Padre Ibiapina: O Homem

Publicado em: 28/03/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,464 |

Ibiapina: O Homem

Transcrição: Luiz Domingos de Luna*

Padre José Antonio de Maria Ibiapina, assim assinava aquele que o povo chamava de mestre Ibiapina, o maior missionário do Nordeste. Cujo centenário se celebrou em 1983. Hoje em dia ele está quase totalmente esquecido, mesmo no Nordeste, salvo em algumas comunidades rurais muito tradicionais em que se mantêm algumas devoções recomendadas por ele ou nas imediações de Santa Fé, perto de Arara, na Paraíba, onde foi sepultado. Cada ano em Santa Fé no dia 19 de fevereiro uma piedosa romaria reúne os últimos os últimos devotos do Padre Mestre.

Nada mais injusto do que o esquecimento em que caiu o grande missionário do sertão do Nordeste. Se tivesse tido continuadores, a face da igreja no Nordeste e no Brasil teria podido ser diferente. Mas a circunstância histórica não lhe foi favorável. Depois do Vaticano I, no Brasil a igreja entrou nos rumos da romanização e do ultramontanismo. Os bispos pediram a ajuda de religiosos europeus formados na mais estrita observância do Ultramontanismo. A Herança pastoral autóctona foi abandonada. Em torno à figura do maior e dos mais originais dos missionários do Nordeste, criou-se um silêncio de quase reprovação.

Ibiapina nasceu em 1806 numa fazenda perto de Sobral, no Ceará. O Seu pai era escrivão o público.   Seu pai teve parte ativa na revolução de 1824, conhecida como confederação do Equador, e foi fuzilado. O Seu irmão mais velho. Pela mesma razão. Foi preso na ilha de Fernando de Noronha onde morreu misteriosamente. Estudou dois anos no seminário de Olinda de 1823 a 1825. Mas não se entrosou e saiu. Entrou na faculdade de direito recém fundada e formou-se aos 26 anos, assumindo imediatamente a cadeira de direito natural na escola de direito.

No ano seguinte, aos 27 anos, ele é juiz de direito e chefe da polícia em Quixeramobim. Aos 28 é eleito deputado federal na constituinte de 1834. (...) Em 1855, dois anos depois da ordenação, deixa o Recife definitivamente para buscar a sua vocação no sertão. Deixa a igreja instalada da capital pernambucana que a ninguém para buscar o povo de Deus perdido nesse interior interessa. Então começa a sua vida missionária. Os últimos 28 anos de sua vida  vão fazer uma extraordinária carreira de missionário.

De 1860 a 1876 foram os anos da vida itinerante. A partir de 1876, Ibiapina, paralisado, instala-se em Santa Fé, continuando a dirigir asa suas  fundações à distância. Aí morre em 1883.

É mestre de Ordem, Ordem Santa Cruz, - Penitentes - Forania do Aurora no Estado do  Ceará, aos 28 dias do mês de março, 2009.

Bibliografia:

Ibiapina José Antonio de Maria, 1805 – 1883

                 Instruções espirituais do Padre Ibiapina/ José Comblin {organizador} – São Paulo: Ed. Paulinas, 1984.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/religiao-artigos/padre-ibiapina-o-homem-2062192.html

    Palavras-chave do artigo:

    padre ibiapina

    Comentar sobre o artigo

    Luiz Domingos de Luna

    Um breve relato sobre os mestres da Ordem Santa Cruz no cariri cearense.

    Por: Luiz Domingos de Lunal Religião & Esoterismo> Religiãol 06/04/2010 lAcessos: 142
    Luiz Domingos de Luna

    Uma Abordagem do rei do cangaço pela ótica do misticismo popular, com embasamento de literatura para os fins propostos - Oralidade perdida!

    Por: Luiz Domingos de Lunal Educação> Educação Onlinel 21/11/2011 lAcessos: 94

    Resenha sobre o livro do jornalista e escritor Lustosa da Costa.

    Por: Vicente Freitasl Literatural 09/04/2008 lAcessos: 2,214

    Páscoa significa passagem do material ao espiritual, o que resta é só carnal, a ressurreição bendita é real na glória não desdita, o espírito se liberta e ressuscita. Jesus o Cristo, o filho do homem, passa a filho de Deus deixa o espírito encarnado, ressuscitado não morreu. A páscoa vivifica e se eterniza em nossos corações, persas, romanos, judeus e armênios, se tornam filisteus, o mundo cristão encena a paixão de quem não morreu. Cristo nosso irmão mora nos corações dos irmãos seus.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 05/04/2015

    páscoa era a maior festa dos judeus, recomendada por Moisés e celebrada pela primeira vez quando deixaram o Egito. A palavra páscoa significa passagem, ou seja, a passagem dos judeus pelo Mar Vermelho e do anjo que matou os primogênitos do Egito e poupou os Hebreus, cujas casas estavam assinaladas com o sangue do cordeiro. Páscoa é, pois, para os judeus, a comemoração da passagem de Israel do cativeiro para a liberdade.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 05/04/2015

    A mediunidade está muito difundida nos dias atuais. Muitas pessoas de outras religiões procuram as Casas Espíritas, no intuito de encontrar uma paz interior e através dessa paz, conquistar a sua reforma íntima. Todo aquele que sente num grau qualquer, a influência dos espíritos é, por esse fato, médium. A palavra médium tem a sinonímia de intermediário entre o mundo material e espiritual. Essa faculdade é inerente ao homem, não é exclusividade de nenhuma religião.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 24/03/2015 lAcessos: 12

    As religiões servem até hoje como um caminho para os mais elevados valores pessoais, e também como uma das formas mais complexas de poder e de preconceito, incluindo-se fé, ambição, poder e Deus. Todas as religiões têm suas crenças no mundo espiritual, mas não deixam de almejar o poder e construir seu reino na Terra.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 22/03/2015
    Fernando Corrêa manarim

    Para compreendermos a origem dessa "esquizofrenização" da raça humana, principal responsável por essa crise existencial avassaladora, elegi empregar como principais referências, dois mitos importantes e iconográficos, de épocas diferentes, mas que ilustram e caracterizam de maneira clara e original os verdadeiros motivos que nos transformaram nisso que "estamos" hoje. Esses mitos nos revelam simbólica e metaforicamente, como esse mundo distorcido criado pela humanidade originou-se

    Por: Fernando Corrêa manariml Religião & Esoterismo> Religiãol 19/03/2015
    Fernando Corrêa manarim

    O ser humano passa por uma grave crise, pois algo o domina, o envolve e o manipula há muito tempo. Sem identidade, sem certezas e sem rumo, a humanidade, doente, passou a viver uma vida errante, de profunda mendicância existencial, por buscar algo que ficamos privados e que, por algum motivo, não nos recordamos nem como e nem porque tudo isso aconteceu. Esse "algo" extraviado ficou conhecido historicamente com o nome de "Elo Perdido"

    Por: Fernando Corrêa manariml Religião & Esoterismo> Religiãol 16/03/2015 lAcessos: 15
    Cláudia Meyer

    "Portanto, dá-me sabedoria para que eu possa governar o teu povo com justiça e saber a diferença entre o bem e o mal. Se não for assim, como é que eu poderei governar este teu grande povo?" (‭1 Reis‬ ‭3‬:‭9‬)

    Por: Cláudia Meyerl Religião & Esoterismo> Religiãol 12/03/2015 lAcessos: 15
    Jordanio Aguiar

    O presente artigo almeja discutir o caminho do Ensino Religioso na história da educação brasileira, iniciando-se pelo período colonial, imperial, republicano e pelas constituições até a idade contemporânea com a nova LDB 9.475 de 22 de julho de 1997, onde o Ensino Religioso é refletido como sendo uma disciplina curricular de obrigatoriedade das escolas públicas de ensino fundamental, proibidas quaisquer formas de proselitismo, ou seja, o Ensino Religioso deve respeitar a pluralidade cultural .

    Por: Jordanio Aguiarl Religião & Esoterismo> Religiãol 23/02/2015 lAcessos: 18
    Luiz Domingos de Luna

    Uma peça de ficção sobre o mito do fim do mundo, quando a religião entra no campo da ciência o mito ganha força e a ciencia prova que a vida se faz com dados cientícios e não com dados mitológicos

    Por: Luiz Domingos de Lunal Religião & Esoterismo> Astrologial 20/12/2012 lAcessos: 37
    Luiz Domingos de Luna

    Dispõe sobre a falta de seriedade com a educação brasileira vetor básico para o desenvolvimetno do país

    Por: Luiz Domingos de Lunal Educaçãol 08/11/2012 lAcessos: 29
    Luiz Domingos de Luna

    Uma homenagem a um dos fundadores da Loja Maçônica Cavaleiros de Nova Aurora nº69 ,Paulo Eliomar do Nascimento pela passagem de seus 70 anos

    Por: Luiz Domingos de Lunal Literatura> Crônicasl 19/08/2012 lAcessos: 60
    Luiz Domingos de Luna

    Uma analise, questionamentos e contextualizaçao dos problemas educacionais no pais, partindo de premissas a lendas e mitos modernos para correlacionar melhor o contexto educacional ao acesso a linguagem da juventude

    Por: Luiz Domingos de Lunal Educação> Ensino Superiorl 28/07/2011 lAcessos: 48
    Luiz Domingos de Luna

    Uma problematizaçao sobre a necessidade de um contrato social bem feito a serviço da politica social

    Por: Luiz Domingos de Lunal Direitol 29/06/2011 lAcessos: 112
    Luiz Domingos de Luna

    A Onda fluitiva de informações na internet a formar o pósconceito, um edificio de partilha de conhecimentos, a interatividade uma luz a todos os habitantes do Planeta Terra

    Por: Luiz Domingos de Lunal Internet> Blogsl 23/04/2011 lAcessos: 41
    Luiz Domingos de Luna

    Uma problematização sobre lendas futuras - Segunda Eva - Em Aqaurius - Planeta ficticio onde o autor coloca novas possibilidades existencias ao pensar humano.

    Por: Luiz Domingos de Lunal Religião & Esoterismo> Religiãol 26/03/2011 lAcessos: 110
    Luiz Domingos de Luna

    Uma pequena trajetoria da Ordem Santa Cruz - Penitentes - à luz das trevas da imprensa conservadora.

    Por: Luiz Domingos de Lunal Religião & Esoterismo> Religiãol 16/03/2011 lAcessos: 72
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast