Fatalidade No Espiritismo

Publicado em: 10/02/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 747 |

FATALIDADE NO ESPIRITISMO

Muitas pessoas acreditam que o que ocorre em nossa vida é sorte ou azar, não sabem estas pessoas que tudo obedece ao determinismo proposto antes do renascimento. Deus nos deu o livre arbítrio e por isto todo o que nos acontece é devido a nossa própria escolha. O chamado destino existe, mas as coisas vão acontecer de acordo com o nosso livre arbítrio. Vejamos o que diz o livro dos espíritos:

            Questão 851 – Há uma fatalidade nos acontecimentos da vida, segundo o sentido ligado a essa palavra, quer dizer, todos os acontecimentos são predeterminados? Nesse caso, em que se torna o livre arbítrio?

            A fatalidade não existe senão pela escolha que fez o espírito, em se encarnando, de suportar tal ou tal prova. Escolhendo ele se faz uma espécie de destino que é a conseqüência mesma da posição em que ele se encontra. Eu falo das provas físicas, porque para que é prova moral e tentações, o Espírito conservando o seu livre-arbítrio sobre o bem e sobre o mal, é sempre senhor de ceder ou de resistir. Um bom espírito vendo-o fraquejar, pode vir em sua ajuda, mas não pode influir sobre ele de maneira a dominar sua vontade. Um espírito mau, quer dizer, inferior, mostrando-lhe, exagerando-lhe um perigo físico, pode abalá-lo e  assustá-lo; mas a vontade do espírito encarnado não fica menos livre de todos os entraves.

            Questão 852 – Há pessoas que uma fatalidade parece perseguir independentemente de sua maneira de agir; a infelicidade não está em seu destino?

            Provavelmente sejam provas que elas devem suportar e que escolher. Mas, ainda uma vez, levais à conta do destino que não é, o mais frequentemente, senão a conseqüência de vossa própria falta. Nos males que te afligem, esforça-te para que a tua consciência seja pura, e tu serás consolado em parte.

            Questão 853 – Certas pessoas não escapam de um perigo mortal senão para cair num outro: parece que elas não poderiam escapar à morte. Não há nisso fatalidade?

            Nada há de fatal no verdadeiro sentido da palavra, senão o instante da morte. Quando esse momento chega, seja por um meio ou por outro, vós não podeis dele se livrar.

            Questão 854 – Da infalibilidade da hora da morte, segue-se que as precauções que se toma para evitar são inúteis?

            Não, porque as preocupações que tomais vos são sugeridas para evitar a morte que vos ameaça; elas são um dos meios para que a morte não ocorra.

            Questão 855 – Qual o objetivo da providência ao fazer-nos correr perigos que não devem ser conseqüência?

            Quando tua vida é posta em perigo, é uma advertência que tu mesmo desejaste a fim de te desviar do mal e te tornares melhor. Quando escapas desse perigo, ainda sob a influência do perigo que correste, sonhas, mais ou menos fortemente, segundo a ação mais ou menos forte dos bons espíritos, em te tornares melhor. O mau espírito sobrevindo pensa que escaparás igualmente de outros perigos e deixas de novo tuas paixões se desencadearem. Pelos perigos que correis, Deus vos lembra vossas fraquezas e a fragilidade de vossa existência. Se examinarmos a causa e a natureza do perigo, ver-se-á que, o mais frequentemente, as conseqüências foram a punição de uma falta cometida ou de um dever negligenciado. Deus vos adverte, assim para vos recolher em vós mesmos e vos corrigir.

            Exemplos práticos:

01.Não é fatalidade pessoas atingidas por balas perdidas. Provavelmente elas cometeram assassinatos em vidas passadas e vieram resgatar o seu débito nesta vida desta forma.

