Os desafios do Pacto de Lausanne para a igreja hoje

17/06/2011 • Por • 1,820 Acessos

RESUMO CRÍTICO - OS DESAFIOS DO PACTO DE LAUSANNE PARA A IGREJA HOJE

Introdução

            No cenário evangélico brasileiro se faz necessário uma releitura de todo conteúdo do Pacto de Lausanne. Suas influências servem de base para despertar na liderança e no povo a genuína natureza e missão da Igreja.

            A consolidação doutrinária estabelecida pelo Pacto, foi de suma importância no meio evangélico ou evangelical, esta consolidação dividiu-se em: o propósito de Deus; a autoridade e o poder da Bíblia; a unicidade e a universalidade de Cristo e o retorno de Cristo.

Desenvolvimento

            Existem no meio evangélico e na humanidade em geral uma dupla crise – crise da relevância e de identidade. Mesmo diante desta crise, busca-se ainda pressupostos cristãos básicos com um maior comprometimento com o propósito de Deus e consequentemente ser servo e testemunha de Deus, dentro de um mundo eivado numa cultura egocêntrica e sem propósito.

            O teor do Pacto, tinha como centro a reafirmação do papel central da Bíblia, tida como a única regra de fé e prática, o conteúdo da Bíblia precisava sair das quatro paredes e alcançar o homem e o mundo como um todo. Todos os artigos que compuseram o Pacto, tinham o objetivo de retomada aos pilares cristãos do passado, mais de forma contextualizada. Assim como os profetas do Antigo Testamento, se defendia que a salvação não era patrimônio da Igreja e que a mesma não poderia ter a salvação como uma norma eclesiástica. O aspecto missionário, foi revisto, tendo como base o estudo da Palavra de Deus, onde deve-se contextualizar a Palavra, sem a perda da sua essência, um evangelismo inovador, mas apontando para o pecado do homem e a justiça de Deus, onde deve-se contextualizar a Palavra, sem a perda da sua essência, um evangelismo inovador, mas apontando o pecado do homem e a justiça de Deus.

            "Precisamos estudar a Bíblia para fazer re-arder em nosso corações e mentes a chama do compromisso com a glória de Deus que reina sobre toda a criação e faz do corpo de Cristo o seu instrumento evangelizador na terra".

             Algo que foi amplamente debatido foi a relação entre a evangelização e o compromisso social. Houve um consenso em que alguns momentos considerado a evangelização e a atividade social mutuamente exclusivas, onde a ação social não era evangelização.

Conclusão

            Existem várias áreas que precisam ser revistas e repensadas, como: evangelismo, missões, ação social, liderança e educação teológica, evidente que todo esforço e empenho, precisa estar revestido do poder e ação do Espírito Santo que é o único capaz de fazer essa obra prosperar e dar os frutos necessários. A utilização da tecnologia da informação como forma de comunicação, troca de informações e aprendizado, tem feito surgir um desafio frente a Igreja no presente século. Devemos entendê-la e utilizá-la, como mais uma ferramenta com propósito evangelístico e missionário, mais nunca de substituição do relacionamento comunitário e do próprio culto.

Enfim, nestes anos a tarefa evangelística precisa ser uma responsabilidade de todas as Igrejas, não podemos nos calar diante da opressão política, da desigualdade social, da pobreza e do conformismo. Temos vislumbrados apáticos o esvaziamento moral e espiritual de nossa sociedade e pouco temos feito. Estamos num tempo em que o Evangelho virou um produto e o mundo o seu consumidor, onde os pregadores são mega-empresários detentores do poder.

Referência Bibliográfica

Artigo: Os Desafios do Pacto de Lausanne para a Igreja Hoje. Autor: Júlio Paulo Tavares Zabatiero.

Wikipédia – A enciclopédia livre - http://pt.wikipedia.org/wiki/Pacto_de_Lausanne.

Perfil do Autor

Marcelo dos Santos Rodrigues

Pós-Graduado em Gestão e Auditoria Ambiental. Bacharel em Direito. Despachante Aduaneiro 7a Região Fiscal. Consultor de Comércio Exterior....