O Que É Paixão

03/02/2010 • Por • 4,603 Acessos

Quando estamos apaixonados, é como adquirir super poderes, onde nada pode nos abalar, ou nos ferir... Efetuamos loucuras, deixamos que o medo se escondesse e a aparente coragem se manifeste... Mostramos que somos capazes de tudo sem nos amedrontar com a opinião dos outros.

O sexo se torna nossa meta, as indiscrições são partes de  nossos fetiches, o amor brota pela compreensão de sentimentos.

Unidos por interesses em comuns a paixão dá lugar ao amor, e esse passa a ser dominante entre um casal, até o casamento.

Mas, ao se falar em paixão, muitos se confundem, e olham apenas o aspecto sexual, e esquecem que a paixão, é um sentimento muito mais amplo e que se baseia em muitas outras formas de ações.

Vejo às vezes voluntários, que auxiliam instituições filantrópicas, trabalhando por vezes em casas  de repouso, muitas  vezes banham e higienizam idosos ou deficientes.

Apaixonados pelo que fazem, trabalham muitas vezes de graça, e lidam com situações problemáticas sem reclamar.

Com paciência e alteridade, enfrentam o mau humor de seus pacientes, agüentando desaforos e desabafos, que muitas pessoas não tolerariam por salário algum.

Noto, que às vezes nos Centros Espíritas, que os trabalhadores, muitas vezes não querem exercer suas atividades, muitos por não serem apaixonado pelo que fazem; trabalham emburrados, e sempre olhando ao relógio, contando as horas de ir embora,  não participam  de eventos que sua casa promove.

Nessas horas lembro de Chico Xavier : “Em qualquer parte ou situação, não hesites quanto à atitude mais elevada a que nos achamos intimados pelos Propósitos Divinos, diante da consciência. Para encontrá-la, basta procures realizar o melhor de ti mesmo, a benefício dos outros, porquanto, onde e quando te esqueces de servir em auxílio ao próximo, aí surpreenderás a vontade de Deus que, sustentando o Bem de Todos, nos atende ao anseio de paz e felicidade, conforme a paz e a felicidade que oferecemos a cada um.”

Emmanuel (Chico Xavier) - (De Estude e Viva, de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, pelos Espíritos de Emmanuel e André Luiz)

Ainda devemos, manter a consciência do que nos diz a codificação:

 

Questão 908 do LE:   “As paixões são alavancas que decuplicam as forças do homem e o ajudam na realização dos objetivos da Providência. Mas se, em lugar de dirigi-las, o homem se deixa dirigir por elas, cai nos excessos e a própria força que, em suas mãos, poderia fazer o bem, recai sobre ele e o esmaga. Todas as paixões têm seu princípio num sentimento ou necessidade natural... O princípio das paixões, portanto, não é um mal, visto que repousa sobre uma das condições providenciais de nossa existência. A paixão, propriamente dita, é o exagero de uma necessidade ou de um sentimento. Ela está no excesso e não na causa, e esse excesso torna-se um mal quando tem por conseqüência um mal qualquer. Toda paixão que aproxima o homem da natureza animal o distancia da natureza espiritual”.

Se você não é apaixonado pelo que faz, não produz bem seu serviço e causa mal estar tanto a você mesmo, quanto aos demais a sua volta, o melhor é fazer o que gosta, Se não gosta... Não o faça... Procure... Ache... Apaixone-se.

Perfil do Autor

Marcos Paterra

Pesquisador e articulista do movimento espírita. Reside em João Pessoa/PB