Violência Psicológica No Namoro E Casamento

Publicado em: 15/08/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 5,032 |

Saber viver a dois não é um atributo com o qual se nasce. O modo de se comportar no relacionamento de casal foi aprendido e influenciado pelo contexto histórico e cultural.

Em nossa sociedade um dos ensinamentos desse aprendizado é que não pode haver segredos nem barreiras entre marido e mulher, não se deve esconder nada do outro.

Crises podem ser desencadeadas, justamente, quando um dos dois manifestar desejo por mais privacidade ou mais tempo para si mesmo. E as coisas vão se complicar ainda mais se essas necessidades não for explicitada de maneira clara.

Se você diz que precisa de mais liberdade, mas não se expressa adequadamente a outra pessoa pode achar que em breve será descartada e, insegura, iniciará manobras para impedir isso.

Amor não rima com controle

Manobras de controle possuem níveis variados de complexidade e vão desde as mais superficiais como a disputa de poder sobre quem decide o sabor da pizza ou que filme ver no sábado à noite, até aquelas inadequadas cenas de ciúmes excessivo ou tentativas de controlar a vida um do outro – dentre as manobras mais conhecidas estão as chantagens emocionais e a coerção.

As conversas ficam cada vez mais desagradáveis, as cobranças cada vez irascíveis e o relacionamento se converte numa estranha dança entre a sensação de invasão de espaço e o medo de ser abandonado, ou traído, e quando o casal percebe já está em pleno terrorismo íntimo.

Relações tóxicas

Talvez você já tenha passado por um relacionamento em que aquilo que o atraiu na outra pessoa foi, pouco a pouco, sendo substituído por antipatia e indiferença. Em outras palavras, a relação se tornou tóxica e nociva.

Chamamos de toxidez relacional qualquer atitude, palavra, gesto e comportamento que desvalorize a si mesmo ou ao outro; que dispa a si mesmo ou ao outro de seus direitos, autonomia e valores pessoais.

É tóxica qualquer forma de se relacionar que precise anular, desqualificar e diminuir a si ou ao outro, para que um, ou os dois, se sinta valorizado, amado e respeitado.

Numa relação tóxica há poucas condições de crescimento afetivo, intelectual e psicológico para ambos.

Terrorismo íntimo é viciante

Pessoas que tratam a si mesmas ou ao outro dessa forma estão afetivamente imaturas.

Em parte, essa imaturidade é originada por uma autopercepção deturpada. Permanecer muito tempo em relacionamentos tóxicos retroalimenta as dificuldades autoperceptivas e faz com que a pessoa atribua pouquíssimo valor a si e, por deslocamento, pense que os outros também a vêem como ela se vê.

O pensamento e a autopercepção distorcidos fazem-na permanecer e alimentar os relacionamentos nocivos, pois, de seu ponto de vista "ruim com ele, pior sem" e que isso é o máximo que pode conseguir em termos afetivos.

E, nessa confusão de sentimentos sobre o que pensa ser amor, a pessoa pode desenvolver uma tendência a esperar que o parceiro lhe ajude a recuperar sua autoconfiança, auto-estima, que lhe atribua valor e lhe indique um caminho a seguir na vida.

Desobstrua a transmissão

A primeira coisa a fazer para sair dos relacionamentos tóxicos repetitivos é iniciar um processo de autoconhecimento que inclua descobrir como aprendeu a se relacionar e que mitos sustentam seu modo de encarar amor e casamento.

Para quem já está vivendo uma paixão é fundamental evitar mal-entendidos, enigmas e meias-verdades nas conversas de casal. Verifique se você está sendo ambíguo na hora de manifestar seus sentimentos e desejos.

É importante evitar, na medida do possível, criar fantasias de conflitos insolúveis, já temos conflitos reais de sobra a nos ocupar e exigir negociações. Criar todo um imaginário de catástrofes a partir do que pensamos que o outro está pensando, sentindo ou fazendo longe de nós é absolutamente improdutivo e desnecessário.

Dificuldades para se relacionar podem ser transformadas através do autoconhecimento obtido em grupos de movimento. Informe-se pelo http://www.wix.com/nataraji/swaraj.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 7 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/relacoes-amorosas-artigos/violencia-psicologica-no-namoro-e-casamento-1128520.html

    Palavras-chave do artigo:

    toxides

    ,

    relacional

    ,

    casal

    Comentar sobre o artigo

    Ella

    Quem nunca ouviu ou nunca disse uma frase clichê na vida? Parei para pensar nelas e se realmente fazem sentido, e por que dizemos se nem acreditamos nelas por completo?

    Por: Ellal Relacionamentos> Relações Amorosasl 15/12/2014
    Ella

    Nunca assista filmes, aqueles do tipo super dramáticos, com reviravoltas surpreendentes, amores impossíveis e grandes superações, quando você estiver com o coração partido, questões inacabadas ou problemas para se arriscar. Claro que é importante sempre resolver as questões inacabadas, levar o tempo que for e fazer o necessário para juntar os pedaços de um coração partido e fazer a escolha certa, mas é preciso ter consciência, sobriedade e enxergar a realidade antes de qualquer ação.

    Por: Ellal Relacionamentos> Relações Amorosasl 13/12/2014
    Ella

    Por que as histórias sempre começam assim, o antes não conta, a vida só começa a partir do era uma vez? Pode ser o desejo de mudança, uma cidade, um coração partido ou um novo desafio, mas sempre que buscamos mudar o rumo ou esperar que algo grandioso aconteça começamos com era uma vez? E o que houve antes, nossa bagagem, nossos erros, frustrações, o que quebrou o nosso coração não conta?

    Por: Ellal Relacionamentos> Relações Amorosasl 13/12/2014

    Você sabe diferenciar o amor da paixão? Pois saiba que, apesar das semelhanças, os sinais de que alguém está apaixonado são bem diferentes de quem está amando. O amor, normalmente, está relacionado a um sentimento bonito, estável e sereno, enquanto a paixão é tida como arrebatadora, turbulenta e, muitas vezes, sofrida.

    Por: Flávia Ghiurghil Relacionamentos> Relações Amorosasl 19/11/2014

    Minha Historia de amor que deu em Decepcção, observe até que ponto um amor chega até chegar na Decepcão

    Por: Matheus Oliveiral Relacionamentos> Relações Amorosasl 22/10/2014 lAcessos: 11
    Divórcio Aqui

    Para solteiros divorciados, voltar a relacionar-se nem sempre é a tarefa mais simples. Porém, a maneira com a qual homens e mulheres têm se comportado em relação a um novo casamento após o divórcio vem mudando rapidamente. Aqui vão 10 fatos sobre novos relacionamentos para que os solteiros divorciados possam ter uma segunda chance e seus novos relacionamentos durem mais – e também, algumas dicas para que os casais que ainda estão juntos, possam fortalecer a relação

    Por: Divórcio Aquil Relacionamentos> Relações Amorosasl 22/10/2014 lAcessos: 19
    Edison Candido Gonçalves

    A autoconfiança é o segredo para conquistar lindas mulheres. Se você é tímido e este defeito tem atrapalhado sua vida saiba aqui como se livrar desse mal e se transformar num homem mais seguro e confiante com as mulheres. Você mais que ninguém sabe que as mulheres admiram e gostam de ficar junto de homens confiantes e com atitude por isso, não perca mais tempo.

    Por: Edison Candido Gonçalvesl Relacionamentos> Relações Amorosasl 29/09/2014 lAcessos: 31
    Edison Candido Gonçalves

    Ama melhor quem ama a si mesmo e se respeita. As mulheres merecem serem amadas verdadeiramente. Serem reconhecidas com seres sensíveis e não, simples objetos. Ame para ser amado. Respeite para ser respeitado. Simples assim.

    Por: Edison Candido Gonçalvesl Relacionamentos> Relações Amorosasl 06/09/2014 lAcessos: 27
    Sueli Nascimento

    Insatisfeito com o próprio corpo, com o casamento ou o emprego atual? Você pode começar um processo de transformação em sua vida de uma maneira muito simples. Vou explicar como.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 15/02/2012 lAcessos: 214
    Sueli Nascimento

    Quando a mulher percebe que, inconscientemente, carrega esterótipos que não correspondem à sua essência e aos quais tenta desesperadamente se moldar para ser reconhecida e admirada pelos outros e por si mesma, ela pode mudar, sentir-se melhor consigo mesma e – finalmente – ter relacionamentos mais satisfatórios.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 13/02/2012 lAcessos: 183
    Sueli Nascimento

    As couraças se formam ao longo da vida para proteger a pessoa das experiências dolorosas e ameaçadoras, principalmente quando essas experiências têm a ver com alguém amado, mas se aquilo que servia de proteção emocional passar a atrapalhar, e até impedir, a vida amorosa é hora de flexibilizar-se.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 10/02/2012 lAcessos: 140
    Sueli Nascimento

    Durante a Análise Reichiana a pessoa entra em contato com suas couraças e aprende sobre o modo como elas influenciam seu comportamento e relacionamentos.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 10/02/2012 lAcessos: 100
    Sueli Nascimento

    Há conflitos que nascem entre casais quando mensagens ou desejos expressados por um são entendidos de maneira ambígua pelo outro. Toda ambiguidade dá margem a interpretações errôneas que chegam ao ponto de gerar demandas litigantes, em outras palavras, "vamos deixar a Justiça resolver isso!"

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 13/01/2012 lAcessos: 129
    Sueli Nascimento

    Através da "violência simbólica", constrói-se uma imagem de pessoa idosa – ora vovôs e vovós assexuados vendendo seguros saúde, empréstimo consignado ou auxílio funerário -, ora mulheres ávidas por cosméticos e homens por pílulas azuis, ambos em busca da juventude eterna...

    Por: Sueli Nascimentol Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 06/10/2011 lAcessos: 247
    Sueli Nascimento

    Muitas vezes, para que o relacionamento melhore é preciso que a pessoa mude seu modo de agir com os outros.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 03/02/2011 lAcessos: 566
    Sueli Nascimento

    A traição influencia negativamente a autoestima e o valor que a pessoa dá a si mesma. Além disso, gera o medo de novos relacionamentos e a pessoa fica presa no círculo vicioso: solidão-escolhas ruins-relacionamentos insatisfatórios-mais solidão.

    Por: Sueli Nascimentol Relacionamentos> Relações Amorosasl 02/02/2011 lAcessos: 518
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast