O Juízo Final

17/07/2011 • Por • 237 Acessos

Acredita-se que este será o período mais sombrio da história humana, pois nesse tempo haverá grande tribulação. A tribulação será o Dia da ira do Senhor contra os que têm rejeitado o amor de Deus na pessoa de Jesus Cristo. Ao mesmo tempo será um dia de celebração sem fim, em que os seguidores fiéis de Cristo serão arrebatados pra junto Dele. Será um tempo em que Deus, mais uma vez vai oferecer seu amor, sua misericórdia, sua compaixão e sua graça ao homem pecador. Neste capítulo estudaram-se alguns casos específicos como: o Dia do Senhor, o Arrebatamento da Igreja e a Grande Tribulação.

Eis o dia tão esperado – o Dia do Senhor. Há muitas coisas que as pessoas não conseguem compreender acerca dos acontecimentos futuros, mas uma coisa é certa: o dia da volta de Cristo será um dia de recompensa, de galardão. "O Senhor recompensará a cada um pelo bem que praticar, seja escravo ou livre" (Ef 6.8).

Aqueles que viveram ignorados na terra serão reconhecidos no céu. Os que nunca receberam aplausos humanos serão aplaudidos pelos anjos. Os filhos que nunca receberam a bênção dos seus pais receberão a bênção do Pai Celestial. O humilhado será exaltado. O humilde enaltecido.

No livro de Mateus, capítulo 25, versículos de 31 a 46, Jesus fala sobre o Juízo Final, advertindo o povo sobre os acontecimentos futuros que se sucederão:

Quando o Filho do Homem vier na sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante Dele, e Ele separará uns aos outros, assim como o pastor separará as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então, o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: Venham vocês, que são abençoados por meu Pai. Recebam como herança o Reino que meu Pai lhes preparou desde a criação do mundo [...]. Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: Afastem-se de mim, malditos. Vão para o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos. [...] Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna.

 

Os homens vão ser julgados pela fé que tiveram em Jesus. Esta fé significa reconhecimento e compromisso com a pessoa concreta de Jesus. Deus separará os seus seguidores obedientes daqueles que são incrédulos e fingidos. Da mesma forma que Deus recompensará o justo por sua fidelidade e santidade, assim também, julgará o ímpio conforme as suas obras.

As coroas da vida, da justiça e da glória serão entregues individualmente. Deus se chegará a cada um e olhando em seus olhos irá abençoá-lo: "Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; Eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria de seu Senhor!" (Mt 25.23). No entanto, não é possível dizer a mesma coisa para o ímpio, que viveu na iniqüidade e corrupção. Assim como o justo será lembrado e levado para junto do Senhor, o ímpio será deixado para trás quando Cristo voltar.

Sendo assim, é fundamental que ninguém desista, continuem firmes, converta-se e crede no Evangelho. Escute a voz de Deus falando com você: "Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém tome a sua glória" (Ap 3.11).

 

 

REFERÊNCIAS

 

BETIATO, Márcio Antônio. Escatologia Cristã: entre ameaças e a esperança. 2 ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2008.

BIBLIA DE ESTUDO APLICAÇÃO PESSOAL Antigo Testamento e Novo Testamento. Edição Almeida Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD. Brasil, 2003.

BIBLIA DE JERUSALEM. Antigo Testamento e Novo Testamento. São Paulo: Paulus, 2002.

BIBLIA SAGRADA. Antigo Testamento e Novo Testamento. Edição Tradução na Linguagem de Hoje. Barueri (SP): Sociedade Bíblica do Brasil, 2005.

BIBLIA SAGRADA. Antigo Testamento e Novo Testamento. Edição Pastoral. São Paulo: Paulus, 2002.

BRUSTOLIM, Leomar Antônio. Quando Cristo Vem: a parusia na escatologia cristã. São Paulo: Paulus, 2008.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Edição Típica Vaticana. São Paulo: Loyola, 1998.

COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e Geral. Vol. único. 2 Grau. São Paulo: Saraiva, 2003.

FIGUEIREDO, Onézio. Escatologia. Disponível em:. Acesso em 14 de Julho de 2010.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3ª ed. São Paulo: Makron Books, 1995, 157 p.

LUCADO, Max. Quando Cristo Voltar: o começo da melhor parte. 10 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.

MARTINI, Miguel. A Segunda Vinda de Cristo. 5 ed.São Paulo: Editora Canção Nova, 2009.

MIRANDA, Valtair. O que é Escatologia. Rio de Janeiro: MK, 2004.

MINAYO, M.C.S. Ciência, técnica e arte: O desafio da pesquisa social. In: Pesquisa social: Teoria, Método e Criatividade (M.C.S.Minayo, orgs.), Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1996.

NOGUEIRA, Reynaldo Prestes. Ouça os Passos do Senhor. São Paulo: Associação Religiosa Imprensa da Fé, 2001.

PENTECOST, J. Dwight. Manual de Escatologia. São Paulo: Editora Vida, 2006.

SILVA, Severino Pedro da. Escatologia, Doutrina das Últimas Coisas. 17 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.

TRIVIÑOS, A N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1994.

 

Perfil do Autor

Diego Luiz Piovesan

"Eu não vim para fazer a minha vontade, mas a vontade do meu Pai" (Jo 5. 30).