DEPRESSÃO, COMEÇO DE UMA OBSESSÃO

09/09/2010 • Por • 951 Acessos

DEPRESSÃO – COMEÇO DE UMA OBSESSÃO

 

O começo de uma obsessão geralmente vem com uma depressão. Há muitas causas pelas quais se começa uma depressão em uma pessoa. Ás vezes uma coisa corriqueira, simples, de fácil solução, pode provocar uma grande depressão e levar a pessoa a situações bem difíceis e complicadas. Aqui vou narrar alguns casos de depressão que levaram a pessoa a cometer coisas inimagináveis. Como os fatos são verdadeiros, trocarei o nome das pessoas:

1º.Caso: Jocilene era filha única. Com seus 23 anos de idade começou a namorar Fábio que tinha 26 anos. Ele era uma pessoa bem apessoada, bonito, charmoso, de modo que Jocilene ficou completamente apaixonada por ele.  Fábio queria provas de verdadeiro amor por parte de Jocilene. Ela resistiu muito, mas acabaram indo para a cama. Tudo bem, tudo certo, o namoro continuava. Agora sim ele prometia que iria se casar com ela em breve. Jocilene acabou ficando grávida e resolveu comunicar o fato a Fábio. Foi então a vez de Fábio mudar a casaca. Disse a ela que não queria nenhum filho com ela, que ele era casado, pai de três filhos, tinha uma esposa. Pensava em deixar a esposa, mas não era a hora ainda. Comunicou também a Jocilene que a partir daquele instante não eram mais namorados e que ela arrumasse outro pai para o filho dela. A moça ficou arrasada. Procurou de todas as formas contornar a situação. Ele não voltou mais e Jocilene caiu em grande depressão. Não poderia comunicar aos pais a situação dela. Um dia os pais tiveram que se ausentar de casa e ela ficou sozinha. Então ela escreveu uma longa carta a eles, pedindo perdão pela grande falha, foi ao celeiro, pegou uma grande corda e se enforcou.

Esta situação era bastante complicada, mas faltou a esta moça uma profunda religiosidade.  Antes de fazer a grande besteira que ela fez, deveria ter estudado um pouco mais o seu namorado, usar preservativos e não se engravidar desde a primeira vez. Era uma pessoa ainda imatura e não procurou nenhum tipo de ajuda. Nem mesmo a seus pais comunicara o fato. Foi o tempo em que os pais expulsavam as filhas por estas falhas, hoje em dia, só sendo muito hipócrita para expulsar um filho por este motivo.

 

2º.Caso: Marcela trabalha em uma grande escola. É uma boa professora, mas ela tem um grande problema: possui uma magreza que dá dó. Aparentemente não tem nenhuma doença física, não é uma pessoa feia, mas a sua magreza é muito grande. Por este motivo ela tem passado maus pedaços nesta escola. Os alunos deram tudo quanto é apelido a professora. De longe, quando ela vem chegando, já ouve os impropérios. Como é muito educada, não sabe e nem pode revidar. Já conversou com o diretor, o coordenador e ninguém consegue domar os alunos. Eles fazem as coisas escondidas e dificilmente se tem o culpado. Já houve uma série de reuniões e nada. Marcela está com uma grande depressão e tenho encontrado-a nos consultórios médicos, está fazendo tratamento, afasta-se da escola por alguns dias, mas ao retornar as coisas se complicam. Disse-me um dia destes que já não sabe mais o que fazer, pois lecionar é a sua profissão e é do que ela mais gosta de fazer. Não quer sair do colégio, pois o colégio paga bem e é perto de sua casa. Qual a solução?

Esta moça ainda trabalha no mesmo colégio, mas as coisas estão se complicando. Não é difícil encontrar uma solução aí. Ela precisa confiar em Deus e de preferência trocar este serviço por um outro, e se possível não trabalhar com crianças na mesma faixa etária, no caso dele que era de adolescente.

 

3º.Caso: Jonas é casado com Antonina. É um excelente trabalhador. Motorista de mão cheia.  Homem de confiança, forte e destemido. Tem quatro filhos com Antonina, todos já rapazes e pessoas responsáveis também. Antonina é uma mulher muito vaidosa, gosta de andar toda pintada, toda arrumada como se fosse para festas todos os dias. Parece ser uma rainha, embora seja uma família de classe média. Jonas é uma pessoa muito responsável, mas sua Antonina é uma verdadeira galinha. Ela gosta de sair com outros homens e faz isto descaradamente. Jonas não pode falar nada, pois ela diz a ele que ela quer "viver". Como moravam numa cidade pequena, lá todos sabiam o que Antonina fazia e muitos ao encontrar Jonas, já iam colocando os dois dedos na cabeça como a dizer que o chifre dele estava aumentando cada vez mais.  Jonas era apaixonado pela sua mulher. Não queria abandoná-la de jeito nenhum. O pobre homem entrou em depressão. Não podia confessar o seu problema a ninguém, pois aí o problema aumentaria. Não teve outro jeito, comprou um pacote de veneno e começou a tomá-lo. O pobre coitado desmaiou e foi visto por outras pessoas. Imediatamente levaram-no ao hospital e ele recuperou-se do veneno. As coisas para ele se complicaram ainda mais depois. Resolveu mudar de cidade e a situação mudou completamente.

Como sou um dirigente espírita, tenho inúmeros casos de depressão em nossos arquivos. Fazendo um estudo sobre eles detectamos as principais causas: Problemas no casamento, problemas com filhos, problemas com timidez, problemas com doenças graves, problemas financeiros, comportamento social, problemas com o emprego, problemas com vizinhos, problemas com o abandono e assim muitos outros.

A depressão é um estado de vibração negativa da mente humana. Por qualquer problema a pessoa pode entrar em depressão. Além dos casos acima podemos citar ainda: apego a bens materiais, inconformismo, descrença, rancor, ódio, desânimo, falta de afeto, ansiedade, orgulho, vaidade, falta de fé, falta de confiança, falta de amor, covardia, preguiça, a não aceitação pela sociedade, o não reconhecimento por algo que fez ou que faz, vontade de querer estar por cima dos outros e muitos outros problemas. Cada caso é um caso em especial.

A pessoa acaba se integrando mentalmente nestes problemas, passando a viver isto todo dia e toda hora. Com o tempo estes sintomas podem ir transformando em doença. A pessoa se esquece de buscar Deus, os espíritos amigos, não tem confiança no mestre Jesus. De modo que parece que não há solução para os seus problemas.

A medicina passa a tratar da doença com remédios fortíssimos e a pessoa parece piorar da situação e muitos acabam cometendo suicídio ou cometendo outros problemas maiores.

A pessoa depressiva fica acabrunhada, pelos cantos, não quer comer, não correr conversar, trocar idéias. Quer sempre ficar sozinha pelos cantos, de preferência em seu próprio quarto. Não tem iniciativa para nada.

Para acabar com a depressão é preciso acabar com o problema. Acabado este, a depressão acaba. Mas se for uma coisa impossível então deve-se mudar o pensamento para outro lado. Por exemplo se uma moça se apaixonar por um homem casado e que não quer nada com ela, de nada vai adiantar a depressão, pois este problema não vai ser resolvido deste lado. Então deve-se mudar o foco de atenção para outra coisa. O melhor então é se divertir, passear, fazer caminhada, ter outros relacionamentos.

A pessoa manter o foco naquele problema, a depressão vem rapidamente. Então a coisa se complica muito. Acontece que os espíritos perturbadores percebem este fato e então eles encostam nestas pessoas e aí tudo piora muito.

Se a pessoa tem muitos débitos de vidas anteriores, muitos destes irmãos chegam, pois encontram uma mente apropriada para isto. As dificuldades são muito grandes e a depressão passa a ser uma obsessão. Como se afastar destes problemas?

Em primeiro lugar a pessoa deve ter uma religiosidade, estar em contato com Deus, com os bons espíritos, ter pensamentos positivos, praticar a caridade, ter fé no que faz e melhorar o seu equilíbrio. Os remédios curam enfermidades do corpo, a religiosidade e a caridade curam as enfermidades do espírito. Vamos, portanto procurar o caminho de Deus para resolver todos os nossos problemas.