Por Que Equipes Talentosas Nem Sempre Garantem Resultados ?

Publicado em: 04/09/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 340 |

Há muito tempo convivo com uma inquietação que me leva constantemente a repensar os modelos de gestão existentes no mundo corporativo.

Tenho observado que, com o passar do tempo as empresas passam a investir muito mais em seus processos seletivos, em que, verdadeiros “experts” na área de recursos humanos tentam identificar pessoas dotadas de um portifólio composto de notáveis competências que venham agregar de forma significativa o dia-dia empresarial.

Essa tentativa de melhorar a formação de equipes, trabalha, na maioria das vezes, com recrutamentos demorados, estruturados em diversas etapas e que envolvem uma série de recursos. Forma-se uma banca examinadora, montam-se avaliações escritas, dinâmicas de grupos são criadas e softwares são utilizados com a intenção de analisar a postura dos candidatos frente a situações que ocorrem no cotidiano dessas empresas.

Esse processo acaba sendo algo complexo, mas, que de certa forma cumpre o seu papel.

Porém, após a contratação de gente com experiências fantásticas em seus currículos e que são comprovadamente competentes, os gestores se deparam com um enorme problema e que muitas vezes não são capazes de solucioná-los.

Por que uma equipe tão bem estruturada, composta de pessoas talentosas nem sempre apresentam os resultados esperados ?

Muitas vezes este questionamento permeia por longos períodos e por mais engajamento que se tenha, a resposta demora aparecer.

Tenho desenvolvido de forma freqüente um trabalho de investigação a respeito deste assunto e posso garantir que não existe uma receita pronta a ser seguida. É necessário que seja analisado cada caso, pois o diagnóstico pode variar de organização para organização.

Em algumas situações encontramos equipes não tão maduras, em outras, as pessoas que foram contratadas não conhecem tanto os aspectos técnicos que norteiam a atividade, porém, o que mais se observa são processos de gestão ineficazes em que o potencial de cada indivíduo deixa de ser aproveitado da forma como deveria.

Falta “feeling”, falta foco, falta acompanhamento.

As pessoas, por mais competentes que sejam precisam ser guiadas, conduzidas continuamente, precisam se reportar a alguém que verdadeiramente conheça o negócio de forma holística e consiga trabalhar as habilidades de cada indivíduo em prol de um objetivo comum.

E aí está o problema. As empresas ainda pecam bastante no processo de formação de gestores, principalmente as empresas de maior porte que possuem unidades de negócio pulverizadas em um vasto território geográfico.

É imprescindível a percepção de que o gestor não deve ser aquele que já está há muito tempo na casa e nem tão pouco aquele que conhece com propriedade apenas os aspectos técnicos que envolvem o negócio.

O processo de gestão precisa ser trabalhado e o viés de preparação passa pelas pessoas que irão ficar a frente dessas unidades. No portifólio de competências deve-se destacar os aspectos técnicos, comportamentais, de liderança e principalmente, a capacidade de fazer com que as coisas aconteçam.

E neste sentido, faz-se necessário entender que ninguém nasce pronto para o processo de gestão, as pessoas precisam ser trabalhadas, precisam aprimorar as competências que já possuem e desenvolver outras que ainda não são tão afloradas.

Há que se ter uma boa dose de habilidade para entender de gente, para entender de sonhos.

Analisando sob esta ótica e olhando ao nosso redor, percebemos claramente o quanto as empresas precisam melhorar para tornar-se mais competitivas. É preciso entender que resultado é algo extremamente importante, mas que não se faz apenas com pessoas talentosas trabalhando em um mesmo ambiente. O resultado precisa ser uma conseqüência de pessoas talentosas trabalhando juntas, de forma assíncrona e com objetivos em comum.

É necessário deixar muito claro para as pessoas o papel delas junto à organização, caso contrário, dificilmente as empresas conseguirão manter pessoas talentosas trabalhando muito tempo em suas corporações, até porque gente de talento cria expectativas acerca do seu trabalho e a partir do momento que essas expectativas não são correspondidas a conseqüência natural pode ser a frustração.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/recursos-humanos-artigos/por-que-equipes-talentosas-nem-sempre-garantem-resultados-1193808.html

    Palavras-chave do artigo:

    resultados

    ,

    crises

    ,

    gestao de pessoas

    Comentar sobre o artigo

    Patricia Gomes

    O estudo aborda a gestão de pessoas como instrumento de diferencial competitivo para as organizações.

    Por: Patricia Gomesl Negócios> Gestãol 10/04/2011 lAcessos: 5,140

    A gestão de pessoas constitui-se, numa poderosa ferramenta no ambiente organizacional e de grande importância estratégica, em busca da qualidade e da produtividade. Este artigo pretende reflectir sobre o desafio da arte ou da ciência de saber gerir o capital humano. Através de uma pesquisa bibliográfica foram recolhidas contribuições de diversos autores, sobre a gestão de pessoas com o intuito de proporcionar uma melhor elucidação do papel basilar dos recursos humanos nas organizações.

    Por: Paula Costal Negóciosl 10/10/2010 lAcessos: 2,025

    Se para a área da saúde já é bem difícil imaginar que sua atividade profissional é um empreendimento; que este depende diretamente do desempenho de pessoas. O que dizer então quando abordamos a necessidade destas estarem atuando de acordo com o planejamento estratégico.

    Por: Maria José Carvas Pedrol Negócios> Administraçãol 28/02/2009 lAcessos: 8,083

    Pessoas envolvidas e comprometidas com o sucesso de sua empresa, certamente é a "ação" mais lucrativa que o mercado pode ter. Se as "ações" apresentarem queda, este é um sinal, que pessoas estão sendo esquecidas! Cuidado pois a empresa poderá falir ou pedir concordata

    Por: Maria José Carvas Pedrol Negócios> Administraçãol 24/02/2009 lAcessos: 2,733

    O profissional do conhecimento tem uma relação de troca com a empresa. E, por isso, se as empresas precisam de pessoas que “façam as coisas acontecerem”, elas devem identificar, estimular e reter os potenciais talentos. É importante que patrocinem o desenvolvimento de seus colaboradores, investindo em educação e treinamentos constantes, de forma a assegurar uma melhor produtividade - e conseqüente lucratividade - que lhes permitam enfrentar os novos desafios do mercado.

    Por: Polyanna Rochal Carreira> Recursos Humanosl 16/12/2008 lAcessos: 945

    A Avaliação de Desempenho é tarefa chave na gestão de pessoas, pois conforme já conhecemos, é um processo que consiste em avaliar o trabalho dos funcionários dentro de uma organização, num determinado período de tempo, com o objetivo de motivá-los a ter o desempenho desejado, alcançar os objetivos da organização e atender ao princípio da eficiência, apresentando trabalhos com maior qualidade.

    Por: ELIANA DE SOUZAl Negócios> Administraçãol 26/02/2009 lAcessos: 44,602

    A ausência de motivação do indivíduo nas organizações de trabalho já foi identificada como a principal causa do absenteísmo, especialmente por motivo de doenças físicas e por transtornos mentais e comportamentais. As profundas mudanças sociais, econômicas e climáticas vivenciadas pela humanidade na última década favorecem a discussão sobre os novos rumos da administração, com a adoção de conceitos sintonizados com a abordagem transpessoal e a gestão holística de pessoas.

    Por: Rodrigo Pival Psicologia&Auto-Ajudal 20/09/2010 lAcessos: 1,566

    Na constante evolução econômica, comercial e com a grande competitividade, o sistema capitalista e o neoliberalismo, vêm ocorrendo uma maior adaptação das empresas, frente ás freqüentes mudanças do ambiente de mercado em que vivem.Observando os aspectos de instabilidade e a freqüente guerra competitiva de mercado, a gestão de recursos e pessoas é de fundamental importância para a análise, planejamento, execução, avaliação, controle e tomada de decisões frente aos freqüentes problemas de empresas

    Por: MAX WENDELL OLIVEIRA PORTOl Negócios> Gestãol 04/09/2013 lAcessos: 42

    Como conseqüência, as organizações vêm realizando mudanças em seus procedimentos internos e externos, incorporando inovações continuadas, buscando assim, adaptar-se aos ambientes da globalização.

    Por: Henrique Ronne Grodiskil Negócios> Gerêncial 14/04/2008 lAcessos: 21,785 lComentário: 1
    Van Marchetti

    Durante todos esses anos vi empresas gastando "rios de dinheiro" com palestras motivacionais. E o resultado? Ele até existe, mas seu efeito passa muito rápido. É como assistir a um filme (entretenimento), você se diverte, se envolve ... mas e nos dias seguintes? Esse sentimento é o mesmo?

    Por: Van Marchettil Carreira> Recursos Humanosl 14/11/2014
    Lucy Cintra

    Quando passamos por uma crise muitas vezes somos levados à depressão,angústia, sem ver o fim do túnel. Mas se re-significar isso, entender profundamente o significado desse momento, pode transformar sua vida, sua carreira.

    Por: Lucy Cintral Carreira> Recursos Humanosl 11/11/2014 lAcessos: 12
    Portais Imobiliarios

    m repórter do jornal britânico ‘The Guardian' teve acesso a um suposto guia, produzido por uma imobiliária, para a atuação dos corretores de imóveis em uma negociação. As informações foram traduzidas e publicadas pelo site brasileiro infomoney.com com o seguinte título "As táticas (nada éticas) dos corretores para você comprar um imóvel".

    Por: Portais Imobiliariosl Carreira> Recursos Humanosl 03/11/2014
    Palestrante Cícero Ribeiro

    A grande maioria das lideranças empresariais não tem dúvidas da importância da atualização profissional constante para o bom posicionamento da empresa frente aos seus concorrentes. Colaboradores bem treinados e motivados são capazes de desenvolver sua atividade com grande eficiência, diminuindo quebras operacionais, retrabalhos, atrasos e erros. Apesar disto, é comum que, principalmente, as pequenas e médias empresas tratem o assunto com relativa displicência.

    Por: Palestrante Cícero Ribeirol Carreira> Recursos Humanosl 01/11/2014

    O presente artigo tem como objetivo mostrar o que é a QVT (Qualidade de Vida no Trabalho), e qual o seu papel dentro das organizações. A QVT engloba muitos aspectos na organização, fazendo com que seja um elemento impulsionador que traz bastante motivação e satisfação no ambiente de trabalho aliado à saúde e o bem-estar do trabalhador. Dentre os temas abordados estão; enfoque biopsicossocial, os componentes da QVT, contribuições das ciências, as causas do estresse no ambient

    Por: Angélica Cristina da Costal Carreira> Recursos Humanosl 15/10/2014 lAcessos: 40

    Porque os ricos ficam mais ricos e os pobres ficam mais pobres? Não é só de dinheiro que estou falando, é de felicidade, de ética, de valores, de atitudes,... Este livro traz informações de como ter uma cultura empreendedora para utilizar na vida pessoal, profissional, familiar e espiritual e então poder prosperar com suas ações.

    Por: Zailtonl Carreira> Recursos Humanosl 09/09/2014 lAcessos: 35

    Para que a criatividade flua livremente e novas ideias apareçam, é preciso eliminar velhos conceitos e outros sedimentos pessoais. Muitos desses conceitos estão enraizados dentro de nós, e insistem em lá permanecer. Veja os oito principais bloqueadores da criatividade.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Recursos Humanosl 25/08/2014 lAcessos: 19
    Fred Filho

    A história da descoberta do fenômeno do assédio moral no trabalho. Conheça como o caso de vinte e uma enfermeiras suecas que se suicidaram, ou que tentaram cometer suicídio, ajudou no estudo do assédio moral.

    Por: Fred Filhol Carreira> Recursos Humanosl 18/08/2014 lAcessos: 15

    Comments on this article

    0
    22/01/2010
    Esse cara é simplesmente fantástico, parabéns pelo artigo. espetacular.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast