Controle de natalidade

Publicado em: 06/09/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 103 |

CONTROLE DE NATALIDADE

 

"O homem da alma sofrida quer milagres para crê, carrega, porém consigo a prodígio de viver". (Chico Xavier).

 

Será que um dos fatores primordiais para controlar ou amenizar a fome no mundo, seria o controle da natalidade? Muitos estudiosos afirmam que sim, mas ainda encontram resistências por parte de algumas religiões. Muitas áreas de complexidade moral fazem confronto a esta ideia. É preciso que haja ética em qualquer decisão a ser tomada, mas afirmam que a ética cristã básica é muito simples. No entanto, não podemos deixar de citar que em determinados casos, é bem difícil de ser aplicada. Determinada variante no seu conteúdo simples pode complicar quando decidimos colocá-la prática.  Visto que, se não houver um excelente planejamento tudo estará exposto ao insucesso. Às vezes, ou à primeira vista, alguns dos tópicos tenham alguma coisa em comum, quando comparamos o controle de natalidade com o aborto. Os dois ensejam que a vida humana seja interrompida.

 

A maneira de execução do controle da natalidade e do aborto se diferencia no "Modus Operandi". Um seria impedir e o outro tirar a vida humana. É antiético usar meios artificiais para prevenir que a vida humana venha ocorrer naturalmente? Existem preceitos divinos para tais procedimentos? O uso de contraceptivos é uma normal legal? São nuanças em que a ética não poderá ser esquecida na formulação das respostas. Primeiramente temos que inserir o que vem a ser culpa. É a sempre uma nesga de sombra eclipsando-nos a visão. O sentimento de Culpa é sempre um colapso da consciência e, através dele, sombrias forças se insinuam. Da palavra culpa deriva o culpado, ou seja, aquele que, por um desvio, por um falso movimento da alma, se afasta do objetivo da criação, que consiste no culto harmonioso do belo, do bem idealizador pelo arquétipo humano, pelo Homem-Deus, por Jesus Cristo. O Cristo é o Redentor do mundo, mas não o único Messias de cujas obras há sido testemunha na Terra. Uma multidão de Espíritos Superiores, encarnados entre nós, o havia de ter por auxiliares na sua missão libertadora. Cristo, pedra angular da civilização do porvir.

 

Também nesse aspecto não podemos deixar de fora a consciência. A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos. A única ventura real que existe na Terra é a felicidade incorruptível que os bandidos não usurpam, e Deus valoriza que o tempo não destrói, e os vermes não corroem, é a pureza da Consciência, é a satisfação íntima por não haveres transgredido nenhum dos deveres morais, sociais e espirituais. (Fonte: Normal L. Geisler – livro a ética Cristã) Essa consciência pode ser: culpada, normal e reta. A consciência culpada é sempre porta aberta à invasão da penalidade justa ou arbitrária. Pode ser uma espécie de remorso, a consciência normal por sua vez, é o resultado da colaboração dos dois psiquismos; colaboração na qual o psiquismo superior desempenha o papel diretor e centralizador. É o comando.

 

Na consciência reta, o maior restaurador de forças é a consciência reta que asserena as emoções. Existem os que se opõem ao controle da natalidade, usando puramente os princípios cristãos, mas podem usar outros argumentos. Praticar o controle da natalidade é desobedecer ao mandamento de Deus no sentido de propagar a raça. Podemos ver em (Gn 1:28). Evitar que a vida ocorra naturalmente é um tipo de assassinato incipiente na intenção, o propósito do sexo é exclusivamente para a procriação, nas Escrituras existe a condenação do homem que praticou uma forma de controle de natalidade. (Gen 38:9). "Sede fecundos, multiplicai-vos enchei a terra e sujeita-a". (Gen 1:28). Dizem que os que não seguem esta regra são egoístas. Hoje, o mundo vive o período da globalização, das mudanças tecnológicas, mas mesmo assim ainda denotamos muita miséria no mundo.

 

A reprodução humana pode ser divinal, mas tem que ser planejada, quer queiram, quer não. Assim como o aborto é crime previsto em lei, deveria ser também sujeito as mesmas penalidades quem coloca filhos no mundo para sofrer, passar fome e conviver com a marginalidade. Em outro aspecto conscientizar os governos para que usem os tributos em benefício dos mais fracos e oprimidos, dando=lhes conforto material e espiritual. As divergências humanas estão influenciadas pela socialização. Não existe uma regra fiel para que todos vivam em condições de igualdades, mesmo que a lei diga que direitos e deveres são inerentes a todo ser humano. É de bom alvitre se afirmar que as diferenças sociais são antigas, e o próprio Jesus sentiu na pele essa diferença.

 

Vemos muitos de nossos irmãos aos pedaços, esqueléticos, sofrendo os horrores da fome e da sede cruel. Seria justo nesse écran aonde muitas crianças não chegam a viver 1 ano de vida, a mulher ficar sujeita a maternidade todos os anos, se não existem condições de sobrevivência para ela, imaginem para seus filhos. Seria falto de ética e de amor ao ser humano, deixá-lo reproduzir todos os anos e ter que conviver com a morte de seus rebentos por inanição? Pode ser que o controle da natalidade seja um assassinato incipiente na intenção, mas menos grave do que o aborto. As consequências do aborto são imprevisíveis, pois a intenção de matar é ato grave. No controle da natalidade não existe esse intenção. O propósito do sexo é a procriação. De certo sim, mas que a procriação seja planejada para que a vida seja plena em todas as situações.

 

Se a Bíblia condena especificamente uma tentativa de Controle de Natalidade temos que rever esses preceitos, visto que a psicosfera do mundo atual é outra. Antigamente as mulheres engravidavam muito cedo, por volta dos 14 ou 15 anos, mas existia uma premissa para isso, pois os homens se digladiavam demais e o número de mortes era incalculável. Talvez para esse período o controle da natalidade fosse uma regra e não uma exceção.  "Sabia, porém, Onã que o filho não seria tido por seu; e todas às vezes que possuía a mulher do seu irmão deixava o sêmem cair na terra, para não dar descendência a seu irmão" (Gen 38:9). "Isso, porém que fazia" a Bíblia acrescenta, "era mau perante o Senhor".

 

Vemos que a repugnância do Senhor tenha sido pelo ato errado de Onã em procurar ter relações sexuais com a mulher do irmão, que alcunhamos hoje como adultério. Temos que reafirmar que a procriação é obviamente um propósito básico do sexo, mesmo assim, não é o único propósito do sexo. O sexo também tem propósitos de unificação e de recreação, conforme informam os especialistas em reprodução humana. Se a regra fosse dura e cruel o homem e a mulher que não pudessem gerar filhos estavam condenados à morte. O sexo é um prazer que valoriza a união entre os casais e não necessariamente um objeto de procriação para os homens. Esse preceito poderá ser usado com mais consistência para os animais irracionais, pois são desprovidos de inteligência.

 

Será que Deus deu a inteligência ao homem para confundi-lo? Claro que não. E sim, para que ele use o livre arbítrio seja baseado no que seja o bem para ele.  Conceitos de certo e errado. Seria errado que todos empreguem o controle da natalidade o tempo todo. Há várias situações em que o controle do nascimento seria errado. Seria errado se alguém o usasse fora do casamento para atitude sexual ilícita. Os contraceptivos não devem ser usados para evitar as consequências das suas concupiscências, (Cobiça). O casamento é o canal apropriado para o impulso sexual. Evitar as responsabilidades do casamento, enquanto se desfruta dos seus prazeres, é moralmente errado. Pensando bem o controle da natalidade é um assunto que deve ser bem estudado no mundo atual, pois a procriação irresponsável hoje em dia poderá trazer graves problemas sociais, e de problemas estamos cheiros, mesmo assim o livre-arbítrio sendo um dom divino dado ao homem cabe a ele decidir o que é bom e o que desaconselhável para ele.

 

Quando há o desvirtuamento do livre-arbítrio as próprias leis humanas estão aí para julgar o certo e o errado praticado pelo ser humano. Uma simples conclusão pode-se tirar de todo esse imbróglio, o Controle da Natalidade é mais ético do que, a prática impensada do aborto. Pois o aborto é tirar uma vida que já está em formação. Pense nisso!

 

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA AOUVIR-CE- DA AVSPE- DA UBT E DA ACE

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/religiao-artigos/controle-de-natalidade-5194498.html

    Palavras-chave do artigo:

    o aborto nao e controle de natalidade

    ,

    mas um crime contra o ser humano

    ,

    isto e um bebe em gestacao

    Comentar sobre o artigo

    A Arte Real utilizada pela Palavra Perdida ou Letra Viva para desvelar Textos Essênios pré-cristãos. A retirada do véu permite uma compreensão que dificilmente poderá ser ignorada mesmo por leigos no campo. A Real compreensão parece ser confirmada no interior de cada ser que esteja aberto a um conhecimento superior.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 28/10/2014

    Os textos citam muitas vezes no singular a palavra hora. Em verdade o que está por detras do véu quando esta palavra é citada? Este artigo nos leva a refletir em possibilidades maiores do que simplesmente a leitura ao pé da letra pode conceder. É possível ir mais além. Podemos entrar na câmara que está além da porta exterior do templo e acertar nosso relógio conforme o marcador exige.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/10/2014

    O entendimento que a Letra Viva permite é algo inifável. Não pode ser descrito em palavras, entretanto é preciso aprender a retirar o véu dos textos. É preciso se libertar do culto às fábulas, da adoração às fantasias e sonhos. O artigo, apesar de curto, nos permite reflexão sobre a questão.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 15/10/2014

    O texto convida a uma reflexão livre de influências doutrinárias a respeito do tema. Estudos mais aprofundados sobre os textos conduzirão o pesquisador a entender que sexo é uma condição apenas animal, ou em outras palavras apenas da condição da matéria animal que precisa dela para procriar, o que não acontece no plano divino.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 08/10/2014

    Podemos afirmar que, muitas vezes, a verdade é mais interessante que a ficção. O Ciclo Cósmico pela qual a humanidade vem passando, ou pelo desenvolvimento intelectual do hominal, leva a um interesse maior pela vida do Grande Mestre, ou Grande Redentor, Jesus do que em qualquer outro período desde o início de cristianismo. Nunca na história humana, Cristo foi tão estudado, pesquisado por estudantes de psicologia, misticismo, metafísicas e ocultismo com sentido minucioso e analítico. Nesse estudo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 07/10/2014

    Um entendimento sobre características mundanas que determinam a personalidade de um deus Nefando, oposto ao Inefável Numinoso que é impossível de ser caracterizado por mentes ausentes da luz inumana.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 25/09/2014

    Receba conselhos para uma vida de sabedoria e vitória, cresça espiritualmente na presença de Deus e seja uma bençao para muitas pessoas!

    Por: Paulo Cicero Marculinol Religião & Esoterismo> Religiãol 19/09/2014
    radimel alonso favacho

    A observação e prática dos mandamentos bíblicos na torah, mais especificamente os seiscentos e treze dados por Deus a Moisés. Pôr de forma fulgente o entendimento que o contexto deixa, infelizmente, não de forma nítida a todos os leitores, a saber, dos mais simplórios aos mais doutos o que não o próprio Deus, mas Jesus Cristo quis transmitir ao jovem rico, encontrado no evangelho de Mateus 19:16 a 20¹

    Por: radimel alonso favachol Religião & Esoterismo> Religiãol 19/09/2014

    Uma das palavras mais badaladas nesse período eleitoral foi democracia. Passaram um pano na politicagem, esqueceram os desmandos, as falcatruas, o mensalão, o valerioduto, o propinoduto e o petrolão. Acusaram a "Revista Veja" de ter denunciado antecipadamente os escândalos da Petrobras, afirmando os aficionados de Dilma e Lula e sua quadrilha de que a mídia imprensa agiu de má fé

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 27/10/2014

    Numa decisão política, a ética, as boas propostas deveriam ser o ponto alto da democracia, mas nos parece que todos os candidatos a cargos eletivos trocaram a política pela politicagem. A dúvida para alguns é real na hora da votação, mas vá a urna dizer qual o Brasil que você deseja. É bom frisar que os próximos quatro anos dependem do seu e dos nossos votos. É seu, é nosso direito querermos um país melhor mais democrático, onde haja disciplina, hierarquia e amor à pátria.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 23/10/2014

    Assenta tua cabeça no meu ombro, descansa e relembra os momentos felizes que passamos. Esta assertiva faz parte da nossa vida, de nossos sentimentos e do rol de realizações, que planejamos para o futuro. Muitas vezes rememoramos com pensamentos diluidores, com ações um pouco cavilosas, sem descortinar a harmonia do concerto, que traçamos para o teatro da nossa existência. Deter, impedir de avançar nossos momentos de amor, não são medidas contributivas para a felicidade que reina em nossos coraçõ

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 20/10/2014

    Quando nos referimos à política, devemos fazer um paralelo, uma comparação entre duas palavras, política e politicagem. São sinonímias contraditas e que refletem diferenciais hercúleos, do que seja a verdade em sua plenitude. Sabemos, de antemão, que existe uma variedade enorme de políticas, desde a comercial, passando pela familiar e indo até a política monetária. Política é ciência, é arte, é a ciência dos fenômenos referentes ao Estado (ciência política).

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 15/10/2014

    A política brasileira além de ferver virou um inferno. Um inferno com muitos diabos que não têm medo da cruz. Deus, o nosso Pai morreu e Jesus não estão mais em seus corações. A caridade, a fraternidade e os bons princípios não foram sublimados, e sim exterminados juntamente com a ética. No coração do brasileiro só resta esperança, as forças já estão combalidas, vítimas de uma politicagem escarnecida. O encanto do Brasil antigo evaporou-se diante das aberrações e das corrupções eleitorais.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 13/10/2014

    A felicidade imanta o meu ser, entro em êxtase vibracional, no entanto, meu ego se altera para todo mundo ver, o meu corpo se altera meio descomunal. Quando um grande amor amadurece, os tremores constantemente se alternam o corpo não resiste e a rosa não floresce, o íntimo se refina e, os desejos jornadeiam. O imã do amor me aconchega delicioso, o carinho e o afago do meu amor se transformam, a minha amada transborda em carinho astucioso e uma entrega sem pudor nos delicia e ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 08/10/2014

    Podemos afirmar que, muitas vezes, a verdade é mais interessante que a ficção. O Ciclo Cósmico pela qual a humanidade vem passando, ou pelo desenvolvimento intelectual do hominal, leva a um interesse maior pela vida do Grande Mestre, ou Grande Redentor, Jesus do que em qualquer outro período desde o início de cristianismo. Nunca na história humana, Cristo foi tão estudado, pesquisado por estudantes de psicologia, misticismo, metafísicas e ocultismo com sentido minucioso e analítico. Nesse estudo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 07/10/2014

    A brisa suave nos acaricia e o sol envolto pelo arco-íris, encanta-nos no pingente solar. Buscamos a todo instante a incessante diretriz, altaneira e rediviva. Somos humanos imperfeitos, mas através do amor e do perdão, procuramos alcançar vencendo todos os obstáculos, entre suores, perfumes, barulho, pedras de tropeços, o que mais almejamos o dom de amar. O amor na feição extrema vive em seu próprio lugar e não encontra problema difícil de suportar.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 06/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast