Lição 12 - O Consolador e o discipulado - BETEL

13/09/2012 • Por • 4,603 Acessos

capa3trimestre2012.jpgO ESPÍRITO NOS ENSINAMENTOS DE JESUS   Jesus não apresentou ao povo muitos ensinamentos sobre o Espírito Santo. A maior parte dessa doutrina foi transmitida em particular aos seus discípulos, especialmente durante as últimas horas antes de ir ao Getsêmani, conforme registra o apóstolo João.

Os demais evangelhos, no entanto, também contêm algumas declarações significantes.   Conforme já notamos, Jesus reconhecia a inspiração do Es­pírito Santo nos escritos do Antigo Testamento (Marcos 12.36; Mateus 13:14; Lucas 20.42), bem como a obra do Espírito no tocante ao Messias.

Mas, nesses evangelhos, Ele deu aos seus discípulos ensinamentos específicos no tocante a quatro coisas sobre o Espírito Santo. Em primeiro lugar, Ele reconhecia que o Espírito é uma dádiva de Deus, a chave para tudo quanto o Senhor tem para nos dar (Mateus 7.7-11; Lucas 11.9-13). Em segundo lugar, Ele prometeu que o Espírito estaria com seus discípulos para ajudá-los no ministério e ungi-los, mesmo no meio da perseguição (Mateus 10.16-20; Marcos 13.9-11; Lucas 12.11,12; 21.12-15).

Em terceiro lugar, Ele ordenou que bati­zassem os crentes em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mateus 28.19). Em quarto lugar, Ele determinou que es­perassem em Jerusalém até serem revestidos de poder do alto (Lucas 24.49), do poder do Espírito Santo que os transformaria em testemunhas (Atos 1.8). 

Lucas 11.13: "Pois se vós, sendo maus [malfeitores, pessoas fracas que nem sempre têm as melhores intenções], sabeis dar boas [úteis, benéficas] dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?", vem como um clímax do ensino de Jesus a respeito da oração. 

Blog Diacono Sergio Christino

Perfil do Autor

Sergio H.S. Christino

"Quão formosos são os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que anunciam coisas boas" Romanos 10.15