Falaram De Mim, E Muito Mal

14/07/2008 • Por • 3,115 Acessos

  MEDITE: ”Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tg 4.11

 

O falar mal dos outros tornou-se um hábito tão enraizado que tornou-se algo obrigatório na agenda diária de muitas pessoas.  O falar mal dos outros é um mal presente na sociedade contemporânea. Pessoas fofocam no ambiente familiar, nos espaços de trabalho, dentro dos elevadores, em ônibus coletivos, enfim, sempre que têm oportunidade.

Hoje encontrei um amigo por excelência, um amigo  revoltado, entristecido, porque alguém levantou injuria contra ela, falou falsamente, caluniou, fez juízo de sua personalidade, sem causa, causando um efeito tão ruim.

Há pessoas assim como este que causou tristeza ao meu amigo. Tem pessoas que são conhecidas pelas rajadas que dispara contra todos. Há outros que transformam o falar mal de alguém em comentário de alguém que não tem nada para falar: “a gente só está comentando”. Você já observou que geralmente gostamos de falar mal dos outros, de criticar, analisar as ações dos outros negativamente. Mesmo na igreja, nos deparamos com situações bastante vergonhosas.  

Cientificamente o falar mal é uma coisa normal para algumas pessoas, haja vista que a fofoca libera uma substância chamada endorfina, que dá aquela sensação do prazer, porém os cientistas afirma ainda que a fofoca passa a ser uma doença quando o ser fofoqueiro não consegue viver sem a fofoca e ai passa a inventar histórias. Os médicos neurologistas chegam a afirmar que aqueles que tem excesso de falar mal dos outros precisam de tratamento neurológico.

Aquele que fala mal dos outros é uma pessoa que está sempre em conflito consigo mesmo. Quem está de bem com a vida não tem sequer vontade de caluniar, quer apreciar as coisas boas da vida. Por vezes, essas pessoas que falam mal dos outros lidam de forma inadequada com suas próprias perturbações. Várias das pessoas que que falam mal dos outros, falam porque tem inveja, e não tem coragem de falar face a face com as vítimas da fofoca. Como percebe-se nas palavras do apóstolo Pedro, toda a malícia, fingimento, inveja e murmuração devem ser deixados, abandonados, apartados, largados, colocados de lado. “Por que algumas coisas te incomodam tanto? Por que algumas pessoas mexem tanto contigo que você precisa falar mal deles para se sentir aliviado? Por que certas atitudes te exasperam? Comece esse processo de olhar para você (e deixar os outros um pouco de lado) e o que você descobrirá tem muito a ver com o que sempre ouviu a respeito...infelizmente, o que nos exaspera no outro, temos em grande quantidade em nós.“

Contudo, esta é uma prática condenável pela Bíblia. O verdadeiro cristão, com desejo sincero de seguir a Deus em todas as áreas da vida, deve evitar este assunto em todas as ocasiões. Não há nenhuma hipótese, de acordo com a Bíblia, em que a fofoca possa ser praticada.

Tiago deixou alguns importantes ensinos a serem observados com atenção:

“Alguém está pensando que é religioso? Se não souber controlar a língua, a sua religião não vale nada, e ele está enganando a si mesmo.” Tg 1:26

“Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade.” Tg 3:14

“A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.” Tg 3:6


Se você está a fim de mudar a qualidade de suas conversas e o tipo de pessoas que você atrai, você vai ter que começar a olhar para você e descobrir quem você de fato, assumir seus erros e como você é, e, abrir o coração para que Deus faça as mudanças necessárias na sua vida, afim de você poder glorificá-lo melhor. Se você assumir esta responsabilidade de querer mudar, então você irá mudar, porque somente aqueles que sentiram esta necessidade, Deus proporcionará as mudanças necessárias.

Que o Senhor vos abençoe!


PENSE: O melhor lugar para criticar o próximo é na frente do espelho. Anônimo.

ORE:  Senhor! Que as palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração, sejam agradáveis na Tua presença. Em nome de Jesus, amém!

Com Carinho!

Rev. Ashbell Simonton Rédua

Pastor Presbiteriano

 

Perfil do Autor

ASHBELL SIMONTON REDUA

Teólogo Presbiteriano, Graduado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, especializado em Capelania pela Seminário Teológico do Nordeste, revalidado Teologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Pos-graduando em Direito Ambiental pela Gama Filho e graduando em Direito pela Faculdade Morais Junior - Mackenzie Rio.