Antepassados

18/04/2010 • Por • 791 Acessos

De uma forma ou outra, nossos antepassados deixaram o seu lugar de origem para começar tudo de novo em um novo lugar. Provavelmente uma das maiores migrações humanas começou após a descoberta do Novo Mundo no qual um universo de novas possibilidades e oportunidades se abriu para povoadores europeus e outras latitudes. É possível dizer que hoje em dia a grande parte das populações americanas tem descendência, entre outras, no continente velho.

Apesar do número estar longe de corretor, crê-se que entre 30 a 50 milhões de pessoas emigraram para as Américas a partir do final do século XVI. Os registros mais antigos dos primeiros imigrantes europeus foram elaborados pelas autoridades coloniais. Esta prática arquivista continuou em vários e diferentes governos, principalmente após os Estados Unidos terem se liberado da Grã-Bretanha, e os países da América Latina tiveram a sua independência da Espanha e Portugal. A preservação de registro a nível local continuou até 1820 quando, então, mais de um milhão de pessoas chegaram ao novo continente.

Americanos que buscam seus antepassados podem revisar registros preservados nas cidades capitais de cada estado. Tal investigação pode ter como base de apoio o livro A Bibliography of Ship Passenger Lists, 1583-1825 (Uma Bibliografia de Listas de Passageiros de Navio 1583-1825 de Harold Lancour). Este título está disponível em várias biblitoecas norte-americanas. Depois de 1820, os registros de imigrantes foram concentrados no Arquivo da Nação, em Wahsington Capital.

Ao final do século XIX a imigração para os Estados Unidos aumentou dramaticamente: durante o período de 1880 a 1925-5, milhões de pessoas entraram nos Estados Unidos como imigrantes. Existem duas excelentes fontes de busca de antepassados que chegaram no EUA nestes anos: As listas de passageiros que contêm dados compilados pelo Serviço de Imigração dos Estados Unidos (informação de 1820 a 1892) e listas de passageiros que chegaram entre os anos 1906 e 1957. Tais registros são fontes de muito rica de informações para todos que buscam mais informações sobre seus antepassados.

Para começar a investigar antepassados por registros de imigração e emigração é preciso alguns passos: o investigador dever saber o nome completo ou aproximado do familar que busca e é necessário também determinar o porto de entrada onde ele ou ela chegou. É muito importante considerar as variações ortográficas no nome ou sobrenome das pessoas pesquisadas.