pode ser categorizado, quanto a gravidade em leve, moderado, grave ou grave com características psicóticas. Os sintomas podem se apresentar de forma mais duradoura, pelo menos dois anos de humor cronicamente deprimido sem períodos de ausência de sintomas maiores do que 2 meses por vez, acompanhado de dois outros sintomas.

    Por: Júlio Alvesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 15/11/2011 lAcessos: 170

    Este artigo tem como escopo divulgar a TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental), seus pressupostos, objetivos e aplicação, como também o princípios que regem as técnicas utilizadas pelos terapeutas dessa agordagem.

    Por: MARIA INÊS OLIVEIRA SANTOSl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 09/08/2009 lAcessos: 9,663 lComentário: 1

    Obsessões são pensamentos, imagens ou impulsos recorrentes vivenciados como intrusivos, que o individuo tenta ignorar ou suprimir com outro pensamento ou ação (compulsão). As Compulsões são utilizadas com o objetivo de reduzir o sofrimento provocado pelas obsessões ou impedir que algo de ruim ocorra.

    Por: Júlio Alvesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 15/11/2011 lAcessos: 190
    SANDRA VAZ DE LIMA

    O objetivo deste artigo é levantar estratégias específicas para o processo educativo, a partir das relações entre processo de aprendizagem e motivação na associação entre TDAH, para que tanto o professor como a escola tenha conhecimento sobre o tema e possa atender de modo diferenciado por meio de diversas estratégias, com o intuito de melhorar a qualidade no processo educativo.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 15/02/2010 lAcessos: 21,712 lComentário: 9

    Segundo a bibliografia pesquisada o uso de ansiolítico vem crescendo de forma desenfreada na população mundial. A busca por tal droga psicotrópica incluiu aqueles que passaram por um tratamento psicológico e / ou psiquiátrico. Vale ressaltar que o medicamento inibidor da ansiedade deve ser utilizado com acompanhamento médico, porém, vem sendo consumido de forma banalizada e prejudicial a saúde. O foco deste artigo é refletir a relação do modismo social com o tratamento adequado para o TP.

    Por: Thiene Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/07/2011 lAcessos: 202
    Bruno Moraes

    A ansiedade é um comportamento caracterizado por um estado mental de apreensão ou medo devido à antecipação de uma situação desagradável ou ameaçadora. O foco dessa ameaça antecipada pode ser interna ou externa. Este comportamento é uma reação à crença na falta de habilidade em se lidar com determinado evento.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014
    Bruno Moraes

    Existem momentos na vida em que nos deparamos com situações as quais não temos, ou perdemos a habilidade de lidar de forma adequada com eventos do cotidiano. Seja na infância, adolescência, fase adulta ou mesmo na melhor idade, sempre temos questões a solucionar, e muitas vezes nos encontramos perdidos quanto a qual o melhor caminho a se tomar.

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 18/09/2014

    A proposição aqui é tratar a passagem do ser humano da natureza para a cultura e suas influências na formação do ser e da sociedade. Essa formação social e do sujeito se dão em um fluxo de mão dupla, ou seja, o homem transforma a cultura que por sua vez transforma o homem. Conforme o pensamento de Levi-Strauss a lei do incesto é o ponto, o elemento chave que tira o homem da natureza, essa consanguínea e a o introduz na cultura, aliança.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 17/09/2014
    José Eduardo Geremias

    Existem várias semelhanças entre as história e as lendas, porém, alguns elementos caracterizam as lendas com algo misterioso. Algumas pessoas também assemelham-se a esta construção vivencial, compartilhando esta experiência com outras pessoas.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 13/09/2014
    José Eduardo Geremias

    A relação que estabelecemos com um livro pode ir além de uma simples leitura. É possível produzir sensações extremamente prazerosa, criando uma atmosfera favorável para a manifestação de diversos sentimentos. A partir de um vínculo edificante, desenvolve-se um verdadeiro laço afetuoso entre livro e leitor.

    Por: José Eduardo Geremiasl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 30/08/2014

    "Todo amor é recíproco, mesmo quando não é correspondido." – Lacan O que Lacan queria dizer com essa aparente, ou clara redundância?

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 27/08/2014

    A posição do psicanalista diante do processo analítico deve ser o de não saber. Somos completamente ignorantes considerando a subjetividade e complexidade de cada sujeito, sendo assim, só temos a "aprender".

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/08/2014

    Esse termo (signo linguístico) pode vir a não ser o melhor para descrever as formas de linguagem que aqui me proponho, porém possa ser bem acertado exatamente por haverem tantos signos e formas de fala dotados de significantes e significados além do campo da fala.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/08/2014
    Thaís Petroff Garcia

    Coaching Cognitivo é um processo de desenvolvimento pessoal e/ou profissional que utiliza a metodologia do Coaching baseando-se no Modelo Psicológico Cognitivo.

    Por: Thaís Petroff Garcial Carreira> Gestão de Carreiral 26/08/2011 lAcessos: 96
    Thaís Petroff Garcia

    Todo final de ano é a mesma coisa, parte da população faz uma breve revisão do ano que passou e uma grande maioria, a qual inclui também essa parcela anterior, elabora as famosas listas de ano novo! Estas são escritas baseando-se no anseio de que o ano seguinte seja melhor do que o que está finalizando. O conteúdo das mesmas é de metas, sonhos, desejos e tudo o que a pessoa gostaria de alcançar ou realizar no ano que está por vir.

    Por: Thaís Petroff Garcial Psicologia&Auto-Ajuda> Gerência de Tempol 26/08/2011 lAcessos: 38
    Thaís Petroff Garcia

    Você gostaria de potencializar os seus recursos pessoais, atingir suas metas com eficiência, superar suas limitações, encontrar harmonia e equilíbrio interior, ter uma vida plena e bem sucedida, realizar-se na área pessoal, profissional, nos relacionamentos e viver com qualidade de vida?

    Por: Thaís Petroff Garcial Carreira> Gestão de Carreiral 26/08/2011 lAcessos: 55
    Thaís Petroff Garcia

    O que é Coaching? É um relacionamento no qual uma pessoa se compromete a apoiar outra a atingir um determinado resultado: seja ele o de adquirir competências e/ou produzir uma mudança específica. Mas não significa um compromisso apenas com os resultados, mas sim com a pessoa como um todo, seu desenvolvimento e sua realização.

    Por: Thaís Petroff Garcial Carreira> Gestão de Carreiral 26/08/2011 lAcessos: 68
    Thaís Petroff Garcia

    Em tempos de crise, como os atuais em que vivemos, o respaldo de um Coach pode ser de grande ajuda e fazer toda a diferença, pois além de fornecer-lhe suporte para passar por esse momento com menos dificuldade, ainda o auxilia a aproveitá-lo para se fortalecer.

    Por: Thaís Petroff Garcial Carreira> Gestão de Carreiral 26/08/2011 lAcessos: 44
    Thaís Petroff Garcia

    Além dos pensamentos automáticos, as crenças e os esquemas são objeto de estudo da Terapia Cognitivo-Comportamental.

    Por: Thaís Petroff Garcial Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/08/2011 lAcessos: 256
    Thaís Petroff Garcia

    A base do Modelo Cognitivo é que nossas emoções, comportamentos e reações fisiológicas são consequências de nossas cognições, ou seja, de nossos pensamentos, crenças e portanto, de nossa maneira de pensar. Essa maneira de pensar define como percebemos a nós mesmos, os outros, o mundo e o futuro. Desse modo, as situações as quais experienciamos não determinam como nos sentimos ou como agiremos perante elas, mas sim como percebemos esses eventos, tal como demonstrarei abaixo.

    Por: Thaís Petroff Garcial Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/08/2011 lAcessos: 67
    Thaís Petroff Garcia

    Temos pensamentos a quase todo momento. Muitos destes, não temos controle e podem ser chamados de automáticos. Eles vêm e da mesma maneira vão, sem darmos conta deles. Simplesmente, "aparecem em nossas mentes", sem ser fruto da vontade ou reflexão e, mesmo que não saibamos de sua existência (pois usualmente são breves, fugazes), influenciam nosso estado de humor e podem causar ou influenciar certas emoções. Por não termos "consciência" de sua existência, geralmente não são questionados e são ace

    Por: Thaís Petroff Garcial Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/08/2011 lAcessos: 118
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast