Sexualidade e Tabu Na Terceira Idade

26/11/2008 • Por • 2,005 Acessos

Sexualidade e Tabu na terceira idade
 
A sexualidade humana sempre tem sido e sempre será um vasto campo de possibilidades, dentro dele podemos definir a satisfação sexual entre três  aspectos: o biológico  o psicológico e o social, que se unem e se nutrem, em uma incansável busca de sensações, percepções, desejos, atos, idealizações, formalizações e controles. Em seu conjunto, o comportamento sexual  é uma das expressões mais variadas e complexas do ser humano.

O desejo como parte intrínseca do homem como gênero humano, não explicita suas motivações, nem filosofa sobre a configuração e eleição do seu objeto de prazer, é atemporal, vincula-se entre o passado e o futuro, se atualiza no presente, como motor  e aditivo dos mecanismos da busca da satisfação.

Nascemos como sujeitos sexuados e desfrutamos do sexo/sexualidade de maneira diferente de acordo com a etapa de nossa vida, mas infelizmente a sociedade como um todo, e as pessoas de modo individual, tendem a pensar que o sexo/sexualidade pertencem ao mundo dos jovens, relegando os indivíduos da terceira idade ao amor platônico ou a abstinência sexual. Este tipo de preconceito cumpre a função de freio à sexualidade, estabelece um tabu e ignora o fato de que podemos ser sexualmente ativos, dando e recebendo prazer durante toda nossa vida, de maneira diferenciada sim, mas não menos prazerosa. É fato que a maioria das pessoas apresenta uma diminuição das atividades sexuais, o que não significa um decaimento da capacidade de amar, de ter,  dar e receber prazer.

Os atuais avanços da medicina, da qualidade e longevidade de vida, assim como a convicção acertada de que a sexualidade não esta  vinculada  ao número de primaveras vividas, coloca hoje os cidadãos da terceira idade (ou da melhor idade), na situação de sujeitos que desejam, que se permitem desejar e que são desejados. Pesquisas atuais indicam que  qualquer indivíduo saudável pode ser sexualmente ativo independente da idade,  e que a atividade sexual faz bem a saúde tanto física como mental, além de ter um  impacto positivo na qualidade de vida.

Paulo Bonança C.R.P 05-30190
Psicólogo e Sexólogo
Diplomado em Sexualidade Humana pela Universidade Diego Portales- Chile-
Autor da Tese “A AIDS entre os homossexuais; A confissão da soropositividade ao interior da família”.

Membro da SBRASH (Sociedade Brasileira de Estudos da Sexualidade Humana)
Rio de Janeiro, Copacabana Telefone: (21)  2236-3899,  9783-9766
www.paulobonanca.com  
paulopsi2000@yahoo.com.br

Perfil do Autor

Paulo Bonanca

Psicólogo e sexólogo C.R.P 05-30190. "Psicoterapia é sinônimo de qualidade de vida" www.paulobonanca.com Psicoterapia, sexologia, depressão,ansiedade, auto-estima, estresse, disfunções e dificuldades sexuais, aconselhamento em hiv-aids, solidão, crescimento pessoal. Copacabana próximo ao Mêtro Siqueira Campos. Sou membro da SBRASH: Sociedade Brasileira de Estudos da Sexualidade Humana e da ABEIS: Associação Brasileira para o estudo da Inadequação Sexual