Os tipos de Depressão e seus tratamentos

Publicado em: 27/10/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 393 |

TIPOS DE DEPRESSÃO:

Episódio ou fase depressiva e transtorno depressivo recorrente

Os sintomas depressivos (tristeza, choro fácil e/ou frequente, apatia, sentimento de falta de sentimento, sentimento de tédio, irritabilidade aumentada, desespero, desesperança, culpabilidade, transtorno de sono e apetite) devem estar presentes em pelo menos duas semanas, e não mais do que dois anos, sem interrupção. Os episódios, geralmente, têm duração média de seis meses e variam no minimo de três e máximo de 12 meses.

Pode ser classificado de acordo com a intensidade [leve, moderado, grave] e com a importância clínica dos sintomas. Quando o paciente apresenta vários episódios depressivos, com ausência de episódios maníacos, disgnostica-se, portanto, transtorno depressivo recorrente.

Distimia

Considerada uma depressão crônica, de intensidade leve na maioria das vezes mas, com longos períodos de duração [vários anos], sem interrupção e por, no mínimo, dois anos. Os sintomas mais comuns são diminuição da auto-estima, dificuldade em tomar decisões ou de concentração, mau humor crônico, irritabilidade.

Depressão Atípica

Além dos sintomas depressivos comuns, são somados aumento de apetite (doces), hipersonia (aumento em média de duas horas a mais do que o normal), sensação de corpo pesado, humor alterado (vai de um extremo ao outro com muita facilidade).

Depressão Tipo Melancólica

É um tipo de depressão que está mais associada a fatores neurológicos, cujos principais sintomas envolve uma tristeza sentida no corpo, falta de interesse, lentidão psicomotora, ideação de culpa e a intensidade da depressão diminui conforme o passar do dia.

Depressão Psicótica

É um tipo de depressão grave em que um ou mais sintomas psicóticos estão associados como delírios de culpa e alucinações com conteúdos depressivos.

Depressão Pós-Parto

A Depressão Pós-Parto, geralmente, tem início 4 semanas após o parto, com sintomas  gerais de depressão, sem grandes variações, podendo incluir variações intensas de humor e de preocupações com o bebê que pode ser exagerada ou até mesmo delirante.

Esse tipo de depressão pode estar associada à características psicóticas, cujo maior fator associado é o infanticído, no qual a mãe tem alucinações e recebe comandos para matar o bebê ou delírios de que este tenha algo de ruim que justifique sua morte.

Geralmente, mulheres com depressão pós-parto desenvolvem ansiedade grave e ataques de pânico. Suas atitudes em relação ao bebê podem variar desde excesso de cuidado, a ponto de não deixar o bebê um segundo sequer, ao desinteresse completo, deixando de amamentar e/ou cuidar da higiene da criança.

É importante ressaltar que a deprssão pós-parto não está associada àquela tristeza inicial, em que a mãe se deprime nos primeiros 10 dias após o parto, pois é uma tristeza passageira e não afeta os comportamentos da mãe em relação ao cuidado do bebê, nem sua noção de realidade.

O pós-parto é um período extremamente importante, tanto na vida da mãe, quanto do bebê, em que alterações biológicas [tanto na estrutura do corpo da mulher, como nos hormônios e neutrotransmissões associados], psicológicas e sociais são delicadas  e devem ser acompanhadas e apoiadas por familiares, amigos, pelos médicos responsáveis pela saúde da mãe e do bebê. 

Esturpor Depressivo

Nesse tipo grave de depressão, o paciente pode permanecer dias acamado, sem querer se movimentar, não quer falar com pessoas ou fazer qualquer atividade cotidiana, não tem vontade de se alimentar, e em casos mais complexos não consegue nem controlar a evacuação de urina ou fezes, o que pode gerar agravos clínicos e evoluir à óbito.

Depressão Agitada ou Ansiosa

Possui grande agitação psicomotora com queixas de angústia intensa que se soma aos sintomas depressivos, aumentando a possibilidade de suicídio.

Depressão Secundária

É um tipo de depressão que está associada a outro quadro clínico como fator agravante, como hipo/hipertireoidismo, doença de Parkinson, acidentes vasculares cerebrais (AVC).

 SINTOMAS:Após um período de tristeza, a pessoa esmorece e fica "isolada do mundo". Não sente vontade de reagir, não acha graça em nada, se sente angustiada, sem energia, chora à toa, tem dificuldade para começar uma tarefa, dificuldade em terminar o que começou, persistência de pensamentos negativos e um mal-estar generalizado: indisposição, dores pelo corpo, insônia ou sonolência, alterações no apetite, falta de memória, concentração, vulnerabilidade, fraqueza, taquicardia, dores de cabeça, suores ou outros sintomas físicos que joga a pessoa pra baixo.    

TRATAMENTOAlém da medicação é importante a psicoterapia, a força de vontade do paciente de correr atrás dos seus sonhos (objetivo), o auxílio da família, dos amigos e de um grupo de ajuda. Quanto mais amparado o paciente estiver, melhor será o processo de cura.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/psicoterapia-artigos/os-tipos-de-depressao-e-seus-tratamentos-5342749.html

    Palavras-chave do artigo:

    psicoterapia depressao tratamento

    Comentar sobre o artigo

    É normal ficar triste de vez em quando, mas o que acontece quando esse sentimento persiste e se transforma em desesperança e desespero? Pode ser depressão, doença que afeta 121 milhões de pessoas no mundo, segundo dados de 2005 da Organização Mundial da Saúde (340 milhões, segundo pesquisa de 2006 a Federação Mundial para Saúde Mental). Só no Brasil, 17 milhões de pessoas têm depressão, sendo as mulheres as mais atingidas pela doença.

    Por: A. D. Silval Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 21/10/2010 lAcessos: 1,355

    Vincent van Gogh, que sofria de depressão e cometeu suicídio, pintou esse quadro em 1890 de um homem que emblematiza o desespero e falta de esperança sentida na depressão. A depressão (também chamada de transtorno depressivo maior) é um problema médico caracterizado por diversos sinais e sintomas, dentre os quais dois são essenciais: humor persistentemente rebaixado, apresentando-se como tristeza, angústia ou sensação de vazio e redução na capacidade de sentir satisfação ou vivenciar prazer.

    Por: A. D. Silval Saúde e Bem Estar> Medicinal 01/07/2010 lAcessos: 2,436 lComentário: 5

    O avanço da neurociência permite hoje estimulação direta do cérebro com a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é um grande avanço no tratamento das doenças neurológicas e psiquiátricas tratadas, até então, somente com medicamentos e psicoterapia. Entre as patologias beneficiadas com essa nova técnica ressaltamos dores crônicas, depressão, reabilitação do acidente vascular cerebral e Mal de Parkinson.

    Por: Dr. Rafael Higashil Saúde e Bem Estar> Medicinal 07/05/2010 lAcessos: 2,504 lComentário: 8
    Márcio Silva

    O que é a Depressão? Como ela se manifesta? Ela tem cura? Como buscar a cura? Leia este artigo e você irá descobrir maravilhas. Mesmo que você não seja portador de Depressão, entender a doença lhe trará muitos benefícios.

    Por: Márcio Silval Religião & Esoterismo> Evangelhol 30/03/2010 lAcessos: 1,841 lComentário: 1

    A depressão na sociedade moderna é uma doença que vem agravando cada vez mais o nosso mundo. É um sofrimento psíquico que se manifesta em forma de tristeza e apatia que atingem o corpo e a alma, consequentemente de qualquer estado que desorganize o pensamento. Seu diagnóstico é facilitado pela presença dos sintomas e por um bom conhecimento teórico.

    Por: Jean Carlos Zoccall Educação> Ensino Superiorl 07/05/2013 lAcessos: 172
    Valéria Fátima da Rocha

    Reflexão sobre a Depressão, indústria farmacêutica, doença e saúde, como lidar com a doença assumindo as responsabilidades pela própria "cura" - o que cada um tem que se perguntar: Qual é a minha parcela de responsabilidade? Até quando ficarei no papel de vítima das circunstâncias? Qual é a recompensa para me manter em tal situação? Boa leitura!

    Por: Valéria Fátima da Rochal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 06/09/2010 lAcessos: 470

    Veja nossas dicas simples da psicoterapia natural para melhorar sintomas da ansiedade e depressão pelo tratamento de psicoterapia natural

    Por: O Caminho do Bem Estarl Saúde e Bem Estarl 15/09/2014 lAcessos: 32
    Rita Guimarães

    A depressão é uma doença grave e pode se apresentar de algumas formas diferentes. Essas diferentes formas de apresentação da depressão dificultam o diagnóstico porque as pessoas não reconhecem que estão doentes e, por incerteza ou vergonha, não procuram ajuda profissional. Esse artigo fala um pouco sobre os sintomas da depressão, para facilitar sua identificação, incentivar as pessoas a buscar uma avaliação profissional, iniciar o tratamento adequado e, assim, diminuir o sofrimento.

    Por: Rita Guimarãesl Psicologia&Auto-Ajuda> Redução de Stressl 01/11/2013 lAcessos: 73

    Perguntas sobre depressão: 1) Depressão e tristeza são a mesma coisa 2) A depressão é uma doença hereditária 3) Existe algum tratamento efetivo para Depressão

    Por: Fernando Avelar Tonellil Saúde e Bem Estar> Medicinal 24/10/2009 lAcessos: 551 lComentário: 1

    A violência de abuso sexual intrafamiliar aponta como autores pessoas que são de extrema confiança da criança e do adolescente, sendo estes padrastos, pais, irmãos, tios, e até mesmo mães. Assim existe na criança uma situação conflituosa de amor e ódio, e é extremamente relevante o acompanhamento psicológico que em muitas vezes, é necessário acontecer por toda vida. A referida pesquisa é de caráter bibliográfico com referências que contribuem para a construção deste estudo e de abordagem quantit

    Por: ELIZETE RIBEIRO SALESl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 24/03/2015
    Emanuela Silva de Sant'ana

    As doenças mentais sempre provocaram no homem o desejo de estudos e pesquisas que o levassem a um possível entendimento sobre os fenômenos psíquicos. Pode-se dizer que compreender o adoecimento mental sugere uma forma de tentar evitá-lo, de tornar-se vítima dele. A partir desta ótica encontram-se na contemporaneidade.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015
    Emanuela Silva de Sant'ana

    Este artigo discute a temática do sintoma na criança e sua relação com a dinâmica familiar e quais as implicações na formação da subjetividade do sujeito. E tratando-se de uma discussão em psicanálise, trará um enfoque diferenciado em torno do sintoma e sua construção na criança. Chamando a atenção da escuta analítica para o lugar da família na clínica com crianças.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015
    Emanuela Silva de Sant'ana

    Este trabalho visa apresentar uma revisão bibliografica sobre a problemática das afetações e dos fenômenos de ansiedade e depressão na adolescência no cenário social exposto na contemporaneidade. Serão abordados o pensamento de teóricos que muito têm se preocupado com com as discussões a cerca do tema nos dias de hoje.

    Por: Emanuela Silva de Sant'anal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 05/03/2015

    O presente artigo baseia-se na experiência pessoal de Psicoterapia realizada por uma Psicóloga na qual descreve seus diálogos internos e as transformações que vão ocorrendo em sua vida ao longo da terapia. Com uma narrativa autobiográfica, o texto visa explicitar caminhos possíveis de crescimento e amadurecimento pessoal através da processo psicoterápico de um modo lúdico e único.

    Por: Monika Mastrantoniol Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 21/02/2015 lAcessos: 15
    CARLEIAL. Bernardino Mendonça

    Trabalho de Psicobiologia em que o Autor analisa e expõe os graves conflitos psicossomáticos derivados do comportamento Sado-Masoquista presente na maioria das famílias atuais.

    Por: CARLEIAL. Bernardino Mendonçal Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 15/01/2015 lAcessos: 14
    Psicologa Maris V. Botari

    O artigo trata sobre algumas variáveis que dificultam a expresão de sentimentos, emoções e atitudes, levando os indivíduos a apresentarem dificuldades de relacionamento social, afetivo e familiar

    Por: Psicologa Maris V. Botaril Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 11/01/2015 lAcessos: 14
    Psicologa Maris V. Botari

    Este artigo trata sobre a diferenciação entre sentimentos e emoções, levando-nos a refletir sobre a singularidade dos mesmos.

    Por: Psicologa Maris V. Botaril Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 11/01/2015 lAcessos: 18
    Michele Cruz Vieira

    A visão, embora seja o mais aguçado dos sentidos, a vista não trabalha sozinha: o cérebro interpreta as informações, para podermos ver claramente. Os sentidos fundamentais do corpo humano - visão, audição, tato, gustação ou paladar e olfato - constituem as funções que propiciam o nosso relacionamento com o ambiente. Este trabalho foi baseado numa revisão teórica sobre o tema abordado trazendo esclarecimentos acerca da definição, funcionamento, patologias, como as mesmas afetam o psicológico.

    Por: Michele Cruz Vieiral Saúde e Bem Estar> Medicinal 09/10/2011 lAcessos: 891
    Michele Cruz Vieira

    A meu ver a atitude de Freud em discutir regressão, é entender que a nossa vida é composta por momentos e fases onde cada etapa tem uma importância significativa. Tais fases são marcadas por descobertas, desafios, conflitos, emoções, sentimentos e aprendizados entre inúmeras outras experiências que a vida pode nos proporcionar.

    Por: Michele Cruz Vieiral Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 09/10/2011 lAcessos: 567
    Michele Cruz Vieira

    Antes se pensava em anorexia como um sintoma histérico, inclusive Freud pensava desta forma. Hoje podemos observar que a anorexia se utiliza de forma mais prevalente do corpo, sob forma do ato. Os estudos sobre os transtornos alimentares na adolescência e suas implicações são complexos, por resultarem de diversos fatores dos quais o principal é o processo de individuação entre mãe e filha.

    Por: Michele Cruz Vieiral Saúde e Bem Estar> Medicinal 06/10/2011 lAcessos: 296
    Michele Cruz Vieira

    No Cenário das Urgências e Emergências médicas também circulam sentimentos e emoções que modificam e mesmo interferem nos cuidados de quem, neste setor, encontra-se. O paciente atravessa uma rotina de vida, que subitamente é entrecortada pelo inusitado mal estar inesperado ou por um acidente de diversas ordens, onde as conseqüências são inundadas por medos, fantasias, inseguranças, tristezas, sensação de impotência, ansiedade e tantos outros sentimentos.

    Por: Michele Cruz Vieiral Saúde e Bem Estar> Medicinal 06/10/2011 lAcessos: 142
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast