O Mito de Sísifo e os dias atuais

Publicado em: 04/10/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,145 |

Os deuses tinham condenado Sísifo a rolar um rochedo incessantemente até o cimo de uma montanha, de onde a pedra caía de novo por seu próprio peso. Eles tinham pensado, com as suas razões, que não existe punição mais terrível do que o trabalho inútil e sem esperança.

Este mito até hoje desperta uma bela mensagem de determinação e otimismo em meio à contradição da insensatez de um cotidiano, muitas vezes, monótono, fútil e inútil.

Albert Camus (1913-1960) contextualiza que tanto o operário que realiza as mesmas tarefas tem um trágico desfecho de Sísifo. Entretanto, a consciência deste absurdo é que traz à tona a revolta desta condição miserável e possibilita a ressignificação criativa desta situação.

As atividades de trabalho nalgum momento serão enfadonhas, isso independe de gostar não do que faz, mas diferente de Sísifo, temos a liberdade de escolha e ao desfragmentarmos deste cotidiano podemos ir além dele. Afinal, diferente de Sísifo, temos a liberdade de escolha, a vida não precisa se resumir no soar do despertador e o passar do crachá de ponto, pilhas de papéis, ligações telefônicas, agenda de reuniões... para no dia seguinte, começar tudo de novo. A ressignificação deste cotidiano também pode ser um poderoso antídoto contra o estresse desta vida moderna.


Entretanto, no campo emocional há pessoas tão endurecidas como pedra e vivem alheias e desconectadas que não conseguem diferenciar a montanha, o rochedo de si mesmas. E por sua limitada percepção alimenta a crença que este fardo é parte do destino; um destino de expiações e autoflagelo.

Mudar esta percepção que é tarefa árdua e complicada.

A percepção funciona como uma espécie e radar que auxilia o corpo, as emoções e sentimentos dos próprios limites, quando bem utilizada direciona os caminhos nos quais alcançamos a integração e a harmonia desses sentidos.

Pessoas endurecidas corromperam este radar e padecem fragmentadas em partes, algumas já perderam a capacidade de amar, doar-se, entregar-se, entristecer-se e alegrar-se fora do seu próprio circuito interno. Outras preferem o absurdo mantendo-se anos no sobe e desce da montanha presas a corrente invisível deste círculo vicioso de dor, sofrimento e certo conformismo.

O tempo passa, as forças diminuem, a exaustão se mistura com o acúmulo de revolta e desânimo. O maior perigo é quando o rochedo se torna o modo de ser e viver.

A proposta psicoterápica pode auxiliar nesta "junção de partes", a cortar os rochedos em pedaços miúdos até que não ofereça obstáculos para desbravar o cume da montanha e de lá enxergar os novos horizontes que ela possa oferecer.

Para saber mais sobre o Mito de Sífiso leia: http://filosofocamus.sites.uol.com.br/camus_sisifo_completol.htm

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/o-mito-de-sisifo-e-os-dias-atuais-3402931.html

    Palavras-chave do artigo:

    atualidade do mito de sisifo

    ,

    ressignificacao

    ,

    liberdade

    Comentar sobre o artigo

    Patrícia Carvalho

    O principal objetivo do trabalho foi investigar as construções representacionais e simbólicas sobre o câncer, que permeiam as práticas de Psicólogos que atuam em contextos de tratamento oncológico. Foram utilizados os conceitos de representações sociais, propostos por Moscovici (1978), por Jovchelovitch (1999) e Jodelet (2001)

    Por: Patrícia Carvalhol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 22/12/2014

    Saber como funciona a terapia á distância pode ser uma saída para aquelas pessoas que não tem tempo, mas possuem as mesmas dificuldades em lidar com os desafios do dia a dia que todos nós temos.

    Por: Chirlane Possol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 20/11/2014
    Bruno Moraes

    A TPM ou síndrome da tensão pré-menstrual (STPM) é um distúrbio neuropsicoendócrino que atinge a mulher na fase reprodutiva gerando alterações físicas, psíquicas e sociais, ocorrendo na segunda metade do ciclo menstrual, e desaparecendo nos primeiros dias após a menstruação. A TPM é responsável pelo comprometimento dos relacionamentos e da produtividade da mulher, afetando o ambiente familiar, social, escolar e profissional...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 29/10/2014 lAcessos: 22

    A música como sabemos e já comentamos, é composta por silêncio, letra e melodia, em outras palavras é Real, Simbólico e Imaginário. É nesses três elementos de composição musical a qual quero fazer referencia a topografia dos três registros.

    Por: Samuel Gouveperl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/10/2014 lAcessos: 13
    Bruno Moraes

    A síndrome do pânico, denominada pela psiquiatria como transtorno do pânico, é um tipo de transtorno de ansiedade caracterizado por ataques súbitos de medo e desespero, um mal-estar intenso que alcança sua intensidade máxima em até 10 minutos. A pessoa tem a clara sensação de que vai morrer, ou que um mal súbito irá acontecer com ela. O pensamento de que existe uma doença perigosa acometendo o seu corpo, geralmente percorre a mente de quem passa por essa enfermidade. Sintomas relacionados são...

    Por: Bruno Moraesl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 23/10/2014 lAcessos: 24

    O estudo da psicomotricidade é de fundamental importância para se averiguar o desenvolvimento das competências e habilidades das crianças. Para efeito de estudo, tem-se por referencial teórico-metodológico as reflexões elaboradas por Henri Wallon, dentre outros teóricos ligados ao assunto em questão, cujos trabalhos utilizamos na elaboração e no desenvolvimento do presente artigo.

    Por: Jeniffer Souzal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 07/10/2014 lAcessos: 12

    O tema que se apresenta trata da importância da família na recuperação dos adolescentes que integram a Ong Proreavi. Para uma melhor realização do projeto, foram feitas pesquisas bibliográficas e também em campo. Foi escolhida uma instituição que atende adolescentes de diferenças faixas etárias para que pudéssemos entender melhor através da observação qual a importância que a família exerce na recuperação dos mesmos.

    Por: Angélica Aparecida Oliveiral Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 04/10/2014

    O presente artigo visa apresentar os resultados do trabalho desenvolvido no Colégio Educacional de Itaú de Minas que teve como objetivo compreender os aspectos que envolvem e favorecem a inclusão no âmbito escolar e o trabalho com professores e diretores da escola, discutindo e promovendo ações que contribuem para que a prática inclusiva aconteça no cotidiano escolar de uma forma mais abrangente e significativa.

    Por: Neiliane C. de Ol. Nascimentol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 03/10/2014
    Valéria Fátima da Rocha

    Autoestima significa valorização de si mesmo/amor próprio, ou seja, sentir, perceber, expressar e experimentar o mundo com satisfação e plenitude. O texto tem o objetivo de ajudar nesta compreensão descrevendo a diferença entre auto e baixa estima, como a baixa autoestima abala as relações intra e interpessoais favorecendo doenças como a depressão ao acumular lixo emocional tóxico. Optar pela mudança é investir neste ser tão único e especial presente em cada um de nós, para uma vida plena!

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/12/2010 lAcessos: 299
    Valéria Fátima da Rocha

    Como exercer uma gestão pautada numa liderança democrática, proativa, produtiva e que garanta espaço no mercado de traalho.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Negócios> Gestãol 10/12/2010 lAcessos: 284
    Valéria Fátima da Rocha

    A solidão como forma de crescimento, evolução e autotransformação. Esta trajetória é um convite a ser protagonista e autor da própria biografia. Por isso é um chamado solitário, intransferível e inalienável onde a compreensão deste processo contribuirá para a reflexão, autoconhecimento e processos decisórios.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 10/12/2010 lAcessos: 216
    Valéria Fátima da Rocha

    Atitudes para uma boa comunicação interpessoal com habilidade, destreza para formar vínculos construtivos. A meta do ser humano é viver cada momento com liberdade, sinceridade e responsabilidade e ao defrontar-se com as dificuldades, a verdadeira comunicação poderá ser um instrumento que acrescente motivação de onde estou para aquilo que pretendo alcançar.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Relacionamentos> Relações Amorosasl 15/10/2010 lAcessos: 920
    Valéria Fátima da Rocha

    Importância do diálogo consciente e honesto, para o estabelecimento de vínculos víscerais com assertividade, abertura para o outro e maneiras de desenvolver este diálogo por meio do autoconhecimento.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Relacionamentosl 15/10/2010 lAcessos: 112
    Valéria Fátima da Rocha

    O psicoterapeuta afirmativo precisa se despir de todos os preconceitos, desconstruir mitos e conhecer a realidade da população LGBTs. A psicoterapia tem como finalidade ajudar na aceitação, autoestima, medo de ser descoberto ou assumir sua orientação por medo, rejeição ou negação. Com respeito e acolhimento, propiciando o resgate da trajetória para transceder para um futuro de crescimento mais incentivador e amoroso do qual não tenha usufruido quando criança até os dias atuais.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 22/09/2010 lAcessos: 169
    Valéria Fátima da Rocha

    Descrevo o conceito de resiliência e habilidades que podem ser estimuladas a partir da flexibilidade, vontade de fazer melhor, tolerância a tensão, clareza de finalidades, afastamento da autocompaixão, reflexão crítica, mas positiva de si mesmo, sublimação por meio de atividades que reforçem a autoestima, capacidade de reiniciar do zero, capacidade de dar e receber e tolerância com os próprios e limites alheios.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Redução de Stressl 12/09/2010 lAcessos: 280
    Valéria Fátima da Rocha

    Estresses, profissões mais vulneráveis, professores, mulheres que enfrentam dupla jornada de trabalho, profissionais da saúde, educação, ocupantes de cargo de chefia e gerência, empreendedores, profissionais liberais, telemarketings e tripulantes de companhias aéreas - exemplo de atendimento. Sintomas e Prevenção - mudando a relação com o trabalho. Atendimento online.

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 12/09/2010 lAcessos: 387
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast