Administração De Conflitos Nas Organizações

Publicado em: 23/02/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 15,439 |

Podemos dizer que os conflitos existem desde o início da humanidade, o mesmo é fonte de idéias novas, podendo levar a discussões abertas sobre determinados assuntos, o que se revela positivo em algumas das vezes, permitindo a expressão e exploração de diferentes pontos de vistas, interesses e valores, ou seja, em certos momentos e em determinados níveis, o conflito pode ser considerado necessário.

         A partir do surgimento de inúmeras transformações políticas, culturais e sociais percebidas no decorrer deste século, emergiu entre as organizações a necessidade de tornarem-se cada vez mais produtivas e competitivas. Sabendo desta necessidade, muitos líderes passaram a analisar, avaliar e identificar os problemas enfrentados pela equipe na aceitação e adaptação de mudanças, para então, perceber as dificuldades, e necessidades individuais de cada colaborador.

         Robbins (2002), faz algumas abordagens sobre o conceito de conflito na visão tradicional, das relações humanas e a visão interacionista.

Visão tradicional: esta abordagem dizia que todo conflito era ruim e que, portanto, deveria ser evitado. O conflito era visto como uma disfunção resultante de falhas de comunicação, falta de abertura e de confiança entre as pessoas e um fracasso dos líderes em atender às necessidades e às aspirações de suas equipes. A visão tradicional era consistente com as atitudes de grupo que prevaleciam nas décadas de 30 e 40.

Visão das relações humanas: esta abordagem argumenta que o conflito é uma conseqüência natural e inevitável em qualquer grupo, não sendo necessariamente ruim, podendo ter o potencial de ser uma força positiva na determinação do desempenho do grupo. A visão das relações humanas dominou a teoria sobre conflitos do final dos anos 40 até a metade da década de 70.

Visão interacionista: esta abordagem, que é a mais recente, propõe não apenas que o conflito pode ser uma força positiva, como defende abertamente a tese de que algum conflito é absolutamente necessário para o desempenho eficaz de um grupo. A principal contribuição desta abordagem, portanto, é encorajar os líderes dos grupos a manter um nível mínimo constante de conflito suficiente para manter o grupo viável, autocrítico e criativo.

 O conflito pode se dar entre duas ou, mas partes seja individual ou em grupo. Montana (2005), propõe os seguintes tipos de conflitos:

 Conflitos internos: ocorre quando duas ou mais opiniões opostas ocorrem em um único indivíduo.

Conflitos entre indivíduos: os conflitos entre indivíduos dentro da organização são vistos como resultado de diferenças de personalidade.

Conflitos entre indivíduos e grupos: o indivíduo que não concorda com as normas de comportamento do grupo ou com os valores encontrados na cultura organizacional estará em conflito com o grupo de trabalho ou com toda a organização.

Conflitos entre grupos: o conflito entre grupos é inevitável devido a dois fatores básicos da organização: a competição por recursos escassos e pelos diferentes estilos gerenciais necessários para a operação eficaz de diferentes departamentos.

Portanto, é possível dizer que nenhuma organização está livre de conflitos, pois praticamente toda a empresa sofre e se beneficia com os eles. Os conflitos são responsáveis por sérias ameaças à estabilidade de uma organização, mas também podem agir de maneira construtiva estimulando o potencial de seus colaboradores. Podemos dizer também que os conflitos devem ser encarados como uma força constante e procurar administrá-lo para que atuem de maneira construtiva.

Referencias Bibliográficas

MONTANA, Patrick J. Administração. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

ROBBINS, Stephen Paul. Comportamento Organizacional. 9ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/recursos-humanos-artigos/administracao-de-conflitos-nas-organizacoes-1895186.html

    Palavras-chave do artigo:

    gestao de pessoas

    ,

    organizacao

    ,

    conflitos

    Comentar sobre o artigo

    Resumo: A área de Recursos Humanos deixou de ser um mero departamento de pessoal para se tornar o personagem principal de transformação dentro da organização. Há pouco tempo atrás,o departamento de Recursos Humanos atuava de forma mecanicista, onde a visão do empregado prevalecia à obediência e a execução da tarefa, e ao chefe, o controle centralizado.

    Por: LUCICLEIDE MARIA DA SILVAl Negócios> Gestãol 21/12/2010 lAcessos: 1,339

    Este artigo pretende apresentar as principais diferenças entre Recursos Humanos e Gestão de Pessoas, aborda as principais tendências de Gestão de Pessoas com ênfase nos estudos e nas experiências desenvolvidas no âmbito da gestão

    Por: Robson Stigarl Educação> Ensino Superiorl 23/03/2010 lAcessos: 6,854
    Patricia Gomes

    O estudo aborda a gestão de pessoas como instrumento de diferencial competitivo para as organizações.

    Por: Patricia Gomesl Negócios> Gestãol 10/04/2011 lAcessos: 5,163

    O presente a artigo apresenta quais foram às mudanças ocorridas nos últimos anos na área de Gestão de pessoas, a transformação de Recursos Humanos para Gestão de pessoas. Muita coisa mudou, porém o foco central que é administrar pessoas continuou sendo um eterno desafio. Dessa forma os principais temas a serem explorados são, a mudança no perfil do gestor de pessoas, o poder e a importância do feedback tanto para o colaborador quanto ao gestor.

    Por: Jéssical Negóciosl 25/03/2013 lAcessos: 293

    Sengundo Antonio Carlos Gil, no livro "Gestão de Pessoas" da editora Atlas, os gestores de pessoas têm que desempenhar o papel de líder visando à cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais quanto individuais.

    Por: Prof. Márcio Silval Negócios> Gestãol 29/08/2009 lAcessos: 5,538
    Rosiane Pantoja Uchôa

    A Psicologia utilizada dentro do campo organizacional tem um papel significativo desde a era industrial em que se focava apenas em selecionar pessoas, Após determinado período esta ciência passou aperfeiçoar-se e expandiu sua área de atuação, além de atuar na seleção das pessoas e recrutamento de pessoas, começou a atuar dentro das organização, contribuindo para o surgimento da área de Gestão de Pessoas

    Por: Rosiane Pantoja Uchôal Negócios> Gestãol 11/03/2011 lAcessos: 1,521

    Tem um divisor de águas que marca claramente a diferença da Administração do passado para a que vivemos no século XXI, está implicitamente ligada de como uma organização lida com as gentes (pessoas) que estão dentro dela, que consomem os produtos ou serviços que ela desenvolve e as que sofrem o impacto do que é produzido.Infoconhecimento muito além da Religiosidade!

    Por: Paulo Ricardo Silva Ferreiral Negócios> Gestãol 31/10/2012 lAcessos: 37
    Ari Lopes

    O autêntico líder necessita estudar, entender e praticar algumas competências essenciais. Esse artigo aborda DOZE COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS PARA A GESTÃO DE PESSOAS.

    Por: Ari Lopesl Negócios> Gestãol 26/08/2010 lAcessos: 1,083
    José Luiz de C. C. Branco

    Uma contribuição para a prática do profissional de recursos humanos que trabalha na gestão de pessoas em organizações, através da avaliação das 'dimensões existenciais' estruturadas pela abordagem Fenomenológica Existencial.

    Por: José Luiz de C. C. Brancol Carreira> Recursos Humanosl 10/11/2009 lAcessos: 1,637

    Há tempos o tema liderança tem sido alvo de muitas pesquisas, sendo que os atributos de um verdadeiro líder extrapolam o seu conhecimento literário ou formação. O que se procura e entende-se como líder eficaz, esta intrinsecamente ligado ao poder ou controle emocional que este individuo tem sobre si mesmo e seus liderados, o que nos leva ao tema central deste artigo, quanto a inteligência e controle emocional das dos lideres.

    Por: Elias Bernardol Negócios> Administraçãol 12/08/2008 lAcessos: 20,373 lComentário: 1
    Van Marchetti

    Durante todos esses anos vi empresas gastando "rios de dinheiro" com palestras motivacionais. E o resultado? Ele até existe, mas seu efeito passa muito rápido. É como assistir a um filme (entretenimento), você se diverte, se envolve ... mas e nos dias seguintes? Esse sentimento é o mesmo?

    Por: Van Marchettil Carreira> Recursos Humanosl 14/11/2014 lAcessos: 11
    Lucy Cintra

    Quando passamos por uma crise muitas vezes somos levados à depressão,angústia, sem ver o fim do túnel. Mas se re-significar isso, entender profundamente o significado desse momento, pode transformar sua vida, sua carreira.

    Por: Lucy Cintral Carreira> Recursos Humanosl 11/11/2014 lAcessos: 16
    Portais Imobiliarios

    m repórter do jornal britânico ‘The Guardian' teve acesso a um suposto guia, produzido por uma imobiliária, para a atuação dos corretores de imóveis em uma negociação. As informações foram traduzidas e publicadas pelo site brasileiro infomoney.com com o seguinte título "As táticas (nada éticas) dos corretores para você comprar um imóvel".

    Por: Portais Imobiliariosl Carreira> Recursos Humanosl 03/11/2014 lAcessos: 15
    Palestrante Cícero Ribeiro

    A grande maioria das lideranças empresariais não tem dúvidas da importância da atualização profissional constante para o bom posicionamento da empresa frente aos seus concorrentes. Colaboradores bem treinados e motivados são capazes de desenvolver sua atividade com grande eficiência, diminuindo quebras operacionais, retrabalhos, atrasos e erros. Apesar disto, é comum que, principalmente, as pequenas e médias empresas tratem o assunto com relativa displicência.

    Por: Palestrante Cícero Ribeirol Carreira> Recursos Humanosl 01/11/2014

    O presente artigo tem como objetivo mostrar o que é a QVT (Qualidade de Vida no Trabalho), e qual o seu papel dentro das organizações. A QVT engloba muitos aspectos na organização, fazendo com que seja um elemento impulsionador que traz bastante motivação e satisfação no ambiente de trabalho aliado à saúde e o bem-estar do trabalhador. Dentre os temas abordados estão; enfoque biopsicossocial, os componentes da QVT, contribuições das ciências, as causas do estresse no ambient

    Por: Angélica Cristina da Costal Carreira> Recursos Humanosl 15/10/2014 lAcessos: 50

    Porque os ricos ficam mais ricos e os pobres ficam mais pobres? Não é só de dinheiro que estou falando, é de felicidade, de ética, de valores, de atitudes,... Este livro traz informações de como ter uma cultura empreendedora para utilizar na vida pessoal, profissional, familiar e espiritual e então poder prosperar com suas ações.

    Por: Zailtonl Carreira> Recursos Humanosl 09/09/2014 lAcessos: 39

    Para que a criatividade flua livremente e novas ideias apareçam, é preciso eliminar velhos conceitos e outros sedimentos pessoais. Muitos desses conceitos estão enraizados dentro de nós, e insistem em lá permanecer. Veja os oito principais bloqueadores da criatividade.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Recursos Humanosl 25/08/2014 lAcessos: 22
    Fred Filho

    A história da descoberta do fenômeno do assédio moral no trabalho. Conheça como o caso de vinte e uma enfermeiras suecas que se suicidaram, ou que tentaram cometer suicídio, ajudou no estudo do assédio moral.

    Por: Fred Filhol Carreira> Recursos Humanosl 18/08/2014 lAcessos: 21

    Comments on this article

    1
    ossene luis surage 06/07/2011
    tao num bom caminho
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast