A Religião Da Familia É O Caminho?

Publicado em: 06/08/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 1,546 |

A RELIGIÃO DA FAMILIA É O CAMINHO?

A vinculação das pessoas a uma religião, na maioria das vezes, é feita de forma automática, hereditária, vindo dos pais para os filhos ininterruptamente e, normalmente, quando um determinado filho ou filha resolve seguir um novo caminho, sempre começa uma pressão contra e a reprovação da família.

Muitas vezes os outros familiares já nem freqüentam mais os cultos, mas, neste momento, se enchem de brios e começa o tormento familiar daquele ‘libertário’.

Quem já vivenciou esta situação, ou consigo ou com algum conhecido, muitas vezes não entende o porquê deste embate ter tanta proporção.
Este fato ocorre inconscientemente. Como se quando do nascimento de um novo ‘visitante’ neste lar já ficasse implícito um pacto neste sentido.

Quantas vezes ao visitar alguém, o pai ou a mãe começa a lamentar que o tal filho(a) querido agora está freqüentando esta ou aquela linha filosófica ou religião, como se ele fosse um traidor ou um perdido.

Isto de tão corriqueiro acredito que todos já tenham vivenciado algum caso.

Dependendo da idade dos filhos é até normal uma preocupação.
Mas o procedimento correto seria procurar se interar do que trata esta filosofia, a localidade, qual a forma de doutrinação. Preocupação usual para resguardar o bem do jovem ainda em formação.
Mas nunca impedir que ele procure os seus caminhos.

Mas esta pressão e intromissão normalmente continua durante a vida inteira, até quando a pessoa já constituiu família própria e tem vida independente.


Ai se o mesmo começa a seguir caminhos que não sejam os tradicionais da família!

Esta preocupação egoística, é baseada principalmente no comodismo, gerado pela indolência espiritual.
Ninguém quer mexer neste ‘departamento’ e aquele ‘desgarrado’ provoca incômodo no ‘status quo’ familiar.

Outros dizem: ‘Eu sigo a religião dos meus pais’.
E assim de geração em geração vai se passando, comodamente, a responsabilidade para os progenitores esquecendo-se que esta responsabilidade é individual, pois não existe espírito corporativo, e o eventual caminho errado de um não isenta a culpa de outro que o seguiu como nos dia Abdruschin em Na Luz da Verdade:

"Ponderai: também na opção, no assentimento ou na obediência, que ocorre talvez apenas por hábito, como consequência da preguiça espiritual, ou porque nos outros é usual assim, reside uma resolução pessoal, que para os que assim agem acarreta responsabilidades individuais, de acordo com as leis da Criação!"


Nem na justiça imperfeita dos homens isto é argumento válido.

Na continuidade do culto dos pais existe uma decisão individual que é só de sua responsabilidade. E os pais não devem interferir ou causar qualquer desestimulo neste sentido ou pior, a proibição, pois estariam agindo contra o livre arbítrio que cada um possui.

A preguiça espiritual, um dos maiores entraves da humanidade, sempre foi muito incentivado por religiões, principalmente as cristãs e muitas vezes com o uso de violência, ameaças e opressões.

Ao longo de milênios, em busca de influência e poder, foram sendo ofertados, também, comodidades e perdões facilitados de pecados.
E os seguidores foram aceitando de muita boa vontade, pois isto também vinha de encontro aos seus desejos de acomodação, o que não os isentam em nada de culpas espirituais.

E mesmo sempre recebendo muitos alertas ao longo da historia a humanidade chegou à época atual, na maior parte, embotados e sem condições nenhuma para um despertar ou discernimento maior da vida espiritual.

Mas aqueles que estão procurando um caminho ou mesmo aqueles que já freqüentam alguma religião, deveriam procurar conhecer o passado delas, a sua história, e com isto, tendo mais subsídios, veriam com mais reservas, ou pelo menos pensariam melhor, antes de tomarem partido em causas que as mesmas assumem quando surge um novo fato ou uma nova descoberta. principalmente na ciência, como recentemente no caso das células tronco, que será abordado num próximo ensaio.

'O ser humano que não é livre interiormente será um eterno escravo mesmo sendo um rei' ABdruschin - graal.org.br

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/religiao-artigos/a-religiao-da-familia-e-o-caminho-1101875.html

    Palavras-chave do artigo:

    religiao

    ,

    conceitos

    ,

    analise

    Comentar sobre o artigo

    trata-se de um estudo descritivo exploratório realizado na disciplina de enfermagem familiar e social no bairro do Kapango com objecto de fazer uma avaliação global da situação de saúde naquele bairro. o trabalho objectivou fundamentalmente:  Analisar a situação de saúde na comunidade de Joaquim Kapango, concretamente no bairro Albano Machado. Os resultados mestrão que precisa ser feito muito trabalho de saúde publica neste bairro.

    Por: Micado Miguell Saúde e Bem Estar> Medicinal 12/08/2014
    HAMILTON SERPA

    Assunto condizente com o título. Espero que vc tenha uma boa leitura caso o tema lhe interesse. Grato

    Por: HAMILTON SERPAl Religião & Esoterismo> Religiãol 25/10/2009 lAcessos: 479
    EVERALDO RUFINO DA SILVA

    Este trabalho como parte das disciplinas de história antiga do ocidente e história antiga do oriente, apresenta os conceitos historiográficos.

    Por: EVERALDO RUFINO DA SILVAl Educação> Ensino Superiorl 04/07/2011 lAcessos: 1,207
    Italo Batista

    O presente trabalho tem como objetivo analisar, por categorias, preconceitos e discriminações contidas no gênero Piada sobre nordestinos. As piadas, embora pareçam neutras, reforçam uma séria de ideologias, de um sujeito discursivo que revela como as vozes de uma determinada cultura vêem os nordestinos brasileiros, é o que Fernandes (2007) chama de heterogeneidade. As análises...

    Por: Italo Batistal Educação> Línguasl 23/06/2011 lAcessos: 1,277
    Patrícia Barreto de Souza

    O presente artigo propõe-se a tentativa de compreender o embate Religioso/Científico representado em Quills. A película pode ser compreendida como materialização de duas configurações discursivas diferentes, que coloca constantemente em interlocução os sujeitos em conflito, construídos pelos discursos da Religião e da Ciência, ambos disciplinadores do desejo da Escrita de Sade.

    Por: Patrícia Barreto de Souzal Literatural 05/02/2011 lAcessos: 426 lComentário: 1
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Nega a sucessão real, na perspectiva da temporalidade, procura entender o fenômeno da religião e da moral, como fatos originários da sociedade natural em defesa de uma moral da obrigação e de uma religião estática.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 14/05/2013 lAcessos: 11

    A presente investigação teve como finalidade, realizar uma análise acerca da Teoria das Representações Sociais (TRS) e sua possível aplicação no âmbito de pesquisas em educação. Tratou-se, assim, de um texto especificamente teórico e de pesquisa qualitativa, o qual teve como embasamento teórico os textos em teoria das representações sociais de Prado e Azevedo (2011), Rateau et al (2012), Mazzotti (1994) e, a técnica de investigação empregada foi bibliográfica e documental.

    Por: Carla Anne Marques Fariasl Educação> Ciêncial 28/09/2014 lAcessos: 22
    leopoldino dos santos ferreira

    Encontro de grandes físicos quânticos em Copenhague, após a segunda guerra mundial, onde foram tratados assuntos filosóficos.

    Por: leopoldino dos santos ferreiral Ciênciasl 10/10/2010 lAcessos: 460
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Filósofo nascido na Alemanha na cidade de Landshut, no começo da sua produção filosófica era eminentemente seguidor de Hegel, posteriormente passou a fazer parte do um grupo determinado de hegelianismo de esquerda.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 21/05/2013 lAcessos: 48
    Davi Santos

    A MULHER CRISTÃ NA ERA MODERNA ( Nome Sugestivo – Dos amigos do Trabalho, Antonio Gomes ( Analista e Luiz, nosso amado engraxate, onde presto esta singela homenagem a eles de coração.) - Esta escrita é uma mesclagem entre a mulher cristã e a mulher secular e as duas com papéis relevantes na sociedade e familia Diz a crença nas Sagradas Escrituras que a mulher que Deus deu para Adão cujo nome era Eva, após comer do fruto proibido, ( Uns dizem que era uma maçã ).

    Por: Davi Santosl Religião & Esoterismo> Religiãol 14/11/2014 lAcessos: 11
    radimel alonso favacho

    Como fazer para viver uma realidade espiritual sendo uma pessoal natural ? Nesse artigo o Mestre em teologia e filósofo Radimel Favacho dá a orientação para tal .

    Por: radimel alonso favachol Religião & Esoterismo> Religiãol 12/11/2014

    O texto mostraas diferenças e o real sentido das referências de pão e pedra citadas na biblia. A retirado do véu sobre o significado de ungir pedras, abre uma janela para a luz penetrar e possibilitar um entendimento profundo sobre a questão. As interpretações infantis são afastadas, e o verdadeiro sentido se apresenta de maneira inegável.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 05/11/2014

    O que significa nos textos o termo Filho do Homem? A resposta para este entendimento poderá ficar claro mediante a comparações do exposto no artigo. Deve haver reflexão profunda para alcançar a retirada do véu sobre a questão. Filhos do Homem em verdade são almas vindas para o planeta. É fascinante a questão que aborda este artigo.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 04/11/2014 lAcessos: 15

    O artigo propõe uma reflexão sobre o não tempo do plano espiritual em contraste com a marcação de tempo humano. Exemplo para esta comparação são citações essênias em busca do Mestre da Retidão e a citação do texto de Daniel sobre as setenta semanas pela ótica do não tempo.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 29/10/2014 lAcessos: 12

    A Arte Real utilizada pela Palavra Perdida ou Letra Viva para desvelar Textos Essênios pré-cristãos. A retirada do véu permite uma compreensão que dificilmente poderá ser ignorada mesmo por leigos no campo. A Real compreensão parece ser confirmada no interior de cada ser que esteja aberto a um conhecimento superior.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 28/10/2014 lAcessos: 12

    Os textos citam muitas vezes no singular a palavra hora. Em verdade o que está por detras do véu quando esta palavra é citada? Este artigo nos leva a refletir em possibilidades maiores do que simplesmente a leitura ao pé da letra pode conceder. É possível ir mais além. Podemos entrar na câmara que está além da porta exterior do templo e acertar nosso relógio conforme o marcador exige.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/10/2014 lAcessos: 12

    O entendimento que a Letra Viva permite é algo inifável. Não pode ser descrito em palavras, entretanto é preciso aprender a retirar o véu dos textos. É preciso se libertar do culto às fábulas, da adoração às fantasias e sonhos. O artigo, apesar de curto, nos permite reflexão sobre a questão.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 15/10/2014 lAcessos: 12
    HAMILTON SERPA

    Na década de setenta houve uma explosão de seitas de todos os vieses que se espalharam pelo mundo. Muitas dessas alguns anos depois já tinham sumido ou perdido a sua áurea de novidade e caíram no esquecimento. Mas o que aqui queremos falar não é da filosofia destas seitas, mas lembrar que naquela época algumas delas tinham como linha doutrinária estocar provisões em face de um próximo "fim do mundo" ou para o caso de uma guerra nuclear.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 24/03/2014 lAcessos: 11
    HAMILTON SERPA

    Andava, andava muito, pois se parasse as pessoas o veriam e poderiam querer conversar com ele e ele já a muito não estava preparado para isso, ou melhor não sabia nem mais como fazer isto, não sabia mais como conversar com alguém de tanto pânico que tinha na alma.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Ficçãol 03/12/2012 lAcessos: 25
    HAMILTON SERPA

    Eu estava no colégio em 1974, quando alguém apareceu com o disco "Para não dizer que não falei de flores", por baixo da camisa, mostrando para nós o disco proibido e que daria camburão e porão na hora, por trazer uma mensagem de insurgência e bastante subversiva. Eu tinha dezesseis anos e os meus interesses eram do autoconhecimento, que era outra vertente de via cultural daqueles anos, mais especificamente da contra cultura.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 25/11/2012 lAcessos: 15
    HAMILTON SERPA

    Eu sempre morei em apartamento e o contato direto com a natureza faz apenas uns cinco anos que tenho, mas já dá para ver que existe uma grande diferença em estar em seu apartamento defendendo a natureza e fazer isto convivendo com ela.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 19/11/2012 lAcessos: 20
    HAMILTON SERPA

    Mas lembro-me do questionamento feito a um professor de astronomia, lá no curso de Filosofia a 40 anos, para ele nos explicar como é que o homem calculava a vida que o nosso Sol, que na época, segundo ele, ainda teria trilhões de anos.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 17/11/2012 lAcessos: 28
    HAMILTON SERPA

    "Como podemos ser tão arrogantes? O planeta é, foi e será sempre mais forte que nós. Não podemos destruí-lo; se ultrapassarmos determinada fronteira, ele se encarregará de nos eliminar por completo da sua superfície, e continuará existindo. Por que não começam a falar em "não deixar que o planeta nos destrua?"

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 15/11/2012 lAcessos: 18
    HAMILTON SERPA

    Pela 240ª semana (um recorde) O ALQUIMISTA de Paulo Coelho se encontra na lista dos livros de ficção mais vendidos do Jornal americano The New York times. São simplesmente cinco anos. A "intelligêntsia" brasileira sempre gostou muito de meter o pau no Paulo Coelho e acredito que nem a metade destes leu alguma coisa dele, eu também não li, mas não preciso ter lido para reconhecer que se tem tantas pessoas o lendo no mundo todo algum valor ele deve ter.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 08/11/2012 lAcessos: 32
    HAMILTON SERPA

    Mas quantos de nós não passamos pela vida procurando algo que não existe mais, pensando que perdemos o grande amor da nossa vida, quando na verdade não seria assim. É como quando voltamos a algum lugar onde fomos muito felizes e quando chegamos lá vemos que o lugar já não tem nada a ver.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 06/11/2012 lAcessos: 31
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast