Correio Fraterno( Cartas Do Além)

09/02/2009 • Por • 4,603 Acessos

CORREIO FRATERNO( CARTAS DO ALÉM)



A revista “Isto É” de 11/02/2009 – Ano 32 e nº. 2048 - traz uma matéria cujo conteúdo já é conhecido desde os idos de 1857, na França e mesmo em outras localidades. Cartas do Além é o título da matéria. O Espiritismo é ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. É a alavanca de que Deus se utiliza para fazer que a Humanidade avance. Para reforçar as conotações da revista e que a Doutrina Espírita nos ensina, a comprovação maior dos dois mundos se concretizou com a vida do único Espírito Puro a pisar em solo terrestre, Jesus Cristo. A Bíblia em João já fala no Espírito da verdade que Jesus afirmava que este Espírito viria para substituí-lo. O Espírito da Verdade que preside ao grande movimento da regeneração, a promessa da sua vinda se acha por esta forma cumprida, porque de fato, é ele o verdadeiro consolador.



Se o mundo espiritual ou mundo dos desencarnados não existisse a figura de Jesus Cristo seria pura simbologia. A doutrina Espírita apresenta-se sob três aspectos diferentes, ou seja: o das manifestações, o dos princípios e da filosofia que delas decorrem e o da aplicação desses princípios. Essa crença em afirmar que o ser humano, ao atingir a estagnação biológica, ficará dormindo até a chegada do juízo final é um dogma criado pelos religiosos. Na própria Bíblia, mas precisamente no Novo Testamento Jesus afirmava quando fazia uma pergunta ao doutor das leis, Nicodemos. “O homem para atingir o Reino dos Céus precisa nascer de novo”. Nicodemos ficou pasmo e indagou a Jesus: “Mestre um velho como eu poderei adentrar ao útero da minha mãe”? Jesus na sua sapiência respondia: “Nicodemos você como doutor das leis não entendeu as minhas afirmações, o que direi dos outros que não sabem ou não estão preparados como você”? “O homem para atingir o Reino dos Céus é necessário nascer de novo e deve nascer da água e do espírito”.



Como Jesus sempre falou através de parábolas, muita gente interpreta as palavras do Mestre de forma errônea. A água a que Jesus se refere é o líquido amniótico, que o embrião passar a viver durante nove meses de gestação, e o espírito é o ser sutil e semimaterial que ocupará a nova matéria. Kardec chamou este corpo sutil de Perispírito. Já o cientista Russo Alexander Assakof que passou anos estudando o corpo humano disse que em nosso corpo material existia outro e o denominou de Corpo bio-plasmático. Tanto o Perispírito, como o corpo bio-plasmático são o que chamamos de Espírito. A alma é um espírito encarnado. O Espiritismo é, sem contradita, o mais poderoso elemento de moralização, porque mina pela base o egoísmo e orgulho, facultando um ponto de apoio à moral. Na transfiguração no Monte Tabor, que também está na Bíblia Jesus conversa com os espíritos materializados de Elias e Moisés que viveram séculos antes de Jesus Cristo. O desencarnado se materializa através do processo de ectoplasmia. Paulo já afirmava em suas cartas que no mundo espiritual não existe lugar para carne e sangue.



E o que seria dos grandes vultos da religião católica denominados de santos? As festividades comemorativas a esses santos seriam evasivas? E os milagres a eles atribuídos seriam farsa? Claro que não. “Francisco de Paula Cândido Xavier o ser humano possuidor de quase todos os tipos de mediunidade já psicografava e através da psicografia escreveu o ‘Livro Correio Fraterno de autores diversos”. A mediunidade é exclusiva do ser humano e não do Espiritismo como muita gente pensa. A comunicação com o além é fato certo e notório e se constata este procedimento com muita frequência no Antigo Testamento. Quando Moisés no Monte Sinai teria recebido a tábua dos dez Mandamentos, este ato seria a primeira psicografia que se tem conhecimento. “Como as pessoas que acreditam na comunicação como “os mortos” mudaram suas vidas a partir de mensagens psicografadas. É preciso que os neófitos vejam com bons olhos o que a Bíblia diz quando usa a terminologia - mortos. Leiam em Matheus: quando Jesus convida um jovem a segui-lo e ele diz que seguirá, mas somente depois que enterrar o pai que tinha morrido. Jesus de pronto respondeu: “Deixai que os mortos enterrem seus mortos”. Deus virá julgar os vivos e os mortos no juízo final. Os mortos são simbologias, visto que mortos para Deus e seu filho são pessoas ou seres humanos que vieram a terra somente para praticar o mal em detrimento do bem. Pensem Nisso! O Padre Bernhardin Krempel, C.P – Doutor em Teologia é responsável pelo lançamento de um livro cujo título é: “Carta do Além”.



ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ALOMERCE




Perfil do Autor

Antonio Paiva Rodrigues

Jornalista, Radialista,Gestor de Empresas(Administração), Bacharel em Segurança Pública, Acadêmico de Letras, Membro da ACI(Associação...