02.Um médico brigou com uma pessoa que não se sentindo conformada com a briga, foi em casa pegou uma arma e veio esperar o médico no hospital. Este médico mais um outro estavam fazendo uma cirurgia. A pessoa armada olhou pela janela, fez mira no médico brigão e apertou o gatilho quando o outro médico surgiu na frente e recebeu a bala na cabeça. Teve morte instantânea. Ele nada tinha a ver com a briga. Não foi fatalidade, foi o planejamento que ele fizera na espiritualidade.

03.Dois jovens foram pescar. Um tinha 18 e outro 14. Andando no brejo, o de 14 anos foi picado por uma cascavel. O de 18 anos pegou o amigo e levou-o a um hospital. Enquanto o jovem estava sendo atendido, o outro ficou esperando sentado em um sofá. Quando foram chamá-lo, ele estava morto e o picado pela cobra saiu andando normalmente. Cumpria-se o planejamento deles.

            Muitas pessoas seriamente endividadas fazem projetos de se tornarem médiuns e ajudar os irmãos necessitados, muitos dos quais ele mesmo prejudicou, mas na terra acabam fugindo das obrigações. Acontece que seu próprio espírito colocou algumas fatalidades para que ele abrisse os olhos e se voltasse a Deus. Entre estas fatalidades pode ocorrer até a retirada da vida carnal.

            Ex: Márcio, extremamente endividado, fez compromissos de se tornar médium e ajudar a todas as suas vítimas. Na terra fez um brilhante curso de Direito e se tornou Juiz. Ficou riquíssimo e orgulhoso. Teve um tumor no cérebro que o deixou paralítico e mudo. Então ele é levado a um centro espírita onde se melhorou e agora traduz para o público mudo (através de sinais) as palavras dos palestrantes espíritas.

            É por isto que no Espiritismo se ouve muito: ou vem por amor ou pela dor. Os dorminhocos geralmente só vem para o Espiritismo depois de muito sofrimento.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/religiao-artigos/fatalidade-no-espiritismo-1844090.html

    Palavras-chave do artigo:

    fatalidade

    Comentar sobre o artigo

    A democracia e um estado social onde respeita-se os direitos consagrados pela declaração universal dos direitos humanos,ha notavelmente uma intenção inequívoca de os governantes autoritários exigirem submissão ao povo e elevarem o alter ego e entretanto o povo procurara livrar-se da submissão imposta pela autoridade não democrática penso que a democracia nunca sera efetiva por mais que doa admitir isso,prova disso e a passividade das organizações de tutela ante aos problemas visíveis pelo mundo

    Por: helio adao dumba golal Literatura> Crônicasl 25/09/2013 lAcessos: 12
    Moacyr de Lima e Silva

    Nossa felicidade real está subordinada à forma que dermos ao dispêndio do nosso tempo em vida, o suficiente para auferirmos méritos espirituais consagrados para depois da passagem para o mundo invisível - o nosso verdadeiro lar.

    Por: Moacyr de Lima e Silval Psicologia&Auto-Ajuda> Gerência de Tempol 03/08/2011 lAcessos: 59

    A inércia da política pública de combate ao mosquito transmissor da dengue e o jogo de empurra entre os governos federal, estadual e municipal, a demora em perceber a ineficácia dos "inseticidas" (na verdade o piretróide tem função temporária de repelência) utilizados nos últimos anos, permitiram que não só o vetor da Dengue, mas também o vetor da Malária, da Leishmaniose, da Elefantíase se estabelecessem para ficar.

    Por: Beatriz Antonieta Lopesl Saúde e Bem Estar> Medicinal 26/06/2010 lAcessos: 57

    Mude de vida com o instituto IBTA, com uma terapia que atua no tratamento da : Depressão, dependência química, pânico, crise no relacionamento de casais.Ela também é empregada no tratamento de picada de cobra, IMPOTÊNCIA MASCULINA, ESTERILIDADE FEMININA, AIDS, tem potencial para o tratamento do TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade) em adultos e doenças degenerativas do sistema nervoso central. www.ibtasaude.com.br

    Por: CLinica IBTAl Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 29/03/2012 lAcessos: 454
    Archimedes Azevedo Raia Junior

    O artigo procura apresentar uma diferença conceitual entre o termo acidente de trânsito utilizado no Brasil, de forma equivocada. Nos Estados Unidos, por exemplo, o termo acidente de trânsito ocorrido normalmente, com a participação direta ou indireta dos usuários envolvidos na ocorrência é chamado de "crash", enquanto que o acidente que ocorreu por pura fatalidade é denominado "accident".

    Por: Archimedes Azevedo Raia Juniorl Tecnologia> Segurançal 14/09/2014 lAcessos: 11

    Este artigo questiona os fundamentos daqueles que são contra a pena de morte, desmistificando pré-conceitos e aponta para a real valoração a ser dada para uma questão tão importante: A VIDA HUMANA. O respeito efetivo a vida de pessoas inocentes e benévolas estará realmente sendo observado, quando facínoras,estupradores e assassinos fazem o mais absurdo estrago e não têm como resposta a pena capital??? Esta é uma reflexão levantada neste artigo.

    Por: José da Silva Pereiral Direito> Doutrinal 21/11/2011 lAcessos: 163
    Poliana Alves

    Embora a morte faça parte da vida, é vista como algo a ser evitado, como se morrer fosse adversário do processo de viver, eliminando qualquer possibilidade de continuidade dentro daquela perspectiva de vida, onde se tinha vontades, sonhos, projetos e realizações. A morte faz parte do desenvolvimento humano desde a mais tenra idade. Ela como limite nos ajuda a crescer, mas vivenciada como limite, também é dor, solidão, tristeza, dúvidas, medos, perda de funções e do afeto.

    Por: Poliana Alvesl Psicologia&Auto-Ajudal 06/05/2013 lAcessos: 55
    Rodnei Vecchia

    Todo verão brasileiro ocorre um embate de gigantes, sem vencedores: de um lado aglomerados urbanos excedendo limites de ocupação, impermeabilização e poluição; de outro lado as precipitações das águas das chuvas batendo recordes sucessivos ano pós ano. A sociedade organizada não aceita mais desculpas sem culpados e omissão contumaz.

    Por: Rodnei Vecchial Educação> Ensino Superiorl 27/03/2011 lAcessos: 60
    Joao António Fernandes

    O suicídio como movimento de libertação, de uma insatisfação exageradamente sentida, que tende a reger-se por sensações, em que o princípio de racionalidade não consegue impor-se a um sistema primário de organização mental.

    Por: Joao António Fernandesl Ciênciasl 06/03/2011 lAcessos: 60

    A Arte Real utilizada pela Palavra Perdida ou Letra Viva para desvelar Textos Essênios pré-cristãos. A retirada do véu permite uma compreensão que dificilmente poderá ser ignorada mesmo por leigos no campo. A Real compreensão parece ser confirmada no interior de cada ser que esteja aberto a um conhecimento superior.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 28/10/2014

    Os textos citam muitas vezes no singular a palavra hora. Em verdade o que está por detras do véu quando esta palavra é citada? Este artigo nos leva a refletir em possibilidades maiores do que simplesmente a leitura ao pé da letra pode conceder. É possível ir mais além. Podemos entrar na câmara que está além da porta exterior do templo e acertar nosso relógio conforme o marcador exige.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/10/2014

    O entendimento que a Letra Viva permite é algo inifável. Não pode ser descrito em palavras, entretanto é preciso aprender a retirar o véu dos textos. É preciso se libertar do culto às fábulas, da adoração às fantasias e sonhos. O artigo, apesar de curto, nos permite reflexão sobre a questão.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 15/10/2014

    O texto convida a uma reflexão livre de influências doutrinárias a respeito do tema. Estudos mais aprofundados sobre os textos conduzirão o pesquisador a entender que sexo é uma condição apenas animal, ou em outras palavras apenas da condição da matéria animal que precisa dela para procriar, o que não acontece no plano divino.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 08/10/2014

    Podemos afirmar que, muitas vezes, a verdade é mais interessante que a ficção. O Ciclo Cósmico pela qual a humanidade vem passando, ou pelo desenvolvimento intelectual do hominal, leva a um interesse maior pela vida do Grande Mestre, ou Grande Redentor, Jesus do que em qualquer outro período desde o início de cristianismo. Nunca na história humana, Cristo foi tão estudado, pesquisado por estudantes de psicologia, misticismo, metafísicas e ocultismo com sentido minucioso e analítico. Nesse estudo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 07/10/2014

    Um entendimento sobre características mundanas que determinam a personalidade de um deus Nefando, oposto ao Inefável Numinoso que é impossível de ser caracterizado por mentes ausentes da luz inumana.

    Por: Alf Arianl Religião & Esoterismo> Religiãol 25/09/2014

    Receba conselhos para uma vida de sabedoria e vitória, cresça espiritualmente na presença de Deus e seja uma bençao para muitas pessoas!

    Por: Paulo Cicero Marculinol Religião & Esoterismo> Religiãol 19/09/2014
    radimel alonso favacho

    A observação e prática dos mandamentos bíblicos na torah, mais especificamente os seiscentos e treze dados por Deus a Moisés. Pôr de forma fulgente o entendimento que o contexto deixa, infelizmente, não de forma nítida a todos os leitores, a saber, dos mais simplórios aos mais doutos o que não o próprio Deus, mas Jesus Cristo quis transmitir ao jovem rico, encontrado no evangelho de Mateus 19:16 a 20¹

    Por: radimel alonso favachol Religião & Esoterismo> Religiãol 19/09/2014

    O que é que os espíritos abnegados fazem no mundo espiritual? Quais são os tipos de trabalhos realizados em cima de cada centro? Aqui temos uma pequena noção do que os espíritos fazem.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismo> Religiãol 27/04/2014 lAcessos: 26

    As causas principais para as mortes prematuras dos bebês. Aqui temos algumas informações importantes e as causas principais.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismol 21/04/2014 lAcessos: 29

    Falta de estudos, falta de informações, analfabetismo, falta de força de vontade, a procura de um salvador da pátria faz com que a ingenuidade do povo brasileiro se torna alarmante a ponto de qualquer um tepeá-lo levando-o a sérios problemas.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismol 21/04/2014 lAcessos: 26

    Fé e crença não é a mesma coisa. Existem algumas diferenças. Elas estão interligadas e uma está em relação a outra. Veremos a diferença entre os dois conceitos.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismol 20/04/2014

    Ele foi dar queixa à delegacia, mas os policiais não entenderam o que ele queria dizer, mas levaram uma ambulância para o socorro. Chegando lá a surpresa foi enorme.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Literatura> Ficçãol 18/04/2014 lAcessos: 21

    Quem era a mulher adúltera da Bíblia? O que realmente ela fez? Existia um culpado para que ela vives assim?

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismol 16/04/2014

    O nosso pobre Chico fez uma programação espiritual, mas aqui chegando fez tudo errado. O que vai acontecer com ele agora?

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismo> Religiãol 09/04/2014 lAcessos: 14

    No começo a obsessão pode ter cura, mas se deixar muito tempo pode se tornar uma subjugação e a situação pode ficar muito mais difícil.

    Por: Henrique Pompilio de Araújol Religião & Esoterismo> Religiãol 09/04/2014 lAcessos: 20

    Comments on this article

    0
    Luciana 01/09/2011
    preciso de uma mensagem que ajude ao mesmo tempo aos pais que perderam um filho de 2 aninhos e ao mesmo tempo para um médico que estava "na hora e no lugar errado", posso contar com vocês? E enviar a mesma ao facebook, lógico que mostrando a autoria de quem escreveu?
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast