Prece Ou Oração

20/03/2009 • Por • 4,603 Acessos

PRECE OU ORAÇÃO

Nem a paz, nem o fim! A vida, a vida apenas. É tudo que encontrei e é tudo que me espera. Alvitras, asseveras à vontade de colocar seu Espírito em paz com Deus, para que a caridade, a fraternidade, seja somatória de glórias para meu coração sofrido e esperançoso. O coração palpita fazendo circular entre milhares de canais humanos o líquido da vida. O corpo material sem alimentos nutrientes não vigora, o Espírito sem a prece adornada pelo orvalho divino não fortalecerá. A matéria grosseira com a deficiência alimentar entrará em estagnação biológica se nenhuma providência for tomada. E voltará de onde veio do fluido cósmico ou fluido universal, mas o Espírito sendo semimaterial e imortal será levado a outras plagas para encontrar o azimute, que o conduzirá a uma benfazeja reencarnação. Muitas pessoas dão ao prazer uma conotação contraditória, pois o prazer no mundo terreno é a fonte copiosa do sofrimento. O prazer, frequentemente, é produção de angústia e ilusão.


A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar nele; é aproximar-se, é pôr-se em comunicação com ele. Estes conceitos aqui enunciados podem propor-nos e alcançarmos as definições por intermédio da própria prece: que é louvar, pedir e agradecer ao Pai Divino. Existem muitas definições para a prece e a importância dela para a alma e para o Espírito. A prece é uma inovação, mediante a qual o ser humano entra, pelo pensamento, em comunicação com o ser a quem se dirige, podendo ter como objetivo um pedido, uma glorificação e um agradecimento. A prece é uma evocação que fatalmente atrai os Espíritos, pois muitos deles querem participar de um ato desta natureza para melhoria espiritual.


Muitas pessoas afirmam: vamos orar, outras dizem: vamos rezar. Será que existe alguma divergência entre as duas ações? A oração é comunhão pelo pensamento com o universo espiritual e divino é o esforço da alma para a Beleza e para a Verdade eternas; é a entrada, por um instrumento, nas esferas da vida real e superior, aquela que não tem termo. Nota-se que a distinção entre uma e a outra é a consistência das palavras, mas tanto uma como a outra auferida de fé tem a mesma finalidade e importância. A oração é o remédio eficaz de nossas moléstias íntimas. A ação da prece se fortalece quando oramos, ou estamos agradecendo a algo, ou pedindo algo, para nós ou para outrem, ou pelos vivos ou pelos mortos. Mas a resposta sempre dependerá de Deus e da sua vontade. Claro pelo merecimento também. Quase todos nós oramos, mas poucos sabem orar. A - Deus não importa necessariamente as frases repetidas que fazemos todos os dias. Isso é hábito, um dever que a gente acaba fazendo quase que mecanicamente, então isso não é correto.

Quando oramos, não devemos se colocar em evidencia, mas sim, orar secretamente. Não é preciso ficar orando, orando. Não é a quantidade de prece ou palavras que fará que sejamos atendidos, mas sim a sinceridade. Antes de a gente orar, é preciso, caso tenhamos algo contra alguém, perdoar porque senão, a prece não será agradável a Deus, se não partir de um coração puro de todos os sentimentos contrários à caridade. Vejam pelo que foi exposto nas entrelinhas como é importante a oração tanto para a alma como para o espírito. Nós diríamos ainda sobre a prece, voltando à doutrina, que ao orarmos e ao pedirmos algo, devemos agir com bom senso. Pergunte-se a si mesmo se o que está pedindo você é merecedor? Se o que você está pedindo, deveria vir para você de graça? A oração não deve ser repetitiva, de preferência que saia da nossa introspecção, do âmago e do coração e de improviso. "A oração é a água da vida; anima a existência e traz às almas boas novas e júbilos. Nós devemos atender a isto o mais que pudermos, e convidar os outros à oração e à súplica... Perguntaste o que deverias fazer, de que maneira orar, a fim de ser informado dos mistérios de Deus. Deves orar com teu coração atraído e teu espírito extasiado pelas boas novas divinas. Assim as portas do reino dos mistérios abrir-se-ão diante de ti, e virás a compreender a realidade de todas as coisas...

"Que é oração, atitude ou palavra? É tanto atitude como palavra; depende do estado da alma. Assemelha-se a uma canção: – ambas – música e palavras, fazem a canção. Algumas vezes é a melodia que nos comove; outras vezes, é a palavra. "A súplica é tão eficaz que nos inspira durante todo o dia com ideais elevados, e tornam serenos e santos nossos corações. "Devemos ser sensitivos à música da prece; o coração deve sentir seu efeito, e não ser como um órgão do qual possam surgir as mais suaves melodias sem que nele mesmo seja produzido à consciência da sensação." Na realidade seja prece ou oração devemos evitar a repetição exagerada e colocar mais amor e fé no coração. Com estas atitudes estaremos fortalecendo a alma e o Espírito. De preferência as duas devem ser feitas em silêncio e com concentração, as rezas em tons de gritarias nada resolvem e as energias benéficas que estão ali no momento podem evaporar-se e ficarmos de mãos no queixo. Jesus disse: "Quando quiserdes orar recolhe-te ao silêncio de teu quarto, mas como Jesus falava através de parábolas este quarto é nosso coração e não a dependência que dormimos. Fé acima de tudo. Pensem Nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

Perfil do Autor

Antonio Paiva Rodrigues

Jornalista, Radialista,Gestor de Empresas(Administração), Bacharel em Segurança Pública, Acadêmico de...